02 agosto 2015

CRONOLOGIA DOS PERÍODOS HISTÓRICOS DA BÍBLIA E HISTÓRIA UNIVERSAL CONTEMPO­RÂNEA



  1. Período Antediluviano: 1656 anos (Gn. caps. 2-6) Tempo: de Adão (4004 a.C.) ao Dilúvio (2348 a.C.) Adão criado em 4004 a.C. O Dilúvio ocorreu em 2348 a.C. Nesse período, Babilônia, berço da raça humana, atinge elevado grau de civilização. Primeira dinas­tia de Ur: 2800-2400 a.C. Ur era cidade-reino predo­minante na época, no mundo então conhecido. Era a cidade de Abraão. Foi depois 'eclipsada' pela cida­de de Babilônia.
  2.  Reinos do Alto e Baixo Egito: Menes unifica o Egito: 2900 a.C. 
  3. Cidades-estados sumerianas. 2. Período do Dilúvio d Dispersão das Raças: 100 anos (Gn caps. 7-11).Tempo: 2348-2248 a.C.
  4. Nascimento de Abraão: 1996 a.C. De Adão a Abraão: 2008 anos Sem (filho de Noé) viveu 98 anos até o Dilúvio, e mais 502 após. Foi um traço de união entre as gerações poste­riores ao Dilúvio.3. Período dos Patriarcas: 430 anos (Gn cap. 12 a Êx cap. 12)Tempo: da chamada de Abraão ao Êxodo (1921-1491 a.C.)Chamada de Abraão: 1921 a.C.Do Dilúvio à chamada de Abraão: 427 anos (2348-1921 a.C.)As provações de Jó: cerca de 1845 a.C. Nascimento de José: 1800 a.C.Imigração de Jacó e sua família para o Egito: cerca de 1706 a.C.Nascimento de Moisés: 1571 a.C. Permanência de Israel no Egito: cerca de 400 anos. Período da escravidão no Egito: cerca de 100 anos. Egito - 1?
  5.  Império mundial: 1600-1200 (18? e 19? dinas­tias).Êxodo dos Israelitas: 1491 a.C. Outro cômputo dá 1450 a.C.4. Período da Jornada no Deserto e Conquista de Canaã: 46 anos (Êx cap. 13 a Js cap. 24).Tempo: do Êxodo à conquista de Canaã (1491-1445 a.C.)Peregrinação no deserto: 40 anos (Nm 10.11 com Dt 2.14).Passagem do Jordão: 1451 a.C.Conquista de Canaã: 6 anos (1451-1445 a.C.)
  6. Apogeu do Império Hitita: 1400 a.C.Projeção dos gregos e colonização da Ásia Menor por eles.5. Período da Teocracia: 345 anos (Jz cap. 1 a 1 Sm cap. 10) (Ver Juizes 11.26.)Tempo: época dos Juizes até Samuel (1445-1100 a.C.)Ministério de Samuel: 1100-1053 a.C. - cerca de 47 anos.Egito: centro de cultura geral.Projeção da Grécia. Destruição de Tróia: 1184 a.C.Os navegantes exploradores fenícios chegam a Gibraltar: 1100 a.C.Até aqui, a cronologia é por demais incerta. A época dosJuizes é uma das piores.
  7. (A partir do período seguinte, a História já fornece dados mais seguros para cálculos).6. Período do Reino Unido ou Monarquia: 120 anos (1 Sm cap. 11 a 2 Cr cap. 9).Tempo: de Saul (1053) a Salomão (933 a.C.) Saul: 1053-1013, reinado de 40 anos (At 13.21). Davi: 1013-973, reinado de 40 anos (2 Sm 5.4). Salomão: 973-933, reinado de 40 anos (1 Rs 11.42). Assíria - império mundial: 900-607 a.C.7. Período do Reino Dividido: 347 anos (1 Rs 12 a 2 Cr 36) Tempo: de Roboão (933) a Zedequias (586 a.C.) Reino do Norte (Israel) durou mais de 200 anos (933-721 a.C.)Reino do Sul (Judá) durou mais de 300 anos (933-586 a.C.)
  8. Início do cativeiro do Reino do Norte (Galiléia): 734 a.C. Cativeiro total do Reino do Norte: 721 a.C. Início do cativeiro de Judá: 606 a.C. 1ª leva de cativos, inclusive Daniel. (Ver 2 Crônicas 36.6,7 com Daniel 1.1-3.)Templo saqueado. Jeoaquim subjugado. Segunda leva de cativos de Judá: 597 a.C. Nesta leva foi o profeta Ezequiel, o rei Jeoaquim e 10.000 homens esco­lhidos (2 Rs 24.14-16). Mais tesouros do templo foram levados.Terceira leva de cativos: 586 a.C. Desta vez Nabucodo-nosor destruiu Jerusalém e incendiou o templo, levando entre os cativos o rei Zedequias (2 Rs 25.8-12; Jr 52.28-30).Roma é fundada em 753 a.C.
  9. Os fenícios dão volta à África em 600 a.C. Faraó Neco II tenta construir um canal ligando o mar Vermelho ao Mediterrâneo utilizando 120.000 homens.(Fato concretizado no Canal de Suez, no século passa­do.)A Pérsia esmaga o Egito: 525 a.C. Projeção dos estados gregos - Atenas e Esparta.8. Período do Cativeiro e Restauração: 174 anos (2 Cr 36 a Ne 13).Tempo: da primeira leva de cativos de Judá por Babilô­nia (606 a.C.), ao final do registro da história bíblica (cerca de 430 a.C.)
  10. Cativeiro: 70 anos. Restauração: 104 anos.Decreto de Ciro para a volta dos judeus do cativeiro: 536 a.C.Reconstrução do templo: 536-516 a.C. (20 anos) Deposição de Vasti: 482 a.C. Ester, rainha da Pérsia: 478 a.C. Ageu e Zacarias - profetas da restauração: 520 a.C. em dianteEsdras chega à província de Judá como sacerdote: 457 a.C.
  11. Neemias nomeado governador: 445 a.C. Reedifica os muros e a cidade de Jerusalém, em 444. Volta à Pérsia em 434. Retorna a Jerusalém em 432 a.C. (Ne 13.6).9. Período Interbíblico: cerca de 400 anos (De Neemias ao início da Era Cristã).Impérios dominantes: o Persa: 536-330; o Grego: 330-146; O Romano: 146 a.C. a 476 d.C.

Resumo geral da cronologia do Antigo Testamento - 4004-2400 a.C

Mundo antediluviano................................cerca de 1600 anos2400-2000 a.C Do Dilúvio a Abraão                                           400 anos2000-1800 a.C Patriarcas: Abraão, Isaque e Jacó...........            200 anos1800-1400 a.C Israel no Egito.........                                            400 anos1400-1100 a.C Período dos Juizes...                                           300 anos1053-933 a.C A Monarquia Israeli­ta (Saul, Davi e Salo­mão) ...     120 anos933-586    a.C O Reino Dividido.....                                        350 anos606-536    a.C O Cativeiro..............                                         70 anos536-432    a.C Restauração  da  na ção israelita.............                  100 anos10.
  1. Período do Novo Testamento - Nascimento de Jesus: Ano 5 antes do início da atual Era Cristã.Tibério associado com Augusto no governo do Império Romano: 11-14 d.C.Tibério, imperador: 14 d.C.Ministério de João Batista: 26 ou 27 d.C. Evidências disso:a) Em Lucas 3.1,o 15º ano de Tibério é contado a partir de seu governo associado com Augusto em 11 d.C. Logo 11 + 15 = 26 d.C.b)  Em João 2.20, se diz que o templo fora construído em 46 anos. De acordo com a História, a construção teve início em 19 a.C.Logo: 19 a.C + 27 d.C. = 46 anos.
  2. Batismo de Jesus: 26 ou 27 d.C. (Corrigindo-se o calen­dário: 30-31 d.C.)Ministério de Jesus: 26-29 d.C. Sua idade 29 d.C + 4 (devido ao erro do calendário) = 33 anos e meses.
  3. Fundação da Igreja: 29 d.C. ( + 4 anos devido ao erro do calendário = 33 d.C.) Conversão de Saul: 32 ou 35 d.C. Fundação da igreja gentílica de Antioquia: 42 d.C. (At 11.19-26).Antioquia era a terceira cidade do império, sendo as outras, Roma e Alexandria.Primeira viagem missionária de Paulo: 47 d.C. (At 13.4-15.4).
  4. Concilio de Jerusalém: 50 d.C. (At 15). Segunda viagem missionária de Paulo: 50 d.C. (At 15.36-18.22).Terceira viagem missionária de Paulo: 54-47 d.C. (At 18.23-21.20).Fundação das igrejas da Ásia Menor e Europa por Pau­lo: 50-63 d.C. Fim do livro de Atos: 62 d.C.Viagem de Paulo a Roma, preso: 60 d.C.Incêndio de Roma, atribuído aos cristãos, por Nero: 64 d.C.Começa a grande perseguição aos cristãos.
  5. Acaba a construção do templo: 64 d.C.Morte de Pedro: 64/65 d.C.Início da revolta dos judeus contra os romanos: 66 d.C.Morte de Paulo: 67 d.C, por Nero.Destruição de Jerusalém e seu templo pelos romanos: 70 d.C.Destruição de Pompéia e Herculano 79 d.C. por uma erupção do Vesúvio.Perseguições  contínuas  aos cristãos e progresso do Evangelho, esvaziando os templos pagãos do Império Romano: 80 d.C. até o fim do Século I.
  6.                             CRONOLOGIAS DIVERSAS
  7. Cronologia dos livros da Bíblia: Conforme os mais abalizados mestres no assunto em questão, é a seguinte a ordem cronológica dos livros da Bíblia. Quanto aos profetas, o ano mencionado é o do início do ministério de cada um:
  8.                            ANTIGO    TESTAMENTO

  1. Jó.........................................................................      1521 a.C.-Gênesis........................................................ 1521-1500 a. C.-Êxodo..................................................................       1490a.C.-Levítico.................................................................      1489a.C.-Números...............................................................      1451 a.C.-Deuteronômio......................................................       1451 a.C.-Josué....................................................................      1424 a.C.-Juizes...................................................................      1126 a.C.-Rute......................................................................      1050 a.C.-1 Samuel...............................................................         1050 a.C.-2 Samuel...............................................................         1018 a.C.-1 e 2 Reis..............................................................     1015 a.C.-Salmos.............................................................     1050-975 a.C.-Cantares..............................................................       1013a.C.-1 e 2 Crônicas......................................................     1004a.C.-Provérbios...........................................................       1000 a.C.- Eclesiastes..........................................................       975 a.C.-Joel......................................................................       840 a.C.-Jonas...................................................................       790 a.C.-Amos....................................................................      780 a.C.-Oséias..................................................................      760 a.C.-Isaías....................................................................      745 a.C.- Miquéias..............................................................       740 a.C.- Sofonias...............................................................      639a.C.-Naum....................................................................      630 a.C.- Jeremias..............................................................       626a.C.- Lamentações........................................................      626 a.C.- Habacuque..........................................................        606 a.C.- Daniel..................................................................        606 a. C.-Ezequiel................................................................      592 a.C.- Obadias..............................................................        586a.C.-Ageu.....................................................................      520 a.C.- Zacarias............................................................                    520 a.C.-Ester....................................................................       509 a.C.- Esdras.................................................................       457a.C.- Neemias..............................................................        434 a.C.- Malaquias............................................................       432a.C.

  1.                             NOVO TESTAMENTO

  1.                                                                                                         Tessalonicenses................................................. 51 d.C.-2 Tessalonicenses.................................................        52 d.C.-1 Coríntios............................................................         56d.C.-2 Coríntios............................................................         57d.C.-Gálatas.................................................................      57d.C.-Romanos...............................................................     58 d.C.-Mateus..................................................................      60 d.C.- Efésios..................................................................      61 d.C.-Tiago.....................................................................     61 d.C.- Filipenses..............................................................     62 d.C.-Colossenses...........................................................    62 d.C.- Filemom...............................................................       62 d.C.-Lucas....................................................................      63 d.C.- Hebreus................................................................      63 d.C.-Atos dos apóstolos............................................... 63 d.C.- 1 Timóteo.............................................................         64 d.C.- 1 Pedro.................................................................         64 d.C.- Tito.......................................................................      65 d.C.- Marcos..................................................................      65 d.C.-2 Pedro..............................................................            64/5 d.C.-2 Timóteo.............................................................         67d.C.-Judas....................................................................      70 d.C.-João (Evangelho).................................................      85 d.C.-1 João...................................................................         90d.C.-2 João...................................................................         90 d.C.-3 João...................................................................         90 d.C.-Apocalipse............................................................      96d.C.2.  

  1. Patriarcas
  2.    
  3. Os principais já foram mencionados nos períodos estudados. Os cabeças das 12 tribos estão entre os patriarcas (At 7.9). José morreu no Egito. Não houve tribo com esse nome. Seus dois filhos Efraim e Manasses deram nomes a duas tribos e ocuparam os territórios que seriam de Levi (que não teve território, mas, cidades) e José.3.  Sacerdotes Ver a lista em 1 Crônicas 6.1-15 e Neemias 12.11,22.4.  Reis:Os três principais reis de Israel já foram mencionados. O reino do Sul (Judá), teve 19 reis. O primeiro foi Roboão (933-911 a.C), e o último Zedequias (597-586 a.C).5.  Profetas  Devemos banir do nosso pensamento a idéia popular de que o principal serviço do profeta era predizer. No original, profeta não significa "aquele que prediz", mas "aquele que fala em lugar de outro, por outro". Infelizmente, a ordem dos profetas em nossas Bíblias, não é a cronológica em que eles ministraram, o que origina não pouca confusão, mas, por certo, isto também tem sua vantagem.Profetas literários em ordem cronológica, quanto ao ca­tiveiro e pós-cativeiro dos judeus.

  4. (Profetas literários são os que escreveram suas profecias.)Profetas antes do cativeiro: Reino de Israel- Jonas (enviado à Assíria)- Oséias- Amos (natural de Judá) Reino de Judá- Miquéias (natural de Judá)- Joel- Isaías- Miquéias (ministrou aos dois reinos)- Sofonias- Naum (profetizou contra a Assíria)- Jeremias (parte do seu ministério)- Habacuque- Obadias (profetizou contra Edom) Profetas durante o cativeiro de Judá: Jeremias, na Palestina, entre o remanescente deixa­dos, Ezequiel, em Babilônia, entre os cativos, no campo, Daniel, em Babilônia, no palácio real. Profetas do pós-cativeiro: Ageu, Zacarias e Malaquias.

01 agosto 2015

INSTITUTO TENTA CRIAR TERCEIRO TEMPLO JUDEU EM ISRAEL


A tradição judaica acredita que o aguardado Terceiro Templo – o sucessor do Templo de Herodes, destruído em 70 D.C. – só poderá surgir com a vinda ao mundo do Messias (o escolhido, em hebraico), um descendente direto do Rei David que o reconstruiria e levaria judeus espalhados em todo o mundo a se reunirem na Terra de Israel.

“O judaísmo é completamente contra a construção de um templo”, afirma o rabino Alon (o nome foi trocado a pedido do entrevistado). “Isso porque o Templo, principalmente esse terceiro, não é uma construção para vir das mãos do ser humano. O que se acredita é que ele virá pronto do céu. Nós, homens, não temos que nos envolver com isso.”

Também conhecido como Primeiro Templo ou Templo de Jerusalém (Beit Hamikdash, em hebraico), o templo original foi erguido pelo Rei Salomão no longínquo século IX A.C., em Jerusalém. O objetivo principal do espaço era guardar a Arca da Aliança que protegia os Dez Mandamentos – ou tábuas da lei, conjunto de regras básicas passadas por Deus a Moisés durante o êxodo judaico do Egito.
No dia 20 de agosto de 2013, após mais de 1950 anos, ocorreu em Israel a cerimônia preparatória para a retomada do “sacrifício perpétuo” que era feito diariamente pelos judeus. O mandamento presente no livro de Levítico é retomado em Jerusalém pela primeira vez desde a destruição do Segundo Templo pelas mãos dos romanos, no ano 70. O Templo original foi inaugurado aproximadamente em 950 a.C. e destruído na invasão babilônica em 586 a.C.

O treinamento dos cohanim (sacerdotes) é uma iniciativa do Instituto do Templo, juntamente com várias outras organizações dedicadas a reerguerem o Beit HaMikdash (Templo de Salomão) em Jerusalém. Essa escola para os novos sacerdotes é um importante passo na restauração dos sacrifícios rituais. A primeira turma foi selecionada após uma parceria com a Mishmeret Kehunah, instituição que procura restaurar o ciclo sacerdotal do Templo.

Um novo sinédrio existe desde 2006. Desde então, se reúne uma vez por mês em Jerusalém, e formou uma comissão de sete rabinos, que faz um estudo detalhado dos rituais e cerimônias do templo. Com isso, foram selecionando jovens que descendem da antiga tribo de Levi, algo facilmente identificável por terem mantido a tradição de seus sobrenomes, sendo os mais comuns Levi, Levy, Levine, Leventhal, Levinson e Cohen.
Os sacerdotes escolhidos tiveram as primeiras aulas sobre como usar suas roupas especiais seguindo os requisitos bíblicos, e como executar os rituais na tradição dos levitas originais. Os alunos realizaram o sorteio para determinar quem iria fazer o primeiro serviço de sacrifício do dia.

Segundo o anúncio oficial, “Na noite do dia 14 de Elul, 5773, o Instituto do Templo, em cooperação com Mishmeret Kehunah (Organização para a Renovação dos turnos sacerdotais) e outros organizações inaugurou uma nova escola dedicada ao ensino da ‘arte perdida’ de executar diariamente o serviço Tamid no Templo Sagrado”.



Treinamento dos cohanim (sacerdotes)


Nenhum animal foi sacrificado, mas as imagens divulgadas mostram os preparativos para a oferta do incenso, o toque das trombetas e a limpeza ritual do candelabro, juntamente com o ensaio das orações adequadas e das canções tradicionais.



O Instituto existe há 26 anos e tem feito muitos preparativos para a reconstrução do templo judaico no Monte Moriá, desde então. No ano passado, a organização quis retomar o sacrifício público a páscoa para lembrar os judeus da tradição. Contudo, a polícia israelense mais uma vez os impediu de fazer manifestações públicas por medo de incitar a revolta dos muçulmanos.



O movimento pela reconstrução do Templo já divulgou em outras oportunidades que terminou a produção de todas as 102 peças do local sagrado, seguindo os preceitos bíblicos. Todos os utensílios necessários já estão prontos, incluindo a arca da aliança, além dos projetos arquitetônicos para a reconstrução. Os novos sacerdotes não sabem quando poderão começar a atuar, mas querem estar prontos o quanto antes.



Os judeus ultraortodoxos acreditam que, de acordo com o Antigo Testamento, o Messias será o único capaz de restaurar o Templo, então basta esperar. Por outro lado, outros grupos defendem que o povo judeu deve, de alguma forma, merecer a vinda do Messias, preparando-se ativamente para isso.



Baseado nisso, grupos como o Instituto do Templo tem atraído doações de judeus espalhados por todas as nações do mundo para que seja possível a reconstrução do Templo. Ministérios cristãos sionistas também têm colaborado, em especial o do evangelista Benny Hinn, que inclusive o levou ao seu programa de TV para falar sobre o assunto.



O treinamento dos sacerdotes é uma iniciativa do Instituto do Templo, juntamente com várias outras organizações dedicadas a reerguerem o Templo de Salomão em Jerusalém.



Somente o candelabro principal do Templo (Menorah), feito com mais de 40 quilos de ouro maciço, custou 3 milhões de dólares. Em 21 de Maio de 2009, o grupo de judeus ortodoxos “Movimento de Fidelidade à Terra de Israel e ao Monte do Templo” fez um desfile pelas ruas de Jerusalém, mostrando uma pedra de quase quatro toneladas. Ela foi anunciada como a pedra angular para a edificação do terceiro Templo de Jerusalém.



O rabino Chaim Richman, diretor do Instituto é o mais forte candidato a assumir a função de sumo sacerdote do Templo. Ele já criticou publicamente outras tentativas de reconstrução do templo, como a réplica da IURD no Brasil.



Atualmente, a meta do instituto é atingir US$ 100 mil em doações para se chegar aos US$ 300 mil necessários para o encerramento da fase inicial do projeto, que inclui um completo detalhamento dos planos para quando o templo iniciar sua construção. No entanto, além do desafio financeiro e da crítica de parte da comunidade judaica, o grupo ainda terá de enfrentar outros obstáculos se quiser atingir seu objetivo. Um deles, e talvez o maior, é o fato de o Monte Moriá, onde pretendem construí-lo, atualmente abrigar a Mesquita de Al-Aqsa, a maior de Jerusalém e o terceiro lugar mais sagrado do islamismo.


Veja o vídeo sobre a construção do Templo em Jerusalém:


LOBBY

Folha reuniu-se, no Parlamento israelense, com Yehudah Glick, presidente da Fundação de Herança do Monte do Templo, que faz lobby pela reconstrução.
"O templo, mais do que o Muro das Lamentações, é central para a fé judaica", diz. A instituição organiza a visita de judeus à esplanada, sob escolta armada e olhares de censura de muçulmanos.

A reportagem perguntou a ele o que será feito das construções islâmicas. A resposta foi esquiva. "Quando o Estado de Israel foi construído, também havia árabes aqui. Mas foi decidido que esse seria o Estado judaico. Quem não aceitar pode ir embora. 

Com informações de: 
Temple Institute e Bible Prophecy, Gospel Prime, Útimo Segundo-Portal IG e http://www1.folha.uol.com.br/mundo/2013/09/1338349-instituto-tenta-criar-terceiro-templo-judeu-em-israel.shtml 

31 julho 2015

TRÊS GRANDES INIMIGOS DA FÉ


A maioria de nós já sabe sobre a importância de ter fé em Deus. Diversos textos da bíblia, principalmente do Novo Testamento falam que a salvação vem pela fé em Jesus Cristo o filho de Deus. Para tudo é necessário ter fé. Para entrarmos no Reino dos céus é necessário fé, para permanecermos em Cristo é necessário fé e para crescermos em Cristo é necessário ter fé! E Deus já colocou em todos nós uma porção de fé. Mas muitas vezes somos afrontados com coisas que nos desanimam e enfraquecem nossa fé. Em I Timóteo 4:1 diz: “MAS o Espírito expressamente diz que nos últimos tempos apostatarão alguns da fé, dando ouvidos a espíritos enganadores, e a doutrinas de demônios;”. Nesse tempo final, muitos abandonarão o maravilhoso evangelho por deixarem os inimigos da fé os vencerem. 

NÃO DEIXE O INIMIGO TIRAR A FÉ DE SEU CORAÇÃO, pois ela o salvará no dia da angústia, lhe dará salvação eterna e lhe manterá firme nos caminhos do Senhor! 

Não abandone a fé em Cristo, não deixe o diabo roubar sua fé em Jesus. Existem vários inimigos da fé, o principal deles é viver uma vida fora da Palavra de Deus. Mas vamos falar sobre outros 3 inimigos. Veja:

1º INIMIGO DA FÉ - AS PREOCUPAÇÕES COM AS COISAS DESSA TERRA: O apóstolo Paulo, ao jovem pastor Timóteo, falou sobre aqueles que acham que o evangelho é fonte de lucro, disse: “nada trouxemos para esse mundo e nada poderemos levar, por isso tende o que comer e o que vestir-nos estejamos com isso satisfeitos. Os que querem ficar ricos caem em tentação, em armadilhas e em muitos desejos descontrolados e nocivos, que levam os homens a mergulharem na ruína e na destruição, pois o amor ao dinheiro é a raíz de todos os malesAlgumas pessoas por cobiçarem o dinheiro, desviaram-se da fé e se atormentaram com muitos sofrimentos”. (1 Tm. 6:3-10). Jesus disse: “Não andeis cuidadosos quanto à vossa vida, pelo que haveis d e comer ou pelo que haveis de beber; nem quanto ao vosso corpo, pelo que haveis de vestir. Não é a vida mais do que o mantimento, e o corpo mais do que o vestuário? Olhai para as aves do céu, que nem semeiam, nem segam, nem ajuntam em celeiros; e vosso Pai celestial as alimenta. Não tendes vós muito mais valor do que elas? E qual de vós poderá, com todos os seus cuidados, acrescentar um côvado à sua estatura? E, quanto ao vestuário, por que andais solícitos? Olhai para os lírios do campo, como eles crescem; não trabalham nem fiam; E eu vos digo que nem mesmo Salomão, em toda a sua glória, se vestiu como qualquer deles. Pois, se Deus assim veste a erva do campo, que hoje existe, e amanhã é lançada no forno, não vos vestirá muito mais a vós, homens de pouca fé? Não andeis, pois, inquietos, dizendo: Que comeremos, ou que beberemos, ou com que nos vestiremos? (Porque todas estas coisas os gentios procuram). De certo vosso Pai celestial bem sabe que necessitais de todas estas coisas; Mas, buscai primeiro o reino de Deus, e a sua justiça, e todas estas coisas vos serão acrescentadas. Não vos inquieteis, pois, pelo dia de amanhã, porque o dia de amanhã cuidará de si mesmo. Basta a cada dia o seu mal” (Mt. 6:25-34). Em Tg. 2:5 diz que Deus escolheu os pobres deste mundo para serem ricos em fé. Por que? Um rico pode sim ser salvo, mas um homem que ama o trabalho, seu “futuro” (pequeno futuro nessa terra) e as suas finanças mais do que a Deus e a sua obra, jamais poderá ser forte na fé. Esse é um grande inimigo de sua fé, as preocupações com as coisas desse mundo falido.   

2º INIMIGO DA FÉ - A CRITÍCA E O CORAÇÃO ORGULHOSO: A Palavra nos fala em Tg.1:6 que aquele que fica com dúvida é como a onda do mar que é levada pelo vento e lançada na rocha. Geralmente aquele que tem dúvida é porque tem um coração orgulhoso, um espírito de soberba e de crítica. Em Hb. 10:22 diz: “Cheguemo-nos [à Deus] com verdadeiro coração, em inteira certeza de fé, tendo os corações purificados da má consciência..”. Da mesma forma, em I Tm. 1:19 diz:“Conservando a fé, a boa consciência, a qual alguns, rejeitando, fizeram naufrágio na fé”. A crítica endurece o coração e traz o orgulho. Em II Tm. 2:22 diz: “Foge também das paixões da mocidade; segue a justiça, a fé, o amor, e a paz com os que, com um coração puro invocam o Senhor”. Não devemos andar com pessoas duras e críticas. Precisamos de um coração puro e quebrantado, pois aquele que tem um coração humilde Deus nunca rejeita.
  
3º INIMIGO DA FÉ – A FÉ SEM OBRAS: Em Tiago 2:20 diz que a fé sem obras é morta. Deus honra aquele que dá passos de fé, vejo isso em minha própria vida! Alguns  querem ter uma fé sobrenatural a ponto de ressuscitar mortos. Entretanto, esses pensam que evangelho é algo místico, que só envolve a salvação da alma e a oração. Algo que sempre digo é: Deus se move quando você se move nele! Temos que realizar boas obras para ele e ter atitudes de fé. Se quer ter prosperidade, trabalhe e semeie na obra de Deus. Se quer se formar na faculdade, estude. Se quer ter um casamento abençoado, clame ao Senhor aos pés da cruz. Tudo depende de como você vai reagir. Deus lhe deu força e autoridade em Jesus para mudar situações, mas você deve clamar e andar para frente. Deus é contigo! Se você muda, tudo muda.

Abraços.

Viva vencendo os inimigos da fé, opondo-se e alimentando-se da Palavra de Deus!!!

Seu irmão menor.

30 julho 2015

LIÇÃO 05 - 02/08/15 - "APOSTASIA, FIDELIDADE E DILIGENCIA NO MINISTÉRIO"

TEXTO ÁUREO

“Mas o Espírito expressamente diz que, nos últimos tempos, apostatarão alguns da fé, dando ouvidos a espíritos enganadores e a doutrinas de demônios” (1Tm 4.1).

VERDADE PRÁTICA


A apostasia e a infidelidade a Deus são características marcantes dos tempos do fim

LEITURA BÍBLICA EM CLASSE

1 Timóteo 4.1,2,5-8,12,16
INTRODUÇÃO

Um líder precisa de algumas habilidades que o ajudarão e o capacitarão a guiar melhor o grupo que Deus lhe confiou. Uma dessas habilidades é o discernimento quanto ao que vem ou não de Deus. Embora saibamos por outros textos da Escritura que discernimento é um dom, Paulo ensina a Timóteo que discernimento também pode ser adquirido com as atitudes corretas. Um líder com discernimento pode salvar a vida de um povo. 

Em 1 Crônicas 12:32, vemos que homens da tribo de Issacar foram chamados porque eram conhecedores da época e sabiam o que fazer. Ao estudar esta lição, veja como estas duas posturas: conhecer a época e saber o que fazer são ingredientes fundamentais na aquisição de discernimento por parte de um jovem líder.

A dificuldade dos tempos de Timóteo = (l Tm 4:1-3)

Cada época tem seus desafios e dificuldades especiais com relação à proclamação e à prática da verdadeira e genuína mensagem do evangelho. Nesse trecho da carta, Paulo descreve a Timóteo as características do erro doutrinário que encontraria naquela época. Deixando de lado as particularidades, ou seja, as afirmações doutrinárias específicas, tais características servem para analisarmos quaisquer movimentos contrários à Palavra de Deus que venham assolar a igreja ainda nos dias de hoje. Vamos ver quais são essas características.

1. Origem. As falsas doutrinas são inspiradas por demônios, ou seja, têm ingredientes mentirosos misturados a práticas externas que parecem boas e proveitosas para a vida do homem. Apesar de homens que se engajam nesses movimentos ou crenças serem cegos para a verdade, não são inocentes ou inofensivos e tampouco inspirados por nada. Por causa de seu estado que é descrito no verso 2, engolem e espalham as doutrinas mentirosas produzidas pelo inimigo de Deus na mente dos homens.

A palavra para consciência cauterizada (kaustëriazõ) significa queimado com ferro quente, ou seja, sua consciência se tornou insensível e incapaz de perceber a mentira em que estavam se metendo. Paulo já tinha escrito sobre essa verdade em outras cartas. Por exemplo, em Colossenses 2:8, adverte a igreja que não dê ouvidos a doutrinas que queiram escravizá-la aos sistemas mundanos. Só Cristo pode dar a liberdade de uma nova vida aos crentes. Em Efésios 6: 12, o apóstolo alerta que nossa luta não é contra a carne e o sangue, mas contra os principados e potestades deste mundo tenebroso.

O que Paulo está sugerindo não é que conheçamos as doutrinas demoníacas, mas sim que saibamos que o que vem contra o evangelho são armas do inimigo para manter os homens afastados de Deus.

Você conhece alguém enredado por alguma falsa doutrina nos dias de hoje? Você tem se lembrado dessa pessoa em oração? Faça uma agenda com nomes de pessoas nessa situação e ore por elas.

2. Método. Se você ler outras exortações de Paulo a respeito de heresias que assolavam a Igreja de seu tempo, vai perceber que todas elas, ao abordar as pessoas, começavam por criticar práticas exteriores ou sugeriam mudanças nos rituais e práticas de culto. Nesse caso, em particular, temos o que podemos chamar de sementes do Gnosticismo, movimento herético que surgiu no século II d.C.

Veja o caso da Igreja de Colossos. Eles enfrentaram vários movimentos de uma só vez: filosofias vás (Cl 2:8); legalismo, coisas com aparência de sabedoria e religiosidade (Cl 2:20-23).

Na realidade, esse pré-gnosticismo que Timóteo estava enfrentando na igreja de Efeso também havia chegado até Colossos. Estamos chamando de pré-gnosticismo porque o que havia naquela época eram apenas as idéias do que futuramente seria chamado de movimento religioso do gnosticismo. O que eles pregavam? Charles Ryrie, na Bíblia Anotada (Editora Mundo Cristão, p. 1574 ou p. 1232 nova edição), dá-nos algumas características da heresia do gnosticismo.

a. O conhecimento é superior à virtude (saber é melhor do que praticar).

b. O sentido correto das Escrituras é o não- literal e só pode ser compreendido por uma minoria seleta.

c. A presença do mal no mundo desmente o conceito de que Deus é o único Criador.

d. A encarnação é um fenômeno inacreditável. Deus não pode unir-se ao corpo humano.

e. Não há ressurreição do corpo.

É importante registrar que ao longo da história da igreja essas heresias reaparecem. Nenhuma delas ataca abertamente a fé cristã. Geralmente criticam fatos externos, mas que dizem respeito à doutrina perfeita do Deus verdadeiro.

Por exemplo: quando Paulo fala sobre o poder e a atuação ilimitados de Deus, na verdade, está se posicionando contra o que era pregado pelos gnósticos: que Deus não teria contato com a carne (pecaminosa, impura), e, portanto, o próprio homem deveria resolver esse problema.

Fique atento! Procure ter mente crítica quanto ao que ouve. Analise os vários ângulos de uma afirmação, proposta ou idéia. Observe o que há de positivo e de negativo no que está sendo dito. Busque a sabedoria do Senhor para compreender e discernir todo o conteúdo de uma mensagem.

3. Objetivo. De todas as características das falsas doutrinas, essa é a mais fácil de notar. Todas elas querem enganar e destruir. Outros versos e exortações de Paulo sobre falsas doutrinas demonstram isso (1Co 3:18; Ef 5:6; Cl 2:4; 2Ts 2:3). O objetivo é enganar e impedir que as pessoas vivam a verdade de Deus; podendo levar ao desvio do caminho certo ou à apostasia.

Como o líder deve reagir neste tempo = ( I Tm 4:4-10)

Até aqui, estudamos como as falsas doutrinas podem atacar as pessoas. Vamos ver como devemos agir diante delas. Contrastando as afirmações das falsas doutrinas, Paulo diz que Deus é o Criador de tudo. O que o Senhor criou é bom; nada é recusável, se recebido com ações de graças. E pela Palavra e pela oração que as coisas são santificadas (v.4-5).

No verso 6, o apóstolo explica a seu jovem discípulo que o ensino da boa doutrina e da Palavra de Deus é a melhor arma para combater as mentiras do reino das trevas e, ao mesmo tempo, o caminho para praticar a piedade e a vontade de Deus. Nos últimos versículos desse capítulo, encontramos importantes dicas para o trabalho do líder cristão de ensinar a Palavra de Deus com o alvo de transformar os homens.

1. Remédio adequado. Paulo instrui Timóteo (v.6) e faz referência ao que escreveu nos versos anteriores (v. 1-5). Ser bom ministro de Cristo é expor as verdades bíblicas, franca, clara e simplesmente.

2. Alimentação individual. Fica claro que expor a Palavra é uma ação que está intimamente ligada à vida do líder. O tempo do verbo grego usado aqui implica uma constância na atitude de nutrir-se pessoalmente. A Bíblia deixa isso claro para nós (cf Ed 7: 10).

E qual é o conteúdo dessa nutrição? As verdades que Timóteo recebia da Palavra de Deus, através de envolvimento com ela, mas também com o ensino de Paulo. Para nós, hoje, a fonte é a mesma: a Bíblia e pessoas mais experientes na fé.

Veja como o movimento da boa doutrina é diferente. Vem de dentro para fora. O líder cristão plenamente alimentado da Palavra pode viver a piedade que reflete os valores da vida presente e futura abençoada por Deus. Isso é um contraste com as falsas doutrinas que começam seu movimento de fora para dentro.

A busca de purificação interior parte de ações externas, concretas, visíveis. Paulo exorta Timóteo ao exercício espiritual (superior, totalmente proveitoso, presente e futuramente) em contraste com a atividade física. Pode-se ver nas palavras do apóstolo uma crítica às práticas das falsas doutrinas, que buscavam purificação na autodisciplina e resignação. Nossas atitudes devem ser frutos de nossa nutrição pela Palavra de Deus.

Comprometa um tempo no seu dia-a-dia para ler a Bíblia. Crie o hábito de anotar o sermão de seu pastor e releia-o durante a semana. Observe se tem posto em prática o que tem aprendido. Lembre-se de que nutrir-se da Palavra leva naturalmente à prática da piedade. Uma verdadeira vida com Deus e Seus ensinos muda nossa vida e não apenas enche nossa cabeça.

3. Motivação correta. O apóstolo encerra esse trecho levando o jovem líder a pensar que a decisão de viver pela Palavra tem um ingrediente fundamental: colocar a esperança no Senhor, que é vivo, atuante e Salvador (vemos mais uma vez o contraste estabelecido com os espíritos enganadores, mentirosos).

Rejeitando as fabulas profanas. Ao expor a razão do surgimento das falsas doutrinas e mostrar quem está por trás delas, Paulo revela o seu efeito sobre aqueles que nelas crêem. Além destas verdades, também veremos neste tópico, o método para descobrir se uma doutrina é falsa.

Mostrando que elas são ensino de demônios - A Bíblia nos mostra que aigreja está vivendo os seus últimos dias de existência na terra, e que por esta razão, as hostes satânicas investirão pesado contra ela. O objetivo e articulação desse ataque já nos foram revelados: “… nos últimos tempos, apostatarão alguns da fé, dando ouvidos a espíritos enganadores e a doutrinas de demônios” (v.1).

Como atalaias do Reino de Deus, precisamos estar atentos a todo movimento estranho que aparece no meio da igreja. A finalidade não é arrancar o “joio”(Mt 13.24-42), e sim, alertarmos aos filhos do reino quanto à procedência de seus ensinamentos.

Mostrando que elas cauterizam a consciência - Ao se referir à “…hipocrisia de homens que falam mentiras, tendo cauterizada a sua própria consciência” (v.2); é como se Paulo estivesse relembrando a experiência que passou em Éfeso (At 19.1;22-41), cidade onde Timóteo pastoreava. Tais palavras revelam o intento de Satanás: ludibriar os servos de Deus com ensinamentos sortilégios.

Aqueles que vivem indo atrás de supostos proclamadores de uma nova verdade, acabam se tornando escravos de tais ideologias. Como servos de Deus, devemos revelar essas heresias e alertar ao povo quanto ao perigo de se crer nelas ( 2 Pe 2.1-3).

Mostrando que elas contradizem a Palavra de Deus - A Bíblianos mostra que o casamento é uma instituição divina, na qual um homem e uma mulher se unem para constituir uma família (Gn 1.27-28; 2.18-24), mas a aberração que estava havendo em Éfeso, é que alguns estavam “proibindo” o casamento (v.2,3).

Por ser opcional (1Co 7.8,9), a questão não estava no casamento em si, mas no “proibi-lo”; pois isto se constituía em uma contradição à Palavra de Deus. E como se sabe, por mais “inofensiva” que pareça (v. 3 -5), a contradição às Escrituras Sagradas jamais será tolerada por Aquele que a inspirou – Deus (Dt 4.1,2; Pv 30.5,6).

REVESTINDO-SE DA SÃ DOUTRINA

Devido à complexidade do que é proposto neste tópico, estudaremos sobre o processo do revestimento da sã doutrina, ressaltando a sua real finalidade. Para tanto, destacaremos as doutrinas bíblicas apontadas no texto, às quais devemos guardar:

REBELANDO-SE CONTRA AS IMAGENS ESTEREOTIPADAS LIMITADAS DA DISNEY, ILUSTRADOR TRANSFORMA PRINCESAS E PRÍNCIPES POR MAIOR DIVEERSIDADES

Aladdin


“GENDERBENT DISNEY” TROCA O SEXO DE PERSONAGENS DE ANIMAÇÃO

Walt Disney é uma das maiores influências sobre as crianças há quase oitenta anos, desde que Branca de Neve e os Sete Anões foi lançado em 1937. Até hoje esse gigante da comunicação influencia nossa cultura de maneira substantiva – e milhões de meninas crescem tendo como maior sonho encontrar um príncipe que venha salvá-las.
É de se esperar, então, que a Disney sempre tenha sido o alvo daqueles que querem contestar os limites da identidade sexual e do que é considerado “normal” pela sociedade. 
Outra subversão da cultura Disney está sendo publicada no Tumblr Let There Be Doodles, em que o ilustrador TT Brent, com algumas alterações visuais certeiras, altera o gênero de personagens clássicos das animações. O projeto, chamado Genderbent Disney,  já produziu séries em que as princesas transformavam-se em príncipes  e, depois, transformou os heróis em heroínas.
Para entender melhor esse projeto, o site Huffington Post entrevistou TT Brent para discutir a importância desse trabalho e o objetivo dessas transformações. A tradução você pode ler logo abaixo.
John Smith, de Pocahontas
John Smith, de Pocahontas
Como a série “Genderbent Disney” começou? Esse é um esforço colaborativo entre muitas pessoas?
Eu dei início a minha série “Genderbent Disney” depois de encontrar algumas alterações mais antigas de personagens da Disney feitas pelo usuário do Tumblr “thecrownedheart“. Eu adorei o trabalho que foi feito lá, e queria criar minha própria versão dos personagens da Disney. Num primeiro momento eu modifiquei algumas imagens dos desenhos clássicos, e parece que agora a ideia se alastrou e conquistou sua própria base de fãs. Mexer nos personagens da Disney não é nenhuma novidade, mas essa ideia só decolou agora. A resposta a esse projeto tem sido inacreditável. Eu já recebi alterações como essas feitas por vários artistas desde a primeira publicação.
Por que você resolveu produzir essas imagens?
As primeiras imagens foram feitas por pura diversão. Eu adoro a Disney, design artístico e concepção de personagens, e depois de ver o que thecrownedheart tinha feito, resolvi experimentar. Eu realmente não tinha nenhuma outra intenção além de me divertir. A resposta que eu recebi dos usuários do Tumblr preocupados com os direitos humanos e com política me pegou de surpresa. Muitos comentários positivos, alguns negativos. Depois de todo esse retorno, eu comecei a dar mais atenção a essas alterações e ao efeito que elas tinham sobre o público.
Por que você acha que essas imagens são importantes?
As imagens alteradas destacam como o design de personagens da Disney tende a se apoiar em estereótipos. O resultado das mudanças que eu faço, apesar de ainda fazer uso de muitos dos clichês de gênero utilizados pela Disney para criar transformações drásticas, mantém as características principais de cada personagem. O produto final é um grupo de personagens interessantes que não se encaixam muito bem nos estereótipos de gênero da Disney, e assim expandem o espectro do que se espera da aparência de personagens em animações.
Como essas imagens diferem das noções tradicionais dos principais personagens dos filmes da Disney?
As personagens femininas da Disney tendem a ter rostos em forma de coração, olhos grandes, corpos delicados… um ideal de beleza feminina moderna. Os homens da Disney variam mais em sua estrutura, mas mesmo assim eles sempre mantêm o estereótipo calcado na força e na heteromasculinidade. Depois das transformações, o resultado final criou mulheres com características faciais mais fortes, e com uma variedade maior de estruturas faciais e de corpo. Os “homens” ficaram um pouco mais “afeminados”, com corpos mais esguios, e quase sempre parecem ser mais jovens. Quase todas as imagens são, de certa maneira, o oposto dos ideais da Disney.
Por que você acha que projetos como esse são importantes politicamente e socialmente?
Desafiar os estereótipos é importante. As representações de normalidade e beleza que a mídia exibe são muito limitadas, assim como seus ideais de gênero e sexualidade. Se nós queremos aumentar a aceitação de todos os tipos de pessoa, nós temos que começar transformando a mídia. Por que não oferecer designs de personagens mais variados? “Características humanas ideais” deveriam se estender a todos, e não se aplicar a apenas alguns poucos.
Príncipe Encantado, Cinderela
Príncipe Encantado, Cinderela
Príncipe Felipe, A Bela Adormecida
Príncipe Felipe, A Bela Adormecida
Aladdin
Aladdin
Fera, A Bela e a Fera
Fera, A Bela e a Fera
Príncipe Eric, A Pequena Sereia
Príncipe Eric, A Pequena Sereia
Hércules
Hércules
Capitão Febo, O Corcunda de Notre Dame
Capitão Febo, O Corcunda de Notre Dame
Príncipe Naveen, A Princesa e o Sapo
Príncipe Naveen, A Princesa e o Sapo

COMENTÁRIO DE WÁLDSON

“E não vos conformeis com este mundo, mas transformai-vos pela renovação do vosso entendimento, para que experimenteis qual seja a boa, agradável, e perfeita vontade de Deus.”(Romanos 12.2)

Em matéria de capa intitulada “Ser jovem e gay: a vida sem dramas”, a revista Veja(Edição 280), fez esta semana um grande desfavor ao jornalismo genuinamente justo e imparcial.
Com a experiência que tenho de ter lidado com jovens homossexuais, nunca vi nenhum deles que não tivesse dramas — especialmente abusos sexuais na infância. Mas reconheço que fora dessa realidade de abuso, seria fácil encontrar casos de homossexuais que não tiveram “dramas”: Casos tirados diretamente da cartola mágica ou fruto de uma propaganda tão forte que, se os jovens forem adestrados a se ver como coelhos, coelhos eles serão.
Mas eles não estão sendo adestrados no coelhismo. Eles estão sendo doutrinados no homossexualismo.
No artigo “A geração tolerância”, Veja vai longe, dizendo ter feito uma descoberta “surpreendente”: os adolescentes do Brasil estão “assumindo” o comportamento homossexual de forma mais “natural”.

Propaganda, propaganda e mais propaganda

Na verdade, os adolescentes vivem um contexto social hoje onde a mídia de massa, o governo e as escolas impõem o homossexualismo como normal. Qual deveria ser o resultado?

Veja falou do efeito, mas não falou das causas, nem dos causadores. A Revista foi incapaz ou inepta de ver os jovens entrevistados como vítimas de propaganda. Será que devo me fazer de inocente e insinuar que Veja não sabe de nada e que não tem parte nenhuma nessa propaganda?
O mesmo tipo de propaganda, quando era direcionado para favorecer o comunismo na União Soviética, produziu mais adolescentes que se assumiam comunistas e que viam o comunismo como normal.
O mesmo tipo de propaganda, quando era direcionado para favorecer o nazismo na Alemanha da década de 1930, produziu mais adolescentes que se assumiam nazistas e que viam o nazismo como normal.
O mesmo tipo de propaganda, que agora é direcionado para favorecer a ideologia homossexual, fará o que entre os adolescentes? Diminuição no desejo de assumir a homossexualidade?
Na Alemanha nazista, era natural um adolescente se assumir nazista, mas ai dele se dissesse que era contra o nazismo!
Na União Soviética, era fácil um adolescente se assumir comunista, mas ai dele se dissesse que era contra o comunismo!
No Brasil socialista e esquizofrênico de Lula, é moleza um adolescente se assumir homossexual, mas ai dele se disser, na escola ou num programa de TV, que é contra o homossexualismo!
Para acabar com a expansão desenfreada do nazismo, foi necessário exterminar a propaganda pró-nazismo, que era um risco para a saúde e formação psicológica e moral dos adolescentes. Dá para se dizer que a propaganda pró-comunismo e pró-homossexualismo merece menos?
Propaganda ideológica sistemática — quer pró-nazismo, pró-comunismo ou pró-gayzismo — mata o bom senso.
 
Copyright 2013 Todos os direitos reservados | Blog Uma Alma Sedenta | Em Defesa da Fé Cristã Protestante