06 janeiro 2013


Em 2060, Estados Unidos terão presidente muçulmano e cristãos serão cidadãos de segunda classe, diz entidade evangélica

A entidade conservadora American Family Association (AFA) divulgou um comunicado em tom de advertência, com previsões para o ano de 2060 sobre a sociedade norte-americana.
No comunicado, a AFA afirma que em 48 anos, os cristãos conservadores serão vistos como pessoas sem direitos: “Os cristãos conservadores serão tratados como cidadãos de segunda classe, muito parecido com o tratamento que era dado aos Afro-americanos antes da legislação de direitos civis na década de 1960″.
Segundo a AFA, a dissolução da família será algo concreto: “O casamento vai incluir dois, três, quatro ou qualquer número de participantes. Casamento não será importante, com pessoas entrando e saindo de uma “família em grupo” à vontade”, diz o documento.
Dando combustível para a teoria de que o presidente Barack Obama seja muçulmano, os membros da AFA afirmam que em 2060 os Estados Unidos já terá tido um líder islâmico: “[Nesse tempo] vamos ter, ou já ter tido, um presidente muçulmano”, declarou Donald Wildmon, presidente e fundador da entidade.
De acordo com o Huffington Post, recentemente essa entidade foi alvo de debates por uma polêmica declaração que sustentava que a política anti-bullying dos Estados Unidos era “um impulso nacional para promover o estilo de vida homossexual nas escolas públicas”.
Por Tiago Chagas

Nenhum comentário:

Postar um comentário