08 janeiro 2013


Nova conexão espiritual
Fabiula Nascimento encarna mãe de santo em "O Canto da Sereia", microssérie da Globo

Mexer com assuntos ligados à religião é sempre uma grande responsabilidade na TV. Por isso, Fabiula Nascimento(foto), foi direto para o Terreiro da Mãe Menininha do Gantois assim que chegou à Bahia para gravar suas cenas de "O Canto da Sereia", microssérie que estreia amanhã, na Globo. A atriz interpreta a mãe de santo Marina de Oxum, responsável pelo terreiro que a protagonista Sereia (Isis Valverde) frequenta. A atriz decidiu tentar aprender tudo que pudesse sobre o assunto para não fazer feio no ar. Mas, confessa, não recebeu o "caminho das pedras" durante esse laboratório. "As mães de santo são muito sérias e, como não pertenço ao candomblé, não me disseram tudo. Achei isso seríssimo e certíssimo da parte delas. Não queriam me introduzir no assunto sem responsabilidade", analisa. 

Fabiula também precisou trabalhar seu sotaque para a microssérie. Como a história se passa em Salvador, ela teve a ajuda da instrutora de prosódia Íris Gomes para descobrir a melhor forma de falar sem destoar demais do resto do elenco. "A direção não queria uma coisa forçada e grandiosa. Na comédia, quanto mais exagerado e divertido, melhor. Mas, para um personagem sério, é um trabalho bem mais complicado", avalia ela.

Trama
A história é policial e parte do assassinato de Sereia, uma cantora de axé que é morta no auge de seu sucesso, enquanto comanda um trio elétrico no Carnaval. A partir daí, muitas pessoas próximas a ela são investigadas e se tornam suspeitas. E várias cenas de flashbacks entram no ar para ajudar o público a entender o que levou ao crime. No caso de Fabiula, a maior parte de suas sequências é ao lado de Isis Valverde. "Não posso revelar muita coisa do que gravei para conservar o mistério. Mas a relação entre as duas é muito forte. É maternal mesmo", adianta.
Atriz era dúvida na microssérie
O convite para interpretar Mãe Marina de Oxum veio enquanto Fabiula Nascimento ainda gravava suas cenas como a Olenka de "Avenida Brasil". Na época, era dirigida por José Luiz Villamarim, que está também à frente da microssérie. Mas, por preocupações em relação à caracterização da personagem, sua permanência no projeto passou a virar uma dúvida. "É uma figura muito forte no candomblé e havia uma ideia de ter uma mãe de santo um pouco mais velha e, talvez, negra. Depois, isso foi mudando e o papel voltou para mim", explica.

E Fabiula já sabe qual será seu próximo trabalho na TV. Ela está reservada para a novela "O Pequeno Buda", novela das seis da Globo prevista para estrear em setembro.
SuperNoticias,07/01/13

Nenhum comentário:

Postar um comentário