21 março 2013

Líderes evangélicos e internautas lançam campanha “Marco Feliciano não renuncie” e manifestam apoio ao pastor

Líderes evangélicos e internautas lançam campanha “Marco Feliciano não renuncie” e manifestam apoio ao pastor

Com a pressão feita por partidos políticos e manifestantes ligados ao movimento homossexual, o pastor Marco Feliciano (PSC-SP) teria recebido de seu partido o pedido para renunciar ao cargo de presidente da Comissão de Direitos Humanos e Minorias (CDHM). O PSC recebeu do presidente da Câmara o prazo de até terça-feira, 26 de março, para resolver o caso.

Porém, nas redes sociais e blogs surgiu uma campanha favorável ao pastor Marco Feliciano, incentivando-o a não renunciar ao cargo.

Entre os apoiadores, alguns líderes evangélicos e seguidores do pastor marcaram posição para que Marco Feliciano resista à pressão e não renuncie. Julio Severo, blogueiro e ativista escreveu: “Marco Feliciano, não renuncie! Mesmo que discordemos dele, não podemos abandoná-lo”.

Já o pastor Silas Malafaia afirmou que Feliciano não pode renunciar para demonstrar firmeza de defesa dos princípios cristãos: “Não é o pastor Marco Feliciano q esta em jogo. Muitos sabem que tenho divergências com ele, mas sim uma questão ideológica. Os esquerdopatas, para defenderem seus princípios. Isto vale também para Marco Feliciano. Se cederem agora, vão ceder a qualquer pressão”, publicou no Twitter.

Entre os internautas cristãos que apoiaram o pastor, as frases motivacionais foram quase que unanimidade: “Força e fé! Deus nunca deixa um filho desamparado. Oremos”, escreveu o usuário Vendedor de Sonhos.

A internauta Rozeane Menezes disse: “Nós, povo de Deus, temos que levantar um clamor, pois juntos com Marco Feliciano, unidos venceremos”.

A principal queixa dos manifestantes contrários ao pastor são frases polêmicas declaradas pelo próprio Feliciano, que adotou tom apaziguador e se desculpou com quem possa ter se ofendido.

Em entrevista à rádio Estadão, o Pastor Marco Feliciano disse que não pretende renunciar “de maneira alguma”.

Irônico, Marco Feliciano contra-ataca ativistas gays e anuncia “renúncia”. Assista:

O pastor Marco Feliciano, deputado federal pelo PSC e presidente da Comissão de Direitos Humanos e Minorias (CDHM) da Câmara dos Deputados decidiu contra-atacar às investidas da militância homossexual e divulgou um vídeo falando sobre renúncia.
Usando o pedido de renúncia dos ativistas gays com ironia, o vídeo foi publicado pelo próprio pastor em seu perfil no Twitter e fala que Marco Feliciano decidiu renunciar devido à conduta dos manifestantes.
No vídeo, são mostradas cenas controversas dos defensores do movimento homossexual, como nos casos em que o presidente da ABGLT , Toni Reis, agride um idoso durante uma sessão da CDHM; manifestantes tumultuam a porta de um templo da Assembleia de Deus Catedral do Avivamento; ou nas manchetes de diversos portais de notícias que relatam violência contra homossexuais perpetrada por seus próprios parceiros.
No vídeo há ainda alusão à defesa do ensino de sexualidade a crianças, do financiamento público para divulgação de material com conteúdo homossexual e a prática do aborto.
Ao final do vídeo, o texto explica que Feliciano decidiu “renunciar à sua privacidade [...] noites de paz e sono tranquilo [...] e momentos com a família” para se posicionar contra o desejo de privilégios por parte dos ativistas gays.

Rachel Sheherazade do SBT, comenta manifestações contra Marco Feliciano

Rachel Sheherazade comenta manifestações contra Marco Feliciano

Rachel Sheherazade defendeu que as opiniões pessoais do deputado evangélico não podem ser confundidas com suas ações de parlamentar.
  
Ao comentar a notícia sobre os protestos que aconteceram nesta quarta-feira (20) durante a segunda sessão da Comissão de Direitos Humanos e Minorias (CDHM), a jornalista Rachel Sheherazade defendeu a liberdade religiosa e de pensamento, como a própria Constituição Federal garante aos brasileiros.
A apresentadora do SBT Brasil lembrou que a democracia garante tais direitos e que mesmo sendo o Brasil um estado laico, a liberdade de crença é dada ao cidadão e por isso deve ser respeitada.
“Por mais polêmicas que sejam suas opiniões pessoais, não se pode confundir pastor com o parlamentar. Aliás, para ser um parlamentar é preciso primeiro respeitar o voto e aceitar seus resultados que nem sempre agradam a todos”, disse.
Ao finalizar sua opinião sobre a polêmica, a jornalista ainda afirma: “Quem não estiver preparado para a democracia, que renuncie a ela”, encerra Raquel.
No mesmo dia que manifestantes lotaram a sala da Câmara onde acontecia a sessão presidida por Marco Feliciano, os deputados que não concordaram com sua eleição apresentaram a Frente Parlamentar em Defesa dos Direitos Humanos como forma de protesto contra a eleição do deputado evangélico.

Assista:




Uma nova ditadura pós-moderna

O Jean Wyllis realmente é um militante da causa gay e está disposto a difundir suas ideologias em favor da causa LGBTS, com a disposição e abertura que ele está tendo nos meios de, cada vez mais é comum ouvir sobre esse movimento.
Infelizmente estão infligindo algumas leis naturais e princípios dados por Deus, é visível o caos que esta em todo o mundo e aqui no Brasil não é diferente por conta do tumulto causado por pessoas que querem direitos especiais por ser diferente, gostarem de pessoas do mesmo sexo.
E criou Deus o homem à sua imagem; à imagem de Deus o criou; homem e mulher os criou. Gênesis 1:27
Quando o homem desobedeceu a Deus no jardim do Éden, deu si inicio a uma série de problemas na humanidade, o homem se afastou do criador. Dando início a uma vida desenfreada em suas concupiscências e desejos.
A família é uma instituição criada por Deus, não algo pensado por homens, mais vem do próprio Deus.  Portanto deixará o homem o seu pai e a sua mãe, e apegar-se-á à sua mulher, e será ambos uma carne. Gênesis 2:24. A questão é se foi Deus quem criou a instituição chamada família (Homem “pai”, Mulher “mãe” e filhos), nós, seres humanos, não têm o direito de desfazer ou criar outra forma de família. O maior bem que uma pessoa pode ter em sua vida é a sua família, mais hoje parece que a família tem perdido o seu devido valor. Os líderes do movimento gay estão esquecendo que, para existir uma família é necessário um homem e uma mulher, só assim terão condições de ter filhos. Hoje a luta é pela adoção de filhos por casais do mesmo sexo, ainda que seja permitido e que essas crianças sejam criadas regadas por amor e carinho, vai faltar a presença ou de um homem (pai) ou de uma mulher (mãe). Um homem jamais supriu e suprirá o lugar de uma mãe, como também uma mulher não consegue preencher o carinho e a presença de um pai.
Hoje 21/03 o Dep. Jean Wyllis disse no programa Encontro com Fátima Bernardes, as pessoas devem procurar conhecer, mais que devem procurar em fontes confiáveis. Será que a bíblia para o Dep. É uma fonte confiável? Pois a bíblia é totalmente contra o ato sexual, segue referência bíblica: Levítico 18:22, I Coríntios 6:9-10, Levítico 20:13, Romanos 1:26-27 .
Jesus ama o pecador “a pessoa” mais aborrece o pecado “aquilo que vai de encontro os princípios bíblicos” a pessoa tem um valor muito grande por Deus, tanto que Deus enviou seu filho Jesus para morrer por todo o mundo. Outro erro de interpretação cometido por a débitos ao movimento gay é que, todos são filhos de Deus, a resposta é não! Todos são criaturas de Deus, para ser considerado filho de Deus tem que aceitar a Jesus como único e verdadeiro salvador (Gálatas 3:26, Romanos 8:14-17, Efésios 1:5)  Crer em Jesus e recebe-lo em seu coração e viver segundo os seus princípios descritos na bíblia.
Para finalizar: O que temos visto nesses últimos dias é uma verdadeira ditadura gay, direitos que ferem a constituição e os princípios judeu-cristãos, onde estão querendo criar uma classe de pessoas especiais onde ninguém pode falar mal ou criticar suas condutas, mais tem que olhar e concordar a ponto de ser como eles. Se não for assim é homofobia, onde iremos parar?
Não quero parecer preconceituoso ou religioso, mais nunca tivemos isso, se a pessoa deseja se relacionar com a pessoa do mesmo sexo ela é livre para fazer, porém, deve ter em mente que vai enfrentar criticas é assim com todo mundo e com tudo que fazemos neste mundo. Diga não a ditadura gay! Respeite seus pais, é um mandamento bíblico com promessa, para uma vida melhor. Efésio 6:2, valorize a família.
DiogoRibeiro

VERGONHA: Deputado bispo evangélico compõe a Frente Parlamentar em oposição a Marco Feliciano

Deputado do PRB une-se a parlamentares que defendem agenda gay, aborto e legalização das prostituição

Em uma clara oposição à nova direção da Comissão de Direitos Humanos (CDH) da Câmara, presidida pelo deputado e pastor Marco Feliciano (PSC-SP), da Assembleia de Deus, deputados do PT, PSB, PSol e PRB lançaram nesta quarta-feira (20) a Frente Parlamentar em Defesa dos Direitos Humanos.
As frentes parlamentares não estão previstas nos regimentos da Câmara. Todavia servem de instância de atuação política para unificar ações de congressistas de diferentes legendas, porém com objetivo político específico.
O objetivo da nova Frente é levar ao plenário da Câmara dos Deputados, ignorando a Comissão de Direitos Humanos (esta prevista no regimento da Câmara), projetos como: aborto, legalização da prostituição, casamento gay, dentre outros.
A nova Frente é composta por 7 parlamentares do PT, 2 do PSOL, 1 do PSB e 01 do PRB.
O representante do PRB é o deputado federal Vitor Paulo, bispo de uma famosa denominação evangélica(foto acima). Ele já foi presidente nacional do Partido.
É um dos mais omissos parlamentares no que tange à defesa dos princípios cristãos. Nunca manifestou-se contra projetos que afrontam a família, como a tentativa de legalizar o aborto, a prostituição, a legalização da maconha e ao avanço da agenda gay.
Todavia, em oposição ao deputado Marco Feliciano, o deputado e bispo Vitor prefere unir-se aos defensores do aborto, da legalização da prostituição e do ‘casamento’ gay.
Ademais, um dos parlamentares que integra esta Frente visa combater e denunciar a intolerância em relação aqueles que praticam cultos afros. E é justamente a denominação da qual faz parte do bispo Vitor Paulo que tem sido uma das mais acusadas de agir com intolerância religiosa contra adeptos dos cultos oriundos da África.  Dá para perceber que é uma Frente formada pelo misto da hipocrisia e a incoerência, mas unidos em oposição a Marco Feliciano.
Não há registro de que o bispo Vitor Paulo ele tenha se motivado a participar de alguma Frente em defesa dos princípios que devam nortear a família.
Relação dos deputados que fazem parte da Frente em oposição a Marco Feliciano na presidência da CDH: Jean Wyllys (Psol-RJ), Chico Alencar (Psol-RJ), Domingos Dutra (PT-MA), Erika Kokay (PT-DF), Janete Pietá (PT-SP), Luiza Erundina (PSB-SP), Luiz Couto (PT-PB), Luiz Alberto (PT-BA), Padre Ton (PT-RO), Nilmário Miranda (PT-MG), Vitor Paulo (PRB-RJ).

Só Deus pode ajudá-lo a vencer toda essa pressão.
Oremos.
Grande abraço.
Viva vencendo!!!
Seu irmão menor. 







Nenhum comentário:

Postar um comentário