26 março 2013

MISSIONÁRIOS SÃO EXPULSOS DE PAÍSES NO NORTE DA ÁFRICA


JMM foi obrigada a acionar a Embaixada brasileira em Cartum, no Sudão

Missionários são expulsos de países no norte da África
Em vários lugares do mundo, tem ficado cada vez mais difícil testemunhar o Evangelho de Cristo. A situação para os crentes está piorando em nações do Norte da África, como o Sudão, país de onde a missionária Mariana Duarte (pseudônimo) foi convidada a se retirar.
No final do ano passado, Mariana foi convocada várias vezes pelas autoridades sudanesas para prestar esclarecimentos. No último interrogatório, Mariana teve o passaporte retido pela Polícia sudanesa e, apesar de ter sido convidada a sair do Sudão, não teria como viajar porque estava sem documentos.

Pela primeira vez, a JMM foi obrigada a acionar a Embaixada brasileira em Cartum, capital sudanesa, e Mariana pôde enfim deixar o país.
“A missionária não sofreu abuso ou agressão, somente a tortura psicológica de ter que ir à delegacia. Foi muito tenso”, conta Marcos Peres, coordenador de Missões Mundiais para a África.
Segundo o pastor Marcos Peres, a expulsão de Mariana é apenas uma ação de um plano maior por parte do governo sudanês de banir sistematicamente do país todos os estrangeiros, principalmente ocidentais, vistos como cristãos. Há relatos de missionários que teriam sofrido agressão física além da tortura psicológica antes de serem expulsos.
Outra consequência do plano do governo do Sudão de inibir qualquer influência estrangeira no país é o fechamento de igrejas, como a PIB Cartum. Ali, Missões Mundiais desenvolvia o projeto Pedra Fundamental, que oferecia educação de qualidade a centenas de crianças da capital sudanesa, além de apresentar aos pequeninos a mensagem de salvação em Jesus.A escola foi fechada, assim como a PIB Cartum.
Este não é o primeiro caso de expulsão de missionários da JMM. A missionária Anna Thaís (pseudônimo) também foi expulsa do Egito em 2008.
O Sudão
Localizado no Norte da África, o Sudão é um país de maioria islâmica e viveu por mais de meio século uma sangrenta guerra civil que deixou cerca de 2 milhões de mortos. Em 2011, foi criado o Sudão do Sul, uma nova nação de maioria cristã e para onde seguiu grande parte dos crentes que viviam no norte.
O Sudão também é um país cujo governo, liderado por um ditador acusado por vários crimes, é conhecido por violar os direitos humanos.
“O mundo precisa saber disso, e o mundo já sabe que o Sudão está expulsando missionários”, diz Marcos Peres. “O que posso dizer do Sudão é que é um país que precisa das nossas orações porque agora a perseguição está migrando dos estrangeiros para os cristãos nacionais”, conclui.
da Junta de Missões Mundiais

Nenhum comentário:

Postar um comentário