13 março 2013

O SOFRIMENTO DE JESUS 

Estudando a palavra de Deus , passamos por escritas que são extremamente especiais para nossas vidas.
resolvi postar essas escritas para servir de base para estudos de alguns .

Procurei colocar aqui alguns registros do sofrimento do Senhor Jesus
.

1- VIA DOLOROSA.

A Via Dolorosa é o caminho ao Gólgota, ao lugar da crucificação. Após Ter sido espancado, açoitado, escarnecido, cuspido, Jesus precisou carregar a cruz pelas ruas de Jerusalém. O Gólgota ficava fora dos muros de Jerusalém. Assim como o animal do sacrifício pelo pecado era queimado fora do arraial dos judeus no deserto, Jesus morreu fora da cidade. Ele carregou a cruz, trilhou um caminho de dor e sofrimento.
Todos os seres humanos andam desgarrados, longe dos caminhos de Deus. Caminhos de pecados e transgressões (Is. 53:6 e 55:7 e 8). Mas Deus enviou a provisão. Para que andássemos nos caminhos de Deus, Jesus precisou andar no caminho doloroso. Jesus sofreu no caminho ao Gólgota para que pudéssemos ir para o caminho correto.
Quando nós estávamos perdidos, sem solução e enfraquecido, Jesus morreu por nós (Rm. 5:6) Para que nós nos fortalecêssemos, Jesus precisou enfraquecer-se no caminho doloroso. A fraqueza de Jesus na Via Dolorosa nos fortaleceu.
Através do sofrimento nas ruas de Jerusalém, Jesus nos reconciliou com Deus (2Co. 5:19). Fomos reconciliados com Deus através da morte na cruz que estava no final da Via Dolorosa.
Apesar de fraco e com sofrimentos, Jesus caminhou sabendo que precisávamos ser salvos. No final da Via Dolorosa estava você e eu com o nosso pecado, com a nossa morte eterna.
Como está a sua vida com Deus? Está no caminho certo ou anda desviando-se dele? Lembre-se, Jesus Cristo fez tudo aquilo por você. Você estava lá no Gólgota. Espiritualmente, você estava no caminho trilhado por Jesus. Cada tropeção, cada falta de fôlego, cada queda de Jesus com as costas dilaceradas e com aquela cruz pesada, cada gesto, Jesus estava fazendo por você. Para que você andasse nos caminhos de Deus (então, o que você está fazendo fora?), para que você fosse fortalecido (então, porque você está fraco?) e para que você fosse reconciliado com Deus (então, porque você está rebelde?). Arrepende-se e volte-se para Deus.

2 - A CUSPARADA.

Uma das coisas mais nojentas que podemos sentir é um cuspe no rosto. Cuspir no rosto de alguém significa desprezar essa pessoa. Desprezo, sim, indiferença, não. Não dá para ficar indiferente. Cuspir em alguém é uma ação que resultou de um sentimento interno de desprezo. A sujeira que atinge o rosto da outra pessoa iniciou-se no coração de quem cuspiu. Revela a sujeira do coração!
Talvez você nunca tenha cuspido em alguém, mas, você cuspiu em Jesus na pessoa daqueles soldados romanos.
A maneira como tratamos os outros é a mesma como tratamos Jesus. Podemos fazer o bem, mas, não conseguimos evitar de fazer o mal. O cuspe representa o pecado e a sujeira dos corações.
O texto bíblico mostra o que Jesus fez após ser cuspido? Ele limpou o rosto? Jesus não limpou o rosto, ele levou o cuspe até a cruz. A saliva dos soldados misturou-se com o sangue de Jesus. A saliva foi coberta pelo sangue do Cordeiro, foi limpa.
O interessante é que Jesus sabia que levaria cuspida. Estava profetizado em Is. 50:6. Ele havia predito esta situação em Mc. 10:34. Ele sabia o que iria enfrentar.
Outro ponto interessante é o fato de Jesus Ter usado a saliva para curar as pessoas: um cego em João 9:6 e um surdo em Mc. 7:33.
Jesus suportou o lado obscuro da humanidade. Na verdade, Ele ansiava por isto, para te salvar Ele precisava enfrentar o nosso lado obscuro.
Quando cometemos pecado, não é isto uma nova cusparada que damos em Jesus? Quando não buscamos a santificação, não é isso um ato contínuo de insulto ao Senhor?
Como está a sua vida?
Você têm buscado a santificação? Mas, Jesus fala para você: “Eu vou suportar o seu lado obscuro!”. Ele te ama! Peça perdão e ele te perdoará e te purificará! (1Jo. 1:9).

3 - A COROA DE ESPINHO.

Os espinhos simbolizam, não o pecado, mas sim, as conseqüência dele. Em Gn. 3:17-18, lemos que a Terra produziu espinhos como conseqüência da desobediência de Adão e Eva.
Em Nm. 33:51 a 56, lemos que Deus ordenou aos israelitas expulsarem os cananeus da Terra Prometida. Se eles não os expulsassem, os cananeus seriam como espinhos nos olhos deles. Novamente vemos os espinhos como conseqüência de um ato de desobediência. Eles tinham que purificar a Terra para que pudessem viver bem, mas não fizeram.
Os perversos sofrem com os espinhos (Pv. 22:5). Quem é obediente guarda a sua alma. Devemos vigiar e orar, nos guardarmos do pecado. Buscar a santificação. Só assim para os espinhos nos abandonarem.
Como está a sua vida? Você tem obedecido a Deus? Santificar-se não é uma opção, é uma necessidade.
A desobediência resulta em espinhos (Mt. 7:16). Se os espinhos são os frutos do pecado, não seria a coroa de espinhos na cabeça de Jesus, um símbolo de nosso pecado perfurando o coração dEle?
Jesus era santo, não cometeu pecado, mas apelou como um pecador ao Pai celestial (Mt. 27:46). Jesus gritou “Eli Eli lama sabactani”, que quer dizer: “Meu Deus Meu Deus, porque me abandonaste?” Também pode significar “porque se afastaste de mim?” ou “porque se retiraste”. Naquele momento, Jesus estava imundo. Ele estava com todo o pecado da humanidade sobre ele (Is. 53:5). Nossos pecados feriram e esmagaram Jesus. Ele tornou-se em pecado por nós. Por mim e por você.
Jesus trocou a coroa celestial pela coroa de espinhos por causa de você! Jesus usou uma coroa de espinhos para que você pudesse usar a coroa da glória (1Pe. 5:4), a coroa da vida (Tg. 1:12) e a coroa da justiça (2Tm. 4:8).
Jesus nos diz: “Sê fiel até a morte e dar-te-ei a coroa da vida”. Ap. 2:10.

4 - OS CRAVOS.

Jesus foi encravado em uma cruz. Os cravos não são em nada semelhantes aos pregos. Os cravos são verdadeiras cunhas, começam finos e vão se alargando. Os pregos são cilíndricos, fazem um furo onde são colocados. Os cravos não, eles não furam, eles rasgam. Jesus recebeu três cravos: um em cada mão e um nos dois pés atravessando-os completamente.
Jesus é Deus. Na Terra Ele foi 100% Deus e 100% homem e 100% pleno do Espírito Santo. As mãos de Jesus são as mãos de Deus. A mão direita (destra) do Senhor foi elogiada e louvada no Velho Testamento (Ex. 15:6, Sl. 20:6, 21:8, 48:10, 63:8, 89:13, etc.).
Devemos buscar a mão de Deus, pedir-Lhe bênçãos. Na verdade, para quem mais nós imploraremos? A quem nós suplicaremos? A quem mais nós vamos clamar? Diante de quem vamos nos prostrar? Somente a Deus. É Ele que nos sustenta com seu braço forte. Foi o braço dEle que estendeu os céus como a uma cortina (Is. 48:13). A ninguém devemos temer, somente a Ele (Is. 41:10).
Porém, devemos buscar a face de Deus. Buscar a mão significa buscar a benção. Buscar a face de Deus significa adorá-lo. Em Jo. 6:26-29 lemos que Jesus exortou a multidão que o buscava por causa do pão. Isto vale para nossa vida hoje! Como está a tua vida? Você tem buscado socorro em outras fontes e não em Deus? Você O tem adorado? Você agradece pelas bênçãos e pelos livramentos? Ou você só pede, pede, pede e pede. “Oh me abençoe! Me abençoe! Me abençoe”. É só isso que você faz? E a Gratidão? E o Louvor e Adoração? Talvez você busque a Deus pelas bênçãos, mas, Deus busca adoradores! (Jo. 4:23).
A mão de Deus é poderosa, mas Jesus precisou deixar as mãos serem cravadas na cruz. Não foi o soldado que segurou os braços de Jesus. Não foi o martelo que empurrou os cravos. Foi Jesus mesmo! Ele fez isso para riscar a cédula de dívida que Satanás tinha contra nós (Cl. 2:14). Para fazer isso, Ele precisou usar as mãos. Mãos ensangüentadas que rasgaram a nossa lista de pecados. Ele fez isso por você.

5 - A TÚNICA.

Jesus tinha uma túnica muito bonita e de bom gosto. Todos os soldados gostaram dela. Fizeram até um sorteio para ver quem é que ficaria com ela. É interessante, vemos que este gesto foi profetizado no Velho Testamento (Sl. 22:18).A túnica de Jesus não tinha costura, o que representa perfeição ininterrupta. Quando foi para a cruz, Jesus deixou seu manto de perfeição e colocou as vestes da indignidade (nudez) e da maldição (Sl. 109:18). Jesus trocou de roupa conosco.

Ele usou as nossas e nós usamos as dEle.

1Pe. 2:24 – Jesus morreu com os nossos pecados sobre si para que pudéssemos viver.
Gl. 3:13 – Jesus se fez maldição por nós para que nós deixássemos de ser amaldiçoados.
Gl. 3:27 – Hoje, Jesus nos reveste dele próprio, ou seja, com as suas qualidades.
Is. 11:5 – A justiça (cinto) e a fidelidade.
Is. 59:17 – A Justiça (couraça),a Salvação (capacete), a Vingança (como vestes) e o Zelo (como um manto).
Is. 61:10 – Salvação (vestes), Justiça (manto) e jóias.

Jesus é maravilhoso. Muitas pessoas comparam a salvação e as bênçãos de Deus com um banquete de gala, onde as pessoas insistem em ficar embaixo da mesa comendo as migalhas. Porém a comparação poderia ser ampliada: Jesus não fez somente um banquete para você. Ele não fez somente a reserva de um lugar. Ele cobriu os custos. Ele providenciou o transporte. Ele permitiu que você usasse as roupas dEle. E Ele permitiu que você comesse na presença dEle.
Como está a tua veste espiritual? Você está todo sujo, remendado, fedido? Se você está desse jeito, significa que você está em pecado, significa que você está fora do caminho. As vestes de Jesus não são assim. Se você buscar a santidade, Jesus reformará seu guarda-roupa espiritual! Arrependa-se e busque a Deus em primeiro lugar.

6 - A CRUZ.

Em Is. 55:8 e 9 vemos que os nossos caminhos não tem nada a ver com os caminhos de Deus. Deus abomina o pecado. Em 1Tm. 2:4 lemos que Deus quer que todos se salvem. Deus nos ama tanto que quer que todos se salvem.
Como Deus pode ser Bom e Justo? Como Ele pode amar o pecador e detestar o pecado? Como Ele consegue redimir o pecador sem apoiar o pecado? Pode um Deus Santo negligenciar o pecado? Pode um Deus Bondoso punir nossos erros? A solução para esta situação é A CRUZ. Um instrumento de tortura se transformou em um movimento de esperança. No desenho abaixo vemos que Deus é extremamente SANTO (a coluna – o traço vertical) e extremamente AMOROSO (a travessa – o traço horizontal). A interseção (CRUZamento) é a solução para conciliar a SANTIDADE e a BONDADE de Deus, ou seja, é A OBRA DE JESUS NA CRUZ. Faça um desenho maior para seus discípulos verem.
Em 2Co. 5:21 lemos que Cristo se fez pecado por nós. Jesus nunca pecou. Foi tentado em tudo, mas nunca pecou, nem chegou perto de pecar! Mas mesmo assim, se fez pecado por nós. Na cruz, Deus derramou sua ira sobre Jesus. A ira que era dirigida a nós caiu sobre Jesus. Ele está à nossa frente.

Altura da cruz: a altura da santidade de Deus.
Largura da cruz: a largura do amor de Deus.
Interseção: Deus perdoou sem diminuir Seus padrões

Deus nos aceita porque Jesus está à nossa frente. Is. 43:25 nos afirma que foi Deus mesmo (através de Jesus) que nos perdoou (apagou as transgressões). Portanto, agora, podemos nos chegar diante de Deus, não como meros pecadores, mas sim, como pessoas restauradas. Muitas vezes nós nos lembramos de pecados que Deus já se esqueceu, que Ele já perdoou! Muitos confundem a doce voz do Espírito Santo com a voz do espírito imundo de acusação! Misericórdia. Jesus nos amou e morreu por nós, para que nós nos acheguemos diante de Deus com confiança! (Hb. 4:16). Deus não imputa mais os pecados aos salvos em Cristo, se permanecermos em Cristo e se buscarmos a santificação (2Co. 5:19). Estamos reconciliados com Deus. Quando pecamos, devemos buscar o arrependimento e pedir perdão a Deus, Jesus é o nosso advogado (1Jo.1:9 e 2:1).
Portanto, chega de viver miseravelmente, como uma pessoa que pede esmolas em frente da mansão. A mansão é nossa, temos direito de entrar nela e cear com Deus! Jesus nos deu essa honra!

7 - AS DUAS CRUZES.

Duas pessoas muito parecidas crucificadas ao lado de Jesus: ambos eram ladrões, os dois estavam condenados, os dois estavam crucificados. Ambos morreriam em poucas horas. A diferença: um não tinha mais esperança, mas o outro tinha! E foi salvo!
Em Mt. 7:13 e 14 lemos que existem duas portas: a larga e a estreita. Estas portas levam a dois caminhos: um espaçoso e um apertado. E passam por estes caminhos duas multidões: uma grande e uma pequena multidão.
Em Mt. 7:24-27 lemos que existe dois fundamentos, um na areia e um na rocha.
Deus oferece estas duas opções, não existem outras. Cada opção leva a conseqüências diferentes. Conseqüências eternas. Deus nos deu este presente: o presente da escolha, que chamamos de Livre Arbítrio.
Em Lucas, capítulo 15, temos o capítulo dos achados e perdidos: ovelha (vs. 4), moeda (vs. 8) e o filho pródigo (vs. 12 e 13). Observe que a ovelha perdeu-se por imprudência ou curiosidade, e o pastor foi atrás!. A moeda foi perdida por irresponsabilidade da parte da mulher, e ela foi atrás. Mas, o pródigo perdeu-se intencionalmente, ou seja, ele escolheu, e o pai não foi atrás, ficou aguardando e orando! Em que lado da história nós nos encaixamos? No lado dos perdidos ou do lado dos que estavam buscando e orando? Nós estamos trabalhando na obra ou estamos dando trabalho a nossos líderes?
É momento de escolha! De decisão. Precisamos decidir, escolher. Não há meio termo. Ou somos filhos de Deus, ou somos escravos de satanás.
Todos os dias devemos escolher, a cada passo devemos escolher. Ao levantarmos de nossa cama devemos decidir: “Vou levantar-me no poder de Deus” ou “Mais um dia de derrota na minha vida!”. Mas uma boa notícia: “Todas a minhas más escolhas do passado foram redimidas por uma única boa opção: Jesus! Dia a dia, todo dia decidindo por Jesus. Os dois ladrões na cruz estavam na mesma situação. Um fez uma boa opção e salvou-se, mas, quanto ao outro....

8 - A ESPONJA DE VINAGRE.

Jesus era 100% homem, 100% Deus e 100% controlado pelo Espírito Santo. Os milagres que realizava era como um homem vivendo a plenitude do Espírito Santo. Jesus foi um autêntico ser humano, porém, sem pecado. Ele ficou cansado em Samaria (Jo. 4:6), ficou maravilhado em Nazaré (Mc. 6:6), irado (Jo. 2:15), dormiu (Mc. 4:38), ficou triste e chorou (Jo. 11:35) e teve fome (Mt. 4:2). Na cruz, Jesus teve sede. A última coisa que bebeu antes de ser preso foi o suco de uva na ceia. A ceia ocorreu no final da tarde da quinta-feira. Depois da ceia, Jesus fez o discurso que se encontra nos capítulos 13, 14, 15, 16 e a oração sacerdotal do capítulo 17 do Evangelho de João (ou seja, falou muito tempo!). Depois, foi ao Getsêmani e ali clamou a Deus em oração, pois sabia que Sua hora estava chegando. Jesus foi preso na madrugada da sexta-feira. Foi crucificado às 9 horas da manhã, ficou 6 horas na cruz. Perto das 15 horas, Jesus teve sede (ficou quase 20 horas sem beber nada!) e disse isso. Porém, os soldados lhe ofereceram vinho misturado com mirra, um tipo de vinagre. Esta bebida tinha efeito analgésico, amorteceria os efeitos da dor que Jesus estava sentindo. Jesus não aceitou. Enfrentou a droga com um não categórico. Ele preferiu sentir a dor porque sabia que você também sentiria dor.
Hb. 4:15 – Jesus foi tentado em todas as áreas, mas não pecou, por causa disso Ele pode se compadecer da sua fraqueza e te consolar. Não importa pelo que você passa, Jesus pode enviar o consolo. Ele sabe pelo que você está passando!
2Co 1:3-5 – Jesus é o Pai das Misericórdias e o Deus de toda a consolação. É por causa disso que Jesus pode te consolar de toda tribulação. A tua tribulação pode ser aliviada e cessada pela misericórdia e consolação de Jesus. Jesus sofreu muito, o texto diz que as aflições dEle “transbordaram”, que no original grego é perisseuo (lê-se pericío), ou seja, é superabundância, ou excesso, tanto em quantidade e como em qualidade. Porque Jesus sofreu muito, Ele pode te consolar muito (superabundar também na consolação!).
Is. 49:13 – Por causa disso devemos nos alegrar. Deus se compadeceu de nós e nos consolou. Alegre-se, demonstre sua gratidão orando e louvando a Deus.

9 - SANGUE E ÁGUA.

Jesus ficou 6 horas crucificado (das 9 às 15 horas). A partir do meio dia, as trevas cobriram o céu. Os soldados foram quebrar as pernas dos crucificados. Quebraram dos dois ladrões para eles morrerem mais rápido (sem o apoio das pernas, a respiração ficaria muito difícil, levando o condenado a morrer asfixiado). Mas quando chegaram em Jesus, Ele já estava morto! Para confirmar a Sua morte, um soldado cortou o lado dEle com uma lança. Pelo corte saiu sangue e água. O sangue e a água que saiu pelo corte que a lança causou têm significado tremendo para as nossas vidas. O significado é a Santificação. A morte e ressurreição de Jesus Cristo nos santifica. Existe dois tipos de Santificação: a Santificação Posicional e a Santificação Progressiva.
Santificação Posicional (Cristo por nós): É o sangue de Jesus em nós. Sou santo porque Deus é santo. Sou santo, não porque faço alguma coisa ou por merecer isso, mas sim porque Jesus é perfeito. É a santificação pela nossa posição em Cristo. O sangue dEle nos salvou (Salvação). O sangue dEle não oculta o pecado, mas sim, o tira (Santificação)! No texto de Hb. 9:11-22, lemos que sem sangue não há purificação e santificação, ora, foi o sangue de Jesus que nos purificou e nos santificou. No VT o sangue de animais servia para santificar os utensílios do Tabernáculo e também as pessoas (tanto o povo como os sacerdotes). Na nova aliança, o sangue de Jesus substituiu o sangue dos animais sacrificados. O sacrifício encerrou-se em Cristo e Ele o fez por nós. Quando aceitamos Jesus, o sangue dEle nos santifica.
Santificação Progressiva (Cristo em nós): É a água que saiu do lado de Jesus em nós. A água simboliza o Espírito Santo (Jo. 4:14 e 7: 38 e 39). O Espírito Santo em meu coração, leva-me a tomar atitudes e decisões cada vez mais corretas. Leva-me a um processo de santificação. Em Fp. 2:12-13 lemos que devemos efetuar a nossa salvação, ou seja, dar continuidade no processo da santificação, com temor e tremor, fazer a nossa parte: orar, ler a Palavra, testemunhar, jejuar, fazer atos proféticos, etc. Devemos ser santos.
Ai de nós se não nos santificarmos progressivamente (Hb. 12:14).

10 - O VEU DO TEMPLO.

A morte e ressurreição de Cristo abriu as portas para você e para mim. Antes de Jesus, a humanidade andava longe de Deus, não tinha acesso ao Pai. Isto está descrito em Is. 55:6-11. Antes, estávamos longe, depois de Jesus, podemos chegar perto (Ef. 2:13). A cruz de Cristo nos permitiu isso, chegar perto de Deus!
Além de chegar perto, chegar com confiança (Hb. 4:16). Chegar confiadamente para que possamos receber misericórdia, graça e socorro.
No Antigo Testamento lemos que somente o sumo sacerdote poderia entrar no Santo dos Santos ou Lugar Santíssimo. Neste espaço do Templo, havia a arca da aliança com sua tampa (chamada de Propiciatório) com dois querubins sobre ela. Em seu interior estava presente as placas de pedra com a lei (chamada de Testemunho), a vara de Arão que florescera e um pote com Maná. Separando o Lugar Santo do Lugar Santíssimo havia um grande véu (18m de altura por 9m de largura). Esse véu era chamado de Vida. O Tabernáculo tinha três “portas”: a primeira, separando o exterior do átrio, era chamada de Caminho. A Segunda “porta”, separando o Átrio do Lugar Santo, era chamada de Verdade. E o véu, a “terceira porta”, separando o Lugar Santo do Lugar Santíssimo, era chamada de Vida. Em Jo. 14:6, lemos que Jesus é o Caminho, a Verdade e a Vida!
Quando Jesus morreu, o véu foi rasgado, determinando o final do ministério dos sacerdotes levitas e o final do sacrifício dos animais. Em Hb. 10:19 e 20 vemos uma comparação entre o véu do Templo e a carne de Jesus. Assim como a carne de Jesus foi rasgada pelos açoites, coroa de espinhos, pela cruz na Via Dolorosa, pelos cravos, assim também o véu foi rasgado. A carne de Jesus precisou ser rasgada para que pudéssemos entrar no Santo dos Santos.. A Vida foi rasgada, o véu foi rasgado. O caminho foi aberto. No horror da carne rasgada veio o esplendor da porta aberta.
E você, o que está esperando para chegar-se a Deus, até Seu Trono de Glória? Só lá perto para que você receba paz, misericórdia e socorro.
É hora de louvar a Deus pela bênção do acesso a Ele. É momento de gratidão. Agradeça a Jesus pelo sacrifício dEle na cruz. É momento de oração.

11 - O TÚMULO VAZIO.

Jesus despojou o império das trevas, sendo vitorioso e dando-nos também a vitória. Ele venceu e também somos vencedores com ele. Cl. 2:15 – Jesus despojou o império das trevas. 1Co. 15:57 – Somos vitoriosos porque Deus nós dá a vitória através de Jesus pela Sua graça. 2Co. 2:14 – Deus sempre nos conduz em triunfo para que nós espalhemos o cheiro do conhecimento de Deus por todo lugar que andamos. Rm. 8;37 – somos mais que vencedores porque Jesus nos amou.
Pode Deus ficar em uma cruz? Sim, Ele morreu lá, por amor de você. Pode Deus permanecer em um túmulo? Não, Ele ressuscitou para que você fosse vitorioso.
Se somos vitoriosos, porque guardamos para nós os maus momentos? Por que os abraçamos? Por que os mantemos conosco. Os maus momentos, maus hábitos, modo egoísta, mentiras, farras, fanatismos, os deslizes, as falhas. Por que mantemos isto conosco? Precisamos deixar todo este lixo aos pés da cruz! Podemos fazer isso porque Deus quer! Ele quer que façamos isto, porque sabe que não podemos viver como Ele. Só ele é santo. É a cruz e o túmulo vazio que nos santifica. Devemos deixar os maus momentos na cruz e caminhar com Ele em vitória, pois Jesus não ficou no túmulo. A pedra foi removida. Deus faz mais que perdoar os pecados, Ele os remove. (1Jo. 1:9).
Devemos deixar os nossos maus momentos na cruz e também os momentos ruins dos nossos irmãos que chegam até nós. Devemos amá-los. Se amamos a Deus, amamos os nossos irmãos (1Co.13:4-8). Como podemos nos chegar diante de Deus e pedir perdão, se nós não perdoamos os nossos irmãos? (Cl. 3:13). Coisas do passado sempre são trazidas ao presente. Como alguns têm boa memória para os erros dos irmãos e péssima memória para alguns versículos:
2Co. 5:17 – não sou apenas eu, meu irmão em Cristo também é nova criatura!
Is. 43:25 – Deus apaga as minhas transgressões e as do meu irmão também.
Abandone seus pecados antes que eles contaminem totalmente você. Abandone o rancor, antes que ele o incite à raiva e contenda. Entregue a Deus a sua ansiedade antes que ela o iniba de caminhar com fé. Dê a Deus os teus momentos ruins. Se você deixar com Deus os teus momentos ruins, só sobrará bons momentos.

12 - O SUDÁRIO.

Sudário é roupa de defunto. O corpo de Jesus foi enrolado em um grande lençol (Jo. 19:38-40). Sobre sua cabeça foi colocado um lenço. Estes materiais foram comprados por José de Arimatéia que, ajudado por Nicodemos, sepultou Jesus no final da tarde da Sexta-feira. Que tristeza, Jesus morreu e foi sepultado. No Domingo anterior à Páscoa, foi um momento de triunfo! A população de Jerusalém gritava nas ruas “Hosana ao que vem em nome do Senhor” (Mc. 11:7-10). A quinta-feira foi momento de expectativa. A sexta-feira foi momento de sofrimento: a população gritava: “Crucifica-o” (Jo.19:6). O Sábado foi momento de desconsolo, tragédia e falta de perspectiva. Muitas vezes, nós estamos assim, cabisbaixos, tristes, vivendo uma eterna “sexta-feira da paixão”! Vivendo um “sábado de tristeza”. Sem perspectiva.
Deus pode transformar qualquer tragédia em triunfo? Sim! Basta não sair de perto de Jesus!
Quando Jesus foi preso, todos os discípulos fugiram, mas João retornou, esteve por perto durante o julgamento, condenação, crucificação e morte de Jesus. João não saiu de perto de Jesus a não ser logo no momento da prisão. Era hábito de João ficar próximo de Jesus. Ele O amava. Quando Maria Madalena correu ao sepulcro e viu a pedra movida e que o corpo de Jesus não estava lá, pensou que alguém o houvesse roubado. Pedro e João correram para lá. João viu o lenço dobrado e colocado ao lado. Ele viu e creu! (Jo. 20:2-8). Através do lenço da morte, João viu o poder da vida! Através do lenço dobrado, João percebeu que Jesus havia ressuscitado. Ah! Que diferença do Sábado para o Domingo. O Domingo foi dia de alegria: Jesus ressuscitou! Deus transformou a tragédia em triunfo!
Quando chega a tragédia você sai de perto de Deus? Você O abandona?
Deus pode transformar o que hoje é tragédia em um símbolo de triunfo? SIM. Basta você ficar por perto. Não sair de perto de Jesus! Ele pode transformar nossa tragédia em triunfo! Leia Rm 8:28. Se você ama a Deus, não pode sair de perto dEle. Somente assim, Deus pode transformar uma tragédia em benefício. Releia Rm. 8:28 e faça as adaptações: “A situação de ..... que estou passando, coopera para o meu bem, pois eu amo a Deus!”. O “Sábado de amargura” da nossa vida dura muito pouco comparado ao “Domingo da ressurreição”.
Para que aconteça este milagre em nossa vida precisamos perseverar. Perseverança é a palavra chave para a vitória. Quantos desistem pelo caminho! Dizem consigo: “Eu não agüento mais!” ou “Eu vou desistir!”. Quando falamos assim, assumimos a derrota e ela verdadeiramente vem sobre nossas vidas. Não pode ser assim. Jesus diz em Ap. 2:10: “Sê fiel até a morte e dar-te-ei a coroa da vida”. Diga com confiança: “Vou perseverar!”, “Não retrocederei!”, “O diabo não pode comigo, pois Deus está à minha frente!” (Is. 45: 2 e 3).

13 - O QUE EU DARIA AO SENHOR ?

Com as cicatrizes em Suas mãos, Jesus ofereceu perdão. Através da carne traspassada, Ele prometeu aceitação. Ele abriu o caminho para levar-nos ao lar. Ele vestiu nossas vestes para dar-nos as Suas. Temos vistos os presentes trazidos por Ele. E você, o que dará ao Senhor? Somente sua vida? Somente seu coração?

A) Tomarei o cálice da salvação – tomarei totalmente este cálice. Eu quero a salvação por inteiro. Devemos dar os nossos corações ao Senhor. 100% do nosso coração. Não podemos querer permanecer com algum lugarzinho favorito. Alguns dizem: “Dei meu coração ao Senhor”, mas vivem uma vida de pecados prediletos. Querem servir a Deus, mas servem a seus desejos também. Dizem com as suas atitudes carnais: “Eu sirvo a Deus até este ponto. Daqui para frente eu mesmo resolvo as coisas do meu jeito!”. Dessa forma ficamos mornos espiritualmente. O que Jesus fará com os mornos? Os vomitará de Sua boca (Ap. 3:16). Entregue-se sem reservas a Deus. Totalmente. Coloque sua vida diante de Deus: o que você está retendo? Deus é santo, como misturá-Lo com o profano?

B) Invocarei o nome do Senhor – eu vou adorar a Deus. Louvá-Lo e bendizê-Lo todos os dias. Darei minha alegria ao Senhor porque Ele me deu a vida eterna. O que é a tribulação e a luta que eu agora passo, comparada à glória futura? Eu vou ficar contemplando as coisas do aqui e agora? Não, contemplarei, pela fé, as coisas que Deus tem reservado para mim. (2Co. 4:17 e 18).

C) Pagarei os votos que fiz perante todo o povo – vou transmitir a alegria que eu sinto às pessoas. As bençãos que recebi, darei aos outros. Darei ao Senhor uma oferta de gratidão: um cesto cheio de frutos! As almas ganhas através da minha vida. Sonharei com uma multidão de pessoas levadas a adorar ao Cordeiro de Deus, ao Leão da tribo de Judá, ao Rei dos reis, ao Senhor dos senhores, à Estrela da Manhã, ao Príncipe da Paz, ao Emanuel, ao nome que está acima de todo nome, a Jesus, nosso Salvador e Senhor através da minha vida, meu testemunho, minha célula! Deus não pede que evangelizemos, Ele ordena. Ele diz: “Ide...” (Mt. 28:18-20), “Ide....” (Mc. 16:15-18)
.
Abraços.
Vivam vencendo e vivendo como Jesus.
Seu irmão menor.

Nenhum comentário:

Postar um comentário