31 março 2013

Pastor Saeed Abedini, preso no Irã, escreve nova carta e relata espancamentos e torturas: “Não reconheci meu rosto”

O pastor iraniano Saeed Abedini, preso ao visitar seu país e condenado a oito anos de prisão sob acusação de espionagem e comprometimento da segurança nacional do Irã, escreveu uma terceira carta à sua família, revelou o Centro Americano para Lei e Justiça (ACLJ, na sigla em inglês).
Nesta carta, Saeed afirmou que após as torturas e espancamentos a que vem sendo submetido, não se reconhece mais: “Eu pude ver meu rosto no espelho de um elevador que me levaria para o hospital da prisão. E olhando para o reflexo de uma pessoa que estava atrás de mim, eu disse olá, sem me dar conta que era o meu próprio rosto refletido desfigurado”, escreveu Abedini.
O pastor é iraniano naturalizado norte-americano, e estaria trabalhando na implantação de igrejas no país muçulmano antes de sua prisão.
A carta foi escrita para sua família usando pedaços de jornal, informou o site Mundo Cristiano. Nela, o pastor demonstrou preocupação com sua esposa e filhos, e descreveu o estado de seu rosto: “Meu cabelo estava raspado. meus olhos estavam inchados, um inchaço fazendo com que ele ficasse três vezes maior que o normal e o meu rosto também bastante inchado”.
Desde sua prisão, a ACLJ vem pedindo que o governo norte-americano intervenha na situação. Após a divulgação desta terceira carta, a entidade voltou a pedir ao secretário de Estado do país que volte a pressionar o governo iraniano pela libertação do pastor, que é cidadão norte-americano, porém o Departamento de Estado não tem se pronunciado sobre o caso.
Por Tiago Chagas

Nenhum comentário:

Postar um comentário