16 abril 2013

LETRAS MORTAIS

DISTORCENDO A BÍBLIA PARA INVALIDAR A PRÓPRIA BÍBLIA

Este texto veio a existir por causa de afirmações encontradas nos fóruns que freqüento. Abaixo transcrevo alguns desses trechos:
“… e quando vejo pastores ou irmãos dizendo que não se precisa ir ao monte, em minha opinião, é um forte indício que ele já morreu espiritualmente ou a letra tá matando ele.”
“A pessoa que é um aleijado espiritual, sempre vai procurar uma muleta com base bíblica, para continuar vivendo no pecado.”
“Quero dizer o seguinte. Nem um está errado em dizer que não se pode crer em tudo o que lemos na Bíblia e nem outro está errado em dizer que a Bíblia é a perfeita palavra de Deus. Isso é contraditório? Não: a Letra mata, mas o espírito vivifica… tudo o que lemos na bíblia pode possuir milhares de interpretações se utilizarmos nosso próprio entendimento. Sob essa ótica a Bíblia é falha, pois então não passa de um livro mal escrito.”
Tomei a liberdade de sublinhar os trechos que achei mais absurdos, pois fiquei completamente chocado ao descobrir que há pessoas que se chamam cristãs e são capazes de não crer na própria palavra de Deus e, pior ainda, acusá-la de “muleta” e de “assassina”!!!

Passei a tarde e a noite inteiras pensando em como deveria abordar esse assunto sem que se passasse uma idéia de escárnio… meu sentimento por este jovem não é de desprezo, mas sim de amor e tristeza. Decidi fazê-lo da única forma que Deus me permite: usando a minha “muleta”!
Eu já havia lido que “a letra mata” em algum outro tópico, mas não dei a devida atenção na oportunidade porque não acreditei que houvesse um crente que questionasse a autoridade bíblica. Tal afirmação é completamente errônea e equivocada: é um trecho extraído de II Coríntios 3, porém dessa forma ele foi retirado abusivamente de seu contexto original para justificar as loucuras daqueles que criaram um evangelho empírico, onde as experiências pessoais suplantam a palavra inspirada pelo próprio Deus. Talvez devamos ler o capítulo inteiro para compreender qual assunto está sendo tratado então:
“(1) Porventura começamos outra vez a louvar-nos a nós mesmos? Ou necessitamos, como alguns, de cartas de recomendação para vós, ou de recomendação de vós? (2) Vós sois a nossa carta, escrita em nossos corações, conhecida e lida por todos os homens. (3) Porque já é manifesto que vós sois a carta de Cristo, ministrada por nós, e escrita, não com tinta, mas com o Espírito do Deus vivo, não em tábuas de pedra, mas nas tábuas de carne do coração. (4) E é por Cristo que temos tal confiança em Deus; (5) Não que sejamos capazes, por nós, de pensar alguma coisa, como de nós mesmos; mas a nossa capacidade vem de Deus, (6) O qual nos fez também capazes de ser ministros de um novo testamento, não da letra, mas do espírito; porque a letra mata e o espírito vivifica. (7) E, se o ministério da morte, gravado com letras em pedras, veio em glória, de maneira que os filhos de Israel não podiam fitar os olhos na face de Moisés, por causa da glória do seu rosto, a qual era transitória, (8) Como não será de maior glória o ministério do Espírito? (9) Porque, se o ministério da condenação foi glorioso, muito mais excederá em glória o ministério da justiça.” (II Coríntios 3:1-9)

Por favor, leiam com bastante discernimento o texto acima… prestando maior atenção ao verso 6.

A “letra” em questão fica claramente revelada como as leis do Antigo Testamento, escritas em tábuas de pedra (conforme mencionado nos versos 3 e 7) e não a Bíblia inteira. Tanto é assim que somos “capazes de ser ministros de um novo testamento” (vide verso 6).
Ora, contra a aplicação da velha lei de Israel aos gentios convertidos eu já tenho estudado e escrito a muito tempo, como pode ser visto em muitos dos textos neste site. A novidade é que algum desses líderes “geniais” deve ter sido incapaz de observar toda a abrangência do texto e criou mais uma nova e absurda doutrina, mais uma apostasia dessas que as pessoas ouvem falar, acreditam e repetem sem sequer se importar de confrontá-la com o texto bíblico… afinal, pra que confrontar com a Bíblia se “a letra mata”?

Pausa para respirar…

Se você é adepto dessa heresia antibíblica que descrevi acima, mas ainda quer continuar sendo denominado de “cristão”, por favor: continue lendo o texto, só que ainda mais seriamente a partir deste ponto! Prometo que procurarei utilizar apenas textos do Novo Testamento para confirmar a validade da palavra de Deus como guia para a vida de qualquer um que tenha aceitado a Jesus Cristo como seu único Senhor e Salvador.

Em primeiro lugar precisamos ter pleno conhecimento de que o Antigo Testamento não é composto apenas por leis, mas também a narrações históricas e revelações proféticas. Portanto classificar o Antigo Testamento como ultrapassado ou inválido é um grave erro: a exatidão do cumprimento das profecias é a melhor forma de validar a palavra de Deus como um todo; assim como os episódios históricos narrados podem servir como exemplos para nossa vida pessoal, porém querer transpor elementos da antiga lei para o tempo da graça não é algo que deva ser feito sem um profundo estudo de validação. Outra coisa que também é muito esquecida é que no Antigo Testamento NINGUÉM tinha o Espírito Santo!!! As atitudes tomadas, suas conseqüências e seus efeitos não são, em sua maioria, parâmetros a ser seguido pelos cristãos que se converteram por crerem em Jesus Cristo e, através disso, receberam o Espírito Santo em suas vidas.

Em seguida vejamos algumas das citações de Jesus Cristo sobre a verdade, a validade e o cumprimento da palavra de Deus em Mateus 21:42, Mateus 22:29, Mateus 26:54-56, Marcos 14:49, João 5:39, João 8:30-59, João 15:7 e João 17… por favor, verifiquem os textos! Não se ressintam de manusear este livro “mortal”… Vou citar apenas um pequeno trecho, para facilitar:
“Jesus dizia, pois, aos judeus que criam nele: Se vós permanecerdes na minha palavra, verdadeiramente sereis meus discípulos; E conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará.” (João 8:31-32)

Jesus apóia a Bíblia, mas deve ter mais algum outro lugar que expresse mais claramente que as experiências que vivemos devem ser as maiores fontes de nosso conhecimento de Deus e a base de nosso relacionamento com Ele… afinal, não acredito que meu líder ensinaria que “a letra mata” sem uma base sólida para suas afirmações!
Se você se identificou com o texto do parágrafo acima, saiba que sua aflição só aumentará daqui por diante, pois não tenho medo de revelar que sua busca é inútil: em nenhuma passagem bíblica há apoio para tal linha de raciocínio. Vejamos o que o apóstolo Paulo (que foi autor não apenas da partícula fora de contexto “a letra mata”, mas também da maior parte dos textos do Novo Testamento) diz a Timóteo sobre a forma de adquirir sabedoria para a salvação:
“Tu, porém, permanece naquilo que aprendeste, e de que foste inteirado, sabendo de quem o tens aprendido. E que desde a tua meninice sabes as sagradas Escrituras, que podem fazer-te sábio para a salvação, pela fé que há em Cristo Jesus. Toda a Escritura é divinamente inspirada, e proveitosa para ensinar, para redargüir, para corrigir, para instruir em justiça; Para que o homem de Deus seja perfeito, e perfeitamente instruído para toda a boa obra.” (II Timóteo 3:14-17)

Os grifos são meus, mas esse texto, no mínimo, está desvinculando as Escrituras (a Bíblia) da Letra (conjunto das leis israelitas). Logo, a Bíblia, desde que estudada e aplicada corretamente, de forma alguma pode servir como “muleta” para os pecadores, mas é o único local possível onde se pode obter sabedoria para a salvação.

Já o apóstolo Simão Pedro surge em nosso estudo para destruir grande parte da multidão de profetas modernos, que anda falando e se exibindo muito, porém operando erros e enganos:
“Sabendo primeiramente isto: que nenhuma profecia da Escritura é de particular interpretação. Porque a profecia nunca foi produzida por vontade de homem algum, mas os homens santos de Deus falaram inspirados pelo Espírito Santo.” (II Pedro 1:20-21)
Isso significa que as profecias não podem contrariar nem a palavra e nem a vontade de Deus. Esse texto serve para confirmar que TODAS as profecias bíblicas foram inspiradas por Deus… então como pode alguém que se diz santo falar contra a própria palavra de Deus? Como pode alguém que afirma buscar servir a Jesus Cristo afirmar que a Escritura, divinamente inspirada, está matando alguém? Como pode um cristão chamar a Bíblia (que é proveitosa para ensinar, corrigir e instruir em justiça) de “muleta”?!?

Um cristão que busca as revelações através das experiências pessoais está indo contra toda a palavra de Deus! Provo isso com mais um trecho muito importante, escrito pelo apóstolo Paulo:
“Maravilho-me de que tão depressa passásseis daquele que vos chamou a graça de Cristo para outro evangelho; O qual não é outro, mas há alguns que vos inquietam e querem transtornar o evangelho de Cristo. Mas, ainda que nós mesmos ou um anjo do céu vos anuncie outro evangelho além do que já vos tenho anunciado, seja anátema. Assim como já vo-lo dissemos, agora também vo-lo digo. Se alguém vos anunciar outro evangelho além do que já recebeste, seja anátema.” (Gálatas 1:6-9)

Caso não saiba, segundo o dicionário Aurélio, anátema significa:
(Do grego anáthema, pelo latim anathema.)
Substantivo masculino.
1. Expulsão do seio da Igreja; excomunhão.
2. Maldição, execração, opróbrio.
3. Reprovação enérgica.
4. Indivíduo que sofreu excomunhão (1).
5. Excomungado, maldito, amaldiçoado.
6. Réprobo, condenado.
Adjetivo de dois gêneros.
7. Excomungado, amaldiçoado.

Será que com isso dá para compreender a gravidade da situação daqueles que estão deturpando a o texto bíblico? Qualquer um que acuse a palavra de Deus de estar “matando” e que, com isso, incentive a busca do conhecimento de Deus através de experiências subjetivas… é um maldito! A Bíblia não tem uma categoria especial de “irrepreensíveis”: pode ser pastor, bispo, presbítero, padre, papa, o próprio Paulo ou até mesmo um anjo vindo do céu! Modificou o texto bíblico… é tudo anátema!

E ainda tem mais! Veja o que está escrito quase no final do livro de Apocalipse:
“Porque eu testifico a todo aquele que ouvir as palavras da profecia deste livro que, se alguém lhes acrescentar alguma coisa, Deus fará vir sobre ele as pragas que estão escritas neste livro; E, se alguém tirar quaisquer palavras do livro desta profecia, Deus tirará a sua parte do livro da vida, e da cidade santa, e das coisas que estão escritas neste livro.” (Apocalipse 22:18-19)

Qualquer tradutor que passar por essas “sutis” recomendações tem de estar com muita vontade de desafiar Deus para deixar de cumpri-las. “Tirar seu nome do livro da vida” e “perder sua parte na cidade santa” é sinônimo indiscutível de passagem sem escalas para o inferno… (e quando leio alguns trechos da “Bíblia” das Testemunhas de Jeová só consigo imaginar o quão “doido” estava quem a escreveu…).

Vejam que só mencionei tradutores e não intérpretes, mesmo sabendo que a tradução acaba envolvendo a interpretação de algumas palavras e adequação de frases para que façam sentido… mas isso não significa negar o conteúdo direto e intrínseco da palavra de Deus. Tais deturpações podem ser encontradas na NTLH, na NVI e ainda mais claramente nas obras do senhor Rick Warren, que além de se utilizar de trechos “traduzidos para se adequar ao propósito do autor”, equilibra suas idéias em cima de uma exegese completamente furada.

Mas, em nome das novidades, as pessoas preferem sempre “o mais fácil”… preferem engolir a ração regurgitada e gosmenta do que se alimentar do alimento são. A estes sugiro que sigam o exemplo dos bereanos, citados em Atos 17:10-11, que mesmo ouvindo as mensagens diretamente de Paulo e Silas, não deixavam de compará-las com o texto das escrituras. Vejam que eram dois apóstolos sendo julgados não segundo a aparência, mas segundo a sã doutrina… e tenho certeza que eles eram muitíssimo mais confiáveis que esses pseudopastores que surgem aos milhares a cada dia: cada um com sua “idéia brilhante” e seus “métodos comprovados” para “crescer” igrejas. Agora tem até escola de pastor pela internet! Imagino o “elevado nível” desses “pastores miojo”…

É esse o tipo de líderes que prefere abdicar da firmeza encontrada na palavra de Deus e sair em busca de “experiências reveladoras” baseadas no engano dos sentimentos e emoções do ser humano. São esses os líderes capazes de afirmar que “a letra mata”, de dizer que “no alto dos montes é que se sente o poder de Deus”… e outros absurdos que levam milhares de cristãos sinceros a seguir caminhos sem amparo bíblico e, por isso, completamente errados.

teophilo.info

Nenhum comentário:

Postar um comentário