02 abril 2013

O Joio, o Trigo e a Testemunha de Jeová


* Como podemos observar na ilustração de Jesus, o campo já estava branco para a colheita. Seria uma colheita entre os daquela época, e não uma futura. Sobre esses textos o “Popular Commentary of the Bible” do Ph. D Paul E.Kretzmann diz:

“O ministério de Cristo colocou-o no contacto mais íntimo com o povo e deu-lhe a compreensão mais exacta da sua condição moral e religiosa. Sua mente lhe sugeriu dois quadros: Um rebanho de ovelhas abandonado no deserto, e uma colheita a se perder por falta de ceifeiros. O povo que encontrou estava fraco, estressado, aflito, abatido, desde a muito exausto, levado sem rumo, completamente esgotado e disperso. Não tinha pastores fiéis. Os fariseus e escribas, com suas esfolações legalistas, irritavam e molestavam suas almas, dando-lhes milhares de preceitos que determinavam os menores detalhes de sua vida, mas, jamais, lhes ensinaram onde conseguir a força para tanto, nem lhe deram o conforto do evangelho. A maioria do povo estava na mais triste desgraça espiritual. Um espectáculo de dar pena! Isto acontece, para que sejam movidos à acção. A colheita de Deus é sempre grande, desde que ele deseja que todas as pessoas sejam salvas. Quando as almas se tornaram cansadas e oprimidas por causa da palha das doutrinas e tradições humanas, tornar-se mais prontas para sentir e compreender sua necessidade do evangelho de Cristo, como acontecia com muitos dos judeus. Os trabalhadores são poucos, ou seja, são aqueles que estão cheios de solidariedade com os ensinos do evangelho, aqueles que estão dispostos a trabalhar por Cristo. Naquele tempo, só o Senhor e, aqui e ali, algum israelita verdadeiro, trabalhavam para o reino. É preciso algo da própria compaixão de Cristo, algo daquela comiseração divina que moveu o coração de Cristo. É necessário algo daquela disposição de trabalhar e, se preciso, de sofrer, que caracterizou o ministério de Cristo. É, finalmente, necessário o poder de oração que sobem com ímpeto ao céu e chegam ao Senhor da colheita, ao grande Senhor do reino, rogando que ele precisa intervir com poder, exortando os corações dos trabalhadores e fazendo-os voluntários, quando ele os envia para ceifa as almas para o seu reino eterno”.

Como podemos reforçar, essas palavras de Jesus teriam cumprimento lá em seus dias, diferentemente da de Mateus 13:24-30. Numa os trabalhadores seriam os próprios discípulos de Cristo, noutra seriam os anjos. A Torre de Vigia mostra-se infundada ao tentar encaixar uma colheita na outra.

Agora, por um momento imaginemos que tudo que foi posto aqui estivesse errado e que a Associação das Testemunhas de Jeová(Doravante ATJ)fosse realmente o “celeiro” onde todos os adoradores verdadeiros estivessem reunidos. Seria de pensar que o espírito de Jeová, bem como o próprio Jesus estivessem lá, não é verdade? Seria de  pensar que tudo que ocorresse nessa organização fosse da vontade divina, visto esta ser ‘A’ organização de Deus.

 Mas meu caro leitor, é realmente e sinceramente essa a realidade?Não sabemos nós que milhares de irmãos já morreram por causa de uma miserável regra de 2/3? Não sabemos que ensinos como o de transplantes de órgãos já foram ajustados ‘trucentas’ vezes? Não sabemos das mentiras divulgadas pela ATJ ao negar sua comunhão com a ONU? Não sabemos do apoio declarado a Hitler, na Segunda Guerra Mundial?  Não sabemos da mentira que ela lançou para a Bulgária, com o intuito de ser reconhecida lá, denominando isso de tática de guerra espiritual? Não sabemos do apoio que ela deu ao suborno aos oficiais mexicanos nos casos do serviço militar? Não sabemos que ao mesmo tempo em que ela apoiava o ocorrido no México, milhares de irmão morriam, irmãs eram estupradas e famílias eram massacradas em Malauí? Não sabemos das dezenas de datas para o fim que não veio? Não sabemos que ela prefere difundir um “ensino falso” que fazer um pequeno ajuste numa publicação com o pretexto que isso custaria muito caro? Não sabemos da injustiça que ela faz ao colocar os dissociados na mesma posição dos desassociados por motivo de pecados graves? Não sabemos das milhares de mortes sociais que ela é responsável? Não sabemos das milhares de mortes literais que ela carrega em suas costas devido a uma doutrina claramente infundada, mas mesmo assim imposta a seus fiéis?

Essas atitudes demonstram realmente que essa é a organização de Deus? A que foi escolhida para levar o seu nome, a que tem seu espírito, a que tem Jesus Cristo como Cabeça e Guia?  A resposta parece ser bem óbvia.

Um dos maiores erros é  pensar que alguém é um adorador verdadeiro por  conhecer tudo sobre a verdade. Não, não é assim. Mesmo em denominações trinitaristas há aqueles que adoram ao pai em espírito e verdade. Aqueles que mesmo crendo em inferno ainda servem a Deus com todo o seu coração. NÓS NÃO CONHECEMOS O CORAÇÃO DE NOSSO PRÓXIMO. Nós os julgamos pelos seus actos, mas não meditamos nos porquês destes. Só sabemos dizer: ELE ESTÁ ERRADO! E pronto. Vemos o cisco no olho do próximo, mas não conseguimos enxergar a trave na frente do nosso. Esse é um grande erro.

Será que uma pessoa que recebeu uma cura de uma gravíssima doença numa denominação evangélica e que lá formou fortíssimos vínculos de amizades, vai deixar tal lugar por ter recebido uma mensagem das TJs sobre seu erro em crer que sua religião é certa? Em quem você acha que ela vai crer? Nas desconhecidas visitantes, ou no pastor que a curou e nos amigos achegados que tem?  Embora haja casos em que a pessoa toma noção de seu erro, a maioria está imersa numa situação psicológica que a impede de compreender a verdade. Será que Deus destruirá uma pessoa dessas, que inocentemente crê em algo irreal, mas que mesmo assim demonstra um espírito de amor a Deus e um forte apego a ele? Assim também se dá em milhões de casos. Esses são verdadeiros ‘trigos’ no meio dos ‘joios’. Isso é somente para fazer uma rápida ilustração.

Não podemos pensar que podemos encontrar os verdadeiros adoradores, num só lugar, numa só igreja. Embora formem a Congregação, eles estão unidos com o mesmo espírito, com a mesma motivação, mesmo em muitos casos tendo crenças e doutrinas que não condizem com a realidade. Mas de quem é a culpa? Delas, que nas muitas vezes já nasceram naquele sistema e crêem com toda a sinceridade do mundo que estão na verdade? Dois textos que jamais podemos nos esquecer:

1 Samuel 16:7
Mas Jeová disse a Samuel: “Não olhes para a sua aparência e para a altura da sua estatura, pois o rejeitei. Porque não como o homem vê [é o modo de Deus ver], pois o mero homem vê o que aparece aos olhos, mas quanto a Jeová, ele vê o que o coração é.”

Mateus 18:20
“Pois, onde há dois ou três ajuntados em meu nome, ali estou eu no meio deles.”

 As TJs, na sua grande maioria são “trigos”, mas isso não quer dizer que são ou estão no celeiro. Embora elas possuam alguns ensinos verdadeiros, longe elas estão de formarem a organização única e exclusiva de Deus, o único meio de salvação.
                                              
Não precisamos de uma organização que nos dite o que fazer. A ATJ não é responsável pelo ajuntamento do trigo. Tudo que for além disso é mera especulação. A interpretação da ATJ é totalmente distorcida da realidade para apoiar sua teologia. Ela pode ter muitos ensinos e crenças fundamentadas, mas suas atitudes homicidas e desamorosas desmerecem o que ela quer ser – A religião verdadeira.










Nenhum comentário:

Postar um comentário