17 maio 2013


NÃO TRANSFORMEM A IGREJA EM SINAGOGA




Uma onda judaizante tem varrido nossas igrejas nos últimos tempos. Segundo os defensores desta tendência, trata-se de um retorno às raízes judaicas do cristianismo.

O púlpito virou altar. Em vez da mesa de comunhão, uma tenda contendo uma réplica da Arca da Aliança. Sem contar o candelabro, o shofar (chifre de carneiro tocado para invocar a presença de Deus), as festas judaicas, danças típicas, a estrela de Davi e para completar, a bandeira de Israel. Seria um santuário cristão ou uma sinagoga? Só falta as orações serem feitas em hebraico (considerado por muitos o idioma falado no céu).

Sinceramente, o que vejo nisso é um enorme retrocesso. Precisamos urgentemente redescobrir as Epístolas de Paulo, sobretudo, a endereçada aos Gálatas.

A igreja contemporânea parece tomar o caminho inverso ao da igreja primitiva. Deixamos a graça genuína para retornar às sombras (Hb. 10:1; Cl.2:17).  Criamos uma geração de cristãos idólatras, que veneram a arca e todos os símbolos judaicos. Confinamos a presença de Deus a uma tenda que afirmamos ser o santo dos santos. É como se tivéssemos recosturado o véu que custou o sangue de Cristo para rasgar.

Reeditar elementos da Antiga Aliança é o mesmo que anular a graça. E não sei como alguém que diz ter recebido entendimento desta maravilhosa graça faria tal desserviço à causa do reino. O povo se deixa levar por faltar-lhe conhecimento. Porém, Deus cobrará dos líderes que apesar de conhecerem a verdade, preferem induzir o povo ao erro. Deus não os tem por inocente.

Será que jamais leram que “o caminho do santuário não estava descoberto enquanto se conservava em pé o primeiro tabernáculo” (Hb.9:8)? Não bastou que o véu fosse rasgado. Era necessário que aquele tabernáculo fosse derrubado. Constitui-se transgressor aquele que se atreve a reconstruir o que foi derrubado (Gl.2:18).

Vale aqui a dura advertência do Espírito Santo:

 “Quão mais severo castigo, julgam vocês, merece aquele que pisou aos pés o Filho de Deus, que profanou o sangue da aliança pelo qual ele foi santificado, e insultou o Espírito da graça?” Hebreus 10:29

Voltem para Cristo! Deixem tais superstições! Vocês, que procuram ser justificados pela lei, separaram-se de Cristo; caíram da graça” (Gl.5:4). Não se pode misturar a graça com elementos judaizantes. É água e óleo. Luz e sombra. Com lágrimas nos olhos e angústia em meu coração, digo: Saiam das sombras e retornem à luz.

Povo de Deus, não se deixe enganar. Despertem seus líderes! Eles os estão levando na direção oposta. Não há pastos verdejantes lá. Só feno. Não há águas tranquilas. Só lama. Escapem! Fujam! Voltem para a liberdade oferecida pela graça! Não se acostumem ao jugo da escravidão. Quem tem o mínimo de discernimento do Espírito vai discernir a Sua voz nesta admoestação. Quem tem ouvidos, ouça o que o Espírito diz às igrejas.
HermesFernandes

Nenhum comentário:

Postar um comentário