01 junho 2013

Isael de Araújo publica: Jotinha é uma farsa

Pr. Jotinha é conhecido como pioneiro da Assembleia de Deus.
Pr. Jotinha é conhecido como pioneiro da Assembleia de Deus.

Em 2012 eu fiz uma entrevista com o pastor Jotinha e confirmo que não consegui extrair muita coisa dele. Para mim, (Carlos Castro) não conhecer a pioneira cearense Maria de Jesus Nazaré Araújo, a que trouxe a Chama Pentecostal para o Ceará, confesso que me deixou preocupado. Todavia a matéria publicada pelo meu amigo e prefaciador do livro: Fragmentos da História do Evangelho no Ceará, pastor Isael de Araújo é caso que não deixa dúvida, o que é lamentável.
 
 
Por meio da verdadeira história dos hinos, cujo texto está publicado no Blog Movimento Pentecostal, e do resultado de uma investigação feita por várias pessoas, entre elas pastores, confirma-se que Jotinha e suas histórias podem se constituir numa farsa.Na investigação verificou-se que os números do RG e CPF que constam na ficha cadastral do senhor José Rodrigues (Jotinha) na CGADB, sob o Nº 43.610, são os mesmos de José Rodrigues Ferreira cujos dados pessoais são os seguintes: nascido em 22 de junho de 1935, na cidade de São Gonçalo, no Estado do Rio de Janeiro, filho de Pedro Vicente Ferreira e Idalina Rodrigues Ferreira, divorciado em 1987 de Esmeralda da Silva Ferreira, cujo casamento aconteceu em 30/12/1961.
 
Conclui-se, então, que:

- José Rodrigues (Jotinha) é, na verdade, o senhor José Rodrigues Ferreira.
- José Rodrigues (Jotinha) não nasceu em Israel e nem é filho de judeus. Ele nasceu no Estado do Rio de Janeiro e seus pais são brasileiros.
- José Rodrigues (Jotinha) nasceu em 1935 e tem, portanto, 76 anos.
- José Rodrigues (Jotinha) não pode ter convivido com Gunnar Vingren, porque este morreu em 1933 na Suécia antes de Jotinha ter nascido. Com Daniel Berg, muitos irmãos antigos conviveram com ele porque este viveu no Brasil até 1962.
- José Rodrigues (Jotinha) não teve o tal encontro com a irmã Frida Vingren sobre o hino 126, embaixo de um pé de pitomba, porque Frida e Gunnar Vingren retornaram para a Suécia em 1932 (antes de Jotinha nascer) e nunca mais voltaram (Gunnar morreu em 1933 e Frida em 1940).
- José Rodrigues (Jotinha), diferentemente do que ele afirma, já foi casado e divorciou-se.
Obviamente, José Rodrigues (Jotinha) não poderia sequer ter menção nas comemorações do Centenário das Assembleias de Deus por apresentar uma história que já há algum tempo, pelos motivos expostos acima, tem-se evidenciado não ser verdadeira.


HISTÓRIA ORIGINAL DOS HINOS : 1, 5, 8, 84, 96, e 187

Tendo em vista o crescente número de telefonemas, e-mails e contatos pessoais, nos últimos meses, solicitando-me confirmação da veracidade histórica das afirmações do Sr. José Rodrigues, conhecido como Pastor Jotinha(1), “nascido em 1910″, vivendo atualmente no Estado do Espírito Santo, de que são de sua autoria os seguintes hinos da Harpa Cristã: “Chuvas de Graça” (Nº 1), “Ó Desce, Fogo Santo” (Nº 5), “Cristo, o Fiel Amigo” (Nº 8), “O Grande ‘Eu Sou’ ” (Nº 84), “Deixa Penetrar a Luz” (Nº 96) e “Mais Perto, Meu Deus, de Ti!” (Nº 187), apresento abaixo as seguintes informações históricas colhidas por mim até este momento como pesquisador da história das Assembleias de Deus há 28 anos e como autor do Dicionário do Movimento Pentecostal e 100 mulheres que fizeram a história das Assembleias de Deus no Brasil (CPAD). (OBS.: Um resumo deste documento foi publicado no jornalMensageiro da Paz em fevereiro de 2009.)….

Informações Gerais

1. Nenhum dos seis hinos acima constou entre os 44 hinos do Cantor Pentecostal publicado em 1921 e usado pela Assembleia de Deus de Belém (PA), antes do lançamento da 1ª edição da Harpa Cristã.
2. Nenhum dos seis hinos acima constou entre 220 hinos do pequeno hinárioSaltério Pentecostal, publicado em junho de 1931 por Gunnar Vingren, no Rio de Janeiro, para suprir uma carência de exemplares da Harpa Cristã.
3. Na 2ª edição da Harpa Cristã, publicada em 1923 e também na 4ª edição de 1932, somente cinco desses seis hinos acima referidos podiam ser encontrados entre os seus 300 hinos. O “Chuvas de Graça” é o Nº 11; o “Cristo, o Fiel Amigo” é o Nº 20 com o título “Só Jesus”; o “Ó Desce, Fogo Santo” é o Nº 21 com o título “Consagração”; o “O Grande ‘Eu Sou’ ” é o Nº 22 com o título “Victoria do Crente”; e o “Deixa Penetrar a Luz” é o Nº 43 com o título “A Luz de Deus”. Em todos eles aparecem a sigla J.R. (José Rodrigues) como o autor das letras em português para a Harpa Cristã. O hino Nº 187, “Mais Perto, Meu Deus, de Ti!” não consta nas edições da Harpa Cristã acima referidas.
 Nº 1, “Chuvas de Graça”

O hino Nº 1, “Chuvas de Graça”, foi escrito originalmente em inglês pelo norte-americano Daniel Webster Whittle (D.W.W.) em 1883, sob o título “There Shall be Showers of Blessing”, sua música é de James McGranahan (J.M.) e foi publicado no hinário Gospel Hymns sob o Nº 4. Na América ficou conhecido apenas como “Showers of Blessing”. Foi traduzido para o português em 1890, por Salomão Luiz Ginsburg ao chegar ao Brasil como missionário. Em 1923, constava no hinário da Igreja Evangélica Congregacional, Salmos e Hinos, 4ª edição, sob o N° 331.

Nº 5, “Ó Desce, Fogo Santo”

O hino Nº 5, “Ó Desce, Fogo Santo” foi originalmente escrito pelos norte-americanos Mrs. James, sob o título “My All Is On The Altar” e a música foi dada pela pianista metodista Phoebe Palmer Knapp (1839-1908). Consta no hinário Redemption Songs, sob o Nº 609. Foi incluído na 2ª edição (1889) do hinário da Igreja Evangélica Congregacional, Salmos e Hinos, sob o título “Consagração Pessoal” (Nº 332, antigo Nº 232) com tradução para o português de João Gomes da Rocha, em 1888.

N° 8, “Cristo, o Fiel Amigo”

O hino N° 8, “Cristo, o Fiel Amigo”, foi escrito originalmente em inglês pelo norte-americano Johnson Oatman Junior (J.O.Jr.) em 1895, sob o título “There’s not a friend like the lowly Jesus”, que foi musicado por George C. Hugg (G.C.H.). Em 1923 este hino podia ser encontrado no hinário Sacred Songs e Solos sob o N° 904. A primeira versão em português foi feita pelo missionário batista Albert Lafayette Dunstan (1869-1937) e foi publicada no hinário batistaCantor Cristão sob o título “Amigo Incomparável” (Nº 81). O mesmo original americano foi traduzido para o sueco e incluído no Segertoner de 1929 sob o título Ingen lik Jesus (Ninguém como Jesus) (Nº 68). Foi feita uma versão para cantá-lo nas Assembleias de Deus com o título “Só Jesus”.

N° 84, “O Grande ‘Eu Sou’ ”

O hino N° 84, “O Grande ‘Eu Sou’ ”, foi escrito pelo pastor norte-americano Edgar Page Stites (E.P.S.) em 1876 sob o título “Beulah Land”, inspirado em Isaías 36.17. Sua música é do professor de música presbiteriano John Robson Sweney (J.R.S.). Foi adaptado para o português em 1891 pelo missionário metodista Justus Henry Nelson e, em 1919, constava na 4ª edição do hinário da Igreja Evangélica Congregacional, Salmos e Hinos, sob o N° 401 com o título “Bela Terra”. Na edição atual do Salmos e Hinos é o 585.

N° 96, “Deixa Penetrar a Luz”

O hino N° 96, “Deixa Penetrar a Luz”, foi escrito pela norte-americana Ada Blenkhorn (A.B.) em 1885 sob o título “Let the Sunshine In” e recebeu música por Charles Hutchison Gabriel (C.H.G.). Em 1923 podia ser encontrado no hinário Sacred Songs e Solos sob o N° 795. Consta no hinário da Igreja Evangélica Congregacional, Salmos e Hinos, sob o N° 302, com o título “Deixa o Sol em Ti Nascer” e tradução para o português de Antonio Querino Lomba, em 1900.

Nº 187, “Mais Perto, Meu Deus, de Ti!”

O hino Nº 187, “Mais Perto, Meu Deus, de Ti!”, foi escrito pela norte-americana Sarah Flower Adams (S.F.A.) em 1841 sob o título “Near, My God, to Thee”. A música foi escrita por Lowell Mason em 1856.
Sarah era compositora e, um dia quando estudava a Bíblia, ficou tão impressionada com a história do Gênesis, da visão de Jacó, em Betel, a escada que alcançava o céu, e os anjos que desciam e subiam por ela (Gn 28.10-19).
Sarah legou-nos outros 12 hinos.
Lowell Mason, músico sacro, deixou registrado na história que, em uma noite de 1856, depois de despertar de um sono, com olhos aberto na escuridão, na solidão da sua casa, veio a ele, pela manhã, a melodia para a letra escrita por Sarah Adams. (6)
Sua versão em português foi feita em 1888 pelo Dr. João Gomes da Rocha e foi publicado no hinário da Igreja Evangélica Congregacional, Salmos e Hinos, sob o N° 219, com o título “Mais Perto Quero Estar” (atual Nº 360).
Jotinha afirma no vídeo “Mais Perto Quero Estar”

Quem é o “José Rodrigues” registrado na Harpa Cristã?

Quem é o “José Rodrigues” registrado na Harpa Cristã como o autor das letras dos seis hinos tratados aqui? Para tentar obter a resposta, consultei dois estudiosos da história da Harpa Cristã. Conversei demoradamente sobre este assunto com o maestro e juiz de Direito, Abner Apolinário, da Assembléia de Deus de Recife (PE), profundo conhecedor e amante da Harpa Cristã. Maestro Abner declarou-me que nada conhece a respeito do José Rodrigues da Harpa Cristã e nunca havia ouvido falar do “Pastor Jotinha”. Consultei também o maestro e pastor João Pereira, que trabalhou durante anos chefiando o extinto Setor de Música da CPAD e que também fez parte da Comissão que, de 1979 a1992, revisou e atualizou a Harpa Cristã. A resposta do maestro João Pereira foi a mesma do maestro Abner Apolinário.

Um dos mais antigos obreiros das Assembléias de Deus, conhecido nacionalmente e ainda bastante lúcido, pastor José Pimentel de Carvalho, presidente da Assembleia de Deus de Curitiba (PR), segundo informou-me o irmão Tadeu Costa (secretário de educação cristã da AD Curitiba), quando consultado recentemente a respeito de José Rodrigues (Pastor Jotinha), disse que não o conhece e nunca ouviu falar sobre ele. (Pastor José Pimentel de Carvalho faleceu em 24 de fevereiro de 2011, aos 95 anos.)

Fiz também contato com Eliézer Cohen, pesquisador e historiador das Assembleias de Deus há mais de 30 anos. Ele, então, informou-me sobre um “José Rodrigues” mencionado em duas edições do extinto jornal Boa Semente, publicado pela Assembleia de Deus de Belém do Pará, de 1919 a 1930, e, em seguida, enviou-me cópias das referidas edições.

Por Isael de Araujo, pastor e escritor.
Chefe do Centro de Estudos do Movimento Pentecostal (Cemp)
CPAD


Entrevista Com o Pastor Isael Araújo – O caso Jotinha

DSCF3913

Assim que cheguei no Pavilhão de Exposição de Brasília, local da AGO da Convenção Geral encontrei o amigo e Pastor Isael Araújo autor do Dicionário do Movimento Pentecostal e do livro Cem Mulheres Que Fizeram Histórias nas Assembleias de Deus.

 Primeira coisa que fiz foi parabenizar o reverendo por sua matéria investigativa sobre o caso Jotinha, que por sinal é ministro da minha convenção CADEESO, mas, que se diz judeu e autor de vários hinos da harpa cristã, Além de ter sido segundo ele, contemporâneo de Daniel Berg e Gunar Vingren, e ter andado com os pioneiros. 

Jotinha tem um testemunho que deixaria o Apóstolo Paulo e o Apóstolo Pedro de queixo caído. Eliseu o Profeta, fez muitos milagres, segundo alguns teólogos ele teria feito duas vezes mais milagres do que Elias, também profeta, Mas, quando ouvimos o Jotinha, a impressão que temos é que os pseudos milagres que aconteceram na sua vida são espetaculares tanto quanto os dos profetas do poder Elias e Eliseu. O fato, é que esse assunto já rendeu muitos comentários que questionaram a veracidade de suas estórias.

 Diante de tantos questionamentos, o pastor Isael resolveu pesquisar de forma minuciosa o assunto para trazer à luz a verdade dos acontecimentos. O resultado dessa investigação já está veiculado na internet, mas, resolvi perguntar pessoalmente ao pastor Isael se realmente a versão de Jotinha não é procedente, ao que me respondeu que está munido de vários documentos que contradiz o pastor José Rodrigues(Jotinha), que tentou inclusive conversar pessoalmente com ele, mas, não foi atendido.

Veja uma parte da entrevista dada pelo pastor Jotinha ao Portal Fiel:


Pr. Jotinha: "Em 1911 eu, minha mãe e meu pai viemos para o Brasil, nós éramos refugiados. Desembarcamos no Rio grande do Sul, em uma cidade fronteira por nome Santa Maria da Boca dos Montes. Nós três ingressamos na Igreja Batista, com 4 anos de idade eu já pregava a palavra, aos cinco anos Jesus me chamou para o ministério, e aos 15 eu fui consagrado a pastor por Daniel Berg e Gunnar Vingren".
Entrevista ao Portal Fiel

http://www.portalfiel.com.br/entrevista.php?id=9-entrevista-com-o-pastor-jotinha.html

Pelo que disse, com 4 anos de idade já pregava, e foi consagrado ao ministério aos 15 anos, pelos missionários Daniel e Gunnar. São estórias como essa que levou Isael ao trabalho de pesquisa nos tramites de Beréia. Bom, deu no que deu. Caiu a máscara.
Jotinha em uma de suas entrevistas afirmou que tem agenda cheia até 2015, não sei se depois desse episódio alguém terá coragem de levá-lo a sua igreja.

Diretamente do Pavilhão de Exposição de Brasília,
Pr. Robson Aguiar

 

 

 


Um comentário:

  1. Que tristeza ver que qualquer estelionatário, mitômano ou falso profeta pode enganar os assembleianos. Este homem era tratado como um deus aqui em Teresina. Quem ousasse duvidar de qualquer uma das estapafúrdias estórias recebia de cara olhares furiosos como se fosse um herege. Conheço exemplos terríveis até de foragidos da Justiça que, bons atores, convenceram toda uma horda de tolos de que eram pastores e chegaram a ganhar igrejas para pastorear. Analisando toda a situação, infelizmente constato que os evangélicos brasileiros são facilmente manipuláveis, às vezes completamente imbecilizados sem capacidade de julgamento. Não escrevo isto com alegria pois fui criada nesta igreja desde os 9 anos, mas é uma verdade dolorosa que precisa ser admitida. Por pouco valorizar o conhecimento, a maioria dos pentecostais ficam presos na religiosidade sem conhecer a Deus no Seu profundo e se tornam presas fáceis para lobos. Eu dou graças a Deus por este tal Jotinha não ter inventado nenhuma heresia ou ter almejado causar divisão, porque se lho apetecesse e ele tivesse tentado angariar maiores poder e glória, teria conseguido facilmente tal era o poder hipnótico que exercia sobre as pessoas. O senhor pode até achar meu comentário malicioso e ruim, mas alguns escândalos vêm me chamando a atenção para a suscetibilidade da igreja. O pior exemplo foi aquele escândalo "Fedex" (se não me falha a memória é este o nome): na epoca eu era muito nova (cerca de 18 anos) mas, a despeito da pouca idade, ja sabia o que era pirâmide financeira e, ainda que não soubesse, facilmente veria que aquela era uma forma horrível de ganhar dinheiro porque primeiro não era produtiva e sim especulativa, segundo porque era notório ver a ganância a brilhar nos olhos dos que entravam felizes achando que ficariam ricos sem trabalhar.

    ResponderExcluir