12 agosto 2013


                    AS HERESIAS DAS SEITAS







   Introdução

 A heterodoxia (ou heresia) tem sido a maior produtora de seitas. E em nossa época tem acontecido um fenômeno diferente: Enquanto que nos séculos passados as heresias se concretizavam no surgimento de seitas. Hoje as heresias se acomodam nas igrejas evangélicas e vão ficando. Não há uma concretização dos fatos. Principalmente com o surgimento da “ortodoxia generosa”, que é uma heterodoxia disfarçada. Com isso, os apologistas cristãos que tinham apenas uma preocupação externa com a identificação e refutação das seitas. Atualmente estão tendo que tratar do assunto internamente. Que tem gerado um grande desconforto e desgaste dentro do cristianismo evangélico. Por isso, os apologistas cristãos precisam não só classificar as conhecidas “seitas pseudocristãs”, mas agora, precisam identificar “doutrinas pseudocristãs”. E também pelo fato dos contribuintes desse fenômeno se utilizar constantemente do ecletismo (1), eufemismo (2) e do discurso ambíguo (3). Então, de dentro desse contexto houve a necessidade de classificar: Igrejas Cristãs Genuínas (4), Movimentos Controversos (5) e Seitas Heréticas.

É unânime afirmar que todo herege sempre se utilizou de sofismas (6) e da eisegese (7) para montar seus conceitos. Daí o porquê da capacidade que têm de ludibriar e seduzir os incautos.

Eu poderia aqui me prender ao fator histórico das seitas e das heresias, que também ajuda na informação. Entretanto, se queremos fazer apologética, o fel do veneno da heresia está no “conceito” e não em sua história. Por isso nesse material que produzi me detenho com as heresias que alimentam as seitas e o poder de influência dos hereges. Assim, desbaratando seus conceitos à luz da Palavra de Deus, os alicerces das seitas e dos hereges cairão.

DEFININDO OS TERMOS:

HERESIA – Do ponto de vista cristão, é tudo aquilo que em matéria de fé, sustenta opiniões contrárias, excedentes e deturpadas da Palavra de Deus. Do ponto de vista secular, é uma doutrina contrária a da Igreja. A palavra “heresia” vem da palavra grega “hairesis” que tem o significado de “ato de pegar”, “capturar”, “escolha”, “grupo de homens escolhendo seus próprios princípios”, “dissensões originadas da diversidade de opinião e objetivos”. No contexto de 2a.Pe.2.1 esta palavra foi usada para designar uma atitude contrária ao ensinamento de Cristo e dos apóstolos (At.2.42; 2Jo.v.9). E em Gl.5.20 segue o mesmo contexto. Pois, no mesmo verso já se usa a palavra grega “dichostasia” que significa “dissensão” ou “divisão”.

SEITA – Do ponto de vista cristão, é um grupo de indivíduos motivados pela heresia, por isso chamamos “seita herética”. É uma palavra que nasce do mesmo grego “hairesis” acima. Que aparece nas passagens de: At.5.17; 15.5; 24.5; 24.14; 26.5; 28.22. Traduzida para “seita”, “grupo” ou “partido” (dependendo das versões em português). Do ponto de vista secular, é um grupo faccioso de indivíduos. Todas as seitas são de linha heterodoxa, ou seja, não reconhecem os credos primitivos, as doutrinas essenciais da fé cristã e atropelam a hermenêutica bíblica.

Como ocorre o seu desdobramento?

Dentro de um raciocínio lógico, primeiro a heresia vem, depois poderá a se tornar uma seita. Uma nasce da opinião (heresia) e outra nasce partidária a opinião (seita). Por isso o grego usa uma palavra só para designar os dois termos.

Continuaremos amanhã...
Abraços.
Vivam vencendo as pseudo-doutrinas cristãs.
Seu irmão menor.


Nenhum comentário:

Postar um comentário