03 agosto 2013


Dilma QUEBRA acordo de 2010 com cristãos e sanciona 'lei' de aborto



A presidente Dilma Rousseff acabou de sancionar, nesta quinta-feira (1 ago) uma lei que protege vítimas de violência sexual. A lei foi aprovada sorrateiramente no Congresso Nacional recentemente. Não há problema em leis protegendo tais vítimas. Mas, de acordo com essa lei, qualquer mulher pode obter um aborto alegando violência, e não há nenhuma necessidade de evidência médica e legal.

Com a sanção presidencial do PLC 03/2013 bastará apenas a DECLARAÇÃO de uma mulher de que sua gravidez resultou de uma relação "não consentida" para que o médico seja OBRIGADO a praticar o aborto.
Acabou a necessidade de Boletim de Ocorrência, exame de corpo de delito.

Uma mulher grávida brigou com o pai da criança e se arrependeu da gravidez? Ela terá toda uma avenida de facilidades para abortar.
Aborto foi legalizado no Brasil... e que Deus tenha piedade de nós.

Em 2010, quando era candidata a Presidente, Dilma Roussef assinou uma carta-compromisso (abaixo) com os cristãos de que não mudaria as leis para favorecer o aborto.
Resta saber se a presidente vai ignorar o compromisso e assinará a sórdida lei.
Uniãonet

Nenhum comentário:

Postar um comentário