24 agosto 2013

Falsas Palavras

E curam superficialmente a ferida da filha do meu povo, dizendo: Paz, paz; quando não há paz
(Jeremias 6:14).

No tempo do profeta Jeremias o povo de Deus havia sido escravizado sob o poder da idolatria. Por diversas vezes Jeremias transmitiu as advertências de Deus para sua nação, mas havia incontáveis profetas e sacerdotes que enganavam o povo, acalmando-os com um falso sentimento de segurança. Essa era a reclamação de Jeremias no versículo acima. 

Há algum tempo, um fabricante europeu de sorvetes produziu uma linha de picolés em sete diferentes variedades. A propaganda usava o conceito de nomeá-los segundo os “sete pecados capitais”: orgulho, cobiça, luxúria, ira, glutonaria, inveja e preguiça. Uma vez que a maioria da população não leva a sério o pecado no sentido bíblico, por que não se aproveitar disso para vender produtos?

Talvez seja demais esperar moralidade da indústria, mas as reações a tal campanha foram constrangedoras. As cartas de protesto tiveram do fabricante a seguinte resposta: “Essa ação publicitária foi discutida previamente com líderes religiosos, que nos asseguraram que a atitude da igreja no que se refere a condutas morais antes consideradas pecaminosas hoje é bem mais liberal e tolerante”.

O escândalo nisso é que as pessoas se atrevem a falar em nome de Deus, menosprezando o que o próprio Deus declarou em Sua Palavra acerca do pecado.

Consulte você mesmo a Bíblia e analise o padrão estabelecido nela. Depois decida conscientemente qual caminho seguir. Mas saiba que “é mais fácil passar o céu e a terra do que cair um til da lei [ou seja, de tudo aquilo que Deus disse]” (Lucas 16:17).

Abraços.
Vivam vencendo os pseudo-profetas.
Seu irmão menor.

Nenhum comentário:

Postar um comentário