08 agosto 2013

Mais uma aberração: NT Versão Restauração



Apareceu recentemente em nossa comunidade evangélica cearense uma tradução do Novo Testamento intitulada Versão Restaurada (chamarei daqui em diante de TNTVR) de distribuição gratuita pela Rhema Literature Distributors com notas de rodapé do Sr. Witnes Lee. Fundador do movimento chamado Igreja Local de Witness Lee. Mas apenas alertar ao povo de Deus que essa tradução tem comentários supostamente bíblicos. Mas que na verdade tendem a inclinar para algumas das heresias da referida seita.

Por isso, gostaria de apresentar umas das páginas onde atuam tais heresias. E advertir os irmãos ao cuidado na leitura do seu rodapé e da distribuição dessa literatura em suas igrejas. Vejamos:

Página 599, TNTVR comentário sobre Romanos 5.12
“... O pecado não é meramente uma ação; é como se fosse uma pessoa... deve ser a natureza maligna de Satanás, o maligno, que, tendo-se injetado no homem mediante a queda de Adão, torna-se agora a natureza pecaminosa que habita, age e trabalha no homem. A natureza pecaminosa e personificada que habita no interior do ser humano...”.

Página 608, TNTVR comentário sobre Romanos 7.8
Este capítulo, especialmente neste versículo e nos versos 11, 17, 20, indica que o pecado é uma pessoa, a corporificação de Satanás, e está vivo e ativo dentro de nós.

Página 609, TNTVR comentário sobre Romanos 7.18
“... Deus criou o corpo do homem como um vaso puro, mas esse vaso foi corrompido e transmutado na carne pelo fato de Satanás ter-se injetado nele quando a queda ocorreu. Agora Satanás, como o pecado personificado, está na carne do homem, fazendo ali seu lar e assenhoreando-se como amo ilegal, dominando o homem e forçando-o a fazer coisas que não gosta...”.

Página 610, TNTVR comentário sobre Romanos 7.23
“A lei do pecado e da morte que está nos membros do crente (v.23), isto é, no seu corpo, procede de Satanás que, como pecado, habita na sua carne...”

Página 611, TNTVR comentário sobre Romanos 7.25
“A lei do pecado, o pecado e o mal são sinônimos e denotam Satanás, que habita no corpo caído do homem”.

Corrigindo a má interpretação:

Sobre o texto de Romanos 5.12 é muito claro, o apóstolo Paulo está apenas declarando que o pecado entrou no mundo e junto com ele veio a morte. É só ver o contexto (Rm.6.23). Dizer que o pecado é mais do que uma ação é afirmar o que a Bíblia não está dizendo. O pecado é somente uma ação do homem caído que, pela desobediência no Éden, tornou-se pecador. Isto é, praticante do pecado. Inclinado continuamente para fazer o mal (ver Gn.6.5). O ser humano foi criado por Deus com santidade apenas em sua natureza, contudo,  não tinha desenvolvido essa santidade no seu caráter. E para isso Deus colocou no meio do jardim do Éden a prova para aperfeiçoá-lo: o fruto da árvore da ciência do bem e do mal (Gn.2.9). Uma vez que este pensa, raciocina e faz escolhas, Deus o criador colocou uma lei para que o homem obedecesse e assim sua santidade natural desenvolvesse em seu caráter (Gn.2.17). Se Adão e Eva obedecem ao mandamento, tão questionado por Satanás transfigurado de serpente, eles passariam para todas as gerações a natureza santa. Contudo, conforme nos conta Gênesis capítulo 3, o homem não obedece ao mandamento divino, e assim seu caráter se torna pecaminoso ao invés de santo. E conseqüentemente sua natureza (espírito, alma e corpo) tornou-se pecaminosa. Isto é, inclinados para pecar.

Assim, Satanás não foi “injetado” no homem. O que aconteceu com o homem foi que ele “tornou-se” pecador. Paulo disse que o pecado “entrou” figurativamente. Para evidenciar que o criador não fez o homem pecador; que o pecado veio depois. A palavra grega “eiserchomai”, que se traduz “entrou” é usada também como metáfora “de ingresso em alguma condição, estado das coisas”.

Sobre o texto de Romanos 7.8 Witness Lee com esses comentários bíblicos atinge várias doutrinas bíblicas da ortodoxia cristã. Ele fere: a doutrina do pecado, a doutrina do homem e a doutrina dos anjos. Atropela a hermenêutica bíblica e ainda levanta uma velha heresia: o gnosticismo. Paulo não está afirmando que o pecado seja uma pessoa. Se fosse a Bíblia diria. O pecado é a tendência natural (após a queda) para o erro. O pecado é a ação errônea do homem em relação a vontade de Deus. O pecado não está corporificado de Satanás. E o homem não teve sua natureza satânica. Ele tem a natureza pecaminosa. O apóstolo Paulo usa um tipo de antropomorfismo para com o pecado em todo o capítulo 7 de Romanos. Observe que exceto o v.2 (que se refere ao “marido”) em mais parte alguma deste capítulo o apóstolo usa a primeira pessoa do singular (ele) para o pecado. Por isso o pecado não é uma pessoa e nem considerado como Satanás neste trecho. Aliás, o nome Satanás só aparece uma única vez na carta de Romanos inteira (Rm.16.20). Como pode Witness Lee personificar o pecado como Satanás se o apóstolo Paulo nem se quer menciona no capítulo? Isso é que é imaginação! O texto está apenas dizendo que o pecado veio a se tornar mais apetitoso com a vinda dos mandamentos. Por ser o homem caído tendencioso para pecar. No que o mandamento dizia “não” sua natureza pecaminosa estimulava a desobedecer.

Sobre o texto de Romanos 7.18 de forma alguma o homem se corrompeu por causa do Diabo. Ele se corrompeu por causa de sua desobediência. Witness Lee faz uma lambança aqui. Pois ele transfere a responsabilidade humana por sua desobediência para Satanás. Ora, se Satanás faz da carne humana seu lar e domina o homem, já não é este quem peca, mas o amo que o faz pecar. Isso é um absurdo. A Bíblia nos diz que o pecado é transgressão da lei (ver 1Jo.3.4) e que essa transgressão cometida pelo homem, o verdadeiro responsável, gerou uma dívida que foi cancelada por Jesus na cruz (ver Cl.2.14). Ora, se Cristo cancelou uma dívida que nós tínhamos, Satanás não tem nada de senhor ou amo ou que nos força-se a pecar. Quem fez a dívida? Lógico que foi o homem. O pecado foi e é somente uma ação do responsável por ela: o ser humano. O diabo é o “tentador” (1Ts.3.5) e somos tentados por nossa própria cobiça (Tg.1.14) e não forçados e dominados por Satanás para pecar. O apóstolo Paulo está apenas afirmando que em sua natureza pecaminosa, que ele chama de “carne”, tradução da palavra original “sarx”, foi e é contaminada pelo pecado. Todo o ser do homem: espírito, alma e corpo. É afetado pelo pecado (ver 2Co.7.1 e Rm.6.12,13). Não fosse assim, Paulo não teria declarado: “O mesmo Deus da paz vos santifique em tudo; e o vosso espírito, alma e corpo sejam conservados íntegros e irrepreensíveis na vinda de nosso Senhor Jesus Cristo”. (1Ts.5.23). Devemos ter cuidado com a palavra grega “sarx” que traduzimos para carne. Pois é uma palavra polissêmica. Pode significar “corpo”, “criatura” e “natureza humana pecaminosa”. Quando Paulo diz “minha carne” não se deve entender que ele diz “meu corpo”. Até mesmo porque já existe uma palavra grega específica para dizer “corpo” que é “soma”. Paulo não usou “soma” usou “sarx”. Assim, ele estava se referindo ao ser inteiro do homem, a criatura humana, de natureza pecaminosa e não apenas ao corpo. Esse pensamento de Witness Lee é influenciado pelo gnoticismo antigo que negava o mundo espiritual possuir maldade. Observe isso nos comentários que ele fez de Romanos 7.23 e 25. Onde veremos a seguir.

Sobre o texto de Romanos 7.23 é uma heresia afirmar que Satanás habita no corpo do crente. Isso porque a interpretação de “carne” como ser “corpo” é um equívoco linguístico de Witness Lee. Pois como já falei acima o que atua no ser humano e reflete em seus membros é o pecado que, como diz o autor aos hebreus: “que tenazmente nos assedia” (Hb.12.1). 

Satanás não é o pecado. Vejamos a diferença:

Satanás: criatura de Deus. Um anjo caído.
Pecado: ação errônea do homem (e dos anjos que caíram) em relação a vontade de Deus. Surgiu na rebelião de Satanás e que seduziu também o homem.
Satanás: tentador.
Pecado: dominador do homem e dos anjos. (Jo.8.34).
Satanás: ser pessoal.
Pecado: coisa, impessoal.
Satanás: governa os demônios
Pecado: governa anjos (caídos, Satanás) e os homens
Satanás: age no exterior da humanidade. Podendo agir no interior se lhe for dado lugar.
Pecado: age no interior da humanidade. O homem degenerado não tem controle sobre o pecado. Ele precisa nascer de novo para que possa reagir ao pecado. (Rm.6.14).
Satanás: pode colocar enfermidades na humanidade.
Pecado: responsável direto por todas as enfermidades.

Assim, o que Paulo quis dizer no verso comentado erroneamente por Witness Lee é que o pecado inserido na natureza humana o empurra a pecar. E que essa “lei do pecado” o seduz para o erro, confrontando com a lei divina que está em sua mente. Todavia, seus membros obedecem outra lei: a natureza pecaminosa que está sediada em sua alma: “Mas o que sai da boca vem do coração, e é isso que contamina o homem. Porque do coração procedem maus desígnios, homicídios, adultérios, prostituição, furtos, falsos testemunhos, blasfêmias”. (Mt.5.18,19).

Sobre o texto de Romanos 7.25 é uma continuação insistente da heresia. Contudo, vou encerrar aqui com algumas outras passagens bíblicas, pois o melhor remédio para heresia chama-se CONTEXTO. Vejamos:

“Não sabeis que sois santuário de Deus e que o Espírito de Deus habita em vós?” (1Co.3.16). Como pode o cristão ser santuário de Deus e nesse “santuário” (corpo) habitar Satanás?

“De novo, lhes falava Jesus, dizendo: Eu sou a luz do mundo; quem me segue não andará nas trevas; pelo contrário, terá a luz da vida”. (Jo.8.12). Jesus garante que todo aquele que o segue não andará em trevas. Paulo disse que Jesus nos libertou do império das trevas (Cl.1.13). Ora, esse “império” e essas “trevas” denotam Satanás e aqui está dito que não andamos mais em trevas e que Jesus nos libertou das trevas.

Portanto, Satanás não habita no corpo do cristão e o que Paulo estava querendo dizer em Romanos 7.25 foi que sua mente sabe e conhece da lei divina, mas seus membros estão sujeitos ao pecado sediado em sua alma. Ele descreve a situação do homem tentado se justificar através da lei divina, mas não consegue. Ele precisa de Cristo, o único varão que cumpriu a lei. Por isso ele inicia o capítulo 8.1 dizendo: “Agora, pois, já nenhuma condenação há para os que estão em Cristo Jesus”. Paulo revela “agora” uma situação diferente, onde é possível o homem ser salvo, mas por intermédio de Jesus e não da observância de mandamentos. Embora úteis para a admoestação, porém inúteis para a salvação (ver Hb.7.18). Mais atrás ele diz: “Porque o fim da lei é Cristo, para justiça de todo aquele que crê”. (Rm.7.14).

ICP

Nenhum comentário:

Postar um comentário