22 agosto 2013


PERSEGUIÇÃO BRUTA - Camarões fecha 50 igrejas pentecostais



O governo camaronês alega que os pastores realizam “práticas criminosas” como prometer falsos milagres e cita morte de uma menina de 9 anos em culto como justificativa.

Paul Biya, o presidente do país do Oeste Africano, disse que os fechamentos são uma tentativa de impedir que os pastores pentecostais realizem “práticas criminosas” que supostamente ameaçam a segurança nacional dos Camarões.

Até o momento, pelo menos 50 igrejas já foram fechadas por funcionários do governo, mas fechamento de mais igrejas estão em andamento.

Funcionários camaroneses, afirmam que essas igrejas pentecostais são uma ameaça para o seu país devido a tentativas de curas falsas e outras atividades espirituais controversas. O governo esta usando como exemplo de justificativa para o fechamento das igrejas a morte de uma criança de 9 anos, durante uma sessão de oração no último domingo, quando um pastor pentecostal estava tentando expulsar os demônios de seu corpo.

Mbu Anthony Lang, um funcionário do governo em Camarões, disse à CNN que apenas 50 das 500 igrejas pentecostais em seu país são tecnicamente legal.

“Vamos nos livrar de todos os pastores cristãos pentecostais que fazem mau uso do nome de Jesus Cristo, prometendo falsos milagres que matam cidadãos em suas igrejas”, é promessa “, disse Lang.

De acordo com pesquisa da Operation World (Operação Mundo), 54% dos 20 milhões de habitantes dos Camarões se dizem cristãos. 800 mil camaroneses são cristãos pentecostais, mas esse número está crescendo a uma taxa anual de cerca de 7%.

Embora o país seja tecnicamente uma nação secular, a Constituição do Camarões prevê a liberdade de religião, e diz: “que garante a liberdade de religião e de culto”.

“Toda pessoa tem direito à liberdade de pensamento, consciência e religião”, diz a Constituição. “Este direito inclui a liberdade de mudar de religião e liberdade de crença, seja individualmente, em comunidade, em público ou privado, de também manifestar essa religião ou crença, pelo ensino, pela prática, pelo culto e pelos ritos.”

Bonifacio Tum, um bispo da Igreja Camaronesa de Deus, disse a CNN que a repressão do governo contra igrejas cristãs viola os direitos humanos básicos.

“Autorizando só Católica, Presbiteriana, Batista, muçulmano, e algumas outras igrejas, é uma violação estrita do direito à religião”, disse Tum.

Fonte: InforGospel

Nenhum comentário:

Postar um comentário