17 agosto 2013


TODOS OS CAMINHOS LEVAM A DEUS? 

A grande mentira que o diabo plantou no coração da humanidade, foi exatamente a de que há várias formas de se chegar até Deus. Qualquer religião serve.
Deus é bom, e não vai mandar ninguém para o inferno.
É certo que Deus é bom, e não quer que nenhum homem se perca, antes quer que todos se arrependam e venham a ter pleno conhecimento da verdade.
E a verdade Bíblica é: "Disse Jesus: Eu sou o Caminho, a Verdade e a Vida. Ninguém vem ao Pai, senão por mim" (João, 14:6).
Você prestou atenção no artigo destacado? 
O Caminho.
Não é um caminho.
Não é um dos caminhos.
É o único caminho.
É o único jeito.
É a única maneira para o homem chegar a Deus.
Preste atenção nisso. Não se deixe enganar.
Procure reconciliar-se com Deus, através de Jesus Cristo.
Deus quer que você passe a eternidade com Ele, mas se você virar as costas ao Seu Filho, Ele vai virar as costas para você e você será condenado a viver a eternidade inteira 'fritando' no mármore do inferno, eternamente afastado da presença e da comunhão com o Deus Santo e Criador de todas as coisas.
 Muitas pessoas concluem que tem de haver muitos caminhos para Deus (ou agem dessa forma, uma visão chamada Pluralismo Religioso) porque as suas experiências sociais os levam a conhecer pessoas amáveis e respeitáveis que não acreditam que Jesus é o único caminho para Deus. Em seguida, examinamos a afirmação de que o pluralismo religioso é mais esclarecedor ou educado. Neste post, vamos pesar se a reivindicação do pluralismo religioso é ou não mais humilde do que a de Jesus.

O pluralismo religioso é mais humilde?

Apesar das diferenças muito claras entre quem é Deus e como alcançá-Lo, os pluralistas religiosos continuam em insistir que existem muitos caminhos até Deus. Por que pessoas educadas continuariam insistindo em uma visão imprecisa de outras religiões? Uma das razões principais é porque elas acreditam que isso é um ato de humildade e amor.
Muito frequentemente, ouço as pessoas dizerem: “Quem sou eu para  julgar a religião de alguém, para dizer a eles que estão errados?”. Isso implica, naturalmente, que manter Jesus como o único caminho até Deus é arrogante. Eu serei o primeiro a admitir que existem cristãos irados e arrogantes que, rudemente, insistem que Jesus é o único caminho até Deus. Eu gostaria de pedir desculpas por tal tipo de cristãos. Arrogante insistência em sua crença, na verdade, vai contra a vida e os ensinamentos de Jesus. De qualquer forma, só porque alguém é arrogante não significa também que está errada.

Arrogância e Humildade

As pessoas podem estar arrogantemente certas sobre todo o tipo de coisas – matemática, ciências, religião. Você, provavelmente, trabalha com alguém assim (você pode dizer Dwight Schrute?). As pessoas arrogantemente certas sempre falam com as outras com um ar de orgulho por terem a resposta certa. Isso pode não ser legal, mas não significa que estejam erradas.
E para todos os cristãos que são arrogantes sobre as afirmações exclusivistas de Jesus, existem muito mais cristãos que consideraram ardentemente as outras religiões, procuraram encontrar a verdade, e, humildemente, chegaram a conclusão de que Jesus estava dizendo a verdade quando disse: “Eu sou o caminho, e a verdade e a vida; ninguém vem ao Pai, senão por mim” (Jo 14.6). Isso não os torna arrogantes, torna-os autênticos. Eles desejam ficar com aquilo que descobriram ser verdade. Há um caminho humilde e um arrogante para insistir na afirmação de que Jesus é o único caminho que leva a Deus. Insistir naquilo que é verdade não os torna arrogantes. Afinal de contas, foi Jesus quem disse isso, e Jesus é essencialmente humilde, especialmente se ele for quem ele disse que é.

A arrogância oculta do pluralismo religioso

Quando o pluralismo religioso diz que existem muitos caminhos até Deus, isso não é humilde. Isso, na verdade, carrega um ar de arrogância. Como? O pluralismo religioso exclusivamente insiste que essa visão – de que todos os caminhos levam a Deus – é verdade, enquanto todas as outras religiões são falsas nos seus ensinamentos exclusivos. O pluralismo religioso insiste, dogmaticamente, na sua própria exigência de exclusividade, ou seja, que todos os caminhos levam a Deus.
O problema, como vimos, é que essa afirmação contradiz diretamente muitas religiões como o islamismo, o hinduísmo, o judaísmo e o cristianismo. A afirmação do pluralista religioso é arrogante porque reforça a própria crença acima da dos outros. Ela diz às outras religiões: “Você tem  que acreditar no que eu acredito, não no que você acredita. O seu caminho não está certo, de fato, todos os seus caminhos estão errados e o meu está certo. Não existe apenas um caminho (incluindo o seu) para Deus, existem muitos. Você está errado e eu estou certo”. Isso pode ser incrivelmente arrogante, particularmente se a pessoa que diz isso não estudou com profundidade todas as religiões do mundo e faz essa afirmação cega. Baseado no que o pluralista religioso pode fazer essa afirmação exclusivista? Onde está a prova de que isso é certo? Para quais antigas escrituras, tradições e raciocínio cuidadosos eles podem apontar?

A falta de apoio histórico e racional torna o pluralismo religioso uma visão insustentável sobre o mundo e as religiões

A falta de apoio histórico e racional torna o pluralismo religioso uma visão insustentável sobre o mundo e suas religiões. Como pudemos ver, enquanto ele pode parecer uma visão mais clara e humilde sobre quem Deus é e sobre como alcançá-Lo, ele não é isso. No próximo post, nós vamos considerar o valor da tolerância.
Abraços.
Vivam vencendo!!!
Seu irmão menor.

Nenhum comentário:

Postar um comentário