23 dezembro 2013

Mandamentos Bíblicos Contra a Adoração Como os Pagãos 3


Considere os deuses ocultos camuflados no Dia dos Namorados:

1. Cupido, o filho de Vênus, é na realidade Tamuz, filho de Semíramis.
2. Vênus, filha de Júpiter, é na realidade a própria Semíramis. Júpiter é a deidade principal, um deus-sol — Ninrode, marido de Semíramis, é considerado o deus-sol nos mistérios babilônios.
Veja como um autor pagão descreve fevereiro, o mês em que cai o Dia de São Valentim (Dia dos Namorados nos EUA e em outros países): "O nome desse mês vem da deusa romana Februa e de Santa Febrônia (de Febris, a febre do amor). Ela é a padroeira da paixão do amor... O ritos orgiásticos dessa deusa eram celebrados em 14 de fevereiro — ainda observado como Dia de São Valentim — quando, nos tempos romanos, os homens jovens levavam bilhetes com os nomes de suas parceiras... Esse é o tempo de clara visão dentro de outros mundos, expresso por festividades de purificação. 1 de fevereiro é a celebração do dia da festividade do fogo (Imbolc), uma festa de purificação. É seguida no dia 2 por sua festa similar cristã, a Candelária, a purificação da Virgem Maria." (The Pagan Book of Days, Nigel Pennick, pág. 37).
O Dia dos Namorados é um dia de "ritos orgiásticos" em que os pagãos incentivavam o fluir das paixões sensuais.
2. Equinócio de Primavera: 13 semanas — Sabá menos importante, mas requer sacrifício humano.
a. 21 e 22 de março — A deusa Ostara (Ishtar, também se usa a ortografia "Eostre"), a quem a Páscoa [pagã, em inglês "Easter"] faz referência — 21 de março é uma das noites de sacrifício humano dos Illuminati.
A Páscoa pagã é uma data móvel que usa a prática comum da astrologia; é celebrada no primeiro domingo após a primeira lua nova após Ostara.
Essa data também não tem absolutamente nada que ver com a Páscoa judaica e nem com a ressurreição de Nosso Senhor Jesus Cristo! Em vez disso, esse dia na tradição pagã celebra o retorno de Semíramis em sua forma reencarnada da deusa da primavera. Os pagãos até mesmo têm um equivalente para a sexta-feira santa! É a "Sexta da Páscoa", e tem historicamente sido alocada na terceira lua cheia a partir do início do ano. Desde a associação da Páscoa pagã com a ressurreição de Jesus, a sexta-feira santa é fixada permanentemente na sexta-feira anterior à Páscoa.
A Páscoa pagã [Easter] está imersa nos mistérios babilônios, o mais maligno sistema idólatra já inventado por Satanás! Em todas as Escrituras proféticas, vemos Deus declarar seu julgamento final sobre a ímpia Babilônia! Todavia, a cada ano, pastores cristãos celebram a Páscoa como se fosse uma festividade cristã. Muitos pregadores batistas independentes estão começando a se referir a esse dia que celebra a ressurreição de Jesus como "Domingo da Ressurreição", de modo a fazer distinção dessa celebração pagã.
A deusa babilônia Ishtar é aquela a quem a Páscoa [Easter] se refere (Pagan Traditions of Holidays, pág. 9); na realidade, ela era Semíramis, mulher de Ninrode e a verdadeira fundadora dos mistérios satânicos babilônios. Depois da morte de Ninrode, Semíramis criou a lenda de que ele era na realidade seu filho divino, que nasceu quando ela ainda era virgem. Semíramis é considerada co-fundadora com Ninrode de todas as religiões ocultistas.
A Páscoa pagã [Easter, em inglês] — o Dia de Ishtar — é celebrada amplamente em várias culturas e religiões do mundo.
  1. Babilônia — Ishtar (Easter), também chamada Deusa da Lua
  2. Católicos — Virgem Maria (Rainha dos Céus)
  3. Chineses — Shingmoo
  4. Druidas — Virgo Paritura
  5. Egito — Ísis
  6. Efésios pagãos — Diana
  7. Etruscos — Nutria
  8. Alemães (antigos) — Herta
  9. Gregos — Afrodite / Ceres
  10. Índia — Isi / Indrani
  11. Judeus apóstatas antigos — Astarte (Rainha dos Céus)
  12. Krishna — Devaki
  13. Roma — Vênus / Fortuna
  14. Escandinavos — Disa
  15. Sumérios — Nana ("America's Occult Holidays", Doc Marquis and Sam Pollard. pág. 13)
Os babilônios celebravam o dia como o retorno de Ishtar (Easter), a deusa da Primavera. Esse dia celebrava o renascimento, ou reencarnação, da Natureza e da deusa da Natureza. De acordo com a lenda babilônia, um grande ovo caiu dos céus no rio Eufrates e a deusa Ishtar (Easter) eclodiu de dentro dele. Mais tarde, surgiu uma versão que incluía um ninho, em que o ovo pôde ser incubado até eclodir. Um cesto de palha ou vime era produzido para colocar o ovo da Páscoa [o ovo de Ishtar].
A Procura do Ovo de Páscoa Escondido foi criada porque, se alguém encontrasse o ovo enquanto a deusa estava "renascendo", ela concederia uma benção especial ao felizardo! Como essa era uma festividade alegre da primavera, os ovos eram pintados com as brilhantes cores da primavera. [Ibidem].


O Coelho da Páscoa
 "O totem da deusa, a lua-lebre, punha ovos para as crianças comportadas comerem... a lebre da Páscoa era a forma como os celtas imaginavam a superfície da lua cheia..." (Pagan Traditions of Holidays, pág. 10). Não precisa me dizer que as lebres não botam ovos, porque sei isso muito bem; estamos lidando com uma lenda aqui, e com uma lenda ocultista. Tradicionalmente, essas lendas brincam com os fatos reais.
Assim, "Easter" — Eostre ou Ishtar — era uma deusa da fertilidade. Visto que o coelho é uma criatura que procria rapidamente, simbolizava o ato sexual; o ovo simbolizava "nascimento" e "renovação". Juntos, o coelho da Páscoa e o ovo de Páscoa simbolizam o ato sexual e o que nasceu deles, Semíramis e Tamuz.
Assim, é realmente uma questão espiritual muito séria quando as igrejas cristãs incorporam os "Ovos da Ressurreição" como parte da celebração da Páscoa. Na melhor das hipóteses, essas igrejas estão confundindo as mentes de suas preciosas crianças, obscurecendo a linha divisória entre os símbolos pagãos e seus significados e o significado cristão do Dia da Ressurreição. As crianças que participam dos "Ovos da Ressurreição" na igreja serão condicionadas mais tarde em suas vidas a aceitarem a tradição pagã que revolve em torno dos mesmos símbolos.
No pior caso, a igreja que participa na tradição da Páscoa pagã promovendo os "Ovos da Ressurreição" e talvez uma Procura ao Ovo de Páscoa Escondido, é culpada de combinar o cristianismo com o paganismo, um coquetel letal que o Senhor Jesus rejeitará! Lembre-se de nosso verso-chave:
"Por isso saí do meio deles, e apartai-vos, diz o Senhor; e não toqueis nada imundo, e eu vos receberei, e eu serei para vós Pai e vós sereis para mim filhos e filhas, diz o Senhor Todo-Poderoso." [2o. Co. 6:17,18].
Se sua igreja usa os "Ovos da Ressurreição", você deve considerar desligar-se dela imediatamente; se o pastor titular é liberal o suficiente para permitir os "Ovos da Ressurreição" na celebração do Dia da Ressurreição, então provavelmente também é liberal nas doutrinas e na teologia, mas pode não ser o suficiente para você perceber isso.
Outros Ingredientes Pagãos

Oferendas de Páscoa — São derivadas da tradição em que os sacerdotes e sacerdotisas traziam oferendas para os templos pagãos para a deusa da primavera, Ishtar. Eles traziam flores frescas da primavera e doces para colocar no altar do ídolo da deusa que adoravam. Eles também assavam um bolo de passas, decorando-o com cruzes para simbolizar a cruz de Wotan, ou algum outro deus pagão; essas cruzes não eram originalmente a cruz de Jesus Cristo. Esse é outro caso em que Satanás falsificou uma tradição pagã que poderia mais tarde ser passada como "cristã" em uma igreja seriamente comprometida com a sincretização.
De fato, o primeiro caso de Bolo de Frutas Secas pode ser rastreado até cerca de 1500 AC, até Cecrops, o fundador de Atenas (Marquis, pág. 18). Nas celebrações do Velho Testamento no Israel apóstata, vemos mulheres irritando a Deus porque assavam esses bolos para oferecê-los em adoração à Rainha dos Céus [Jeremias 44:17-18 e Oséias 3:1]. A nota de rodapé para esse título "Rainha dos Céus" no Amplified Bible Commentary diz: "Uma deusa da fertilidade, provavelmente o título babilônio para Ishtar. Ela é identificada com o planeta Vênus. As oferendas para essa deusa incluíam bolos feitos na forma de uma estrela". Mais tarde os pagãos usaram não só a forma da estrela Pentalfa como também o bolo de frutas secas.
Outra oferenda popular a Ishtar eram as roupas novas, feitas ou compradas! Os sacerdotes usavam seus melhores trajes, enquanto as virgens vestais usavam vestidos brancos novos. Elas também usavam algo para cobrir as cabeças, como chapéus de palha ou toucas de tecido e muitas se adornavam com grinaldas de flores da primavera. Elas carregavam cestos de vime cheios de doces e alimentos para oferecerem aos deuses pagãos.
Serviços de Páscoa ao nascer do sol — Eram iniciados pelos sacerdotes que serviam à deusa babilônia Ishtar para simbolicamente apressar a reencarnação de Ishtar/Easter. Uma vez mais, vemos como Satanás sabia que a ressurreição de Jesus da sepultura seria descoberta nas primeiras horas do nascer do sol, e que a igreja cristã quereria realizar serviços religiosos cedo de manhã para celebrar. Satanás e seus demônios sabiam e acreditavam na Palavra de Deus e em suas profecias literalmente, e foi-lhes concedido certo conhecimento prévio. Exatamente como Satanás falsificou o nascimento divino de um menino de uma mãe virgem mais de mil anos antes de Jesus realmente nascer, assim também falsificou o serviço de adoração bem cedo de manhã, ao nascer do sol.

Quaresma — É puramente pagã, e ainda assim foi aceita pela Igreja Católica Romana e pelas igrejas cristãs apóstatas como "cristã". Se a igreja que você freqüenta celebra a Quaresma, você precisa informar ao pastor titular das raízes pagãs dessa tradição; se ele não der ouvidos, considere desligar-se dessa igreja, porque se eles aceitam a Quaresma como cristã, você pode apostar que são liberais em áreas críticas da Bíblia também.
A Quaresma é uma celebração da morte de Tamuz; a lenda diz que ele foi morto por um javali selvagem aos quarenta anos. Portanto, a Quaresma celebra um dia para cada ano de vida de Tamuz (America's Occult Holidays, de Doc Marquis e Sam Pollard). Os participantes deviam expressar seu pesar pela morte precoce de Tamuz pranteando, jejuando e se autoflagelando.

A Quaresma era celebrada por exatamente quarenta dias antes da celebração à deusa Ishtar/Eostre [a Páscoa pagã] e outras deusas pelas seguintes culturas: babilônios, católicos romanos, curdos, mexicanos, Israel antigo e, hoje, também pelas igrejas protestantes liberais e apóstatas.
Podemos ver a ira de Deus sobre essa celebração da Quaresma em Ezequiel 8:14-18; o julgamento de Deus sobre essa comemoração é descrito em Ezequiel 9, um capítulo que sugerimos que você leia atentamente, porque Deus declara que punirá de modo similar qualquer nação que não ouvir e obedecer seus mandamentos [Jeremias 12:17].

b. 1 de abril — Dia da Mentira, precisamente 13 semanas desde o ano novo!
c. 19 de abril a 1 de maio — Sacrifício de Sangue à Besta, um período crítico de treze dias. Sacrifício de fogo é requerido em 19 de abril.
19 de abril é o primeiro dos treze dias de ritual satânico relacionado com o fogo — o deus do fogo, Baal, ou Moloque/Ninrode (o deus-sol), também conhecido como o deus romano Saturno (Satanás/Diabo). Esse dia é um dos dias mais importantes de sacrifício humano, e requer sacrifício de fogo com ênfase em crianças. Por causa disso, alguns eventos históricos muito importantes ocorreram nesse dia.

 Lembre-se, os Illuminati consideram a guerra como sendo um dos meios mais propícios para o sacrifício, porque ela mata tanto crianças quanto adultos.

Algumas datas históricas muito importantes que foram programadas para ocorrer nesse dia de sacrifício de sangue foram:

(1) 19 de abril de 1775 — Batalha de Lexington & Concord, que tornou inevitável a Guerra Revolucionária Americana, conduzida pelos maçons.
(2) 19 de abril de 1943 — Após encurralar os últimos combatentes judeus da Resistência em um dreno formado pela chuva em Varsóvia, e mantê-los presos por vários dias, soldados nazistas da Tropa de Choque começaram a lançar fogo em cada extremidade do dreno, usando lança-chamas. Eles continuaram a lançar fogo no dreno até que todos os combatentes estivessem mortos. Sacrifício de sangue produzido por uma conflagração.
(3) 19 de abril de 1993 — 50 anos depois, no mesmo dia, tropas do governo, tanques e outros equipamentos militares atacaram o complexo de David Koresh e seus seguidores em Waco, no Texas. Certamente, essa operação cumpriu os requisitos para um sacrifício humano: trauma, fogo e vítimas sacrificiais jovens.
(4) 19 de abril de 1995 — Atentado à bomba em Oklahoma — Uma vez mais, muitas crianças foram mortas nesse dia.
19 de abril de qualquer ano no século XX é um dia para ser observado com temor, porque parece que, enquanto nos aproximamos mais do fim dos tempos, Satanás está se tornando cada vez mais audacioso e usa o 19 de abril com maior freqüência.
d. 30 de abril a 1 de maio — Festival de Beltaine, também chamado de Noite de Walpurgis. Este é o dia mais importante no calendário dos feiticeiros druidas, enquanto Primeiro de Maio é o segundo feriado mais sagrado dos Illuminati. Sacrifício humano é requerido. Visto que essa celebração oficialmente começou com a noite antes de Beltaine, surgiu a tradição entre os ocultistas de celebrar Beltaine em dois dias. Esta tradição foi forte o bastante para Adolf Hitler decidir se matar em 30 de abril às 3:30 da tarde, criando assim um 333 e colocando seu sacrifício por suicídio dentro da estrutura de tempo de Beltaine.
Grandes fogueiras são acesas na véspera de Beltaine, a fim de dar boas vindas à deusa da Terra. Os participantes esperam ganhar o favor dessa deusa para que ela abençoe suas famílias com fertilidade procriativa. Achamos interessante que a Casa Real de Windsor (família real britânica) acenda uma "Fogueira" de Beltaine todo ano (America's Occult Holidays, de Doc Marquis and Sam Pollard, pág. 30).
O mastro enfeitado com flores e fitas originou-se da celebração de Beltaine. Visto que a fertilidade está sendo pedida à deusa da Terra, o mastro enfeitado é o símbolo fálico e a dança circular em torno dele forma o círculo que simboliza do órgão sexual feminino. Fitas de dois ou três metros, vermelhas e brancas alternadas são presas na ponta do mastro; os homens dançam no sentido anti-horário, enquanto as mulheres dançam no sentido horário. A união das fitas vermelhas e brancas entrelaçadas simbolizava o ato da cópula — lembre-se, esse é um dia de celebração da "fertilidade"!
Para demonstrar seus vínculos ocultistas e Iluministas, os comunistas celebraram o Dia do Trabalho em Primeiro de Maio. Se você não sabe como os Illuminati criaram o comunismo, e para que propósito, precisa ouvir as fitas do Seminário 2, "America Determines The Flow of History". 

Continuaremos amanhã...

Abraços.

Vivam vencendo '...o pecado que de tão perto nos assedia' 

Seu irmão menor.




Nenhum comentário:

Postar um comentário