12 dezembro 2013

VÍDEO: Ativistas pró-aborto, gays e feministas agridem cristãos que oravam em igreja durante protesto

VÍDEO: Ativistas pró-aborto, gays e feministas agridem cristãos que oravam em igreja durante protesto

A defesa da liberdade de crença e do patrimônio de uma igreja resultou em imagens de agressões físicas e verbais por parte de ativistas gays, feministas e defensores do aborto na Argentina.


Um protesto organizado pelo grupo de feministas pró-aborto vandalizou o templo da igreja Católica com pichações que acusavam os cristãos de impor seus princípios à sociedade e impedir a liberação do aborto.



Os fiéis da igreja fizeram uma corrente em torno do templo para evitar mais danos, e passaram a orar enquanto eram agredidos com palavrões, cusparadas e pichações em seus rostos e roupas.



O vídeo se tornou viral internacional e diversos veículos de imprensa em todo o mundo destacaram a intolerância das feministas, que praticavam atentados ao pudor de diversas maneiras.



As imagens mostram as manifestantes com os seios desnudos, trocando carícias e até, praticando sexo oral na rua, no meio do protesto, e sob o som de palavras de ordem contra a fé cristã e a favor do aborto.



Além da violência contra os fiéis, as manifestantes queimaram símbolos religiosos e até, imagens do papa Francisco, o cardeal argentino Jorge Mario Bergoglio eleito pontífice esse ano.


O vídeo contém cenas fortes de nudez, agressões físicas e verbais, carícias homossexuais e desrespeito. Se não for interessante para você, não o assista:


Por Tiago Chagas

Comentário de Wáldson: Isso é chocante! Uma aberração mesmo.
Como ver isso e ficar calado? Até onde vai um grupo de gente que quer ser respeitada, mas não respeita os outros?

Vejo demônios nessas mulheres...
Independente do que reivindicam, a atitude foi muito além do que chamaríamos de 'protesto'.

Vejam bem: Há aproximadamente 30 anos começou um movimento anarquista de ideologia liberal (libertina) com a finalidade de desestruturar a paz, a ordem, o pudor, a ética (respeito e vergonha), para dar início a um novo capítulo em nossa história: a libertinagem onde não haja lei que proíba, só libere. E assim, estamos caminhando para o caos. Este grupinho não está fazendo isso por conta própria, porém está muito bem amparado por partidos políticos militantes e simpatizantes dessa causa perdida. Tem gente poderosa por tras patrocinando tudo isso.

 Isso é uma afronta aos direitos e liberdades individuais. As imposições atuais relacionadas à políticas de Direitos Humanos parecem ter sido criadas apenas pra proteger quem não respeita direitos alheios. É pra se pensar o porque de dar tanto poder à esses grupos "defensores de direitos humanos" como GLBTQ, feministas, etc. 

Aqui no Brasil vivemos uma situção semelhante: o Movimento GLBT e seus similares, vêm tentando a todo custo, fazer aprovar a PL 122. Temos o Deputado Jean Willys que encabeça toda uma revolta contra os que pensam diferente dele(os cristãos- evangélicos e católicos), além de terem a Ministra da Cultura, Marta Suplicy, como madrinha do Movimento que continuamente atua para que a PL 122 seja aprovada com a força que ela desejaria.

Alguém com muita propriedade escreveu:

"O Jean Wyllys não gosta de democracia.

O negócio dele é ditadura gayzista.

Os ativistas gays são intolerantes por natureza.

Eles não conseguem viver e deixar viver quem pensa diferente.

Esse lixo de lei já demorou pra ser sepultada...

Quem mata gay não são os evangélicos, mas quem persegue os evangélicos, xinga, bate neles, SÃO OS GAYS.

Estamos num estado laico, então deveria existir uma lei para punir mais rigorosamente os gays que tentar ridicularizar cultos e símbolos de crença, os mais diversos e que agem com violência com os seus fiéis.

Dai sim a coisa vai entrar na rota correta.

Eles agem como bandidos e querem ser heróis". 

Abraços.

Vivam vencendo as imposições do pecado que, de forma truculenta tenta fazer-nos ceder de nossas convicções e fé!!!

Seu irmão menor.


Nenhum comentário:

Postar um comentário