25 fevereiro 2014

Projeto de lei deve IMPLANTAR chip em pedófilos. Teste da 'marca' começará em criminosos?


Sem dúvidas nenhuma, deve haver tolerância zero para pedófilos. Mas quem enxerga além do óbvio logo identifica: O chipamento humano se inicia como sendo "solução" para um problema, e depois será estabelecido para todos, inclusive para os "inimigos de estado", que se opõem à Nova Ordem Mundial, é a famosa manipulação pela regra de três: Ação, Reação, Solução... Acostumam o povo a ver esta ideia como algo bom, como "solução de segurança para um mundo melhor"...

Conforme a proposta, os equipamentos deverão ser a prova de qualquer tipo de violação. Se algum dano for identificado pela central de equipamentos isso gerará imediata expedição de ordem de prisão.

O projeto se baseia em pesquisas que apontam que a probabilidade de um pedófilo voltar a abusar é de 80 a 90%.

Em Mato Grosso, os condenados por crimes ligados a pedofilia poderão ser obrigados a usar um chip para que a Segurança do Estado possa monitorar sua locomoção. A proposta é de um projeto de lei da deputada estadual Luciane Bezerra (PSB). De acordo com a parlamentar, o objetivo é evitar a alta reincidência destes criminosos na prática de abusos. 

“É preciso mapear passo a passo estes doentes para tentar evitar que novas crianças sejam atingidas”, defende. 

O projeto se baseia em pesquisas que apontam que a probabilidade de um pedófilo voltar a abusar é de 80 a 90%. 

Conforme a proposta, os equipamentos deverão ser a prova de qualquer tipo de violação. Se algum dano for identificado pela central de equipamentos isso gerará imediata expedição de ordem de prisão. Também é prevista a criação de uma central de monitoramento para acompanhar os passos dos pedófilos, quando estiverem em liberdade. 

“Apresento esta proposta, que já é lei em São Paulo, porque acredito que a pedofilia é uma doença, e como nosso sistema de saúde é muito precário para mais esta demanda, vamos monitorar estes doentes”, ressaltou. 

NÚMEROS DA PEDOFILIA 

A violência sexual afeta cerca de 12 milhões de pessoas em todo o mundo. De acordo com estatísticas do SUS, as crianças de até nove anos de idade são as maiores vítimas, representando 59,1% do total de registros. 

Fonte: Repórter MT

Nenhum comentário:

Postar um comentário