26 março 2014

TEOLOGIA DA MISSÃO INTEGRAL(TMI) E RENATO VARGENS

Comentário de Julio Severo: Desde o lançamento um ano atrás do meu e-book contra a Teologia da Missão Integral (TMI), essa teologia vem sendo sistematicamente denunciada por escritores, sites e blogs. A pressão contra a TMI tem sido tão grande que até líderes calvinistas que sempre andaram muito bem na companhia dos promotores da TMI estão agora denunciando essa teologia. O exemplo mais recente é o Pr. Renato Vargens, que já foi citado no meu blog por recomendar “apóstolos” e sites da TMI, mas que agora, de forma inédita, sai ao ataque direto da TMI.

Pr. Renato Vargens
Vargens disse: “Ultimamente tenho sido inquirido por alguns sobre o que penso a respeito da Teologia da Missão Integral, até porque, um número grande de evangélicos influenciados por esse não tão novo conceito não falam de outra coisa em suas igrejas.”
Essa cobrança que ele e muitos outros pastores calvinistas estão recebendo sobre essa teologia é fruto dos esforços de muitos que ultimamente estão combatendo a TMI, inclusive a Rádio Vox, o Mídia Sem Máscara, Edson Camargo, Rev. Alberto Thieme, Dr. Fábio Blanco e muitos outros. Quanto ao “número grande de evangélicos influenciados” pela TMI, Niterói, a cidade de Vargens que é um centro de calvinismo, é prova do domínio da TMI no meio calvinista.
Espero que o ataque dele a TMI não seja apenas uma atitude sob pressão, ou fogo de palha, pois a TMI se tornou a maior praga da Igreja Evangélica do Brasil, conforme apontei no meu artigo “A maior ameaça à Igreja Evangélica do Brasil.”
Apenas uma correção no texto de Vargens. Ele disse: “Penso que parte dos defensores da TMI adaptaram os ideais de Lausanne a uma Teologia latino Americana de cunho esquerdista e marxista.” Não, não foi isso o que aconteceu. Segundo o Dr. C. Peter Wagner, que esteve presente no primeiro Congresso de Lausanne em 1974 e escreveu a introdução do meu livro, teólogos protestantes tradicionais da América Latina foram a Lausanne com suas contaminações marxistas e conseguiram influenciar o documento final. Por isso, todo “apóstolo” da TMI cita Lausanne com alegria.
Seja como for, é bem-vinda a denúncia do Pr. Renato Vargens contra TMI. Esperemos que a escolha de suas companhias espelhe essa nova mudança.
A denúncia de Vargens foi feita no Púlpito Cristão, blog que já foi flagrado exibindo postura contra o neopentecostalismo e a favor do esquerdismo. Já tive embates com aliados do Púlpito Cristão, inclusive com Johnny Torralbo Bernardo, que tem histórico de ligação com o Partido Comunista do Brasil. Johnny, que se considera apologeta e tem artigos no Púlpito Cristão, me atacou recentemente e, ao mesmo tempo, defendeu a legalização da maconha. O exemplo dele é prova dos estragos da TMI nos meios protestantes tradicionais do Brasil.
Esperemos que Vargens e Púlpito Cristão tenham realmente mudado e que a mudança não seja da boca para fora, por pressão ou apenas fogo de palha. Se não for de fato isso, veremos ambos atacando a TMI da mesma forma que sempre atacaram Silas Malafaia e o neopentecostalismo: de forma sistemática, implacável e contínua.

Uma pequena nota sobre a Teologia da Missão Integral

Renato Vargens
Ultimamente tenho sido inquirido por alguns sobre o que penso a respeito da Teologia da Missão Integral, até porque, um número grande de evangélicos influenciados por esse não tão novo conceito não falam de outra coisa em suas igrejas.
Vale a pena ressaltar que o interessante é que muitos desses "integralistas", desconhecem os bases doutrinárias da TMI, bem como Lausanne 74. Na verdade, penso que parte dos defensores da TMI adaptaram os ideais de Lausanne a uma Teologia latino Americana de cunho esquerdista e marxista.
Isto posto, segue abaixo uma rápida nota sobre a Missão Integral.
O grande problema de alguns que defendem a TMI é que o fazem numa perspectiva reducionista e marxista. Para os defensores deste tipo de teologia o evangelho não passa de uma luta social onde o que importa é implementação de uma ideologia política. Lamentavelmente para estes o evangelho se reduz a intervenções sociais excluindo do foco da missão a pregação da única mensagem capaz de salvar o pecador, isto é, Cristo Crucificado. Ora, a igreja foi chamada para que prioritariamente pregue o evangelho e isso é ponto pacífico. Agora, é claro que a Igreja também pode e deve assistir os que sofrem as agruras de um mundo caído, contudo, não esqueçamos JAMAIS, que nossa missão é a glória de Deus e a salvação do pecador.
Para terminar tomo emprestado as palavras do Pastor Leonardo Gonçalves, missionário no Peru e editor do Púlpito Cristão:
"Alguns dos promotores da Missão Integral no Brasil parecem se inspirar mais no marxismo do que na Bíblia. Ora, confundir comunidade cristã com uma ideologia que foi responsável por milhões de mortes no mundo, incluindo muitos cristãos, é uma boçalidade. O discurso da Missão Integral tem servido de plataforma política para ideias esquerdistas, e sua super-ênfase no social tem levado alguns a pregar um conceito que beira a salvação pelas obras, algo abominável do ponto de vista bíblico."
Como bem disse o meu amigo Franklin Ferreira, nunca vi um hospital criado ou mantido por adeptos da Missão Integral.
Isto posto, termino dizendo: Quer auxiliar o pobre?  O faça. Quer alimentar os famintos? Aleluia! Quer socorrer os miseráveis? Bendito seja o Senhor! Agora, não esqueça que TUDO isso sem Cristo e sem a mensagem que confronta o pecador inviabiliza a pregação. Ressalto também que a rica tradição da igreja , com hospitais, escolas, universidades, organizações humanitárias nos ensina que não existe necessidade de divorciar a pregação do evangelho com o socorro ao necessitado, todavia não podemos e nem temos autoridade da parte de Deus para fazermos da Igreja uma ONG.
Lembre-se: Fomos chamados para pregar prioritariamente salvação do homem da condenação eterna.
É o que penso, é o que digo.
Fonte: pulpitocristao.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário