15 dezembro 2014

DOUTRINAS QUE NÃO PODEM SER COMPROMETIDAS - PARTE III


4) A PALAVRA DE DEUS É A EXCLUSIVA AUTORIDADE
PARA CONHECER A VERDADE

Voltando a Charles Hodge, ele escreve:“Portanto, precisamos da divina revelação sobrenatural. Sobre estarevelação deve ser observado: primeiro, que ela nosdá overdadeiro conhecimento. Ela nos ensina Quem Deusérealmente, o que é o pecado. O que é a lei; o que Cristo fez e qual é o plano da salvação através dEle; e qual será o estado da alma após a morte. O conhecimento assim comunicado é verdadeiro, no sentido de que as idéias às quais somos conduzidos,irão formar as coisas reveladas conforme essas coisas realmente são. Deus e Cristo, piedade e pecado, céu e inferno, são realmente o que a Bíblia declara que são”.  (Ibid., p. 364).

Quando falamos da Palavra [Logos] Escrita de Deus, queremos falar da objetiva e imutável autoridade dEle sobre nós! Embora escrita durante séculos, e pela instrumentalidade humana de muitas personalidades e experiências, a Bíblia é igualmente a obra do Espírito Santo. E embora os autores humanos fossem imperfeitos, o Espírito agiu de tal modo a nos dar um registro infalível e confiável em todas as áreas onde ela[a Bíblia]fala.

Não se precisa de outra autoridade para o que for necessário à vida cristã. Não existe outra fonte de conhecimento da vontade de Deus.

Não existe outro ponto de referência para a verdade espiritual. Não existe uma revelação “extra”, que possa ser acrescentada à que já temos hoje na Escritura. Pedro escreve: "Visto como o seu divino poder nos deu tudo o que diz respeito à vida e piedade, PELO CONHECIMENTO DAQUELE QUE NOS CHAMOU PELA SUA GLÓRIA E VIRTUDE; (2 Pedro 1:3).

Pedro diz que lembra os seus leitores  destas coisas para que eles “saibam, e estejam confirmados na PRESENTE VERDADE”. (1 Pedro 1:12). Observe que “os crentes, através do verdadeiro conhecimento, foram confirmados na verdade”.
A Escritura do Antigo e Novo Testamentos formam o cânon, pelo fato de que são oráculos autoritativos. Pelo termo AUTORITATIVO fica implícito que a Bíblia em todas as suas partesé a voz de Deus falando ao homem. Sua autoridade é inerente, por ser ela o édito de “Assim diz o senhor”.

Lewis Sperry Chafer em sua TEOLOGIA SISTEMÁTICA (Vol. 1),nos dá sete razões para a autoridade da Escritura: 1)Ela é autoritativa, por ser inspirada [assoprada para dentro dos escritores- amanuenses] por Deus (2 Timóteo 3:16).

2)A Bíblia é autoritativa, porque os instrumentos humanos imperfeitos (profetas e apóstolos) foram preservados [para nunca errarem] e inspirados pelo Espírito Santo. Portanto, sua consciência, inteligência e experiência foram usados por Deus em inspiração; eles não falaram simplesmente pela sua “vontade humana” mas falaram “inspirados pelo Espírito Santo”(2 Pedro 1:21).

3)A Palavra de Deus é autoritativa, porque ela assimfoi aceita pelos primeiros [crentes] que a ouviram. Em outras palavras, as pessoas estão quase em todos os casos sabendo que Deus lhes deu algo que simplesmente não foi humanamente gerado.

4)As Escrituras são autoritativas porque foram atestadas pelo próprio Cristo. Jesus colocou o Seu selo de aprovação e referência em quase todos os livros do Antigo Testamento.

5)As Escrituras são autoritativas, por terem sido recebidas e atestadas pelos profetas. Ao povo, quer de Israel ou da Igreja, não foi dada autoridade alguma para entregarem eles mesmos a Escritura, mas foram comandados a obedecer às palavras que lhes foram dadas pelos que receberam a mensagem de Deus. Em sua maior parte, as pessoas entenderam que os profetas estavam em seu meio e que o Senhor lhes havia falado.

6. "A Palavra de Deus é autoritativa porque ela é claramente atestada como obra do Espírito Santo. As Escrituras são chamadas “a espada do Espírito”. Embora citando autores humanos, o autor de Hebreus sempre diz: “E também o Espírito Santo no-lo testifica”(Hebreus 10:15) E Paulo concorda, quando escreve: "O Espírito diz expressamente..." (1 Timóteo 4:1).

7)A Palavra de Deus é autoritativa por ser a única amudar vidas espirituais. A grande mensagem da Escritura é que o Evangelho “é o poder de Deus para a salvação de todo aquele que crê!”.(Romanos 1:16). “penetra até à divisão da alma e do espírito, e das juntas e medulas, e é apta para discernir os pensamentos e intenções do coração”. (Hebreus 4:12). Ela deve ser obedecida
(Atos 5:32), e Cristo orou ao Pai: ”Santifica-os na verdade; a tua palavra é a verdade”.(João 17:17).

Então, SOLA SCRIPTURA, somente a Escritura! Não precisamos de outra autoridade, nem mesmo de credos, por mais que sejam perfeitos! (Embora declarações doutrinárias nos ajudem a resumir [tudo em que cremos]). Não precisamos de sanções hierárquicas ou eclesiásticas. Somente através da Bíblia podemos conhecer o caminho para Deus através de Cristo. As Escrituras são suficientes para tudo de que necessitamos conhecer sobre a vida crista e a obediência ao nosso Deus. Finalmente, somente a Bíblia nos dá um quadro exato das coisas da eternidade vindoura.

Sem dúvida, o Catolicismo Romano nega a suficiência da Escritura. Em seu livro texto de seminário, FUNDAMENTOS DO DOGMA CATÓLICO, está escrito: “Todas as coisas que estão contidas na Palavra de Deus escritas abaixo, E AS QUE SÃO PROPOSTAS PARA A NOSSA CRENÇA E PARA A IGREJA, devem ser cridas pela divina fé católica” (p.4).

“Por FATOS DOGMÁTICOS são entendidos fatos históricos, os quais são revelados na Escritura, mas que estão intrinsecamente conectados com a verdade revelada, através da legalidade do Papa ou de um Concílio Geral, ou do
Episcopado Romano”. (p. 9).

“As verdades católicas ou doutrinas da Igreja, sobre as quais a Infalível Autoridade de Ensino da Igreja finalmente decidiu,devem ser aceitas com uma fé embasada exclusivamente na autoridade da Igreja. Estas verdades são tão corretas como os próprios dogmas.” (p. 9).

Embora a Bíblia não fale de todos os assuntos, conforme a inspiração, ela nos dá tudo que necessitamos saber.Todos os eruditos protestantes têm mantido que, quando o Livro do Apocalipse diz que nenhuma revelação adicional podeser
acrescentada ou suprimida “deste Livro”, a referência se refere a “remover” a revelação contida na Escritura ou a “acrescentar” a chamada “nova” revelação. O Livro do Apocalipse é, portanto, o último livro [da Bíblia a ter sido escrito por perfeita inspiração de Deus]. Nenhum “profeta” ou “apóstolo“ pode trazer uma
revelação adicional à revelação de Deus, quer seja ele um “profeta”, um papa ou um protestante. Os que fazem tais afirmações não passam de egocêntricos! Os profetas que fazem estas [novas] afirmações [como se fossem revelaçõesde Deus]são mentirosos! De fato, as palavras testificam queeles são,realmente, falsos profetas. Ninguém registrou suaspalavras e as apresentou à Igreja, como tendo igual autoridade, em nosso Cânon da Escritura. Os autoproclamados profetas de hoje sabem que suas “mensagens”, ditas como sendo do Senhor, não são do Senhor e nem são inspiradas. Se o fossem, porque não são publicadas em um livro como sendo autoritativas mensagens do Senhor? Ao nosso povo deve ser ensinada a doutrina da Bibliologia e o que é e não é Escritura!

5) A SALVAÇÃO É SOMENTE PELA GRAÇA, SOMENTE ATRAVÉS DA FÉ

Outra marca registrada da Reforma foi a “Sola Fide” - “Somente pela fé”. Embora houvesse algumas variações sobre oque isto significa, geralmente ela trazia a ideia do Apóstolo Paulo de que somente pela graça se é salvo, através da fé em Cristo. Não existe outro meio de salvação, nem outro Salvador.

Possivelmente, milhões morreram por esta doutrina. Dúzias de associações e denominações foram iniciadas sobre esta verdade. Centenas de milhares de instituições religiosas e milhares de igrejas foram criadas na base desta verdade libertadora do Novo Testamento. Desde a Reforma e até hoje, nenhum grupo
evangélico iria se atrever a abandonar a “Sola Fide”. Ninguém iria sonhar em mudar esta verdade bíblica. Poucos conservadores bíblicos teriam imaginado que, por amor à unidade, protestantes e católicos poderiam se unir de uma maneira filial e se abraçarem como irmãos e irmãs cristãos. Todos os grupos evangélicos tendem ao princípio de que foram salvos pela graça de Deus, independente de obras humanas, de esforço eclesiástico ou, simplesmente, por uma filiação a alguma igreja.

Mas, hoje, a própria salvação está sendo redefinida.

"Se alguém é sincero e usa a linguagem correta, se apenas afirma ser cristão, independente do que ele crê, sobre a própria salvação…”Então, de fato, ele deve ser um filho de Deus! Nunca importa a distinção doutrinária! Nunca importa o item da Divindade de Cristo. Nunca importa se Maria é acrescentada à equação, como co-redentora à nossa salvação! Nunca importa que o sacrifício de Cristo não seja suficiente para nos salvar.

Desse modo, torna-se mais e mais popular acrescentar à morte de Jesus na cruz as obras humanas, a fim de se chegar a Deus! Durante gerações, a maioria das igrejas protestantes evangélicas tinha certeza de que esta verdade não poderia ser comprometida. As igrejas evangélicas não ousavam minimizar a fé cristã no coração e na alma - ou seja, que nada podemos fazer para sermos salvos. Estamos perdidos em nossos pecados.

Somente pela simples fé e confiança em Jesus Cristo podemos receber a vida eterna. Poucos protestantes evangélicos teriam questionado o que o apóstolo Paulo escreveu tão claramente sobre a doutrina da salvação e da justificação pela fé! Poderia você trabalhar oficialmente com um grupo que comprometesse o Evangelho e outras verdades que são claras na Escritura? Poderia evangelizar ou colaborar, teologicamente, com os mórmons, os quais proclamam: 

-Cristo era um polígamo.
-Jesus era tanto o Pai como o Filho.
-Existe uma Mãe celestial que se opõe ao Pai celestial.
-Casamentos celestiais nos tornam deuses na eternidade futura.
-A Salvação é pela graça, mais o mérito é humano.

Você poderia evangelizar ou cooperar, teologicamente, com os católicos que proclamam:

* "Não existe justificação sem o batismo”.
* "Fica determinado pela lei católica que ninguém pode ser salvo sem o batismo”.
* “Ninguém pode chegar a Cristo, senão através da Mãe Maria”.
* "Maria é a Mediadora de todas as graças, pela suaintercessão no Céu.”
* "Ninguém pode conseguir a salvação que não seja através de ti,ó Maria!"
* "Maria é a Mediadora para o mundo inteiro”.
* "Deus quis que nada tivéssemos, a não ser pelas mãos de Maria.”

Como [este pronunciamentos católicos] são diferentes das palavras de Paulo:
"Sendo justificados gratuitamente pela sua graça, pela redenção que há em Cristo Jesus”. …" (Romanos. 3:24).
"Concluímos, pois, que o homem é justificado pela fé sem as obras da lei."(Romanos 3:28).
“TENDO sido, pois, justificados pela fé, temos paz com Deus, por nosso Senhor Jesus Cristo;"(Romanos 5:1).
"Ora, tendo a Escritura previsto que Deus havia de justificar pela fé os gentios, anunciou primeiro o evangelho a Abraão, dizendo: Todas as nações serão benditas em ti." (Gálatas. 3:8).
“Porque pela graça sois salvos, por meio da fé; e isto não vem de vós, é dom de Deus”.(Efésios 2:8).
O grande calvinista batista – John Gill – resumiu para nós:
“O Evangelho é chamado palavra da fé... “A fé uma vez entregue aos santos”(Judas 3) O Evangelho inclui o livre, soberano, eterno e imutável amor de Deus; a eterna, pessoal, irrespectiva eleição para a graça e a glória... a
graça e a glória … a eterna, absoluta e incondicional graça … a garantia de livre
graça pela redenção particular por Cristo, a qual conduz a uma complete satisfação da justiça divina... à justificação pelajustiça a Cristo imputada; à reconciliação e perdão pelo Seu sangue; à regeneração e santificação pelo Espírito Santo; à perseverança dos santos em fé em piedade; à ressurreição dos mortos e à glória eterna.

Ora, esta era a fé dos apóstolos pregada, publicada, declarada, falada aberta publicamente, sem reserva, sem ocultação, ou não deixando faltar qualquer coisa clara e meridianamente, sem usar frases falsas ou palavras de duplo sentido, com toda a fidelidade e integridade, ousadia e persistência.

6) A IGREJA NADA TEM A VER COM A PSICOLOGIA MODERNA

A Igreja Evangélica tem sofrido uma literal invasãoda psicologia secular. Começando com força nos anos 1950, com o Dr. Bruce Naramore, mais e mais livros foram produzidos, advogando o casamento da psicologia com a Bíblia. A palavra usada atualmente é “integração”. E, conforme eu digo hoje, o ápice para esta integração chegou mais depressa do que se possa imaginar.

Minha opinião é que, desde o princípio, os escritores cristãos que tentaram uma integração da Bíblia com a psicologia,cometeram um erro fatal. Por exemplo, o Dr. Hildreth Cross, em seu volume de 1952 –UMA INTRODUÇÃO À PSICOLOGIA - (Zondervan) argumenta que estes campo estuda o homem, em seu total ambiente: na natureza física, mental e espiritual. Em seguida, ele observa que os secularistas têm dificuldade em reunir os dados de laboratório, porque os psicólogos não conseguem encontrar uma proposta experimental para este alusivo aspecto de estudo. Em seguida, ele dáa dica sobre o fato de que os psicólogos têm uma ojeriza à ideia da alma e por isso não a incluem em suas pesquisas. (p. 25).

A questão é que o mundo não crê na Bíblia. Nem concorda com o fato de que a relação número 1 do homem deveria ser com o seu Criador.

O homem é visto como um simples animal. Ele foi envolto numa forma mais elevada, mas continua sendo um animal. Se existe um Deus, Ele não pode ser conhecido. O homem é o autor do seu próprio destino.

O mais interessante é que o Dr. Cross e outros integracionistas cristãos apenas laboraram, superficialmente, em seu esforço de levar a psicologia ao molde bíblico. Eles tiveram sucesso em popularizar e “cristianizar” uma falsa ciência evolucionista, já bastante saturada. O próximo passo foi trazê-la para dentro da igreja.

“Psicologia” é uma palavra grega procedente de “Psuxa”, significando “alma” ou “vida”. Ou o assento ou centro da vida interior do homem e variados aspectos” (Arndt & Gingrich) No Novo Testamento, a palavra é sempre traduzida em relação aos sentimentos e emoções. Algumas vezes a palavra pode referir-se à mente. Mas, desdeo princípio da Psicologia secular, qualquer espécie de foco bíblico foi excluída do campo. E, mesmo assim, os seminários estão acelerando a sua ênfase em aconselhamento sob a psicologia secular. Muitos estão substituindo o aconselhamento e treinamento bíblico pelo aconselhamento
psicológico. Por exemplo, presentemente você pode conseguir os seguintes diplomas [em seminários e faculdades cristãs, pasmem]:

-Aconselhamento Clínico -- Lincoln Christian Seminary
-Terapia da Família – Anderson School of Theology
-Matrimônio & Família (Doutorado com licenciatura - Bethel Seminary
-Psicologia Clínica - Wheaton College
-Psicologia (doutorado) - George Fox College
-Psicologia (doutorado) - Regent University
-Teologia Fundamental, Teologia e Psicologia - Emerge Ministries (college)
-Conselheiro Clínico Licenciado - Ashland Theological Seminary
-Doutorado: "Integração da Psicologia & Teologia, Psicologia Clínica (licenciatura em Terapia Gestalt - Rosemead/Biola
-Aconselhamento Comunitário (licenciatura) "Integração & Integridade” -Indiana -Wesleyan University
-Obra Social (creditado) Roberts Wesleyan College Aconselhamento Comunitário/Clínico Counseling (com certificado) - Eastern College
-Psicologia "Profissional".
-Todos os cursos integrados de Psicologia & uma visão cristã mundial
(Licenciatura) - Geneva College

Esta lista é apenas um pedaço da ponta do iceberg. A maioria das escolas [seminários, institutos e faculdades evangélicas] temdepartamentos [especializados] de aconselhamento, que estão usando livros manchados de teorias dos secularistas. O Colégio George Fox College observa: "Estamos compromissados com a integração dos princípios bíblicos com a ciência da psicologia... do modelo do praticante profissional dentro do contexto da visão cristã mundial.
Nossa faculdade traz uma riqueza de experiência profissional de backgrounds teóricos."
Sem dúvida, a TYNDALE não ensina a assimilação da psicologia com o Cristianismo, em seu Departamento de Aconselhamento Bíblico. A Bíblia é o nosso livro guia. Recusamo-nos a ensinar conforme a licenciosidade. Estamos preparando pessoas para trabalharem somente sob o contexto e ministérios das igrejas.
Nos últimos anos, mais de uma dúzia de pessoas vindas ao nosso centro de aconselhamento têm aceitado Cristo como Salvador. Se alguma declaração do livro texto for suspeita ela éassinalada pelo professor [com o título: VENENO]. Na TYNDALE ensinamos os estudantes “a aprender e discernir”. Usamos apenasum livro texto secular intitulado: UMA INTRODUÇÃO ÀS TEORIASDA PERSONALIDADE, de B. R. Hergenhahn, Prentice Hall! O que ensinam alguns secularistas? Rollo May "A culpa é o resultado de não se esforçarem direção a um total potencial como um ser humano.”
Abraham Maslow clama por auto-atualização, onde se possa experimentar total
gratificação. Ele clama por uma sociedade utópica chamada Eupsychia. Suas visões inflamaram o movimento feminista. Ser uma policial ou uma motorista de tanque (não importa se você faz o trabalho)... Oque conta é a sua auto-realização. Clark Rogers também inflamou o movimento feminista:“Acerte-se consigo mesmo. Entre em contato com os seus sentimentos! Seja uma pessoa totalmente funcional. Para os casamentos: a matrimônio centrada na pessoa não faz sacrifícios nem se dá à outra parte”.
Skinner acreditava que “a educação é individualizada, no sentido de que cada filho progride no seu próprio ritmo [N.T.: acho que o que ele realmente significa é que cada filho deve escolher sua direção de vida, sem interferência dos pais]. Os mestres deveriam ser apenas os guias. Nossa cultura deveria ser designada e programada no sentido de maximizar a auto-expressão”. Karen Horney acreditava que os criminosos "represavam a hostilidade que a criança sente pelos pais e a projetavam no mundo, tornando-se assim na básica  ansiedade”.
Qualquer destas e outras filosofias estão chegando às igrejas através de cursos pastorais ou de cristãos diplomados como conselheiros, em escolas estatais com programas de ministério.
Para obter diploma, o estudante deve frequentar uma universidade estatal ou um colégio cristão que esteja integrando a Bíblia com a psicologia secular. Eles devem trabalhar durante anos sob a supervisão de um MD ou Ph.D., em psiquiatra ou psicologia.

A Igreja nada deveria ter com o aconselhamento psicológico. A psicologia precisa ser expurgada dos púlpitos e os pastores precisam voltar ao treinamento bíblico, a fim de aprenderem a ensinar a exata Palavra de Deus no púlpito! E também precisam aprender, novamente, como aconselhar conforme a Escritura.

Continuaremos amanhã...

Meu abraço.

Viva vencendo as 'práticas anti-bíblicas que estão minando a fé bíblica!!!

Seu irmão menor.

Nenhum comentário:

Postar um comentário