17 dezembro 2014

DOUTRINAS QUE NÃO PODEM SER COMPROMETIDAS - PARTE V - Final

CONCLUSÃO

9) CRENÇA “VIVA” EM NOSSA IMORTALIDADE E NUMA

ETERNIDADE FUTURA

Por causa do Humanismo e deificação da humanidade, o conceito de morte está quase fora do reino da realidade. Ao mundo é dito para se divertir muito e viver a vida presente. De fato, o exato termo “hedonismo” significa “o presente”, “querer tudo agora”.

Visto como muitos de nós vão cruzar a grande divisão em um esterilizado leito de hospital, e por causa da arte da preservação do corpo por embalsamento, poucos americanos vêem todo o aterrorizante impacto da morte. Mas, a nossa mortalidade é real!

E a única esperança além do túmulo é uma fé pessoal em Jesus Cristo como nosso Salvador e nossa esperança. Mas, existe também um grande escopo a ser considerado, quando se toma a Escatologia. Muitos cristãos hoje estão confusos sobre esta doutrina da Escatologia. Muitos argumentam contra a ideia do arrebatamento da Igreja, na base de que esta visão conduz ao pessimismo e a uma atitude de "piein the sky by and by!" [achar que uma coisa seria ótima se pudesse vir a ser verdade, mas quase certamente não virá de verdade.]Alguns

também argumentam que a ideia do arrebatamento conduz a um relaxamento na vida cristã e que ela anula o incentivo de testemunhar. Realmente, nenhuma das objeções acima é verdadeira.

O treinamento maior e mais efetivo nas escolas, no século passado, foi o ensino do arrebatamento pre milenial como o do Moody Bible Instituteou o do Philadelphia College of Bible. Porque estas escolas e outras ensinavam a próxima vinda de Cristo, o imperativo missionário foi tremendo.

Também, quase todas as passagens bíblicas sobre Arrebatamento têm versos logo em seguida que dão um forte comando a viver uma vida piedosa, “porque Ele vai voltar, sem demora!"

Esta e outras importantes verdades escatológicas causam impacto, pelo fato de que “este mundo não é a nossa pátria”. "

Mas a nossa cidade está nos céus, de onde também esperamos o Salvador,o Senhor Jesus Cristo...” (Filipenses 3:20). Paulo prossegue: "Não atentando nós nas coisas que se veem, mas nas que se não veem; porque as que se veem são temporais, e as que se não veem são eternas.” (2Coríntios 4:18) “E por isso também gememos, desejando ser revestidos da nossa habitação, que é do céu;  (5:2), Mas também "E esperar dos céus a seu Filho, a quem ressuscitou dentre os mortos, a saber, Jesus, que nos livra da ira futura”. (1 Tessalonicenses. 1:10). Embora você pense diferente de mim, sobre alguns detalhes dos eventos do final dos tempos, a Escatologia é importante e deve ser ensinada.

Mas existe o aspecto pessoal da Escatologia. Por exemplo, os evangélicos não podem diluir as doutrinas do céu e do inferno. Universalmente. "... aos homens está ordenado morrerem uma vez, vindo depois disso o juízo,"(Hebreus 9:27). Para os que estão em Cristo, a ausência do corpo os conduz à presença do Senhor, (2Coríntios 5:6). Para os que não têm o Senhor Jesus,haverá chamas "Onde o seu bicho não morre, e o fogo nunca se apaga”. (Marcos 9:48).

Os evangélicos não podem desistir, nem enfraquecer na visão do julgamento eterno. Não podemos testemunhar como salda terra sobre um Deus amoroso e deixar de admoestar a respeito da Sua ira sobre os sem Cristo. E o modo pelo qual tratamos os itens eternos pode refletir-se em como proclamamos e vivemos os itens presentes! Se acreditamos honestamente que o Evangelho é verdadeiro e o único caminho para a vida eterna, do mesmo modo devemos acreditar que todos precisam ser salvos de um inferno eterno, por este Evangelho!

10) FINALMENTE…

Usando a cultura, Satanás está tentando destruir o testemunho da Igreja. Eu seu comentário do livro de João, Van Doren diz que a tendência deste mundo é: (1) Acirrar e fortalecer os impulsos de nossa natureza animal; (2) destruir o senso de responsabilidade individual; (3) produzir hábitos para o pensamento superficial, e também, (4) produzir o esquecimento de Deus.

A doutrina bíblica forma os muros de concreto que mantêm fora essa erosão moral e espiritual. Daí por que Paulo disse a Timóteo:

“Persiste em ler, exortar e ensinar, até que eu vá.Não desprezes o dom que há em ti, o qual te foi dado por profecia, com a imposição das mãos do presbitério. Medita estas coisas; ocupa-te nelas, para que o teu aproveitamento seja manifesto a todos. Tem cuidado de ti mesmo e da doutrina. Persevera nestas coisas; porque, fazendo isto, te salvarás, tanto a ti mesmo como aos que te ouvem”. (1 Timóteo 4:13-16).

Sua lista do que é mais doutrinariamente importante deve ser diferente da minha. Mas, realmente, cada verdade colocada na Escritura deve ser observada e obedecida, simplesmente porque "Deus no-la deu!". Cada doutrina de Deus é crucial!

Em conclusão, John Armstrong em seu livro THE COMING EVANGELICAL CRISIS (A CRISE EVANGÉLICA VINDOURA) faz uma aterrorizante imagem sobre onde estamos hoje. O que ele escreve é muito aplicável:

[Concernente a alguns itens práticos], nós damos apenas uma relativa autoridade à Escritura. Dar-lhe autoridade absoluta seria questionar uma grande parte do que está acontecendo atualmente em um significativo número de áreas [doutrinárias]. Crescemos, acostumados às coisas conforme elas são; e, enquanto elas parecem funcionar, planejamos continuar no curso. A Palavra verdadeiramente irrestrita realmente nos julga. Seriamos forçados a começar um processo [doutrinário] reformador, o qual seria penoso e oneroso. Ainda não temos certeza se desejamos fazer isso, especialmente enquanto “rolam os bons tempos”. (p. 23).

11) RESPOSTA DE PAULO AO ERRO DOUTRINÁRIO NA IGREJA

Simplesmente colocado, o apóstolo [sempre] se dirigiu ao desvio doutrinário em atitude de "colisão de frente". Paulo não economizou palavras. Ele se recusou a atenuar controvérsias. Ele também não temeu chamar [os errados] pelos [seus] nomes [próprios] e ser específico com a natureza do erro.Através de suas cartas, ele deixou claro que a maneira de silenciar o erro era ensinar a sã doutrina e instruir. Pelo poder do Espírito Santo e das sãs palavras, Paulo sentiu que a mente deveria ser mudada pela imputação de uma nova verdade espiritual.

A igreja primitiva estava cheia de heresia e de erro. Por exemplo, falsas religiões como (1) O Gnosticismo eram, aparentemente, rompantes, no estabelecimento da Igreja primitiva.Por isso, o apóstolo Paulo considerava (2) o Legalismo Judaico como heresia, à quais ele precisava se dirigir com a maior rapidez, para que ela não destruíssem a verdade da justificação pela fé somente pela graça. Havia também (3) a mistura, "assimilação", ou sincretismo do paganismo com o Cristianismo, a qual iria resultar no Catolicismo. Estes três erros principais são descritos abaixo:

Gnosticismo  - Os gnósticos eram os nova-erenses de hoje. Embora não saibamos tudo que os grupos gnósticos ensinavam, eles tinham certeza de que tinham o dom de receber revelações que os outros não podiam conhecer. Desse modo, a palavra ”gnóstico”,significava: CONHECER O QUE OS OUTROS NÃO PODEM

CONHECER OU TER UM CONHECIMENTO ESPECIAL! Muitos gnósticos se entregavam ao estrito ascetismo, pronunciamentos proféticos, deificação dos seres humanos e criam na existência de muitos caminhos para Deus.  [N.T. Os católicos têm uma boa porção de gnosticismo em suas crenças.] Eles também negavam a verdadeira humanidade de Cristo. [N.T. porque achavam que a matéria era a razão de todos os pecados.].

Legalismo Judaico - Em Gálatas, Paulo confronta o legalismo judaico. Até mesmo os cristãos judeus estavam, aparentemente,argumentando em favor da fé em Cristo MAIS obras, afim de obterem a salvação. Certamente, eles estavam ardentemente defendendo o casamento da fé com a guarda da lei, para se gozar a experiência de salvação. Paulo parece que ficou mais zangado

por causa deste item do que por nenhum outro. Não pode haver mistura da Lei com a Graça!

Assimilação do Paganismo pelo Cristianismo – a mistura mais importante do Paganismo com o Cristianismo o no Novo Testamento  é encontrada no Livro do Apocalipse. Segundo alguns pais de igreja, os nicolaítas (Apocalipse 2:6) eram uma seita advogando a indecência e o amor livre. Eles promoveram uma hierarquia [isto é, uma separação entre o "clero", que teria enorme superioridade em tudo, e "os reles leigos", que teriam uma enorme inferioridade em tudo], que pode ter sido o que levou ao conceito do sacerdócio romano. O apóstolo João dá a entender que alguns na igreja de Pérgamo haviam voltado à idolatria. (Apocalipse 2:14) e alguns toleravam Jezabel, a qual conduzia muitos a praticarem atos de imoralidade e de sacrifício aos ídolos (Apocalipse 2:20). Mais tarde, muitas igrejas resvalaram ainda mais profundamente na idolatria e nas práticas pagãs.

Contudo, é do conhecimento comum que, após o período inicial do Novo Testamento, e do desenvolvimento inicial da igreja, durante o início da Era das Trevas [476 dC, com a queda de Roma e do último Cesar, Romulus Augustulus?] , a cristandade estava assimilando o Paganismo. A mariolatria e o desvio doutrinário mais óbvio da doutrina bíblica ortodoxa, citando Dave Hunt, em seu livro “A MULHER MONTADA NA BESTA” (traduzido por esta tradutora) diz o seguinte: “A única rainha mencionada na Escritura é um ídolo que era adorado pelos pagãos e a quem as mulheres judias faziam ofertas, atraindo sobre elas a ira de Deus”  “Os filhos apanham a lenha, e os pais acendem o fogo, e as mulheres preparam a massa, para fazerem bolos à rainha dos céus, e oferecem libações a outros deuses, para me provocarem à ira.” (Jeremias 7:18)“Então responderam a Jeremias todos os homens que sabiam que suas mulheres queimavam incenso a deuses estranhos, e todas as mulheres que estavam presentes em grande multidão, como também todo o povo que habitava na terra do Egito, em Patros, dizendo...” (Jeremias 44:15). Em vez de ficar embaraçada, por estas conexões, Roma as promove.

Os católicos podem se jactar de que Maria tomou o lugar de "Maia, a ninfa da mitologia grega, a qual era mãe de Hermes por Zeus, o deus do firmamento”. O mês de maio foi nomeado conforme Maia, a qual era conhecida como a deusa de maio. [N.T. Maria também não é venerada, especialmente no mês de maio?). Os jesuítas se esforçaram para transformar Maria na Rainha de Maio, conforme a mitologia pagã, no que tiveram sucesso. (p. 441, Harvest House, 1994).

12) OS APÓSTOLOS PEDRO E JUDAS

Estes dois homens nos falaram fortemente para estarmos em guarda e não sermos arrastados para longe pelos erros de homens abomináveis, insubmissos a toda forma de lei (2Pe 3:17). Pedro diz que os falsos profetas se encontravam no meio dos crentes (2 Pedro 2:1).


Ao virem para as igrejas eles "limparam" a si mesmos apenas no exterior e moralmente, por escaparem "das impurezas da cultura"(2:20). Eles tiveram uma aceitação exterior com se fossem cristãos, mas, em seguida, "viram-se para longe" da verdade (2:21). E “Porquanto se, depois de terem escapado das corrupções do mundo, pelo conhecimento do Senhor e Salvador Jesus Cristo, forem outra vez envolvidos nelas e vencidos, tornou-se-lhes o último estado pior do que o primeiro. Porque melhor lhes fora não conhecerem o caminho da justiça, do que,  conhecendo-o, desviarem-se do santo mandamento que lhes fora dado”. (2Pedro 2:20-21). Uma das características dos que se envolvem em seitas é que parecem ser crentes em Cristo. Eles podem parecer religiosos e até piedosos. Mas Pedro em palavras claras afirma que eles nunca conhecerem o Senhor Jesus.

Judas escreve que esses falsos profetas   “se introduziram alguns, que já antes estavam escritos para este mesmo juízo, homens ímpios, que convertem em dissolução a graça de Deus, e negam a Deus, único dominador e Senhor nosso, Jesus Cristo”.  (Gr. aseigeia) (v. 4). Ele prossegue escrevendo que eles “entraram pelo caminho de Caim, e foram levados pelo engano do prêmio de Balaão, e pereceram na contradição de Coré”. (v. 11) e "manchas em vossas festas de amor,banqueteando-se convosco, e apascentando-se a si mesmos sem temor; são nuvens sem água, levadas pelos ventos de uma para outra parte; são como árvores murchas, infrutíferas, duas vezes mortas, desarraigadas; ondas impetuosas do mar, que escumam as suas mesmas abominações; estrelas errantes, para os quais está eternamente reservada a negrura das trevas”.

Em seguida, ele conclui: “Estes são murmuradores, queixosos da sua sorte,andando segundo as suas concupiscências, e cuja boca diz coisas mui arrogantes, admirando as pessoas por causa do interesse”  (verso 16). E “Estes são os que causam divisões, sensuais, que não têm o Espírito”.(verso 19).

Pedro diz que eles andam “segundo a carne andam em concupiscências de imundícia, e desprezam as autoridades; atrevidos, obstinados, não receando blasfemar das dignidades” (Verso 2:10, sendo hedonistas   (no grego hadonan), “falando coisas mui arrogantes de vaidades, engodam com as concupiscências da carne, e com dissoluções,aqueles que se estavam afastando dos que andam em erro”- Prometendo-lhes liberdade, sendo eles mesmos servos da corrupção. Porque de quem alguém é vencido, do tal faz-se também servo. (2 Pedro 2:18-19).(Em termos de Escatologia, Pedro acrescenta que"nos últimos dias virão escarnecedores, andando segundo as suas próprias concupiscências,e dizendo: Onde está a promessa da sua vinda? porque desde que os pais dormiram, todas as coisas permanecem como desde o princípio da criação”. (2 Pedro 3:3-4). Os apóstolos nos dizem o motivo deles falarem isso e aquilo, porque eles estão “andando segundo as suas próprias concupiscências, (3:3).

13) RESPOSTA DE PAULO AO ERRO DOUTRINÁRIO

Gálatas

Na primeira carta de Paulo (49-55 d.C), o apóstolo se apresenta condenando o legalismo judaico! Ele chama o Evangelho de “a graça de Cristo” (verso 1:6), admoestando contra "outro evangelho" e amaldiçoa quem pregar mensagem diferente, “O qual não é outro, mas há alguns que vos inquietam e querem transtornar o evangelho de Cristo. Mas, ainda que nós mesmos ou um anjo do céu vos anuncie outro evangelho além do que já vos tenho anunciado, seja anátema”(versos 7-8).

Paulo deixa claro que o puro Evangelho não vem “de homem algum mas pela revelação de Jesus Cristo” (versos 11-12).Ele não se detém ao afirmar que foi escolhido pelo próprio Deus (verso 11). Ele prossegue falando sobre os  “falsos irmãos que se intrometeram, e secretamente entraram a espiar a nossa liberdade, que temos em Cristo Jesus, para nos porem em servidão; Aos quais nem ainda por uma hora cedemos com sujeição, para que a verdade do evangelho permanecesse entre vós”. (2:4-5). E prossegue: “E conhecendo Tiago, Cefas e João, que eram considerados como as colunas, a graça que me havia sido dada, deram-nos as destras, em comunhão comigo e com Barnabé, para que nós fôssemos aos gentios, e eles à circuncisão; Recomendando-nos somente que nos lembrássemos dos pobres, o que também procurei fazer com diligência”.  (Versos 9-10).

Tiago, Pedro e João reconheceram a graça que havia sido dada a Paulo. (verso 2:9). Mais tarde, mesmo não pregando heresia, Pedro não foi consistente na prática do Evangelho da graça (Ryrie. Mas foi corrigido do seu erro a tempo).

No âmago das sua Carta aos Gálatas, Paulo argumenta que não se pode misturar a lei com a graça, dois itens diferentes da salvação e da prática da vida cristã (Versos 3:1-5). Ele diz que Deus justificou os gentios pela fé…(verso 3:8) e que voltar à lei é ser amaldiçoado (verso 3:14) Ele diz que Deus encerrou todos os homens sob o pecado, para que a promessa da fé em Jesus Cristo fosse dada aos que creem (3:22). Nenhum argumento poderia ser mais claro do que o que Paulo coloca aqui em Gálatas. Mesmo assim, no campo dos crentes vem oposição!

Paulo escreve sobre os que tentam “persuadir as igrejas” a agirem de modo diferente (5:8), e diz:”Todos os que querem mostrar boa aparência na carne, esses vos obrigam a circuncidar-vos, somente para não serem perseguidos por causa da cruz de Cristo”.(verso 6:12).

Romanos

Quando Paulo termina este Livro, ele apressa os seus leitores a observarem, cuidadosamente, certos irmãos em Cristo que “promovem dissensões e escândalos” (Romanos 16:17),acrescentando: ”Porque os tais não servem a nosso Senhor Jesus Cristo, mas ao seu ventre; e com suaves palavras e lisonjas enganam os corações dos simples. (Romanos 16:18).

1 & 2 Coríntios

A assembleia em Corinto tinha mais problemas do que as outras igrejas. Paulo se dirige às suas divisões e querelas, focalizando a palavra da cruz como sendo “loucura para os que perecem; mas para nós, que somos salvos, é o poder de Deus”. e a grande necessidade de se viver uma visa cristã, para crescer. O apóstolo termina esta carta com algumas admoestações específicas, lembrando queos leitores devem fazer: “Vigiai, estai firmes na fé; portai-vos varonilmente, e fortalecei-vos.  (16:13).E “Se alguém não ama ao Senhor Jesus Cristo, seja anátema. Maranata!" (16:22).

Efésios - Nesta carta, Paulo usa apenas um parágrafo para fazer uma admoestação, com relação ao erro aparente. Ele escreve: “Ninguém vos engane com palavras vãs; porque por estas coisas vem a ira de Deus sobre os filhos da desobediência. Portanto, não sejais seus companheiros”.(Efésios 5:6-7).

Filipenses 

Nesta epístola, Paulo se mostra furioso contra os judaizantes. Ele detesta a mistura da lei com a graça.Ele escreve uma picante admoestação, dizendo: “Guardai-vos dos cães, guardai-vos dos maus obreiros, guardai-vos da circuncisão; Porque a circuncisão somos nós, que servimos a Deus em espírito, e nos gloriamos em Jesus Cristo, e não confiamos na carne”. (Filipenses 3:2-3).

A maioria dos comentaristas acredita que o termo ”cães” está se referindo aos judaizantes, que afirmavam ser necessária a circuncisão para a salvação, embora a palavra ”cães” fosse reservada somente para os gentios pagãos.

Colossenses 

Paulo vem à frente, denunciando os que estavam “defraudando” os santos colossenses   (Colossenses 2:18). Eles eram místicos, que adoravam os anjos, recebiam suas visitas e tinham uma mente egoísta e inflada. Paulo escreve que tais pessoas não estavam ligadas à cabeça, (Cristo), no Qual todo o corpo cresce “em aumento de Deus”. (verso 19).

Do mesmo modo, o apóstolo escreve contra os ascetas, os quais consideravam pecaminosas as coisas físicas, (Colossenses 2:21). Os ascetas seguiam mandamentos de homens, os quais pareciam sérios,mas, em verdade, praticavam uma religião de sua própria lavra ... tratando severamente o corpo, o que não tinha valor algum, senão para a satisfação dos desejos carnais, etc. (2:23).Paul apressa os leitores a contemplarem as coisas de cima e não as que são aqui da terra. (3:2).

1 & 2 Tessalonicenses 

O apóstolo termina a 1 Tessalonicenses,comandando toda a igreja com este verso:“Rogamo-vos, também,irmãos, que admoesteis os desordeiros, consoleis os de pouco ânimo, sustenteis os fracos, e sejais pacientes para com todos”.(1 Tessalonicenses 5:14.“Mandamo-vos, porém, irmãos, em nome de nosso Senhor Jesus Cristo, que vos aparteis de todo o irmão que anda desordenadamente, e não segundo a tradição que de nós recebeu”.

(3:6). E com palavras mais contundentes, ele diz:" Mas, se alguém não obedecer à nossa palavra por esta carta, notai o tal, e não vos mistureis com ele, para que se envergonhe”. (3:14). O apóstolo estava determinado a criar uma igreja forte e madura, que pudesse enfrentar qualquer erro que surgisse!

1 Timóteo 

Nas epístolas pastorais, o apóstolo aparece mais severo contra o desvio doutrinário. Na 1:3, a Timóteo foi dito que ficasse em Éfeso, a fim de “advertir a alguns, para que não ensinassem outra doutrina”  acrescentando que “o fim do mandamento é o amor de um coração puro, e de uma boa consciência, e de uma fé não fingida. Do que, desviando-se alguns, se entregaram a vãs contendas;Querendo ser mestres da lei, e não entendendo nem o que dizem nem o que afirmam.” (1:5-7). Paulo diz que esses “legalistas”  “não entendem o que dizem nem o que afirmam”.

O apóstolo decide citar os nomes de homens que se afastaram da verdade, como Alexandre e Himeneus, que fizeram naufrágio na fé (1:19). Alexandre foi entregue a Satanás, por causa de sua blasfêmia (verso 20) Estes eram homens que resistiam muito às palavras de Paulo. (2 Timóteo 4:15). [Inspirado pelo Espírito Santo],Paulo adiantou-se aos dias de hoje.

Na 1 Timóteo 4:1-3, ele fala dos tempos finais, quando muitos iriam apostatar da sã doutrina. E que Timóteo deveria ser um bom servo, explicando essas coisas aos irmãos, etc.

Paulo apressa o jovem pastor Timóteo a rejeitar fábulas profanas e a opor-se aos argumentos professados por alguns que se desviaram da fé. O apóstolo conclui sua carta a Timóteo com as seguintes palavras: “Ó Timóteo, guarda o depósito que te foi confiado, tendo horror aos clamores vãos e profanos e às oposições da falsamente chamada ciência, A qual, professando-a alguns, se desviaram da fé. A graça seja contigo. Amém.”

2 Timóteo  

Em vista da rejeição à doutrina e ao Evangelho, Paulo admoesta Timóteo a lutar em prol da verdade. Ele diz que toda a Ásia se apartou dele (1:15). Ele usa a analogia dos atletas, na 2 Timóteo 4:7-8, para dizer: “Combati o bom combate, acabei a carreira, guardei a fé.Desde agora, a coroa da justiça me está guardada, a qual o Senhor, justo juiz, me dará naquele dia; e não somente a mim, mas também a todos os que amarem a sua vinda”.

Nesta carta Paulo não teme citar nomes. Ele menciona Alexandre, o latoeiro, que muito mal lhe causou, (2:14). Apressando Timóteo a agir neste sentindo: “Que pregues a palavra, instes a tempo e fora de tempo, redarguas, repreendas, exortes, com toda a longanimidade e doutrina. Porque virá tempo em que não suportarão a sã doutrina; mas, tendo comichão nos ouvidos, amontoarão para si doutores conforme as suas próprias concupiscências”. (2 Timóteo 4:2)

Tito 

De muitas maneiras Paulo denuncia o erro doutrinário em sua carta a Tito, do mesmo modo como o faz em outras cartas.  Ao dar as qualificações para o ancião, o apóstolo diz que a Tito, o líder da igreja: “convém que o bispo seja irrepreensível, como despenseiro da casa de Deus, não soberbo, nem iracundo, nem dado ao vinho, nem espancador, nem cobiçoso de torpe ganância."(Tito 7).“Aos quais convém tapar a boca; homens que transtornam casas inteiras ensinando o que não convém, por torpe ganância”. (Tito 11), acrescentando: “Um deles, seu próprio profeta, disse: Os cretenses são sempre mentirosos, bestas ruins, ventres preguiçosos. Este testemunho é verdadeiro. Portanto, repreende-os severamente, para que sejam sãos na fé. Não dando ouvidos às fábulas judaicas, nem aos mandamentos de homens que se desviam da verdade.”.

Depois, Paulo se dirige às necessidades dos homens e mulheres mais jovens: “Exorta semelhantemente os jovens a que sejam moderados. Em tudo te dá por exemplo de boas obras; na doutrina mostra incorrupção, gravidade, sinceridade...” Ele apressa Tito a não entrar em “questões loucas, genealogias e contendas, e nos debates acerca da lei; porque são coisas inúteis e vãs. Ao homem herege depois de uma e outra admoestação, Sabendo que esse tal está pervertido, e peca, estando já em si mesmo condenado”. (3:9-10-11).

14) RESPONDENDO E CONFRONTANDO O ERRO

Sobre a invasão progressiva do feminismo nas igrejas evangélicas, alguns pastores têm respondido: "Mas eu não quero deixar as senhoras com raiva [de mim]!"

Sobre o silêncio no ensino da escatologia em igrejas evangélicas,alguns pastores têm respondido: "Mas o ensino da profecia pode gerar controvérsias!" Sobre a questão do ensino sobre a heresia do catolicismo, alguns pastores têm respondido: "Mas eu tenho pessoas na congregação que foram ex-católicos!"

Sobre a questão do aviso em relação aos Promise Keepers [Guardiões da Promessa], alguns pastores têm respondido: "Mas eu tenho um grupo de diáconos que vão às reuniões dos PK e querem um grupo de apoio aos PK aqui na igreja!"

Sobre as questões de uma certa simpatia para com aconselhamento secularizado [psicologismo], alguns pastores têm respondido: "Mas eu tenho muitos na minha igreja que seguem o psicólogo cristão no rádio. Se eu falar [contra ele], eles podem deixar a minha igreja."

Como o apóstolo do Novo Testamento teria respondido a esses pastores?Aparentemente:

1) Paulo e Tiago iriam dizer: "não interessa o custo, ensine a verdade doutrinária!”

2)João iria dizer: "a verdade não pode ser sacrificada por causa do amor. Ambos têm ser proclamados juntos!

3) Tiago e João iriam dizer:  "estamos numa guerra contra a cultura. Nunca podemos comprometer e assimilar a verdade bíblica com as filosofias mundanas!”

Por exemplo:

1)Tiago argumenta: “Irmãos, se algum dentre vós se tem desviado da verdade, e alguém o converter, saiba que aquele que fizer converter do erro do seu caminho um pecador, salvará da morte uma alma, e cobrirá uma multidão de pecados”. (Tiago 5:19-20). O autor de Hebreus acrescenta:“Não vos deixeis levar em redor por doutrinas várias e estranhas, porque bom é que o coração se fortifique com graça, e não com alimentos que de nada aproveitaram aos que a eles se entregaram.

"(Hebreus 13:9). Paulo prossegue com estas palavras:“Mas, se alguém não obedecer à nossa palavra por esta carta, notai o tal, e não vos mistureis com ele, para que se envergonhe. Todavia não o tenhais como inimigo, mas admoestai-o como irmão”. (2 Tessalonicenses 3:14-15).

Mas Paulo vai ainda mais longe em seu argumento sobre o ensino da sã doutrina: “Toda a Escritura é divinamente inspirada, e proveitosa para ensinar, para redargüir, para corrigir, para instruir em justiça; para que o homem de Deus seja perfeito, e perfeitamente instruído para toda a boa obra”. (2 Timóteo 3:16-17).

Paulo conclui com uma ordem solene: “Que pregues a palavra, instes a tempo e fora de tempo, redarguas, repreendas, exortes, com toda a longanimidade e doutrina.” (2 Timóteo 4:2).

2)O apóstolo João é ainda mais contundente no item do amor e da doutrina cristã. Ele não argumenta apenas sobre amar a todos e a ”ensinar a doutrina”. Ele argumenta sobre ambos, conforme a 1 João 3:17-18: “Quem, pois, tiver bens do mundo, e, vendo o seu irmão necessitado, lhe cerrar as suas entranhas, como estará nele o amor de Deus? Meus filhinhos, não amemos de palavra, nem de língua, mas por obra e em verdade”.

E prossegue: “Por amor da verdade que está em nós, e para sempre estará conosco”. (2 João 2), concluindo com estas palavras:  "Graça,misericórdia, paz, da parte de Deus Pai e da do Senhor Jesus Cristo, o Filho do Pai, seja convosco na verdade e caridade. Muito me alegro por achar que alguns de teus filhos andam na verdade, assim como temos recebido o mandamento do Pai”. (2 João 2:3-4).

3) Finalmente, estamos em guerra com a cultura. O mundo entrando na igreja e destruindo as vidas dos crentes, é possivelmente um dos eventos mais assustadores. O discernimento desapareceu! Os pastores e as pessoas já não parecem notar a diferença entre o mundo e a verdade bíblica.

Tiago e João falam deste assunto. "Eu vos escrevi, pais, porque já conhecestes aquele que é desde o princípio. Eu vos escrevi, jovens, porque sois fortes, e a palavra de Deus está em vós, e já vencestes o maligno. (1João 2:14). João também adverte os cristãos: “Não ameis o mundo,nem o que no mundo há. Se alguém ama o mundo, o amor do Pai não está nele. Porque tudo o que há no mundo, a concupiscência da carne, a concupiscência dos olhos e a soberba da vida, não é do Pai,mas do mundo.” (2:15-16). Infelizmente, estamos sendo levados pela cultura à “concupiscência dos olhos e a soberba da vida”.

Em termos não incertos, Tiago condena os crentes que vivem conforme o mundo: “Adúlteros e adúlteras, não sabeis vós que a amizade do mundo é inimizade contra Deus? Portanto, qualquer que quiser ser amigo do mundo Ou cuidais vós que em vão diz a Escritura: O Espírito que em nós habita tem ciúmes?” (Tiago 4:4-5).

Portanto, quem deseja ser amigo da cultura torna-se um inimigo de Deus. Tiago apresenta Deus como um marido ciumento.Ele nos deu o Seu Espírito Santo e deseja que tenhamos com Ele uma íntima relação de marido e mulher.

Finalmente, Tiago escreve que Deus deu uma graça maior, para que possamos vencer as tentações da cultura. A tentação mundana é animada pelo orgulho, mas Deus nos dará a graça de nos humilharmos diante dEle, repudiando o que é atraente no mundo. (4:6).

15) O ERRO DOUTRINÁRIO E OS ANCIÃOS DA

IGREJA

Para completar, Lenski escreve:“Tito fez uma só coisa com essas pessoas: fechou-lhes a boca e as silenciou à força [força bíblica e moral, não força física]. Paulo não diz como isso deveria ser completado; [mas] na 2 Timóteo 1:4 ele quer que Timóteo exija que elas parem com os seu ensino contrário. (Tito, p. 901).

Notas de Calvino:

Precisamos voltar à simples doutrina do Evangelho, se quisermos ser governados pela vontade de Deus; e não [sermos] levados pelas nossas … paixões, e não andarmos conforme nossos apetites; em resumo: SE FORMOS

BONS ALUNOS DO NOSSO DEUS, E CONSIDERARMOS BASTANTE DOUTRINA QUE RECEBEMOS, A QUAL ELE NOS ENSINA, ENTÃO SEREMOS FORTALECIDOS CONTRA TODO O MAL! (Tito, p. 303).

Encerrando com John Gill:

"Sãos na fé” (Tito 1:13) significa “saudáveis” na fé. Assim, falamos todas as palavras de Cristo, a fim de criar crentes saudáveis e robustos. E os que são fracos e enfermos em sua profissão de fé? Deveríamos censurar os que foram infectados por maus princípios e práticas, como o faz o cirurgião extirpando um tumor. E adverti-los com censura e admoestação. EM ANÁLISE FINAL, ISTO É PARA O BEM DAQUELES DISCIPLINADOS.. (Tito, p. 351).

http://www.deceptioninthechurch.com/couch.htm

Mal CouchPH.D., TH.D. and Russell L. PenneyDr. Sc.

copyright 1996


Traduzido porMary Schultze, em 29/10/2014

Abraços.

Viva vencendo os enganos da 'moderna teologia'!!!

Seu irmão menor.

Nenhum comentário:

Postar um comentário