12 dezembro 2014

SÃO PERTURBADORES DA ORDEM PÚBLICA?


Tudo ia normalmente bem numa tarde no Centro da cidade do Rio de Janeiro, quando os transeuntes de uma das avenidas no coração da cidade entraram em tamanho alvoroço ao ver pessoas ameaçando se jogarem do alto de um edifício abaixo.

Os relatos dizem que no interior daquele prédio, tudo corria funcionando muito bem nas suas tranquilas dependências, quando dois homens perceberam um foco do incêndio em um dos andares se alastrando rapidamente, e a densa nuvem de fumaça invadindo as escadas e os corredores internos. A iminência da presença da morte estava rondando os andares e ameaçando vidas concentradas nos seus afazeres profissionais rotineiros e outras conformadas nas rotinas normais dos setores do prédio.

Aqueles dois homens em tempos depois daquele dia de  sinistro, depuseram e testemunharam de seus dolorosos esforços, suas ansiedades ofegantes e das dificuldades encontradas em tentarem avisar e protegerem as demais vidas que ali estavam. Naquela ocasião, seus gritos de alertas conjugados com a aplicação de suas forças foram em outros andares taxados, rotulados, como dois perturbadores da ordem do prédio estavam correndo às soltas e quebrando o silêncio, desconcentrando o bom andamento dos serviços e tirando a paz de quem estava trabalhando confortavelmente.

Porém tudo que aqueles dois corajosos iniciantes das ações estavam fazendo era livrar o maior número possível de vidas da morte, viabilizando acessos para a cobertura do prédio a fim de facilitarem a operação de resgate. Uma cadeia de mobilização que começou com dois perturbadores da ordem e evoluiu e alcançou o trabalho de resgate por um grupo de homens dos órgãos competentes.

Muitas vidas que se mantiveram atentas às vozes de alertas daqueles dois perturbadores, e que aceitaram a voz de instrução deles, e depositaram sua confiança nas palavras daqueles dois, foram os primeiros a evacuarem parte pelo andar térreo e parte pela cobertura. Lamentavelmente, parte dos que desprezaram os avisos dos perturbadores, e os desesperados afoitos da última hora sufocante, perderam suas vidas tragicamente.

Olhando para a sinopse daquele fato, nos direcionamos a vida de um servo de Deus pouco citado e quase sempre não percebido nas páginas das cartas paulinas. At 17.1-9. Trata-se de Jasom, ou Jasão, que abriu a sua porta para receber, acolher e hospedar dois perturbadores da ordem de uma das mais importantes e movimentadas cidades gregas da época, a antiga Tessalônica, hoje conhecida como Salônik. Logo depois, Jasom se tornou mais um dos perturbadores da ordem.  

Olhar para a vida de Jasom é perceber o que de fato ser um cristão pode nos levar a preços caros, a custos altos, a momentos e tempos de riscos e desafios pela causa do anúncio de salvação oferecida através do Evangelho da graça de Deus. Onde o Evangelho chega, naturalmente ele por si mesmo na sua mensagem legítima, produz transformações de pensamentos, de maus hábitos de vida, de péssimos costumes. Ele liberta de fantasias, de ilusões, do paganismo em toda a sua abrangência. Enfim, o Evangelho causa uma revolução perturbadora de uma ordem conformativa. Um exercício de força, poder e esforços alertando a todos quantos possam atentar para a mensagem do Evangelho e receberem a salvação em Cristo Jesus, já falada pelo próprio Deus Criador, consumada pelo Filho de Deus, predita e anunciada pelos profetas e confirmada pelo Senhor Deus por todos aqueles que a tem recebido.       

Certamente que a mensagem do Evangelho não causará mudança alguma nas mentes que decidirem permanecer conformada nos ditames do mundo. Uma das expressões mais intrigantes para algumas  pessoas é a bíblica que declara “o mundo jaz no maligno”. 1Jo 5.19. ARC. O sistema e o pensamento do mundo naturalmente se opõe contra Deus. Um sistema e uma mentalidade, cujo governo mantém cativos funcionando numa ordem sua. Uma ordem cujas filosofias e ideologias ora se antagonizam e se chocam entre si e sempre se opõe contra tudo que se chama Deus ou a Ele se adora. E para a natureza humana decaída, o melhor e mais confortável é ignorar a voz dos perturbadores da ordem e não vencer a conformação ditada e imposta pelo sistema mundo.

No princípio, Jasom fez uma grande descoberta, a saber – a de que sua conversão lhe saiu muito caro. Jasom testemunhou o estouro de tumultos e agressividades violentas contra o Nome a que agora havia tomado sobre si. Jasom testemunhou o crescimento da fé sincera e coerente ao Evangelho. Por causa de haver hospedado em sua casa os perturbadores da ordem e causadores de alvoroços, sofreu voz de prisão e foi levado para o cárcere.

Durante o seu tempo encarcerado, pregou a salvação para os demais presos e sete deles, dos mais afamados se converteram ao Senhor e mais tarde se tornaram testemunhas intrépidas perturbando a ordem da conformada cidade de Córfus. E por revolta revanchista do rei, foram lançados numa cova fervente em brazas. Esem ter percebido a ação de Deus, a filha daquele rei testemunhou o martírio dos sete, e se converteu ao mesmo  Evangelho pregado pelos perturbadores da ordem.

A filha convertida do rei de Córfu passou a ajudar pobres e necessitados e a sustentar a causa dos pregadores evangelistas intinerantes, e sua perturbação levou o rei a mandar aprisioná-la no interior de um casarão ao qual mandou atear fogo e sacrifica-la. Inexplicavelmente aquela jovem saiu da casa ilesa, sã e salva e fugiu. E mais tarde a perturbação da ordem tinha aquela jovem filha do rei como influente na causa do Mestre Nazareno. A revolta do rei levou-o a definitivamente assassinar aquela filha debaixo de flechadas, presa a um tronco no meio da cidade.

Depois de Jasom haver pago a fiança cobrada pelo governo romano pela sua liberdade e dos demais que com ele estavam, não recebeu reconhecimentos, considerações, atenção e aplausos pelos seus serviços e esforços pela causa do anúncio do Evangelho. Contudo o que Córfu não esperava era a ação do mover do Espírito de Deus na vida de um perturbador da ordem, a de ser designado e confirmado bispo de Córfu, cuidando de um grande e numeroso rebanho de igrejas regionais. De forma séria, Jasom investiu na obra de Deus, e o mesmo Deus incluiu Jasom em sua obra mais tarde.

Anos se passaram, e assim como aqueles perturbadores da ordem, outros continuam fazendo e cumprindo a sua parte em anunciar a salvação oferecida em Cristo Jesus, com o propósito de viabilizar a salvação de vidas e possibilita-las a sair do conformismo da ordem de pensamentos opostos a Deus e à Sua Palavra. Há um sinistro terrível e destruidor sendo avisado por uma mensagem perturbadora da ordem. Há uma mensagem dizendo aos homens que podemos escapar através de uma tão grande salvação. Uma mensagem que perturba e revoluciona, a mensagem do Evangelho, que conduz vidas ao Cristo Vivo e Redentor e não a nomes e rótulos.

Que mensagem está sendo pregada? Que mensagem está sendo anunciada? Mensagem cristocêntrica que perturba a ordem conformativa de pensamentos, ou mensagem que alicia desejos e cativa aplausos? Mensagem que perturba ao despertamento e confrontamento da consciência, que edifica vidas e produz reflexão, ou mensagem fugitiva da perturbação da ordem e recheada de encantamentos racionais e lógicos? A natureza da mensagem do Evangelho é de ação perturbadora, a fim de tirar vidas do conforto do conformismo vicioso contra sua própria alma, levando-as a atentarem para a vida eterna em Cristo, o Filho do Deus Vivo e Verdadeiro.

Ou a mensagem perturba a ordem dos pensamentos e causa uma revolução interior nos corações tirando-os do conforto mortal, ou ela simplesmente incentiva a permanência no terreno destinado à morte eterna. E assim recebe o triste selo de reprovação através do Evangelho. Perturbe a ordem, porém norteie-se para a salvação e edificação de vidas. Perturbe a ordem, mas seja coerente e legítimo na missão outorgada pelo Evangelho.

Se pregar a Palavra, incomoda a alguém, não há nada que possamos fazer. Calar-nos, jamais!!!

Abraços.

Viva vencendo!!!

Seu irmão menor.

Nenhum comentário:

Postar um comentário