21 abril 2015

DOZE IMIGRANTES FORAM EMPURRADOS PARA O MAR POR SEREM CRISTÃOS - MUCULMANOS TERIAM FEITO ISSO

Imigrantes descansam após desembarcarem no porto siciliano de Augusta
Imigrantes descansam após desembarcarem no porto siciliano de Augusta

A polícia da Itália prendeu quinze imigrantes muçulmanos acusados de jogar doze companheiros de embarcação em alto-mar por serem cristãos. A acusação se baseia no testemunho de passageiros do mesmo barco que foram resgatados pela Marinha italiana e transferidos ao porto de Palermo na manhã de ontem. As autoridades italianas informaram que os detidos são de nacionalidade marfinense, malinesa e senegalesa e todos são acusados de homicídio múltiplo agravado por ódio religioso. As vítimas do ataque, provavelmente de Gana e da Nigéria, são consideradas mortas, segundo a BBC.

"Os náufragos, muitos deles em lágrimas, explicaram que tinham sobrevivido não a um naufrágio provocado pelas condições meteorológicas adversas ou pela precariedade da embarcação, mas pelo ódio humano", disse a chefia da polícia de Palermo. As testemunhas relataram que partiram dia 14 de abril da Líbia em direção à Itália a bordo de um navio com 105 passageiros, essencialmente senegaleses e marfinenses.

Em um incidente separado, 41 pessoas se afogaram no Mediterrâneo ao tentar chegar à Itália de barco da Líbia, disseram quatro sobreviventes resgatados e levados ao porto siciliano de Trapani, de acordo com a Organização Internacional para Migração (IOM, na sigla em inglês). Segundo relataram os sobreviventes, que disseram ser originalmente da África subsaariana, o barco teria deixado a cidade de Trípoli, na Líbia, no sábado. Eles ficaram quatro dias à deriva após o naufrágio do barco, e foram achados boiando no mar com coletes salva-vidas por um helicóptero, quando foram resgatados por um navio militar italiano, informou o porta-voz da IOM em nota.

Os acidentes aconteceram um dia depois que cerca de 400 pessoas morreram no naufrágio de outro barco que tentava chegar à Itália vindo da Líbia. O barco, transportando aproximadamente 550 pessoas, virou cerca de 24 horas depois de deixar a costa do país africano, de acordo com alguns dos 150 sobreviventes que foram resgatados e levados a um porto do sul da Itália.

Mais imigrantes - O número de barcos que transportam imigrantes com o objetivo de alcançar a União Europeia (UE) vindos da África aumentou nas últimas semanas, já que o clima de primavera torna a travessia mais segura. Em fevereiro, mais de 300 pessoas morreram afogadas ao tentar atravessar em meio ao clima frio e ao mar agitado. A IOM e outras organizações humanitárias têm pedido para a União Europeia reforçar suas operações de salvamento no mar assim como normalmente faz no verão. Autoridades italianas informam que mais de 15.000 imigrantes chegaram até agora em 2015. O Ministério do Interior da Itália solicitou aos prefeitos para encontrarem habitação de emergência para 6.500 imigrantes. Com o verão do hemisfério norte se aproximando, a UE Frontex, agência responsável pelas fronteiras do bloco, estima que mais de 500.000 pessoas devem tentar deixar o Norte da África rumo à Europa.


Nenhum comentário:

Postar um comentário