08 julho 2015

ATITUDES FORMADORAS DO CÓDIGO DE ÉTICA DE UM SERVO DE DEUS



Texto Bíblico: Salmo 101

1 Quero cantar a misericórdia e a justiça, entoar um hino de louvor a ti, ó SENHOR!
2 Quero instruir-me no caminho da perfeição: Quando virás ao meu encontro? Quero proceder com coração íntegro dentro de minha casa.
3 Não colocarei diante de meus olhos nada que seja pernicioso. Detesto a conduta dos infiéis; tais atitudes jamais me conquistarão!
4 Longe de mim os perversos de coração; não me deixarei envolver pelo mal.
5 A quem difama os outros às ocultas, eu o farei calar! Assim como outros altivos de coração e arrogantes não suportarei.
6 Os meus olhos se agradam dos fiéis da terra, e essas pessoas habitarão comigo. Somente quem se dedica a viver com integridade me servirá!
7 Quem pratica obras fraudulentas não viverá no meu santuário; o mentiroso não habitará na minha presença.
8 Manhã após manhã destruirei os ímpios da terra, para livrar de todos os malévolos, a cidade do ETERNO!

INTRODUÇÃO

Spurgeon e outros comentaristas assumem que este é um  salmo de Davi, possivelmente referindo-se a ocasião histórica, quando Saul morreu e ele assumiu o trono de Israel.

Outros comentaristas assumem a posição de que o salmo trata-se da posse do rei Salomão no trono de Israel, com o compromisso de governar o seu povo com sabedoria celestial: Com coração entendido, prudência no discernimento entre o bem e mal, retidão nos julgamentos, e especialmente, vivendo conforme as Leis de Deus.

Independentemente do personagem a quem o texto se refere, o ideal do salmista é descrever atitudes formadoras do código de ética de um servo de Deus, principalmente, quando assume posições de liderança.

1. CAPACITAÇÃO NO CAMINHO DA PERFEIÇÃO

 "Quero instruir-me no caminho da perfeição!" 

A perfeição é definida pelo autor sagrado, como um caminho a ser percorrido. Não é para os negligentes, ociosos, frios na fé, que vivem de braços cruzados.
Para se percorrer um caminho, exige-se:
  • Um alvo a ser alcançado!
  • Vontade ("...quero..." (1,2)
  • Determinação!
  • Esforços.
Estas quatro exigências são necessárias, na vida de quem deseja alcançar a perfeição. O alvo dará o traçado do caminho a percorrer! A vontade e a determinação serão as vitaminas que o nutrirão à busca do alvo! E os esforços podem significar algumas renúncias e a adaptação a um nível de vida, talvez até com alguns sacrifícios, para se chegar ao alvo, que é a perfeição.

Perfeição diante de Deus é detestar o que Ele abomina, e ter prazer no que a Ele agrada. Isso é o que retrata o texto bíblico.

O apóstolo Paulo viu os dons espirituais, como ferramentas que Deus nos disponibiliza para capacitar-nos:
"E Ele deu uns como apóstolos, e outros como profetas, e outros como evangelistas, e outros como pastores e mestres, tendo em vista o aperfeiçoamento dos santos, para a obra do ministério, para edificação do corpo de Cristo; até que todos cheguemos à unidade da fé e do pleno conhecimento do Filho de Deus, ao estado de homem feito, à medida da estatura da plenitude de Cristo!" Efésios 4:11-13.

Paulo diz aqui que, o crente precisa capacitar-se para servir, para ajudar a edificar a Igreja de Jesus Cristo.

Ele disse que, o alvo do crente deve ser a maturidade, e que a unidade de medida para isso deve ser a "estatura da plenitude de Cristo".

Para o salmista chegar à perfeição, requer a atitude de querer instruir-se e capacitar-se. Essa é uma  atitude formadora do código de ética de um servo de Deus.

2. FATORES QUE PROVAM A BUSCA DO SERVO DE DEUS PELA PERFEIÇÃO

1. Coração íntegro. (2) "Quero proceder com coração íntegro..." (2).

A integridade pessoal deve ser um princípio de vida permanente para o crente. Sem ela é impossível ser um crente verdadeiro.

A motivação é que a integridade expressa a presença e bênçãos de Deus na vida.

Integridade é renunciar a todo "propósito sórdido"! É não abraçar o que é errado, e sim, o que é certo, como padrão de vida. É viver padrões de conduta e de valores, caracterizados pelo governo de Deus.

A integridade começa no coração, porque "ninguém pode ser maior do que o estado do seu coração!"

Segundo Jesus Cristo toda a santidade e perfeição tem como alicerce o coração: "Ouviste que foi dito: Não adulterarás! Eu, porém, vos digo que todo aquele que olhar para uma mulher para a cobiçar, já em seu coração cometeu adultério com ela!" Mateus 5:28-29.

Para Jesus Cristo a prática do pecado é danosa para o pecador, e nasce no coração.

O sábio escritor bíblico disse: "Sobre tudo o que se deve guardar, guarda o coração, porque dele procedem as fontes da vida!" Provérbios 4:23.

Um coração perfeito bane da vida todas as práticas ímpias, que não agradam a Deus, e que denigrem a vida do homem.

Para o salmista o  alvo do crente deve ser a  perfeição, e diz que, os esforços do crente começam pelo coração.

2. Olhos perniciosos. (3) "Não colocarei diante dos meus olhos nada que seja pernicioso!" (3)

Jesus Cristo disse: "Se o teu olho te faz tropeçar, arranca-o e lança-o de ti; pois te é melhor que se perca um dos teus membros, do que seja todo o teu corpo lançado no inferno!"Mateus 5:29.

A palavra hebraica aqui traduzida por "pernicioso", significa qualquer ato que tenha parte com o "mal".

Precisamos de olhos que evitem mirar o que é destituído de valor cristão.

Uma das ideias para os olhos do servo de Deus é que deve ser usado, para tirar bons exemplos dos fiéis. (6) Porque "os olhos do Senhor se agradam dos fiéis da terra!" (6)

Jesus Cristo disse que, "Os olhos são a lâmpada do corpo. Se os olhos forem bons, todo o corpo será luminoso, e se forem maus, todo o corpo estará em trevas!" Mateus 6:22-23a

Um provérbio popular diz: "O que os olhos não vêem, o coração não deseja!"
É possível que, seja por isso que, o salmista coloca o cuidado com os olhos em segundo lugar na lista dos cuidados de um servo de Deus.

3. Consagração da língua

Para consagrar a Deus a língua, alguns pecados precisam ser evitados e tirados plenamente da vida:
  • Evitar a  mentira - "...o mentiroso não habitará na minha presença!" (7)
  • evitar a difamação! "A quem difama os outros às ocultas, eu o farei calar!" (5a)
  • Podemos acrescentar aqui a injúria!
Difamar, caluniar ou injuriar o próximo, prejudicam três pessoas simultaneamente: Quem fala, quem ouve e a pessoa caluniada.
São três coisas (na Bíblia pecados) tão repugnantes que, até o Código Penal Brasileiro estabelece penas para elas:

Calúnia
Art. 138 - Caluniar alguém, imputando-lhe falsamente fato definido como crime:
Pena - detenção, de seis meses a dois anos, e multa.
§ 1º - Na mesma pena incorre quem, sabendo falsa a imputação, a propala ou divulga.
§ 2º - É punível a calúnia contra os mortos.

Difamação
Art. 139 - Difamar alguém, imputando-lhe fato ofensivo à sua reputação:
Pena - detenção, de três meses a um ano, e multa.

Injúria
Art. 140 - Injuriar alguém, ofendendo-lhe a dignidade ou o decoro:
Pena - detenção, de um a seis meses, ou multa.
§ 1º - O juiz pode deixar de aplicar a pena:
I - quando o ofendido, de forma reprovável, provocou diretamente a injúria;
II - no caso de retorsão imediata, que consista em outra injúria.
§ 2º - Se a injúria consiste em violência ou vias de fato, que, por sua natureza ou pelo meio empregado, se considerem aviltantes:
Pena - detenção, de três meses a um ano, e multa, além da pena correspondente à violência.
§ 3o Se a injúria consiste na utilização de elementos referentes a raça, cor, etnia, religião, origem ou a condição de pessoa idosa ou portadora de deficiência: (Redação dada pela Lei nº 10.741, de 2003)
Pena - reclusão de um a três anos e multa.(Incluído pela Lei nº 9.459, de 1997)
  • Evitar a soberba. (5) "...assim como os altivos de coração e arrogantes não suportarei!" (5) 

Além de evitar, o crente deve reprovar os arrogantes e soberbos. 

A soberba é a alma do pecado, que faz o ser humano adorar a si mesmo.

4. Consagração da vida dentro do lar (2)"...Quero proceder com coração íntegro dentro de minha casa!" (2)

Entre a fala acerca do coração e dos olhos, o salmista foca o lar, onde deve começar toda a esfera de influência de um servo de Deus.

O lar é para todos os servos de Deus o mais duro vestibular da vida. Nenhum outro lugar do mundo é mais difícil para ali o crente testemunhar, do que dentro de sua própria casa.

No Novo Testamento os que serviam, deveriam ter a sua própria casa em boa ordem, a fim de poder governar a casa do Senhor:"Os diáconos sejam maridos de uma só mulher, e governem bem a seus filhos e suas próprias casas!" I Timóteo 3:12.

A palavra diácono no original grego, é aquele que serve. Neste sentido todos os crentes são diáconos.

E o texto está dizendo que, os servos de Deus são responsáveis pelo testemunho pessoal dentro de casa.

Se alguém sai mal em seu testemunho em casa, onde influencia apenas algumas poucas pessoas, como poderá obter sucesso quando estiver diante de um maior contingente humano?

É mais fácil para a maioria dos homens, até ser um exemplo dentro das quatro paredes de um templo, ou mesmo lá no mundo, do que em suas próprias casas.
Muitos membros de igreja são um "doce" entre os demais membros da igreja e entre os amigos lá fora no mundo, mas em casa são verdadeiros "espíritos de porcos!"

Lembremo-nos que, lá no lar estão aqueles que mais nos amam. Temos que ser responsáveis ali.

5. Não envolver-se no mal. (4) "...não me deixarei envolver pelo mal!" (4b)
Como Davi, devemos detestar a infidelidade e não permitir que ela nos conquiste. Devemos "repudiar todo o mal".

Paulo foi mais fundo ainda, quando alertou-nos:"Afastai-vos de toda forma de mal!" NKJ Outra versão bíblica diz: "Fugi de toda a aparência do mal!" I Tessalonicenses 5:22.

Devemos evitar a prática de obras fraudulentas - "Quem pratica obras fraudulentas, não viverá no meu santuário!" (7).

CONCLUSÃO

Este é um salmo que fornece um ideal desafiador para um líder segundo o coração de Deus, seja na área civil ou religiosa.

A santidade perfeita dá condições de um louvor perfeito.

Dentro deste contexto está a libertação da perversidade, da inveja, do orgulho, da infidelidade em todos os seus níveis, e de tudo o que não agrade a Deus.

Este salmo nos ensina que, o código de ética de um servo de Deus exige vida íntegra e reta, conservando nela somente propósitos altos, dignos e fiéis em todos os relacionamentos.

Só assim Deus aceitará o nosso louvor. (1)

Este é um salmo sobre a prática, que enfatiza que, louvamos melhor ao Senhor, quando fazemos aquelas coisas que são agradáveis à sua vista.

É por isso que o âmago deste salmo é "Portar-se sabiamente com integridade!".

Deus está interessado na "consistência de conduta dos seus servos!".Nós, os servos de Deus, precisamos saber que, o código de ética que dirige as nossas vidas, envolve:
  • Conhecer as nossas esferas de obrigações.
  • Ordenarmos e equilibrarmos os nossos deveres como servos de Deus.
  • Abster-mo-nos da maldade. (3-5)
  • Detestarmos a conduta e atitudes dos ímpios. (6-8)
  • Evitarmos o envolvimento com a maldade e com os seus praticantes. (4,7)

Estas são as atitudes que formam o código de ética de um servo de Deus. Amém

Referências Bíbliográficas:


1. http://www.direitonet.com.br - Acessado dia 18/04/2015
2. Spurgeon, C.H. Esboços Bíblicos de Salmos - Digitalizado por micscan. Lançamento Semeadores da 
    Palavra, Prefácio do Autor em março de 1886.Shedd Edições
3. Bruce F.F. Comentário Bíblico NVI. Tradução Valdemar Kroker. Juniorevan Livro Digital. 1ª  Edição 2008,
    Reimpressão 2009.  Editora Vida.SP
4. Mcnair S.E. A Bíblia Explicada. 4ª Edição. CPAD. R.J. 1983
5. Earl D. Radmacher Ronald B. Allen H. Wayne House. O Novo Comentário Bíblico. Editora Central Gospel.       R.J. 2010


6. Champlin R.N. O Antigo Testamento Interpretado. Hagnos Editora. Vol. IV. 2ª Edição 2001. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário