10 fevereiro 2016

TRINTA SINAIS INEGÁVEIS QUE INDICAM QUE JESUS BREVE VEM - PARTE 1

 É difícil para o indivíduo mediano digerir a vasta quantidade de material existente na Internet sobre a vindoura Nova Ordem Mundial (N. O. M.). Existem muitos aspectos a considerar — políticos, militares, econômicos, sociológicos, médicos, meio ambiente — e todos estão interrelacionados. Mesmo aqueles que já estudaram o assunto por algum tempo têm dificuldades em puxar todos os fios simultaneamente e apresentar um quadro claro do que está acontecendo.
Em minha experiência, é melhor enfocar primeiro o resultado final e trabalhar retroativamente. O Senhor já fez isto por nós no livro do Apocalipse. Uma compreensão apropriada da profecia bíblica nos mostrará onde estamos hoje, bem como as forças que estão dirigindo as questões internacionais e nos levando para perto do cenário mostrado no Apocalipse.
Para compreender plenamente a agenda sinistra que está por trás da N. O. M., é essencial reconhecer que ela se relaciona com o fim dos tempos. Algumas vezes, esse período do fim dos tempos é referenciado na Bíblia como "o dia do Senhor". Os profetas frequentemente se referem a esses eventos vindouros com as palavras "naquele dia", como em:
"Os olhos altivos dos homens serão abatidos, e a sua altivez será humilhada; e só o SENHOR será exaltado naquele dia." [Isaías 2:11].
A N.O.M. é apenas um marco na história humana. Ela é também a culminação de tudo que tem acontecido neste planeta nos últimos seis mil anos. A não ser que vejamos isto, perderemos a magnitude daquilo que está acontecendo no dia a dia e a inexorável acumulação de forças que dentro de pouco tempo será lançada sobre o mundo.
Em Mateus 24, o Senhor pede que observemos os sinais. Dizendo isto, Ele está confirmando para nós que os sinais serão evidentes, basta olharmos para eles. Em Sua misericórdia, Ele nos deu atalaias que, pela Internet e de outras formas, estão tentando nos alertar para os sinais, para que façamos os preparativos espirituais necessários.
Neste trabalho de pesquisa, tentarei resumir os sinais fundamentais que nos mostram que estamos no limiar do fim dos tempos, o grande dia do Senhor. Não quero dizer que esta seja uma exposição perfeita, ou que apresente um quadro completo de cada um dos sinais. Mas, representa uma tentativa de reunir os fatos mais óbvios e verificáveis sobre o fim dos tempos e o modo como eles se relacionam com o Apocalipse, e com a profecia bíblica em geral. Este trabalho é destinado principalmente como uma ferramenta para os cristãos nascidos de novo usarem para testemunhar para os descrentes, e para aumentar a conscientização geral sobre os pavorosos perigos apresentados pela Nova Ordem Mundial.

1. Terremotos

O gráfico a seguir fala por si mesmo. O número de terremotos mortais e destrutivos em todo o mundo aumentou de forma alarmante nos últimos quatro ou cinco anos. Em vez de ser tratado como um grande item de notícias, esse fato chocante tem sido em grande parte ignorado pela mídia.
Jesus Cristo fez uma descrição impressionante a respeito do fim dos tempos em Mateus 24 e indicou alguns dos sinais que devemos observar. Entre esses sinais estão um acentuado aumento no número de terremotos: "Porquanto se levantará nação contra nação, e reino contra reino, e haverá fomes, e pestes, e terremotos, em vários lugares." [Mateus 24:7].
Devemos provavelmente considerar esta advertência como uma referência tanto à frequência quanto à intensidade dos terremotos em todo o mundo, particularmente onde representam uma grande ameaça à vida humana. Assim, o padrão dos terremotos nos últimos anos deve ser qualificado como um claro sinal do fim dos tempos.

2. Epidemias

A advertência em Mateus 24 também implica que haverá um aumento significativo nas pestes em uma escala global. O livro do Apocalipse, que entra em grade detalhes sobre o fim dos tempos, descreve um cenário muito perturbador, em que muitos milhões perecerão. Como isto acontecerá? Em anos recentes, tivemos uma grande epidemia global — o HIV/AIDS — e outra — a Gripe Suína — que ainda está ocorrendo. Acredita-se que ambas tenham sido criadas deliberadamente em laboratórios. Nos últimos milhares de anos, a humanidade esteve exposta às doenças que ocorrem de forma natural, como a malária, varíola, tifo, cólera e a peste bubônica, mas a medicina moderna reduziu grandemente o efeito delas. Portanto, para uma peste em escala de fim dos tempos ocorrer, é quase certo que terá de ser criada pelo próprio homem. Somente nos últimos trinta anos é que se tornou possível desenvolver vírus letais capazes de causar mortes nessa escala.

3. Fomes

A advertência em Mateus 24 também faz referência às fomes. Novamente, a escala implicada precisa ser global, com um alto número de vítimas. Os avanços na agricultura e na tecnologia das colheitas permitiram que o mundo atendesse às crescentes necessidades de mais alimentos. Assim, para que a fome generalizada predita por Jesus aconteça, podemos esperar que algum tipo de doença afete as plantações em todo o mundo.
 Existe um vínculo forte entre as fomes e as pestes. Os tipos de pestes preditas por Jesus poderão afetar não apenas os seres humanos, mas também as plantações e os animais. Se este for o caso, então doenças criadas pelo homem muito provavelmente serão a causa. Como a tecnologia genética necessária para criar doenças desse tipo somente se tornou disponível nos últimos trinta anos, o cenário predito por Jesus Cristo não podia ter aparecido antes do fim do século 20.

4. Crise Econômica

Embora a Bíblia não contenha uma profecia explícita sobre as condições econômicas imediatamente antes do fim dos tempos, essa eventualidade pode ser inferida a partir de profecias relacionadas. Além disso, a Bíblia declara que durante a Tribulação, qualquer um que não tiver a necessária identificação aprovada pelo governo — o "sinal da besta" — ficará impedido de comprar ou vender. Ela também observa que a queda de Babilônia (muito possivelmente uma referência aos EUA) terá um impacto devastador sobre os mercados e o comércio:
"Para que ninguém possa comprar ou vender, senão aquele que tiver o sinal, ou o nome da besta, ou o número do seu nome." [Apocalipse 13:17].
"E seguiu-os o terceiro anjo, dizendo com grande voz: Se alguém adorar a besta, e a sua imagem, e receber o sinal na sua testa, ou na sua mão, também este beberá do vinho da ira de Deus, que se deitou, não misturado, no cálice da sua ira; e será atormentado com fogo e enxofre diante dos santos anjos e diante do Cordeiro." [Apocalipse 14:9-10].
"E depois destas coisas vi descer do céu outro anjo, que tinha grande poder, e a terra foi iluminada com a sua glória. E clamou fortemente com grande voz, dizendo: Caiu, caiu a grande Babilônia, e se tornou morada de demônios, e coito de todo espírito imundo, e coito de toda ave imunda e odiável. Porque todas as nações beberam do vinho da ira da sua fornicação, e os reis da terra fornicaram com ela; e os mercadores da terra se enriqueceram com a abundância de suas delícias." [Apocalipse 18:1-3].
Como os EUA conquistaram o Iraque, que é o nome moderno da antiga Babilônia, é tecnicamente correto descrever Babilônia como território americano.
Na falta de outros sinais que proclamem o fim dos tempos, uma crise na economia mundial não necessariamente se qualificaria como um sinal. Entretanto, quando vista como parte de um padrão mais amplo, a crise econômica é impossível de ignorar. Há muito tempo que os Illuminati indicam que querem impor uma moeda global, preferivelmente na forma eletrônica, usando a tecnologia dos microcircuitos. A China, a Rússia e a ONU já propuseram, cada uma de forma independente, uma alternativa global para o dólar como uma moeda de reserva internacional. Isto sugere fortemente que a criação de uma moeda mundial é iminente. Para que isto ganhe aceitação generalizada, é necessário que o sistema atual de moedas seja desacreditado. Isto já está sendo feito por meio da destruição tanto do dólar quanto da economia norte-americana, que, quando finalmente caírem, arrastarão para baixo a economia mundial. Esta estratégia é central no plano dos Illuminati de solapar a soberania dos EUA e impor um governo mundial único.

Os Illuminati têm o controle total sobre o suprimento de ouro no mundo. Orquestrando uma alternação para a moeda fiduciária (o papel-moeda impresso) nos anos 1970s, eles armaram a destruição do dólar por meio da inflação. Sem um vínculo com o ouro ou a prata, uma moeda fiduciária não é nada mais que um instrumento de trocas. Como uma reserva de valor, ela é virtualmente inútil e não é confiável. Assim, o conjunto agregado das poupanças mundiais pode ser contraído severamente da noite para o dia se a principal moeda fiduciária, o dólar americano, entrar em colapso. Como os Illuminati também controlam o sistema bancário internacional, podemos esperar que maximizem suas aplicações em ouro e prata físicos antes do calapso do dólar — o que eles já estão fazendo. Como Tiago escreveu:
"Eia, pois, agora vós, ricos, chorai e pranteai, por vossas misérias, que sobre vós hão de vir. As vossas riquezas estão apodrecidas, e as vossas vestes estão comidas de traça. O vosso ouro e a vossa prata se enferrujaram; e a sua ferrugem dará testemunho contra vós, e comerá como fogo a vossa carne. Entesourastes para os últimos dias." [Tiago 5:1-3].

Continuaremos amanhã... 

Viva vencendo, certo de que Jesus voltará!!!

Abraços.

Seu irmão menor.

Nenhum comentário:

Postar um comentário