11 fevereiro 2016

TRINTA SINAIS INEGÁVEIS QUE INDICAM QUE JESUS BREVE VEM - PARTE 2

5. A Igreja de Laodiceia, ou a Igreja do Fim dos Tempos

Enfocando de forma muito superficial o Apocalipse e os incríveis eventos que ele descreve, podemos deixar de apreciar o surpreendente retrato da divindade e majestade de Jesus Cristo. Esta foi uma das razão por que a Igreja Católica suprimiu o livro durante séculos. Os clérigos podiam assim manipular mais facilmente as massas, retratando Jesus na forma que mais agrada a Satanás: como outra figura terrena, derrotada, que necessita da nossa piedade. A gloriosa verdade do fim dos tempos é que, a despeito de toda a carnificina e ira, ele culminará no retorno triunfante de Cristo.

Como o principal narrador, Jesus Cristo apresenta nas páginas do livro uma visão geral de toda a história da igreja, desde sua fundação até o tempo final. Ao mesmo tempo em que proclama Sua autoridade sobre a igreja, Ele faz uma avaliação do desempenho dela em cada um dos sete períodos históricos consecutivos. Essa avaliação é feita na forma de uma carta a cada uma das sete igrejas que existiam naquele tempo na Ásia Menor (região oeste da Turquia). Os eruditos bíblicos do passado não viram a conexão entre as sete igrejas locais e os sete períodos de tempo profético, mas os eruditos dos últimos cem anos concordam que era isto exatamente o que o Senhor tinha em vista. Esta interpretação é confirmada pelos eventos, em que o desempenho de cada igreja é totalmente consistente com a avaliação profética feita pelo Senhor Jesus.
Os sete períodos históricos desde a fundação da igreja e o fim dos tempos são os seguintes:
• Igreja de Éfeso: anos 70-170 (duração: cerca de 100 anos).
Durante este período a igreja ainda estava tentando criar uma base sólida e evitar as heresias que a atacavam de todos os lados: "Conheço as tuas obras, e o teu trabalho, e a tua paciência, e que não podes sofrer os maus; e puseste à prova os que dizem ser apóstolos, e o não são, e tu os achaste mentirosos... Lembra-te, pois, de onde caíste, e arrepende-te, e pratica as primeiras obras; quando não, brevemente a ti virei, e tirarei do seu lugar o teu castiçal, se não te arrependeres." [Apocalipse 2:2,5].
• Igreja de Esmirna, anos 170-312 (duração: cerca de 142 anos).
Solidamente firmada, a igreja ficou exposta a uma pavorosa perseguição durante este período: "Conheço as tuas obras, e tribulação, e pobreza (mas tu és rico), e a blasfêmia dos que se dizem judeus, e não o são, mas são a sinagoga de Satanás. Nada temas das coisas que hás de padecer. Eis que o diabo lançará alguns de vós na prisão, para que sejais tentados; e tereis uma tribulação de dez dias. Sê fiel até à morte, e dar-te-ei a coroa da vida." [Apocalipse 2:9-10].
• Igreja de Pérgamo, anos 312-606 (duração: cerca de 294 anos).
Durante este período, a igreja perdeu muita de sua vitalidade, após a tomada do poder por prelados de alto nível hierárquico em Roma. Cristo se refere a isto como a doutrina dos nicolaítas (da palavra nikao, que significa conquistar, e laos, que significa povo; assim, as estruturas de poder em Roma oprimiam os fiéis: "Assim tens também os que seguem a doutrina dos nicolaítas, o que eu odeio." [Apocalipse 2:15].
• Igreja de Tiatira, anos 606-1520 (duração: cerca de 914 anos).
O centro de poder em Roma estava agora dominando a igreja e corrompendo o verdadeiro evangelho. Ele também introduziu um rito de sacrifício que era pagão em sua natureza e estabeleceu um falso profeta como seu líder: "Mas algumas poucas coisas tenho contra ti que deixas Jezabel, mulher que se diz profetisa, ensinar e enganar os meus servos, para que forniquem e comam dos sacrifícios da idolatria." [Apocalipse 2:20].
• Igreja de Sardes, anos 1520-1750 (duração: cerca de 230 anos).
A igreja ficou moribunda durante este período. Até mesmo a Reforma, que deveria ter restaurado a verdadeira igreja de Cristo, esteve mais preocupada com as questões políticas: "E ao anjo da igreja que está em Sardes escreve: Isto diz o que tem os sete espíritos de Deus, e as sete estrelas: Conheço as tuas obras, que tens nome de que vives, e estás morto."[Apocalipse 3:1].
• Igreja de Filadélfia, anos 1750-1900 (duração: cerca de 150 anos).
A igreja rejuvenesceu durante este período, com a ampla disseminação das traduções fidedignas da Bíblia ("guardaste a minha palavra") e um acentuado aumento no evangelismo e na obra missionária: "Conheço as tuas obras; eis que diante de ti pus uma porta aberta, e ninguém a pode fechar; tendo pouca força, guardaste a minha palavra, e não negaste o meu nome." [Apocalipse 3:8].
• Igreja de Laodiceia, anos 1900 em diante (duração: ainda indeterminada).
Esta é a época em que estamos agora. O zelo do período anterior foi perdido e a fé entre a maior parte dos cristãos verdadeiros é morna. Esta é uma condição muito desagradável para o Senhor: "Conheço as tuas obras, que nem és frio nem quente; quem dera foras frio ou quente! Assim, porque és morno, e não és frio nem quente, vomitar-te-ei da minha boca." [Apocalipse 3:15-16].
Quanto tempo durará a época de Laodiceia? Tudo indica que ela já esteja bem avançada e que poderá culminar a qualquer momento no cenário de fim dos tempos descrito no Apocalipse. Vale a pena observar que John Todd, um ex-membro de alto nível dos Illuminati, acreditava que o fim da época estava iminente já no fim dos anos 1970s. Muitos outros analistas (atalaias posicionados sobre a muralha) acreditam que os Illuminati já quiseram dar sua vigorosa marretada antes, mas as condições não eram exatamente as corretas. Sabemos agora pela leitura do Apocalipse que os eventos acontecerão, de modo que não há nada que possamos fazer para impedir. Mas, como cristãos nascidos de novo, devemos fazer como Jesus mandou e observar os sinais, nos preparar apropriadamente e pregar as boas novas como nunca antes. Também devemos ter em mente que o Senhor é quem decide o calendário para os eventos, não os Illuminati e nem as forças das trevas.

6. Apostasia

A Bíblia diz que o fim dos tempos também testemunhará um grande colapso, um "afastamento" nas igrejas: "Ninguém de maneira alguma vos engane; porque não será assim sem que antes venha a apostasia, e se manifeste o homem do pecado, o filho da perdição." [2 Tessalonicenses 2:3].

A igreja referida pelo apóstolo Paulo é o corpo coletivo de cristãos nascidos de novo. A destruição da igreja já está bem adiantada, com um afastamento maciço de muitas denominações protestantes da verdadeira mensagem da Bíblia. Grupos chamados de cristãos, como os mórmons e as testemunhas de Jeová, não aceitam o evangelho de Cristo, conforme delineado na Bíblia, enquanto que a Igreja Católica institucional é pouco mais do que uma religião pagã com um verniz bíblico. Por exemplo, a maioria dos membros dessa igreja reverencia a virgem Maria como co-mediadora, uma deusa sem pecado que ascendeu fisicamente aos céus.
Muitas igrejas cristãs existentes estão tão profundamente infiltradas pela cultura maçônica e tão infectadas pelas crenças de Nova Era que decadência delas é certa. Cada vez mais, práticas do tipo pentecostal, que envolvem a invocação de entidades sobrenaturais, estão se estabelecendo e corrompendo a pureza do evangelho.
Esta apostasia se acelerará e atingirá proporções épicas quando a grande enganação chegar: "E por isso Deus lhes enviará a operação do erro, para que creiam a mentira." [2 Tessalonicenses 2:11]. Essa "mentira" refere-se ao Anticristo e à incrível fraude que ele perpetrará contra a humanidade. De acordo com o apóstolo Paulo, um número muito grande de cristãos professos cairá nesse engano e adorará ao impostor.
Quantos cristãos nascidos de novo existem no mundo? O número porcentual caiu acentuadamente nos últimos 50 anos. Em uma população global de mais de 6,5 bilhões, talvez não existam mais de 50 milhões de cristãos — em uma estimativa otimista. Isto representa menos de 1% e continua caindo! Exploraremos a vindoura enganação em mais detalhes a seguir.
          7. Maçonaria
Os britânicos implementaram seu sistema de controle político e social em todo o mundo por meio dos pilares antigos da Maçonaria. As várias colônias britânicas eram mantidas na linha por meio de suas respectivas redes maçônicas e dirigidas por esse meio quando os Estados vassalos recebiam independência. Por exemplo, o Canadá tem uma extensa base de poder maçônica, como também a Austrália, a Nova Zelândia e a África do Sul. As colônias americanas eram controladas pela Maçonaria desde o início. A maioria dos países europeus tem estruturas correspondentes, sendo as mais conhecidas o Grande Oriente na França, e a loja P2, na Itália e no Vaticano.

Hoje, estima-se que existam 5 milhões de maçons nos EUA, embora talvez este seja um número conservador. Os maçons têm assento nas diretorias de todas as grandes empresas transnacionais, instituições bancárias e empresas comerciais. Eles controlam o governo em Washington e sempre fizeram isto, desde o começo. Nos níveis mais altos, a Maçonaria é luciferiana; isto é, eles consideram Lúcifer como o verdadeiro deus e o Senhor Deus da Bíblia como um sagaz impostor. O objetivo da Maçonaria é criar uma Nova Ordem Mundial, em que o verdadeiro cristianismo, que eles veem como uma aberração e um obstáculo para a iluminação, será obliterado.
Como escreveu o autor Bill Cooper: "Eu digo a vocês que a Maçonaria é uma das mais ímpias e terríveis organizações que existem no mundo. Os maçons são grande atores na luta pelo domínio mundial. O Grau 33 está dividido em duas seções; uma contém o núcleo dos Illuminati luciferianos e a outra contém aqueles que não possuem conhecimento algum sobre isto." (livro Behold a Pale Horse).
Outras sociedades fraternais, como a Ordem de Malta e os Cavaleiros de Colombo, trabalham em sintonia com os maçons e operam um protocolo para reconhecer seus respectivos sistemas de iniciação e graduação.
A Maçonaria nunca foi mais forte, mais rica e mais influente do que é hoje. O controle que agora tem sobre as questões internacionais é tão grande, que ela pode se mover decisivamente rumo à formação de uma Nova Ordem Mundial. Ela também está sob pressão para fazer isso o mais breve possível, antes que as informações sobre sua organização e propósito de tornem amplamente conhecidas.

8. Magia e Ocultismo

Houve dois grandes surtos no interesse do público pela literatura ocultista na história. A primeira foi na Alemanha, após a Primeira Guerra Mundial, e a segunda está ocorrendo hoje debaixo do guarda-chuva do movimento de Nova Era (que será discutido adiante). Essas obras ocultistas, que estão baseadas em grande parte nos escritos de Helena Blavatsky e Aleister Crowley, são extremamente potentes. Elas não podem ser consideradas como filosofias excêntricas que apelam somente a alguns indivíduos descontentes, mas são na verdade uma grande força sobrenatural. Elas foram produzidas, não por autores humanos, mas por anjos caídos que agiam por meio desses autores. Usando um processo conhecido como escrita automática (psicografia), ou canalização, um anjo caído pode transmitir segredos ocultistas dinâmicos para uma audiência selecionada. Tanto Blavatsky quanto Crowley trabalharam conscientemente com seus respectivos espíritos-guia demoníacos e se orgulhavam abertamente de seus papéis em trazer esses materiais poderosos ao mundo físico. O médium Edgar Cayce foi outro importante canal de materiais ocultistas e de Nova Era, porém, ao contrário de Blavatsky e de Crowley, parece que não estava ciente da sua origem demoníaca.
 A quantidade de programas no horário nobre da televisão que estão dedicados à feitiçaria e ao ocultismo é impressionante. Cinquenta anos atrás, a maioria dos pais faria oposição ferrenha à apresentação de feitiçaria e das artes arcanas do encantamento para seus filhos, porém isto é precisamente o que as crianças e adolescentes estão recebendo hoje por meio de centenas de filmes, livros e canções de música Rock. Infelizmente, somente alguns poucos indivíduos solitários reconhecem os perigos e expressam suas preocupações.
O número de praticantes do ocultismo nos EUA e na Europa cresceu muito nos últimos 50 anos. Estima-se que por volta de 1980, havia mais de 100.000 conciliábulos de bruxos somente nos EUA. A Wicca, um sistema básico para ingresso na feitiçaria, é a religião de mais rápido crescimento nos EUA. Os livros sobre magia negra são muito fáceis de obter. Todos vêm acompanhados por uma maldição demoníaca que se agarra ao leitor e o leva mais profundamente para o labirinto do ocultismo. Os praticantes são encorajados a convidar secretamente potenciais interessados e a formar novos conciliábulos. O satanismo é agora uma religião reconhecida oficialmente dentro das forças armadas dos EUA. Virtualmente todos na indústria do cinema em Hollywood estão envolvidos no ocultismo, de uma forma ou de outra. É por este motivo que tantos filmes produzidos pela máquina de Hollywood, o principal sistema de doutrinação no mundo hoje, são profundamente simpáticos ao ocultismo. Muitos promovem a feitiçaria e a magia, e alguns são abertamente satânicos. Todos são criados, de uma forma ou de outra, para dessensibilizar os espectadores, afastá-los dos valores bíblicos e apresentar para eles alternativas ocultistas plausíveis. O modo como isto tem sido feito nos últimos 50 anos é simplesmente chocante. O resultado é que muitos no mundo ocidental hoje acreditam em uma realidade sobrenatural benigna que não tem conexão alguma com o Deus da Bíblia.
Este é um sinal preocupante do fim dos tempos.
Continuaremos amanhã...

Viva vencendo, certo de que não depende do que você pensa. O certo é que Jesus voltará!!!

Abraços.

Seu irmão menor. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário