25 março 2016

JOGOS DE CARTAS(BARALHO): VOCÊ JOGA?


"Todas as coisas me são lícitas, mas nem todas me convêm; todas as coisas são lícitas, mas nem todas glorificam o nome de Deus" (I Co. 10.23). 

"Visto que amou a maldição, ela lhe sobrevenha; não desejou a bênção, ela se afasta de dele" (Sl. 109.17).

"Não introduzirás uma coisa abominável em tua casa, para que não sejas amaldiçoado, semelhantemente a ela. De todo a detestarás, e de todo a abominarás, pois é amaldiçoada" (Dt. 7.26).

É comum em muitos lares o uso do jogo como passatempo e brincadeiras inocentes. Em muitos casos os que assim procedem, não o fazem inocentemente. Outros, no entanto, ainda não conseguiram extirpar resquícios de antigos vícios. Terminam por produzir testemunho negativo junto aos incrédulos, que insistem em afirmar igualdade de comportamento com os filhos de Deus.

A salvos que ao serem advertidos, reafirmaram a inocência de tal proceder, dizem, mas o significado da própria palavra baralho, contesta tal afirmação.

A palavra significa: confusão, conflito, desordenar, embaralhar. Tal significado, seria suficiente para a não existência de baralhos em lares de crentes.

As cartas de baralho são instrumentos usados pelo diabo para o trabalho de adivinhação.  Já seria o suficiente para não o usar. Além disso, quando  jogamos, estamos tentando adivinhar o jogo do parceiro; derrubar o adversário de qualquer modo, ainda que com a mentira, o embuste, o blefe, a dissimulação. E quando o jogo envolve pessoas ímpias, pior ainda. Cristãos e ímpios não devem ter qualquer tipo de íntima comunhão. No jogo, se estabelece uma cumplicidade com o parceiro, pois um jamais revela o “roubo” do outro.

O baralho tem tamanha influência em nosso pais que, a partir de 2013, no Brasil, a Copag passa a fazer uma campanha para se comemorar o Dia do Baralho. O dia escolhido é 13/09, em homenagem ao baralho "Copag 139", o mais vendido em nossa terra.

Porque o jogo do Baralho é inconveniente para um servo do Senhor Jesus


Jogar valendo dinheiro ou bens - Jogar baralho apostando dinheiro torna esse ato não apropriado ao cristão, pois se trata de um jogo de azar, e esse tipo de jogo não cabe na vida do cristão, principalmente pelos princípios que norteiam os jogos de azar, que são contrários a vários princípios da palavra de Deus.
O jogo ser um vício - Se você não joga valendo dinheiro, mas o jogo te domina, se não consegue ficar sem ele, se ele já ganhou um “status” de vício em sua vida, também não é conveniente participar. Ser viciado em jogos de qualquer tipo é algo inconveniente ao cristão.
O ambiente do jogo ser inapropriado -  Sabemos que muitas vezes o ambiente em que esse tipo de jogo é realizado é um ambiente de zombarias, de promiscuidade, de falar obsceno, de mentiras, etc. Se o ambiente for desse tipo, mesmo que o jogo não seja valendo dinheiro ou que não seja um vício, não convém participar. O Salmo 1 mostra muito bem o cuidado que o cristão deve ter com pessoas e ambientes.

Transcrevemos a origem e o significado das cartas do baralho:

Quem conhece a origem das cartas de jogar, também compreende porque as cartas estão relacionadas com práticas satânicas, como adivinhação, esconjuração e etc.

As cartas foram criadas no ano de 1392 para uso pessoal do Rei Carlos da França, visando minorar os seus sofrimentos de debilidade mental.

O criador das cartas era um homem degenerado, mal, escarnecedor de Deus(e Seus mandamentos), para sua criação maligna escolheu as Bíblicas.

o Rei representa o diabo. A Dama, Maria, a mãe de Jesus. Assim, de modo blasfemo, fez de Nosso Senhor um filho de Satanás e Maria. Copas e Ases representam o sangue do Senhor.  O Valete representa o próprio Jesus. Paus e outros símbolos representam a perseguição e destruição de todos os salvos. Seu desprezo pelos dez mandamentos foi expresso pelo número dez de suas cartas.

Quem conhece essa origem diabólica do jogo de cartas compreende também as consequências satânicas que acompanham os jogos. Não é de admirar que a adivinhação funcione tão bem com as cartas pois são sinais diabólicos.

Devemos ser advertidos: nenhum jogador lembra da realidade de satanás e dos demônios que estão envoltos neste Jogo. Como filhos de Deus não devemos nos envolver com jogos de cartas. Nem por brincadeiras, pois não se brinca com satanás.

A história da ciência oculta está estritamente ligada com a criação das cartas de jogar. Não há dúvidas que as cartas, em razão de sua origem escarnecedora, são diabólicas.

Cresce a cada a ação do maligno em nossa sociedade. Usando os mais variados recursos, satanás tenta desesperadamente envolver até mesmo os salvos. O verdadeiro crente possui outros recursos para se alegrar e se divertir. Não há necessidade de usar os meios propostos pelo maligno. O testemunho do salvo, até mesmo nos momentos de lazer, ha que comprovar o poder transformador do evangelho.

Somos novas criaturas, geradas pelo precioso sangue de Cristo, a produzir um novo estilo de vida e comportamento(II Co. 5.17). Até mesmo no divertimento, o verdadeiro salvo é diferente dos pecadores sem Cristo. Buscamos não apenas uma alegria transitória, mas a verdadeira alegria de vidas santificadas pelo Espírito Santo. Vidas que glorificam ao Senhor diuturnamente.

O baralho


As cartas têm mistério. Reis, Rainhas e Valetes olham-nos enigmaticamente, com seus sorrisos misteriosos. Paus, Ouro, Copas e Espada são símbolos potentes com significados ocultos ainda por decifrar. Muito já se falou sobre eles e muito ainda se falará sobre esse antigo e intrigante oráculo.

Como isso tudo começou? De onde surgiu o baralho? Uma lenda conta que o baralho foi inventado por uma concubina de um imperador chinês em 1120 a. C. e outra afirma que as cartas já eram utilizadas na China, na arte do vaticínio, dois séculos antes. Ali chegou vinda da Índia, após cruzar o Himalaia, assim como o Budismo e o Yoga.

Na antiga Índia, as cartas eram usada como oráculo, dividindo-se o baralho em dez séries, uma para cada encarnação do deus hindu Visnu.
Parece, pois, que desde o começo as cartas haviam sido utilizadas como oráculos para resolver os enigmas pessoais da humanidade. Essa função precedeu sua associação com o jogo. A maioria das artes, nas mais antigas civilizações, tinham um aspecto religioso e a adivinhação significava intervenção dos deuses.
Algumas das denominações que os europeus deram às cartas derivam dos nomes que tinham no Oriente Médio e que estavam relacionados com as previsões. A palavra hebraica nabi, que quer dizer previsão, havia dado seu nome a um antigo jogo de cartas italiano, Naib, do qual procede a palavra espanhola 'naipes'.
Um outro nome surge ligado à invenção do baralho: o antigo mago egípcio Hermes Trismegistus, que não se sabe se realmente existiu ou se as histórias que o rodeiam são místicas. Há também teorias de que no reinado dos faraós do Nilo foram empregadas as cartas para esclarecer o destino da humanidade.
Esta teoria parece ter algum sentido, quando se sabe que os ciganos, em suas mudanças, passaram por ali e são tidos como os introdutores dos naipes na Europa. Essa teoria se fortalece ainda mais agora que se sabe que os ciganos surgiram originalmente na Índia, dividindo-se depois em dois grupos, um rumando para a Pérsia e outro para o Egito.
Qualquer que se seja sua origem, as cartas se difundiram pela Europa e dali para o mundo todo, posteriormente, motivado pela curiosidade natural do ser humano, ansioso para receber mensagens misteriosas a respeito do desconhecido.

Acredita-se que tenha sido por simples comodidade que as setenta e oito cartas do baralho completo original, fossem reduzindo-se com o tempo, até chegar ao baralho atual de cinquenta e duas cartas, usado hoje em dia para o jogo.

Para a arte de prever o futuro com as cartas, conhecido como Cartomancia, deve-se reduzir ainda esse número para trinta e duas cartas, a partir do Sete, contando os Ases como a de valor mais alto.

O significado das cartas e dos naipes

Cada carta tem um significado e certas combinações de cartas têm seu próprio significado.

Copas

Reis - Um homem generoso, elegante, de pele clara(II Co. 11.14) - Se apresenta como anjo de luz.

Rainha - Equivalente feminino do Rei(Romanos 1.26-27) - Deus fez homem e fez a mulher com suas devidas características.

Valete - Amigo ou amante, nem sempre confiável.

Oito - Convite, uma viagem ou uma visita. Satisfação interior(Jo. 14.27) - Satisfação interior só em Jesus Cristo.

Sete - Satisfação especialmente no matrimônio(Satisfação no casamento é quando convidamos o Senhor Jesus Cristo para estar no casamento. Ele é o único que transforma a água em vinho, aquilo que não tem mais gosto, Ele transforma no mais saboroso(João 2.1-12).

PausRetratam contratempos e advertências de desgraças, inimigos, escândalos e traições, sofrimento e perda.


Ás - Assuntos legais. Uma proposta amorosa ou de negócios.

Rei - Advogado não muito confiável(João 8.44). 'Ele é o pai da mentira, nele não há verdade'.

Rainha - Viúva, separada ou divorciada, sutil e astuta.

Valete - Um homem jovem, obscuro, descarado e traiçoeiro.

Dez - Preocupação vinda de longe, talvez uma viagem ou prisão.

Nove - Fracasso e desgraça.

Oito - Tristeza causada por más notícias.

Sete - Disputa, distúrbios e problemas.

Ouro -  Assuntos gerais, não relacionados com as emoções e os sentimentos.
As figuras correspondem a pessoas.
Ás - Carta importante, convite sério.

Rei - Um homem de autoridade e força - Toda autoridade e todo poder está em Jesus Cristo(Mt. 28.18).

Rainha - Uma mulher bonita, mas rancorosa.

Pessoas que glorificam ao Senhor, procuram seguir o que está escrito na Bíblia, que é a Palavra de Deus.

Se o baralho foi criado para desfazer o que Deus quer para as nossas vidas, vamos procurar nos edificar em coisas que edificam, abandonando o tal jogo.

Lista dos diversos jogos com o baralho:

AluetteArremate CarteadoBacaráBatalha, Big TwoBiscaBlackjack ou Vinte-e-um, BridgeBuraco, Canastra ou Biriba, Buraco Fechado STBLBurrinhoBurro ou Porco, CachetaCalculationCanastaCan-canCanfieldClock, CopasCrapôDesconfiaDominó de baralhoDouradinhaDutch BlitzDuvidoElêusisEnvite CanarioEscopaEspadinhaFôrma ou Pife, Four Seasons, FreeCellGilé, Giley ou Quarenta, Gin rummyGolf, Go-StopGofoGuiñoteGuritipauIdiot's DelightKempsKingLerpaMagicMataMau-mauMexe-mexeMico pretoMonte de três cartasMusOito malucoPaciênciaPaciência SpiderPhase 10Prenha,PiraporaPôquerPyramidRamiRouba-monteSarangolloSkatSete e meioSueca ou Serra, Sueca ItalianaSultan's HaremTalksnapTrancaTrês setesTriunfoTrucoTruco gaudérioTruco paulistaTruco venezuelanoTruque moteñoTruque villar canasUísteUnoUrban RivalsYukonZangaYu-Gi-Oh.

brasilescola, netjogos.com.br

COMENTÁRIO DE WÁLDSON

Jogos em sua essência sempre nos leva a querer vencer e chegarmos às vezes ao extremo. Nunca veremos um perdedor satisfeito em jogo algum. O homem já anda muito distraído quanto a buscar a Deus, então, por que buscar mais distração? Conseguirá levar seus amigos pra Jesus jogando baralho com eles? 
As “coisas” do mundo são para “os” do mundo.

Não consigo me distrair enquanto vejo, ouço, e sei que o diabo nosso adversário não descansa um minuto sequer ceifando vidas. Entendo que todo homem precisa distrair sua mente, repor suas energias, conviver em sociedade mas, em todas estas situações preciso tirar proveito daquilo para qual fui chamado: ser Luz. Quando me dirijo ao mundo com dotes mundanos, não tenho muito o que lhe oferecer.

A transformação que o Evangelho produz no homem não lhe traz o desejo de voltar ás práticas de ações mundanas e que em tempo de reflexão nos leva ao sentimento de termos sido por demais neglicenciadores da vontade de Deus e produtivos em atitudes que nos condicionavam a pecadores rebeldes, idólatras, vaidosos, “viciados” em toda sorte de abominação que nos separavam de Deus.

Quando Jesus chamou e “separou” Seus discípulos os ordenou 'a deixarem tudo' (os sentimentos e ações que os poderiam trazer á memória o passado, provocando neles a saudade das práticas pagãs), e  segui-Lo.

O mal que instigou os Israelitas a sentirem saudades do Egito foi proveniente daquilo que deixaram enraizados na terra da servidão.

Convenhamos: o que deixamos quando estávamos mortos neste mundo de pecado,  queremos ressuscitar novamente? É o que parece, não é?


Existem alguns que claro, vão usar o texto de Paulo:“… fiz-me de tolo pra ganhar o tolo, e sábio pra ganhar o sábio…"
Mas, 'fazer-se de tolo' não é o mesmo que fazer o que o tolo faz:
O tolo rouba, eu não roubarei; O tolo adultera, eu não adulterarei; O tolo zomba de Deus, eu não zombarei.
“O tolo não tem prazer na sabedoria, mas só em que se manifesta aquilo que agrada o seu coração” Pv 18.2.
“Não respondas ao tolo segundo a sua estultícia, para que não te faças semelhante a ele”. Pv 26.4.

Jogar pode ser definido como “arriscar dinheiro na tentativa de multiplicá-lo em algo que é contra as probabilidades”. A Bíblia não condena o jogo especificamente, ou apostar, na loteria(ou seja, não há um texto que cite-os ou que proíba-os). A Bíblia, entretanto nos alerta para que fiquemos longe do amor ao dinheiro,(I Tm. 6:10; Hb. 13:5). As Escrituras também nos encorajam a que fiquemos longe das tentativas de “enriquecimento fácil”(Pv. 13:11; 23:5; Ec. 5:10). Certamente o jogo gira em torno do amor ao dinheiro, e inegavelmente tenta as pessoas com a promessa de riqueza fácil e rápida.

Viva vencendo esse vício, tão repugnante quanto outro qualquer que  escraviza e desagrada ao Senhor!!!

Abraços.

Seu irmão menor.



Nenhum comentário:

Postar um comentário