01 abril 2016

1º DE ABRIL - DIA DA MENTIRA

Afirmar como verdadeiro aquilo que é falso, enganar, ludibriar, induzir ao erro, falsidade, falácia, etc. Estas são algumas definições da palavra mentira. Quem nunca mentiu que atire a primeira pedra! Porém todos nós conhecemos o amargo efeito da mentira: atritos, desarmonia, rompimento de relações, indignação, ausência de paz, em fim um grande prejuízo moral físico e espiritual.

O Dia da Mentira

1º de abril é conhecido como O Dia da Mentira. Vamos aqui analisar as origens sobre a escolha desse dia para legitimar a prática da mentira pelo menos por um dia. O mais importante é saber que mentir, mesmo por brincadeira, produz resultados negativos tanto para quem mente como para quem é vitima do engano.
O folclórico dia da mentira tem sua origem na confusão de um calendário
O fato ocorreu por volta do século XV, quando o então rei da França Carlos IX decretou o início do ano corrente como 1º de janeiro, seguindo o calendário gregoriano.
Alguns camponeses e povoados mais distantes do rei não acreditaram no decreto e continuaram a celebrar o início do ano em 1º de abril. Isso fez com que passassem a ser ridicularizados pelo restante da população com brincadeiras de notícias mentirosas. Essas “peças” passaram a fazer parte da celebração do dia 1º de abril que, ao longo do tempo, tomou conta de toda a França e do mundo, ora com o nome de “dia da mentira”, ora como o dia dos tolos.
Hoje, o dia da mentira é tido como uma brincadeira. Com a globalização, a data ganhou destaque em importantes meios de comunicação e, com o advento da internet, agências de notícias famosas fizeram circular notícias bizarras como forma de celebração desse dia.
Brincadeiras e folclore à parte, a verdade é que mentira pode provocar consequências desastrosas para um país, para uma família, uma empresa, uma pessoa. Como dizia Gandhi: “assim como uma gota de veneno compromete um balde inteiro, também a mentira, por menor que seja, estraga toda a nossa vida.”
No Brasil, por exemplo, sofremos há anos as consequências da falta de transparência de nossos governantes. A mentira está a serviço da corrupção, que é a maior vilã de nossa sociedade. Os princípios que regem a mentira, o juízo falso de valores e o engano proposital são os geradores de grande parte das mazelas sociais que os brasileiros já testemunharam. A impunidade, a violência, principalmente nas cidades de porte médio, antes locais seguros, só têm crescido na última década, ao mesmo tempo em que os investimentos na saúde pública são ainda desproporcionais à demanda, e a educação não é vista como prioridade para o desenvolvimento do país.
A nossa sociedade está sofrendo também as consequências do abandono e do esquecimento da verdade e dos valores cristãos. No dia da mentira, é verdade que não temos mais tempo para nossos filhos, é verdade que não nos reunimos em família, não temos tempo para ir à Igreja, é verdade também que a dignidade e o direito mais básico, o de viver, já não faz tanto sentido. De fato, temos aqui muitos motivos para, neste 1º de abril, lamentar as consequências da mentira em nossa vida.
Mesmo que no dia 1º de abril contemos alguma mentira para não deixar passar em branco essa “brincadeira”, a verdade é que temos sede de sinceridade, queremos a confiança, queremos reciprocidade, queremos nos manifestar tal como somos, pois não aguentamos por muito tempo a dissimulação, a falsidade e a corrupção. Algo dentro de nós grita pelo verdadeiro e autêntico. No fundo, todo homem anseia viver em comunidade para partilhar a verdade e a justiça.
Jesus disse: “"E conhecereis a Verdade e a Verdade vos libertará"(Jo. 8, 32). Aprendamos que só a verdade nos torna pessoas livres, o bem mais precioso para o homem. É na liberdade que começa e termina todos os nossos caminhos, ela é a pérola do nosso querer.
No dia da mentira, precisamos redescobrir a nossa vocação de testemunhar e comunicar a verdade. Queremos mesmo é a liberdade que vem pela verdade. Vivemos tempos de desconfiança e opressão pela mentira, ora lá, ora cá, perguntamo-nos se não estamos sendo enganados, pois quem sabe nos acostumamos com o falso…

O perigo de brincar com a mentira

Vejamos um fato: depois que Adão e Eva pecaram “disse o Senhor Deus à mulher: Por que fizeste isto? E disse a mulher: A serpente me enganou, e eu comi.” (Gn. 3.13) Aqui está a origem de todo sofrimento e adversidade que há no mundo. A mentira sempre causa a ruptura de relacionamentos, porque abala a confiança e a fé.

Nos dias do Profeta Jeremias havia muitos religiosos, mas eles viviam assim: “E encurvam a língua como se fosse o seu arco, para a mentira; fortalecem-se na terra, mas não para a verdade; porque avançam de malícia em malícia, e a mim não me conhecem, diz o Senhor.” (Jr. 9.3) A mentira escraviza, gera outra mentira e conduz ao crime: “Pelo pecado da sua boca e pelas palavras dos seus lábios, fiquem presos na sua soberba, e pelas maldições e pelas mentiras que falam.” (Sl. 59.12)

Como Deus vê a mentira

“Seis coisas o Senhor aborrece, e a sétima a sua alma abomina: Olhos altivos, língua mentirosa, mãos que derramam sangue inocente, o coração que maquina pensamentos perversos, pés que se apressam a correr para o mal, a testemunha falsa que profere mentiras, e o que semeia contendas entre irmãos.” (Provérbios 6.16-19) “A espada virá sobre os mentirosos, e ficarão insensatos; a espada virá sobre os seus poderosos, e desfalecerão.” (Jr. 50.36) “Destruirás aqueles que falam a mentira; o Senhor aborrecerá o homem sanguinário e fraudulento.” (Sl. 5.6)

Detectando o pai da mentira


O conselho de Deus sobre a mentira: 
Quando quiseram matar a Jesus, ele os desmascarou: “Vós tendes por pai ao diabo, e quereis satisfazer os desejos de vosso pai. Ele foi homicida desde o princípio, e não se firmou na verdade, porque não há verdade nele. Quando ele profere mentira, fala do que lhe é próprio, porque é mentiroso, e pai da mentira.” (Jo. 8.44)
“Guarda a tua língua do mal, e os teus lábios de falarem o engano.” (Sl. 34.13); “Não furtareis, nem mentireis, nem usareis de falsidade cada um com o seu próximo.” (Lv. 19.11); “Desvia de ti a falsidade da boca, e afasta de ti a perversidade dos lábios.” (Pv. 4.24)

A supremacia da verdade

Quem Jesus Cristo declarou ser? Ele disse: “Eu sou o caminho, e a verdade e a vida; ninguém vem ao Pai, senão por mim.” (Jo. 14.6) Pedro falou sobre Jesus: “o qual não cometeu pecado, nem na sua boca se achou engano.”

A mentira é hábito do velho homem

Você está em Cristo, já é uma nova criatura? “Aquele que diz que está nele, também deve andar como ele andou.” (1 Jo. 2.6); “Não mintais uns aos outros, pois que já vos despistes do velho homem com os seus feitos.” (Cl. 3.9) “Por isso deixai a mentira, e falai a verdade cada um com o seu próximo; porque somos membros uns dos outros.” (Ef. 4.25); “Não vos escrevi porque não soubésseis a verdade, mas porque a sabeis, e porque nenhuma mentira vem da verdade.” (1 Jo. 2.21)

De volta ao paraíso pela verdade

Davi fez uma pergunta e a resposta veio imediatamente: “Senhor, quem habitará no teu tabernáculo? Quem morará no teu santo monte? Aquele que anda sinceramente, e pratica a justiça, e fala a verdade no seu coração. Aquele que não difama com a sua língua, nem faz mal ao seu próximo, nem aceita nenhum opróbrio contra o seu próximo.” (Sl. 15.1-3). Em Ap. 21.27 sabemos mais sobre a cidade celestial: “E não entrará nela coisa alguma que contamine, e cometa abominação e mentira; mas só os que estão inscritos no livro da vida do Cordeiro.” Ainda em Ap. 22.15 está escrito: “Ficarão de fora os cães e os feiticeiros, e os que se prostituem, e os homicidas, e os idólatras, e qualquer que ama e comete a mentira.”
Viva vencendo esse mal que domina a muitos!!!
Abraços.
Seu irmão menor.

Nenhum comentário:

Postar um comentário