01 agosto 2016

ATROCIDADES CATÓLICAS 06 - O PAPADO - 2




41




41. São Zósimo
(Zosimus)18/03/0417 – 26/12/0418
Duração: 1 ano e 283 dias
País: Desconhecido
Segundo o teólogo e historiador Richard Peter McBrien, Zósimo foi um Papa “de temperamento impulsivo, inapto politicamente e culturalmente despreparado para o cargo”. Acredita-se que sua eleição tenha sido manipulada pelo bispo Pátroclo de Arles, que exercia forte domínio sobre o Papa. 
42




42. São Bonifácio I
(Bonifacius)29/12/0418 – 04/09/0422
Duração: 3 anos e 250 dias
País: Desconhecido
Autor do axioma ‘Roma Locuta est, causa finita est’ (‘Roma falou, a causa está encerrada’, em tradução livre), que reafirma a autoridade papal. 
43




43. São Celestino I
(Coelestinus)10/09/0422 – 27/07/0432
Duração: 9 anos e 323 dias
País: Itália
Conhecido por não participar do Primeiro Concílio de Éfeso, em 431, convocado pelo imperador Teodósio II (408-50) para discutir o Nestorianismo (doutrina que distinguia as naturezas humana e divina de Jesus). Essa doutrina foi rejeitada pelo Concílio, decisão ratificada pelo Papa. Celestino também envolveu-se em disputa com bispos do norte da África, na qual tentou reafirmar a autoridade universal do Papa sobre questões fora de Roma. 
44




44. São Sisto III
(Xystus Tertius)31/07/0432 – Agosto de 440
Duração: 8 anos e 3 dias
País: Desconhecido
Angariou fundos junto ao império para reparar danos em propriedades da Igreja danificados durante a invasão dos visigodos a Roma, em 410. Buscou reconciliação da Igreja com o bispo João I da Antioquia, excomungado após o Primeiro Concílio de Éfeso, em 431, que discutiu o Nestorianismo (doutrina que distinguia as naturezas humana e divina de Jesus). 
45




45. São Leão I
(Leo Magnus)29/09/0440 – 10/11/0461
Duração: 21 anos e 47 dias
País: Itália
Quando eleito, ainda era diácono e nem em Roma estava: viajava em missão diplomática na Gália (atual França). Um dos dois Papas da história a serem apelidados de ‘O Grande’ (Gregório I, em 590, foi o outro). Seu pontificado é considerado um marco histórico na articulação da suprema autoridade papal sob a Igreja. Um de seus maiores feitos foi convencer Átila, o Huno, a não invadir Roma, em sua ofensiva na Itália, em 452. Uma das lendas sobre o episódio é que Átila vislumbrou imagens dos apóstolos Pedro e Paulo sobre a cabeça do Papa. 
OLYMPUS DIGITAL CAMERA




46. Santo Hilário
(Hilarius)19/11/0461 – 29/02/0468
Duração: 6 anos e 103 dias
País: Itália
Papa que viveu à sombra de seu antecessor, o respeitado Leão I, o Grande (440-61). Não teve grandes realizações. 
47




47. São Simplício
(Simplicius)03/03/0468 – 10/03/0483
Duração: 15 anos e 10 dias
País: Itália
Pontificado que coincidiu com a queda do último emperador romano do Ocidente, Rômulo Augusto (475-76) – fato que marca o fim da Idade Antiga e o início da Idade Média. Assim como seu antecessor, Hilário, Simplício também viveu à sombra de Leão I, “o Grande” (440-61), e perdeu influência sobre a Igreja no Oriente. 
48




48. São Félix III (II)
(Felix Tertius (Secundus))13/03/0483 – 01/03/0492
Duração: 8 anos e 356 dias
País: Itália
Conhecido como Félix III pois, na época de seu papado, o nome do antipapa Félix II (355-65) ainda não havia sido retirado da lista oficial de Papas. Quando eleito, era viúvo e tinha dois filhos. Causou o chamado cisma acaciano ao excomungar Acácio de Constantinopla, patriarca que apoiou o Henotikon, édito feito em 482 pelo imperador bizantino Zenão I que buscava conciliar doutrinas rivais da Igreja oriental sobre a natureza de Jesus Cristo. A excomunhão acabou minando ainda mais o poder do Papa sobre a Igreja no Oriente, que já vinha se enfraquecendo desde seu antecessor, Simplício. 
49




49. São Gelásio I
(Gelasius)01/03/0492 – 21/11/0496
Duração: 4 anos e 266 dias
País: Africa
Segundo Papa mais importante do século V, depois de Leão I, “o Grande” (440-61), devido a sua influente teoria da natureza dupla do poder: a espiritual (a Igreja) e a temporal (o Imperador). Os dois, derivados de Deus, deveriam ser conduzidos em harmonia e independência – com superioridade, porém, do poder espiritual. Em seu pontificado, precisou navegar com habilidade pelo novo cenário político, dominado pelos novos imperadores bárbaros e Arianos (que viam Jesus como “a maior das criaturas”, porém não o Filho de Deus). 
50




50. Anastácio II
(Anastasius Secundus)24/11/0496 – 19/11/0498
Duração: 1 ano e 360 dias
País: Desconhecido
Papa eleito com a missão clara de reparar o cisma acaciano – a disputa entre as facções Ocidental e Oriental da Igreja, agravadas pela excomunhão de Acácio de Constantinopla por Félix III. Para isso, aceitou um acordo com Constantinopla sobre o Henotikon, édito feito em 482 pelo imperador bizantino Zenão I que buscava conciliar doutrinas rivais da Igreja oriental sobre a natureza de Jesus Cristo. A concessão gerou revolta entre bispos romanos, que romperam com o Papa. Anastácio II morreu antes de solucionar a crise e, por muito tempo, foi considerado traidor da Igreja.

51. São Símaco
(Symmachus)22/11/0498 – 19/07/0514
Duração: 15 anos e 242 dias
País: Itália
Teve um pontificado turbulento: assumiu com o clero dividido pelo seu antecessor, Anastácio II, e entrou em conflito com o imperador bárbaro Teodorico, o Ostrogodo, por celebrar a Páscoa de acordo com o calendário romano, e não o calendário alexandrino. Teodorico tentou derrubar o papa, mas não conseguiu.

52. Santo Hormisdas
(Hormisdus)20/07/0514 – 19/07/0523
Duração: 9 anos e 1 dias
País: Itália
Era casado e teve um filho, Silvério, que décadas depois também se tornaria papa. Teve um pontificado de reconciliação que efetivamente encerrou o cisma acaciano, conflito doutrinário que dividiu as alas Ocidental e Oriental da Igreja. A chave para a solução do conflito foi a ascenção de um novo imperador bizantino, Justino I, um católico ortodoxo.

53. São João I
(Ioannes)13/08/0523 – 18/05/0526
Duração: 2 anos e 279 dias
País: Itália
Mesmo idoso e doente (ainda que não se saiba sua idade correta), foi o primeiro Papa a viajar ao Oriente. A viagem foi imposta, contudo, pelo imperador Teodorico, o Ostrogodo, para que o Papa negociasse junto ao imperador bizantino Justino I o arrefecimento de leis contra os arianos – doutrina, seguida pelo próprio Teodorico, que consideraba Jesus “a maior das criaturas”, porém não o Filho de Deus. O Papa fracassa na missão e, ao retornar de viagem esgotado e apavorado com a reação de Teodorico, entra em colapso e morre.

54. São Félix IV (III)
(Felix Quartus (Tertius))13/07/0526 – 22/09/0530
Duração: 4 anos e 72 dias
País: Itália
Ficou conhecido por apoiar o bispo Cesário de Arles contra os semi-pelagianos, grupo que acreditava na salvação humana pela Graça divina com um importante porém: a salvação partiria obrigatoriamente de um gesto livre do próprio homem. Seu pontificado ficou marcado também por sua tentativa de escolher o sucessor (Bonifácio II) ainda em vida, atitude rejeitada pelo Senado romano.

55. Bonifácio II
(Bonifacius Secundus)22/09/0530 – 17/10/0532
Duração: 2 anos e 26 dias
País: Itália
Primeiro Papa de origem germânica. Foi escolhido pelo Papa anterior, Félix IV, quando este ainda era vivo, atitude rejeitada pelo Senado romano e por parte do clero. Tanto que a maioria dos cardeais elegeu Dióscoro, enquanto a minoria elegeu Bonifácio II. Diáscoro teria sido o Papa legítimo, mas morreu 22 dias depois de escolhido e Bonifácio II assumiu.

56. João II
(Ioannes Secundus)02/01/0533 – 08/05/0535
Duração: 2 anos e 126 dias
Nome de batismo: Mercúrio
País: Itália
Primeiro Papa a escolher o próprio nome, pois fora batizado com um nome pagão, Mercúrio. Eleito sob suspeitas de suborno. Seu pontificado ficou marcado por contradizer ensinamentos de um Papa anterior, Hormisdas (514-23), por pressão do imperador bizantino Justiniano I.

57. Santo Agapito I
(Agapetus)13/05/0535 – 22/04/0536
Duração: 345 dias
País: Itália
Sob ameaça do imperador ostrogodo Teodato, penhorou bens da Igreja para viajar a Constantinopla e tentar demover o imperador bizantino Justiniano I de tentar invadir a Itália. Não teve sucesso e morreu em Constantinopla.

58. São Silvério
(Silverius)01/06/0536 – 11/11/0537
Duração: 1 ano e 163 dias
País: Itália
Filho do Papa Hormisdas (514-23), primeiro e único subdiácono a ser eleito Papa. Logo que eleito, foi pressionado pela imperatriz bizantina Teodora, esposa de Justiniano I, a renunciar em favor do núncio apostólico Virgílio, de Constantinopla, que seria mais favorável à doutrina monofisista (crença de que Cristo não possuía natureza humana, apenas divina). Ao recusar, Silvério foi acusado de tramar em favor dos ostrogodos, banido e deposto. Justiniano I chegou a recuar e ordenar um julgamento do Papa em Roma, mas o novo Papa já havia sido escolhido e Silvério foi obrigado a renunciar.

58. São Silvério
(Silverius)01/06/0536 – 11/11/0537
Duração: 1 ano e 163 dias
País: Itália
Filho do Papa Hormisdas (514-23), primeiro e único subdiácono a ser eleito Papa. Logo que eleito, foi pressionado pela imperatriz bizantina Teodora, esposa de Justiniano I, a renunciar em favor do núncio apostólico Virgílio, de Constantinopla, que seria mais favorável à doutrina monofisista (crença de que Cristo não possuía natureza humana, apenas divina). Ao recusar, Silvério foi acusado de tramar em favor dos ostrogodos, banido e deposto. Justiniano I chegou a recuar e ordenar um julgamento do Papa em Roma, mas o novo Papa já havia sido escolhido e Silvério foi obrigado a renunciar.

59. Vigílio
(Vigilius)29/03/0537 – 07/06/0555
Duração: 18 anos e 74 dias
País: Itália
Considerado um dos papas mais corruptos da história da Igreja por vender-se à imperatriz bizantina Teodora em troca da validação da doutrina monofisista (crença de que Cristo não possuía natureza humana, apenas divina). Por sua traição, foi excomungado por bispos do norte da África em 550. Morreu de uma crise de colelitíase, ou pedra na vesícula.

60. Pelágio I
(Pelagius)16/04/0556 – 04/03/0561
Duração: 4 anos e 323 dias
País: Itália
Escolhido pelo imperador bizantino Justiniano I, sem eleição colegiada de bispos. Por essa razão, recebeu forte oposição em Roma. Apesar disso, trabalhou para reorganizar a Igreja e cuidar dos famintos na Itália após a queda do império ostrogodo na região.

61. João III
(Ioannes Tertius)17/07/0561 – 13/07/0574
Duração: 13 anos e 364 dias
Nome de batismo: Catelinus
País: Itália
Eleito com o apoio do imperador bizantino Justiniano I. Em seu pontificado, testemunhou a invasão da penísula Itálica pelos lombardos, crise que acabou reforçando a união da Igreja no Ocidente, então abalada pela interferência do imperador bizantino Justiniano I nos assuntos da Igreja em Roma.

62. Bento I
(Benedictus)02/06/0575 – 30/07/0579
Duração: 4 anos e 59 dias
País: Itália
Há poucos registros de seu pontificado, que ocorreu em meio à invasão dos lombardos na penísula Itálica.

63. Pelágio II
(Pelagius Secundus)26/11/0579 – 07/02/0590
Duração: 10 anos e 76 dias
País: Itália
Pontificou em meio ao cerco dos lombardos à penísula Itálica, que fez com que o Papa enviasse pedidos de ajuda a Constantinopla e aos francos, sem sucesso. Morreu doente, após a praga desencadeada pela inundação do rio Tibre.

64. São Gregório I
(Gregorius Magnus)03/09/0590 – 12/03/0604
Duração: 13 anos e 193 dias
País: Itália
Segundo Papa da história a ser chamado de “o Grande”, depois de Leão I (440-61). Era considerado um grande escritor, cujo livro “Ação Pastoral” serviu de base para todos os bispos católicos na Idade Média. Em tempos de fome e guerra, urgiu a todo o clero o cuidado com os pobres como prioridade da Igreja. Não apenas conseguiu negociar uma trégua com os lombardos como conteve sua reação quando a trégua foi quebrada pelo vice-rei em Ravena. Na prática, tornou-se o líder político e espiritual de Roma. Foi responsável também pela imposição do celibato ao clero e pelo incentivo à música litúrgica (mais tarde chamado de canto gregoriano em sua homenagem).

65. Sabiniano
(Sabinianus)13/09/0604 – 22/02/0606
Duração: 1 ano e 162 dias
País: Itália
Foi um dos papas mais impopulares da história, tanto que seu funeral teve que ser feito fora de Roma para evitar protestos. O motivo: com a retomada da ofensiva lombarda à penísula Itálica, a Igreja passou a cobrar dos pobres pela comida que antes, sob o Papa Gregório I (590-604), era distribuída gratuitamente. Foi acusado de lucrar com o sofrimento do povo e, por isso, desprezado.

66. Bonifácio III
(Bonifacius Tertius)19/02/0607 – 12/11/0607
Duração: 266 dias
País: Itália
Teve pontificado curto, de apenas alguns meses, em que proibiu enfaticamente a discussão sobre a sucessão papal com o pontífice ainda no cargo. A medida foi uma tentativa de conter as intrigas entre os grupos pró e anti-monástica da Igreja.

67. São Bonifácio IV
(Bonifacius Quartus)25/08/0608 – 08/05/0615
Duração: 6 anos e 257 dias
País: Itália
Discípulo do Papa Gregório I (590-604) na defesa do monasticismo e dos pobres.

68. São Adeodato I
(Adeodatus)19/10/0615 – 08/11/0618
Duração: 3 anos e 21 dias
País: Itália
Eleito com o apoio do grupo anti-monástico da Igreja, que ganhara força com os Papas Gregório I (590-604) e Bonifácio IV (608-15). É o primeiro Papa de que se tem registro a deixar, em seu leito de morte, uma herança ao seu clero.

69. Bonifácio V
(Bonifacius Quintus)23/11/0619 – 25/10/0625
Duração: 5 anos e 338 dias
País: Itália
Assim como seu antecessor, Adeodato I (615-18), favoreceu ao clero diocesano ante aos monásticos, apoiados por Gregório I (590-604) e Bonifácio IV (608-15). Ficou conhecido como um papa generoso e preocupado com os pobres, a quem doou toda sua fortuna.

70. Honório I
(Honorius)27/10/0625 – 12/10/0638
Duração: 12 anos e 353 dias
País: Itália
Um dos poucos Papas da história a ser condenado por um concílio ecumênico por desvio de doutrina em sua aceitação de teses consideradas heréticas sobre a Trindade. Apesar disso, foi considerado um Papa eficiente e um bom líder.

71. Severino
(Severinus)Outubro de 638 – 02/08/0640
Duração: 1 ano e 295 dias
País: Itália
Sua consagração como Papa demorou dois anos devido a sua recusa de um documento monotelista do imperador (heresia que considera que em Cristo há apenas uma vontade divina, e não duas, divina e humana). Enquanto aguardava sua confirmação, teve sua fortuna saqueada por soldados do império. Morreu dois meses após sua confirmação como Papa.

72. João IV
(Ioannes Quartus)24/12/0640 – 12/10/0642
Duração: 1 ano e 292 dias
País: Croácia
Assumindo uma questão imposta ao seu antecessor, Severino (640), coube a João IV a recusa enfática à pressão do imperador pela validação da doutrina monotelista (heresia que considera que em Cristo há apenas uma vontade divina, e não duas, divina e humana).

73. Teodoro I
(Theodorus)24/11/0642 – 14/05/0649
Duração: 6 anos e 173 dias
País: Cisjordânia
Inimigo implacável do monotelismo (heresia que considera que em Cristo há apenas uma vontade divina, e não duas, divina e humana), doutrina que tinha apoio de Constantinopla.

74. São Martinho I
(Martinus)Julho de 649 – 16/09/0654
Duração: 5 anos e 78 dias
País: Itália
Último Papa a ser considerado mártir (morto por professar a fé cristã). Enfureceu o imperador bizantino Constante II primeiro ao ser consagrado Papa sem sua aprovação. Depois, ao convocar um concílio para condenar o monotelismo (heresia que considera que em Cristo há apenas uma vontade divina, e não duas, divina e humana). Constante II depôs o Papa, mandou sequestrá-lo e o condenou, após julgamento em Constantinopla, a flagelação e à morte, pena posteriormente convertida em exílio. Morreu na Crimeia, em 655.

75. Santo Eugénio I
(Eugenius)10/08/0654 – 02/06/0657
Duração: 2 anos e 297 dias
País: Itália
Eleito Papa quando seu antecessor, Martinho I, ainda estava vivo, no exílio. Tentou, sem sucesso, reparar as relações com Constantinopla sobre a questão do monotelismo (heresia que considera que em Cristo há apenas uma vontade divina, e não duas, divina e humana).

76. São Vitaliano
(Vitalianus)30/07/0657 – 27/01/0672
Duração: 14 anos e 184 dias
País: Itália
Adotou tom mais conciliatório com Constantinopla acerca do monotelismo (heresia que considera que em Cristo há apenas uma vontade divina, e não duas, divina e humana) e, por isso, ganhou presentes e apoio do império Bizantino. Também esforçou-se para que ganhasse mais influência sobre a Igreja na Inglaterra.

77. Adeodato II
(Adeodatus Secundus)11/04/0672 – 17/06/0676
Duração: 4 anos e 68 dias
País: Itália
Ao contrário de seu antecessor, rejeitou o diálogo com o imperador bizantino sobre o monotelismo (heresia que considera que em Cristo há apenas uma vontade divina, e não duas, divina e humana). Tinha reputação de caridade e generosidade com os pobres, peregrinos e o clero.

78. Dono
(Donus)02/11/0676 – 11/04/0678
Duração: 1 ano e 160 dias
País: Itália
Convenceu o arcebispo de Ravena a abrir mão de sua independência administrativa em relação a Roma, privilégio que fora estabelecido em 666. Também ficou conhecido como um construtor e reparador de igrejas.

79. Santo Agatão
(Agatho)27/06/0678 – 10/01/0681
Duração: 2 anos e 198 dias
País: Itália
Pontificado marcado pelo fim da polêmica com Constantinopla acerca do monotelismo (heresia que considera que em Cristo há apenas uma vontade divina, e não duas, divina e humana), que durava décadas.

80. São Leão II
(Leo Secundus)Dezembro de 681 – 03/07/0683
Duração: 1 ano e 214 dias
País: Itália
Papa que efetivamente aprovou os atos do Terceiro Concílio de Constantinopla sobre a condenação do monotelismo (heresia que considera que em Cristo há apenas uma vontade divina, e não duas, divina e humana).

81. São Bento II
(Benedictus Secundus)26/06/0684 – 08/05/0685
Duração: 316 dias
País: Itália
Conhecido como Papa humilde, gentil e caridoso com os pobres

82. João V
(Ioannes Quintus)12/07/0685 – 02/08/0686
Duração: 1 ano e 21 dias
País: Síria
Há poucos registros de seu pontificado, que durou pouco mais que um ano.

83. Cónon
(Conon)21/10/0686 – 22/09/0687
Duração: 336 dias
País: Desconhecido
Papa considerado ingênuo e fraco fisicamente, cujo pontificado ficou marcado pela nominação de um diácono que se mostrou corrupto.

84. São Sérgio I
(Sergius)15/12/0687 – 08/09/0701
Duração: 13 anos e 270 dias
País: Itália
Em contraste a seu antecessor, Cónon, considerado fraco e ingênuo, Sérgio foi um Papa forte e resoluto, que não cedeu às pressões do imperador bizantino Justiniano II pelo enfraquecimento do poder da Igreja no Ocidente. Em resposta, o imperador tentou capturar o Papa, em Roma, mas enfrentou forte resistência das tropas em Ravena e, por isso, acabou deposto e exilado.

85. João VI
(Ioannes Sextus)30/10/0701 – 11/01/0705
Duração: 3 anos e 74 dias
País: Grécia
Pontificado de poucas realizações, exceto o dispêndio de grandes somas de dinheiro no pagamento de resgate de prisioneiros capturados em batalhas por terras da Igreja.

86. João VII
(Ioannes Septimus)01/03/0705 – 18/10/0707
Duração: 2 anos e 231 dias
País: Grécia
Primeiro Papa filho de um oficial do império. Ficou marcado como um patrono das artes e construtor que patrocinou a restauração e o adorno de várias igrejas com mosaicos e afrescos – frequentemente retratando a si próprio.

87. Sisínio
(Sisinnius)15/01/0708 – 04/02/0708
Duração: 20 dias
País: Síria
Embora respeitado e admirado, assumiu o cargo tão enfermo de gota que não conseguia nem usar as mãos para alimentar a si mesmo. Morreu 20 dias após sua eleição.

88. Constantino
(Constantinus)25/03/0708 – 09/04/0715
Duração: 7 anos e 16 dias
País: Síria
O principal evento em seu pontificado foi uma viagem de um ano a Constantinopla, onde reconciliou a Igreja com o imperador Justiniano II, depois de décadas de discórdia. Logo ao retornar a Roma, porém, o imperador foi assassinado e seu sucessor, Filípico, exigiu novamente a aceitação do Papa à doutrina monotelita (heresia que considera que em Cristo há apenas uma vontade divina, e não duas, divina e humana). Com a recusa do Papa e a tentativa de imposição da vontade do imperador pelo exarco de Ravena, houve um conflito sangrento em Roma. Filípico, porém, foi deposto e seu sucessor retomou o acordo de Justiniano II.

89. São Gregório II
(Gregorius Secundus)19/05/0715 – 11/02/0731
Duração: 15 anos e 272 dias
País: Itália
Considerado o principal Papa do século VIII. Conseguiu retomar propriedades tomadas pelos lombardos, evitar os altos impostos cobrados pelo imperador Leão III e recusar seu banimento à veneração de imagens sacras. Também ajudou a expandir a liturgia Católica Romana entre os germânicos.

90. Gregório III
(Gregorius Tertius)18/03/0731 – 28/11/0741
Duração: 10 anos e 258 dias
País: Síria
Escolhido Papa por aclamação popular ainda no velório de seu antecessor, Gregório II. Condenou o movimento iconoclasta (proibição do culto a imagens sacras) disseminado pelo imperador Leão III. Apesar da discordância, o Papa permaneceu fiel ao império.

91. São Zacarias
(Zacharias)03/12/0741 – 22/03/0752
Duração: 10 anos e 112 dias
País: Grécia
Último Papa a enviar um pedido de confirmação de sua eleição a Constantinopla. Continuou a aproximação da Igreja romana com a Alemanha ao apoiar Pepino III – posteriormente conhecido como Pepino, o Breve – como rei dos francos.

92. Estêvão II (III)
(Stephanus Secundus (Tertius))26/03/0752 – 26/04/0757
Duração: 5 anos e 32 dias
País: Desconhecido
Primeiro Papa a estabelecer independência do império bizantino e colocar a Igreja sob proteção do império franco. Ao ver Roma ameaçada pelos lombardos, o Papa pediu ajuda a Pepino III, que por duas vezes derrotou os invasores. Foi o líder franco que concedeu à Igreja os territórios que se tornariam os Estados Pontifícios, que pertenceram à instituição até a unificação da Itália, em 1870.

93. São Paulo I
(Paulus)29/05/0757 – 28/06/0767
Duração: 10 anos e 32 dias
País: Itália
Primeiro Papa a suceder o próprio irmão, Estevão II. Durante seu pontificado, lutou pela consolidação dos Estados Pontifícios, território concedido à Igreja pelo imperador franco Pepino, o Breve, em 754. É considerado um Papa rígido e que alienou parte da aristocracia de Roma.

94. Estêvão III (IV)
(Stephanus Tertius (Quartus))07/08/0767 – 24/01/0772
Duração: 4 anos e 171 dias
País: Itália
Assumiu sob a sombra de Cristóvão, primicerius (chefe da chancelaria e da biblioteca papal), que conspirou por sua eleição. Ao tentar se livrar da influência de Cristóvão, associou-se ao rei dos lombardos, Desidério, que articulou o assassinato de Cristóvão e seu filho, Sérgio, e passou a ter controle sobre o Papa até o fim de seu pontificado.

95. Adriano I
(Hadrianus)01/02/0772 – 26/12/0795
Duração: 23 anos e 334 dias
País: Itália
Foi em seu pontificado que houve a confirmação dos Estados Pontifícios, amplo território concedido à Igreja e que se estendia pelas regiões italianas atuais de Roma, Marcas, Úmbria e Lácio. Em seu pontificado, apoiou os ensinamentos do Segundo Concílio da Niceia, que condenou a iconoclastia (movimento contrário à veneração de imagens sacras).

96. São Leão III
(Leo Tertius)26/12/0795 – 12/06/0816
Duração: 20 anos e 174 dias
País: Itália
Primeiro e único Papa a jurar obediência a um imperador do ocidente – Carlos Magno, primeiro imperador carolíngeo e coroado pelo próprio Papa. Enfrentou oposição dos parentes aristocratas de seu antecessor, Adriano I, que tentaram matá-lo e cegá-lo em um ataque enquanto o Papa fazia uma procissão. Chegou a ser capturado, mas escapou.

97. Estêvão IV (V)
(Stephanus Quartus (Quintus))12/06/0816 – 24/01/0817
Duração: 226 dias
País: Itália
Primeiro Papa a indicar um imperador, invertendo pela primeira vez a lógica que era aplicada na relação entre a Igreja e os imperadores bizantinos. Teve um pontificado e conciliação e de alta popularidade.

98. São Pascoal I
(Paschalis)25/01/0817 – 11/02/0824
Duração: 7 anos e 18 dias
País: Itália
Por seu estilo severo, tornou-se um Papa impopular em Roma e, por essa razão, acabou nem sendo enterrado na Basílica de São Pedro. Teve relação harmoniosa com o imperador Luís I, o Piedoso, que reafirmou a autoridade papal sobre os Estados Pontifícios e jurou não interferir em assuntos eclesiásticos. Entrou em conflito, porém, com o filho do imperador, Lotário I, que tentou isentar uma abadia ao norte de Roma do pagamento de impostos à Igreja.

99. Eugénio II
(Eugenius Secundus)08/05/0824 – Agosto de 827
Duração: 3 anos e 115 dias
País: Itália
Por conta do conflito entre seu antecessor, Pascoal I, e o co-imperador romano-germânico Lotário I, o novo Papa fez concessões ao jurar aliança ao imperador Luís I, o Piedoso, e reconhecer a soberania dos Estados Pontifícios a ele. O novo domínio do império sobre a Igreja ficou registrado no documento conhecido como a Constituição Romana de 824. O Papa manteve, contudo, o controle sobre os assuntos eclesiásticos como a simonia (compra e venda de cargos eclesiásticos), deveres e qualificações dos bispos, casamento e outros assuntos.

100. Valentino
(Valentinus)Agosto de 827 – Setembro de 827
Duração: 31 dias
País: Itália
Eleito por unanimidade, mas morreu cerca de um mês depois e não deixou obra marcante.
Agora, uma lista com nomes e datas de seus pontificados
A lista de todos os Papas segue abaixo, em ordem cronológica. Nela não estão incluídos os chamados "anti-papas", que foram clérigos eleitos ilegitimamente no decorrer da História: nesses casos houve usurpação do cargo pontifício. A lista está organizada em ordem decrescente, isto é, do último para o primeiro Papa: de Francisco até o Apóstolo Pedro.

2013 - ... - Francisco (Jorge Mario Bergoglio)
2005 - 2013 - Bento XVI (Joseph Ratzinger)
1978 - 2005 - João Paulo II (Karol Woityla)
1978 - 1978 - João Paulo I (Albino Luciani)
1963 - 1978 - Paulo VI (Giovanni Battista Montini)
1958 - 1963 - João XXIII (Angelo Giuseppe Roncalli)
1939 - 1958 - Pio XII (Eugenio Pacelli)

1922 - 1939 - Pio XI (Achille Ratti)
1914 - 1922 - Bento XV (Giacomo Marchese della Chiesa)
1903 - 1914 - Pio X (Giuseppe Sarto)
1878 - 1903 - Leão XIII (Giocchino Vincenzo de Pecci)
1846 - 1878 - Pio IX (Giovanni Conte Mastai-Ferretti)
1831 - 1846 - Gregório XVI (Bartolomeo Cappellari)
1829 - 1830 - Pio VIII (Francesco Saverio Castiglioni)
1823 - 1829 - Leão XII (Annibale della Genga)
1800 -1823 - Pio VII (Luigi Barnaba Chiaramonti)
1775 - 1799 - Pio VI (Giovanni Angelo Conte Braschi)

1769 - 1774 - Clemente XIV (Lorenzo Ganganelli)
1758 - 1769 - Clemente XIII (Carlo Rezzonico)
1740 - 1758 - Bento XIV (Prospero Lambertini)
1730 - 1740 - Clemente XII (Lorenzo Corsini)
1724 - 1730 - Bento XIII (Pietro Francesco Orsini)
1721 - 1724 - Inocêncio XIII (Michelangelo Conti)
1700 - 1721 - Clemente XI (Giovanni Francesco Albani)
1691 - 1700 - Inocêncio XII (Antonio Pignatelli)
1689 - 1691 - Alexandre VIII (Pietro Ottoboni)
1676 - 1689 - Inocêncio XI (Benedetto Odescalchi)

1670 - 1676 - Clemente X (Emilio Altieri)
1667 - 1669 - Clemente IX (Giulio Rospigliosi)
1655 - 1667 - Alexandre VII (Fabio Chigi)
1644 - 1655 - Inocêncio X (Giambattista Pamphili)
1623 - 1644 - Urbano VIII (Maffeo Barberini)
1621 - 1623 - Gregório XV (Alessandro Ludovisi)
1605 - 1621 - Paulo V (Camillo Borghesi)
1605 - Leão XI (Alessandro Ottaviano de Medici)
1592 - 1605 - Clemente VIII (Ippolito Aldobrandini)
1591 - Inocêncio IX (Giovanni Antonio Facchinetti)

1590 - 1591 - Gregório XIV (Niccolo Sfondrati)
1590 - Urbano VII (Giambattista Castagna)
1585 - 1590 - Sisto V (Felici Peretti)
1572 - 1585 - Gregório XIII (Ugo Boncompagni)
1566 – 1572 - Pio V (Michele Ghislieri)
1559 - 1565 - Pio IV (Giovanni Angelo de Medici)
1555 - 1559 - Paulo IV (Gianpetro Caraffa)
1555 - Marcelo II (Marcelo Cervini)
1550 - 1555 - Júlio III (Giovanni Maria del Monte)
1534 - 1549 - Paulo III (Alessandro Farnese)

1523 - 1534 - Clemente VII (Giulio de Medici)
1522 - 1523 - Adriano VI (Adriano de Utrecht)
1513 - 1521 - Leão X (Giovani de Medici)
1503 - 1513 - Júlio II (Giuliano della Rovere)
1503 - Pio III (Francesco Todeschini-Piccolomini)
1492 - 1503 - Alexandre VI (Rodrigo de Bórgia
1484 - 1492 - Inocêncio VIII (Giovanni Battista Cibo)
1471 - 1484 - Sisto IV (Francesco della Rovere)
1464 - 1471 - Paulo II (Pietro Barbo)
1458 - 1464 - Pio II (Enea Silvio de Piccolomini)

1455 - 1458 Calisto III (Alfonso de Bórgia)
1447 - 1455 Nicolau V (Tomaso Parentucelli)
1431 - 1447 Eugênio IV (Gabriel Condulmer)
1417 - 1431 Martinho V (Odo Colonna)
1406 - 1417 Gregório XII (Angelo Correr)
1404 - 1406 Inocêncio VII (Cosma de Migliorati)
1389 - 1404 Bonifácio IX (Pietro Tomacelli)
1378 - 1389 Urbano VI (Bartolomeo Prignano)
1370 - 1378 Gregório XI (Pedro Rogerii)
1362 - 1370 Urbano V (Guillaume de Grimoard)

1352 - 1362 - Inocêncio VI (Etienne Aubert)
1342 - 1352 - Clemente VI (Pierre Roger de Beaufort)
1334 - 1342 - Bento XII (Jacques Fournier)
1316 - 1334 - João XXII (Jacques Duèse)
1305 - 1314 - Clemente V (Bertrand de Got)
1303 - 1304 - Bento XI (Nicolau Boccasini)
1294 - 1303 - Bonifácio VIII (Bento Gaetani)
1294 - Celestino V (Pietro del Murrone)
1288 - 1292 - Nicolau IV (Girolamo Masei de Ascoli)
1285 - 1287 - Honório IV (Giacomo Savelli)

1281 - 1285 - Martinho IV (Simão de Brion)
1277 - 1280 - Nicolau III (Giovanni Gaetano Orsini)
1276 - 1277 - João XXI (Pedro Juliani)
1276 - Adriano V (Ottobono Fieschi)
1276 - Inocêncio V (Pedro de Tarantasia)
1271 - 1276 - Gregório X (Teobaldo Visconti)
1265 - 1268 - Clemente IV (Guido Fulcodi)
1261 - 1264 - Urbano IV (Jacques Pantaleon de Troyes)
1254 - 1261 - Alexandre IV (Reinaldo, conde de Segni)
1243 - 1254 - Inocêncio IV (Sinibaldo Fieschi)

1241 - Celestino IV (Gaufredo Castiglione)
1227 - 1241 - Gregório IX (Hugo, conde de Segni)
1216 - 1227 - Honório III (Censio Savelli)
1198 - 1216 - Inocêncio III (Lotário, conde de Segni)
1191 - 1198 - Celestino III (Jacinto Borboni-Orsini)
1187 - 1191 - Clemente III (Paulo Scolari)
1187 - Gregório VIII (Alberto de Morra)
1185 - 1187 - Urbano III (Humberto Crivelli)
1181 - 1185 - Lúcio III (Ubaldo Allucingoli)
1159 - 1180 - Alexandre III (Rolando Bandinelli de Siena)

1154 - 1159 - Adriano IV (Nicolau Breakspeare)
1153 - 1154 - Anastácio IV (Conrado, Bispo de Sabina)
1145 - 1153 - Eugênio III (Bernardo Paganelli de Montemagno)
1144 - 1145 - Lúcio II (Gherardo de Caccianemici)
1143 - 1144 - Celestino II (Guido di Castello)
1130 - 1143 - Inocêncio II (Gregorio de Papareschi)
1124 - 1130 - Honório II (Lamberto dei Fagnani)
1119 - 1124 - Calisto II (Guido de Borgonha, Arcebispo de Viena)
1118 - 1119 - Gelásio II (João de Gaeta)
1099 - 1118 - Pascoal II (Rainério, monge de Cluny)

1088 - 1099 - Urbano II (Odo, Cardeal-Bispo de Óstia)
1086 - 1087 - Vítor III (Desidério, abade de Monte Cassino)
1073 - 1085 - Gregório VII (Hildebrando, monge)
1061 - 1073 - Alexandre II (Anselmo de Baggio)
1059 - 1061 - Nicolau II (Geraldo de Borgonha, Bispo de Florença)
1057 - 1058 - Estevão X (Frederico, abade de Monte Cassino)
1054 - 1057 - Vitor II (Geraldo de Borgonha, Bispo de Florença)
1049 - 1054 - Leão IX (Bruno, conde de Egisheim-Dagsburg)
1048 - Dâmaso II (Poppo, conde de Brixen)
1047 - 1048 - (Teofilato de Túsculo) - 3º Pontificado

1046 - 1047 - Clemente II (Suidgero de Morsleben)
1045 - 1046 - Gregório VI (João Graciano Pierleone)
1045 - Bento IX (Teofilato de Túsculo) - 2º Pontificado
1045 - Silvestre III, romano
1033 - 1045 - Bento IX (Teofilato de Túsculo) - 1º Pontificado
1024 - 1032 - João XIX (conde de Túsculo)
1012 - 1024 - Bento VIII (conde de Túsculo)
1009 - 1012 - Sérgio IV (Pietro Buccaporci)
1003 - 1009 - João XVIII (João Fasano de Roma)
1003 - João XVII (Giovanni Sicco)

999 - 1003 - Silvestre II (Gerberto de Aurillac)
996 - 999 - Gregório V (Bruno de Carínthia)
985 - 996 - João XV
983 - 984 - João XIV (Pedro Canipanova)
974 – 983 - Bento VII
972 – 974 - Bento VI
965 - 972 - João XIII (João de Nardi)
964 - Bento V
963 - 965 - Leão VIII
955 - 964 - João XII

946 - 955 - Agapito II
942 - 946 - Marino II (ou Martinho III)
939 - 942 - Estevão IX
936 - 939 - Leão VII
931 - 935 - João XI
928 - 931 - Estevão VIII
928 - Leão VI
914 - 928 - João X (João de Tossignano, Arcebispo de Ravena)
913 - 914 - Lando
911 - 913 - Anastácio III

904 - 911 - Sérgio III
903 - Leão V
900 - 903 - Bento IV
898 - 900 - João IX
897 - Teodoro II
897 - Romano
896 - 897 - Estevão VII
896 - Bonifácio VI
891 - 896 - Formoso
885 - 891 - Estevão VI

884 - 885 - Adriano III
882 - 884 - Marino I (ou Martinho II)
872 - 882 - João VIII
867 - 872 - Adriano II
858 - 867 - Nicolau I
855 - 858 - Bento III
847 - 855 - Leão IV
844 - 847 - Sérgio II
827 - 844 - Gregório IV
827 - Valentim

824 - 827 - Eugênio II
817 – 824 - Pascoal I
816 – 817 - Estevão V
795 – 816 - Leão III
772 – 795 - Adriano I
768 – 772 - Estevão IV
757 – 767 - Paulo I
752 – 757 - Estevão III
752 - Estevão [II] (pontificado de apenas 4 dias)
741 – 752 - Zacarias

731 – 741 - Gregório III
715 – 731 - Gregório II
708 – 715 - Constantino
708 - Sisínio
705 – 707 - João VII
701 – 705 - João VI
687 – 701 - Sérgio I
686 – 687 - Cônon
685 – 686 - João V
683 – 685 - Bento II

682 – 683 - Leão II
678 – 681 - Agatão
676 – 678 - Dono
672 – 676 - Adeodato II (ou Deusdedite II)
657 – 672 - Vitaliano
654 – 657 - Eugênio I
649 – 655 - Martinho I
642 – 649 - Teodoro I
640 – 642 - João IV
638 – 640 - Severino

625 – 638 - Honório I
619 – 625 - Bonifácio V
615 – 618 - Adeodato I (ou Deusdedite I)
608 – 615 - Bonifácio IV
606 – 607 - Bonifácio III
604 – 606 - Sabiniano
590 – 604 - Gregório I Magno
579 – 590 - Pelágio II
575 – 579 - Bento I
561 – 574 - João III

556 – 561 - Pelágio I
537 – 555 - Vigílio
536 – 537 - Silvério
535 – 536 - Agapito I (ou Agapeto)
533 – 535 - João II
530 – 532 - Bonifácio II
526 – 530 - Félix III
523 – 526 - João I
514 – 523 - Hormisdas
498 – 514 - Símaco

496 - 498 - Anastácio II
492 - 496 - Gelásio I
483 - 492 - Félix II
468 - 483 - Simplício
461 - 468 - Hilário (ou Hilaro)
440 - 461 - Leão I Magno
432 - 440 - Sisto III
422 - 432 - Celestino I
418 - 422 - Bonifácio I
417 - 418 - Zózimo

402 - 417 - Inocêncio I
399 - 402 - Anastácio I
384 - 399 - Sirício
366 - 384 - Dâmaso I
352 - 366 - Libério
337 - 352 - Júlio I
336 - Marcos
314 - 335 - Silvestre I
310 - 314 - Melcíades
309 - 310 - Eusébio

307 - 309 - Marcelo I
296 - 304 - Marcelino
282 - 296 - Caio
274 - 282 - Eutiquiano
268 - 274 - Félix I
260 - 268 - Dionísio
257 - 258 - Sisto II
254 - 257 - Estevão I
253 - 254 - Lúcio I
251 - 253 - Cornélio

236 - 250 - Fabiano
235 - 236 - Antero
230 - 235 - Ponciano
222 - 230 - Urbano I
217 - 222 - Calisto I
199 - 217 - Zeferino
189 - 199 - Vítor I
174 - 189 - Eleutério
166 - 174 - Sotero
154 - 165 - Aniceto

143 - 154 - Pio I
138 - 142 - Higino
125 - 138 - Telésforo
116 - 125 - Sisto I
107 - 116 - Alexandre I
101 - 107 - Evaristo
90 - 101 - Clemente I
79 - 90 - Anacleto (ou Cleto)
64 - 79 - Lino
33-64 - Apóstolo Pedro

Continuaremos na próxima segunda feira...

Viva vencendo, crendo apenas em nosso Deus, o Todo Poderoso. O homem não pode nos salvar!!!

Abraços.

Seu irmão menor

Nenhum comentário:

Postar um comentário