26 dezembro 2016

PORQUE DEUS CONDENA A HOMOSSEXUALIDADE

Resultado de imagem para simbolo do lesbianismo
Deus abençoou o sexo entre o casal (HOMEM/MULHER) e deu o DOMÍNIO sobre a Terra. “Deus os abençoou, e lhes disse: ´Sejam férteis e multipliquem-se! Encham e subjuguem a terra! Dominem sobre os peixes do mar, sobre as aves do céu e sobre todos os animais que se movem pela terra’.” Gn. 1:28. A palavra “domínio” usada no original hebraico é “radhah” que quer dizer “reinar sobre”. Em outras palavras, o homem era o DONO DA TERRA.
Deus não só deu a Terra de presente ao homem, mas ordenou a ele e o advertiu a GUARDAR essa Terra.“Tomou, pois, o SENHOR Deus ao homem e o colocou no jardim do Éden para o cultivar e o guardar.” Gn 2:15. No original hebraico, a palavra usada para “guardar” é “shamar”, que significa: “GUARDAR CONTRA INTRUSOS”. Deus estava avisando Adão e Eva que haveria um intruso.
O diabo, após sua rebelião foi expulsou do céu, e lançou dúvidas  na humanidade, questionando o caráter divino. O Diabo havia lançado dúvidas a respeito do amor de Deus.
Deus se encontrava com o casal (MACHO E FÊMEA) todos os dias, na hora do pôr-do-sol-Gn 3.8. Deus também os advertiu:“Coma livremente de qualquer árvore do jardim, mas não coma da árvore do conhecimento do bem e do mal, porque no dia em que dela comer, certamente  morrerás.” Gn 2.16-17.
Já conhecemos a história:
Eva decidiu contra Deus e Adão também. Os dois pecaram! Essa escolha trouxe terríveis conseqüências. Agora, Satanás teria a oportunidade de mostrar ao universo como seria o seu domínio. “Portanto, da mesma forma como o pecado entrou no mundo por um homem, e pelo pecado a morte, assim também a morte veio a todos os homens, porque todos pecaram.” (Rm 5.12).
Adão, o DONO DA TERRA, vendeu para Satanás o presente que Deus havia lhe dado. 
Satanás passou a ser O DONO DA TERRA (ver Lucas 4:6). Jesus reconheceu que Satanás é o “príncipe” deste mundo: “Já não lhes falarei muito, pois o príncipe deste mundo está vindo.” (Jo 14.30) (v.d Jo12.31; 16.11).
Depois do pecado, Satanás começou a estabelecer as bases do seu reino no mundo (universo)
Surgiram doenças, pestes, sofrimentos, mudanças climáticas e mudanças no caráter do ser humano. O apóstolo Paulo disse que nos últimos dias os homens seriam “egoístas, avarentos, presunçosos, arrogantes, blasfemos, desobedientes aos pais, ingratos, ímpios… cruéis, inimigos do bem… mais amantes dos prazeres do que amigos de Deus.” (II Tm 3.1-4).
Casamento Gay uma invenção do Diabo
Não sou homofóbico, mas cristão. Não concordo com a homossexualidade e nem com o casamento do mesmo sexo. Não chamo de opção sexual o que eu entendo que Deus chama de pecado e não pretendo mudar de pensamento enquanto viver no intuito de ser fiel ao meu Deus ao invés de um conformado aos padrões do mundo.
O “casamento”   homossexual é prejudicial a espécie humana e deve ser combatido

VEJAMOS ALGUMAS RAZÕES:

I) O “casamento” homossexual impõe a sua aceitação por toda a sociedade
Ao legalizar o “casamento” homossexual, o Estado se torna o seu promotor oficial e ativo. O Estado exige que os servidores públicos celebrem a nova cerimônia civil, ordena as escolas públicas a ensinarem sua aceitação pelas crianças, e pune qualquer funcionário que manifeste sua desaprovação. Na esfera privada, pais contrariados vão ver seus filhos expostos mais do que nunca a esta nova “moralidade”; as empresas que oferecem serviços de casamento serão obrigadas a fornecê-los a uniões de pessoas do mesmo sexo; e proprietários de imóveis terão de concordar em aceitar “casais” homossexuais como inquilinos. Em todas as situações em que o casamento afete a sociedade, o Estado vai esperar que os cristãos e todas as pessoas de boa vontade traiam suas consciências, coonestando, por silêncio ou ação, um ataque à ordem natural e à moral cristã.
II) O “casamento” homossexual transforma um erro moral num Direito Civil Os ativistas homossexuais afirmam que o “casamento” homossexual é uma questão de direitos civis, semelhante à luta pela igualdade racial nos anos 1960
Isso é falso. Primeiro de tudo, comportamento sexual e raça são realidades essencialmente diferentes. Um homem e uma mulher querendo casar-se podem ser diferentes em suas características: um pode ser preto, o outro branco; um rico e o outro pobre; ou um alto e o outro baixo. Nenhuma dessas diferenças são obstáculos insuperáveis para o casamento. Os dois indivíduos são ainda um homem e uma mulher e, portanto, as exigências da natureza são respeitadas. O “casamento” homossexual se opõe à natureza. Duas pessoas do mesmo sexo, independentemente da sua raça, riqueza, estatura, erudição ou fama, nunca serão capazes de se casar por causa de uma insuperável impossibilidade biológica. Em segundo lugar, características raciais herdadas e imutáveis não podem ser comparadas com comportamentos não-genéticos e mutáveis. Simplesmente, não há analogia entre o casamento inter-racial de um homem e uma mulher e o “casamento” entre duas pessoas do mesmo sexo.
III) O “casamento” homossexual valida e promove o estilo de vida homossexual Em nome da “família”, o “casamento” homossexual serve para validar não só as referidas uniões, mas todo o estilo de vida homossexual em todas as suas variantes, bissexuais e transgêneros
As leis civis são princípios que estruturam a vida do homem na sociedade. Como tais, elas desempenham um papel muito importante, e por vezes decisivo, que influenciam os padrões de pensamento e comportamento. Elas configuram externamente a vida da sociedade, mas também modificam profundamente a percepção de todos e a avaliação de formas de comportamento. O reconhecimento legal do “casamento” homossexual necessariamente obscurece certos valores morais básicos, desvaloriza o casamento tradicional e enfraquece a moralidade pública.
IV) O “casamento” homossexual viola a Lei Natural Casamento não é apenas qualquer relacionamento entre seres humanos
É uma relação enraizada na natureza humana e, portanto, regida pela lei natural. O preceito mais elementar da lei natural é que “o bem deve ser feito e buscado e o mal deve ser evitado”. Pela razão natural, o homem pode perceber o que é moralmente bom ou mau. Assim, ele pode conhecer o objetivo ou finalidade de cada um de seus atos e como é moralmente errado transformar os meios que o ajudam a realizar um ato em finalidade do ato. Qualquer situação que institucionalize a defraudação da finalidade do ato sexual viola a lei natural e a norma objetiva da moralidade. Estando enraizada na natureza humana, a lei natural é universal e imutável. Ela se aplica da mesma forma a toda a raça humana. Ela manda e proíbe de forma consistente, em todos os lugares e sempre. São Paulo, na Epístola aos Romanos, ensina que a lei natural está inscrita no coração de todo homem (Rom 2,14-15).
V) O “casamento” homossexual não cria uma família, mas uma união naturalmente estéril

O casamento tradicional é geralmente tão fecundo, que aqueles que querem frustrar o seu fim tem de fazer violência à natureza para impedir o nascimento de crianças, usando a contracepção.
Ele tende, naturalmente, a criar famílias. Pelo contrário, o “casamento” homossexual é intrinsecamente estéril. Se os “cônjuges” querem ter um “filho”, eles devem contornar a natureza por meios caros e artificiais ou empregar maternidade de substituição [“mães de aluguel”]. A tendência natural de tal união não é criar famílias. Portanto, não podemos chamar de casamento a união de pessoas do mesmo sexo e dar-lhe os benefícios do casamento verdadeiro.
VI) O “casamento” homossexual não é casamento Chamar algo de casamento não faz disso um casamento
O casamento sempre foi uma aliança entre um homem e uma mulher, ordenada por sua natureza à procriação e educação dos filhos, assim como à unidade e bem-estar dos cônjuges. Os promotores do “casamento” homossexual propõem algo completamente diferente. Eles propõem a união entre dois homens ou duas mulheres. Isso nega as evidentes diferenças biológicas, fisiológicas e psicológicas entre homens e mulheres, que encontram a sua complementaridade no casamento. Nega também a finalidade primária específica do casamento: a perpetuação da raça humana e a educação dos filhos. Duas coisas completamente diferentes não podem ser consideradas a mesma coisa.
VII) O “casamento” homossexual não é casamento Chamar algo de casamento não faz disso um casamento
O casamento sempre foi uma aliança entre um homem e uma mulher, ordenada por sua natureza à procriação e educação dos filhos, assim como à unidade e bem-estar dos cônjuges. Os promotores do “casamento” homossexual propõem algo completamente diferente. Eles propõem a união entre dois homens ou duas mulheres. Isso nega as evidentes diferenças biológicas, fisiológicas e psicológicas entre homens e mulheres, que encontram a sua complementaridade no casamento. Nega também a finalidade primária específica do casamento: a perpetuação da raça humana e a educação dos filhos. Duas coisas completamente diferentes não podem ser consideradas a mesma coisa.
VIII)  O “casamento” homossexual ofende a Deus
Esta é a razão mais importante. Sempre que se viola a ordem moral natural estabelecida por Deus, comete-se um pecado e se ofende a Deus. O “casamento” homossexual faz exatamente isso. Assim, quem professa amar a Deus deve opor-se a ele. O casamento não é criação de nenhum Estado. Pelo contrário, ele foi estabelecido por Deus no paraíso para os nossos primeiros pais, Adão e Eva. Como lemos no Livro do Gênesis: “Deus criou o homem à sua imagem; criou-o à imagem de Deus, criou o homem e a mulher. Deus os abençoou: Frutificai, disse ele, e multiplicai-vos, enchei a terra e submetei-a” (Gen 1, 27-28).
O mesmo foi ensinado por Nosso Senhor Jesus Cristo: “No princípio da criação, Deus os fez homem e mulher. Por isso, deixará o homem pai e mãe e se unirá à sua mulher” (Mc 10, 6-7). O Gênesis também ensina como Deus puniu Sodoma e Gomorra  (Gn 19.24-25).
Aqueles que desprezam a perfeição do plano divino sofrem as tristes conseqüências. É hora de acordar e perceber que a perseguição galvaniza e unifica o corpo de Cristo como poucas outras pressões. Lembre-se, Jesus prometeu perseguição para aqueles que realmente o seguissem (Mt 5.11-12, Jo 15.20).
Jesus nos disse que, para nos defendermos deste acusador mentiroso, nos enviará o Espírito da Verdade. Hoje, a Pátria, perante esta situação, necessita da assistência especial do Espírito Santo para que pinha a luz da Verdade em meio da obscuridade do erro. É necessário que este advogado nos defenda do encantamento de tantos sofismas com que se busca justificar este projeto de lei, e que confundem e enganam até mesmo pessoas de boa vontade.
Entenda abaixo como Deus ama demais os homossexuais, mas não aceita de maneira nenhuma essa prática
Temos a intenção de analisar os “fundamentos da teologia gay”, os quais são disseminados direta ou indiretamente na nossa sociedade. Já adianto que não sou homofóbico, como alguns poderão ser tentados a dizer. Não tenho “fobia” a gays, e se não tenho amigos gays é porque tenho poucos amigos mesmo. Colegas, esses tenho muitos, alguns gays. E são poucos, não por fobia, mas por falta de afinidades.
Instintos e desejos nós todos temos. Quem nunca teve vontade de dar uns tapas naquele sujeito que nos fecha no trânsito, fura a fila do banco na nossa frente ou fica buzinando atrás de nós no semáforo? Mesmo assim controlamos nossos impulsos, nossos instintos e não saímos por aí mordendo, defecando em qualquer lugar e acasalando com qualquer parceiro como fazem os animais. Somos seres humanos, criados à imagem e semelhança de Deus.

Meus exemplos podem parecer meio extremos e você até achar que não se aplicam ao seu caso, mas meu ponto aqui é mostrar que não podemos dar a desculpa de sermos controlados por algum instinto, sentimento ou atração. Somos seres humanos e racionais, capazes de exercer auto-controle sobre nossos atos. Ao contrário dos animais irracionais, que precisam desesperadamente acasalar no cio, nós somos capazes de exercer o auto-controle.

Mesmo assim, todos nós estamos sujeitos a desejos e atrações das mais extremas. A questão é: você aceita a Palavra de Deus? Você crê em Jesus como seu Salvador? Você tem um compromisso com Deus, de adorá-Lo e viver segundo a Sua Palavra? Você é um cidadão do céu?

Se sua resposta a todas estas perguntas for "sim", então você está sendo responsável, perante Deus, por falhar em fazer a Sua vontade. Se for "não", o que posso dizer? Se você não aceita o que Deus diz em Sua Palavra, então não há limites para o que você acredita poder fazer. A questão é que, mesmo não acreditando, a responsabilidade existe e a obrigação permanece e um dia Deus irá cobrar isso de você. Mais uma vez, ao contrário dos animais irracionais, que agem por instinto, somos seres responsáveis que devem prestar contas ao Criador.

Sou homem, hetero, sem inclinações ou desejos homossexuais, mas sei muito bem que qualquer pessoa está sujeita a ser irresistivelmente atraída a fazer coisas que são contra a vontade de Deus, seja com pessoas do mesmo sexo ou não. Sentir atração é uma coisa. Ceder e passar da atração à ação é outra.

Sei de homens que foram homossexuais em suas práticas e hoje são convertidos a Cristo. Abandonaram suas antigas práticas e levam uma nova vida de obediência à Palavra de Deus. Se eles continuam sentindo a mesma atração? Pode ser que sim, precisaria perguntar a eles. Como também deve sentir-se o diabético, atraído por doces e sorvetes. Alguns se controlam. Outros cedem e pagam caro por isso.

Você pode se perguntar se irá ao inferno por ser homossexual. Antes que me interprete mal, é bom que entenda que as pessoas não vão para o inferno por serem homossexuais, mas por serem pecadoras, uma condição na qual todos nós nascemos antes mesmo de praticarmos qualquer pecado. Por outro lado, deixar as práticas homossexuais não garante o céu a ninguém. É a fé em Cristo, a conversão a Ele, antes mesmo de deixar qualquer prática, que garante a salvação. Uma vez sob "nova gerência", aí você saberá o que fazer, aí você terá a Sua Palavra para guiá-lo e o Espírito Santo habitando em você para lhe dar o poder para viver a nova vida.

Talvez eu possa explicar melhor. Primeiro, tenha em mente que você não precisa fazer coisa alguma para ser condenado por Deus. Todo ser humano já nasce condenado, é sua condiçãodefault por causa do pecado. Esqueça aquela idéia de que quem fizer coisas boas vai para o céu e quem fizer coisas más vai para o inferno. Isso não existe.

Nascemos condenados porque nascemos pecadores. Não nos tornamos pecadores por pecar, mas pecamos por sermos pecadores. Tipo assim: Uma árvore não se transforma em limoeiro por produzir limões, mas ela os produz por ser essa a sua natureza, é limoeiro.

Então, ainda que eu ou você tivéssemos uma vida toda certinha, dentro dos padrões aceitos pela Bíblia, iríamos para o inferno assim mesmo, a menos que tivéssemos nascido de novo. Nascer de novo, obviamente, não é reencarnar (isso não existe), mas receber uma nova vida de Deus e crer em Cristo como seu Salvador, ganhando dEle o perdão dos seus pecados, a quitação de sua dívida.

Não se trata de confiar em Deus e ter Deus presente em sua vida. A maioria das pessoas diz isso. Obviamente Deus está em toda parte, e até mesmo um pagão acredita em algum tipo de Deus ou força superior. Não é o caso. Estamos falando aqui do Deus, único e verdadeiro, que Se revelou por intermédio de Sua Palavra e na Pessoa de Jesus, Deus e homem. Por não querer condenar a você e a mim no lago de fogo por toda a eternidade, Deus proveu uma saída: transferiu para o Seu Filho Jesus a culpa dos pecados daqueles que crêem, e O condenou na cruz como se fosse Ele o culpado.

Aqueles que crêem em Jesus recebem o benefício dessa transferência, têm seus pecados perdoados (todos eles) por Deus e já desfrutam da salvação assegurada, aqui e agora, e por toda a eternidade. Estão salvos, portanto, e podem ter a certeza disso pela fé nAquele que morreu por eles. Então, se me perguntar para onde vou se morrer agora, respondo que vou para o céu, não por ser bonzinho ou coisa do tipo, mas porque Cristo pagou pelos meus pecados na cruz.

Na Sua Palavra, a Bíblia, Deus colocou um padrão para que todo homem viva segundo esse padrão. É claro que ninguém consegue viver pelo padrão que Deus estabeleceu, por tratar-se de um padrão perfeito. Se conseguíssemos viver segundo esse padrão, não precisaríamos de um Salvador, não é mesmo? Portanto, neste particular a Bíblia (estou falando aqui das coisas do tipo"não faça isto ou aquilo") é como se fosse uma placa de contra-mão. Ela não ajuda em nada o motorista que já está na contra-mão em uma rua estreita demais para manobrar seu carro. Será multado por isso. E todos nós nascemos na contra-mão.

Ao se deparar com as placas de contra-mão que Deus colocou em Sua Palavra, você percebe que é culpado e precisa buscar uma solução para si. Quando percebe que é incapaz de “manobrar seu carro”, aí começa o processo que, se você acatar a voz de Deus, resultará em uma ação do Espírito Santo em sua vida transformando-o em nova criatura (seu carro é imediatamente virado por Deus).

Mesmo assim, esses padrões continuam valendo para você conhecer o que agrada e o que não agrada a Esse Deus que o salvou. O que a Bíblia diz, por exemplo, sobre o adultério. Agrada a Deus? Não. Fornicação? Não. Homicídio? Não. E por aí vai, até chegar no homossexualismo, que é condenado das primeiras às últimas páginas da Bíblia. Algumas coisas são chamadas ali de“pecado”, outras de “abominação”. É o caso. Levítico 18:22 diz: “Com homem não te deitarás como se fosse mulher; é abominação”.

Há quem argumente que, ao contrário do homicídio, da pedofilia e de outras práticas, o homossexualismo não causa dano a ninguém, já que é praticado por duas pessoas de comum acordo. Mas a questão não é se trata-se de algo que ofende nosso semelhante, mas de algo que ofende nosso Criador. Como saber se o homossexualismo ofende o Criador? Oras, a melhor maneira é ir à fonte, ao livro que diz ser a Sua Palavra e através do qual aprendemos a maioria das coisas que sabemos sobre Deus, o céu, o inferno, os anjos, Jesus, etc.

Para que você tenha uma idéia de como Deus vê o homossexualismo e outras práticas, aqui vai um breve resumo do que é o ser humano aos olhos de Deus, e Ele não usa de meias palavras:

"Porquanto, tendo conhecido a Deus, não o glorificaram como Deus, nem lhe deram graças, antes em seus discursos se desvaneceram, e o seu coração insensato se obscureceu. Dizendo-se sábios, tornaram-se loucos. E mudaram a glória do Deus incorruptível em semelhança da imagem de homem corruptível, e de aves, e de quadrúpedes, e de répteis. Por isso também Deus os entregou às concupiscências de seus corações, à imundícia, para desonrarem seus corpos entre si; pois mudaram a verdade de Deus em mentira, e honraram e serviram mais a criatura do que o Criador, que é bendito eternamente. Amém. Por isso Deus os abandonou às paixões infames. Porque até as suas mulheres mudaram o uso natural, no contrário à natureza.E, semelhantemente, também os homens, deixando o uso natural da mulher, se inflamaram em sua sensualidade uns para com os outros, homens com homens, cometendo torpeza e recebendo em si mesmos a recompensa que convinha ao seu erro.” Romanos 1

Você pode dizer: "Somente sinto atração por homens e, não por mulheres..."

Ok, mas isso não resolve a questão. Se sinto atração por leite condensado e sou diabético, o que fazer? Tá bem, me sinto livre para fazer o que quero e me encho de leite condensado. Bem, sofrerei as conseqüências de meu ato impensado, pois estou transgredindo uma lei da natureza. Sentir atração é uma coisa, pois não temos controle sobre nossos pensamentos. Ceder à atração é outra e aí entra a responsabilidade para com Deus, que é o autor das regras do 'jogo' da vida. Recebemos vida dEle? Então...

Você também pode dizer: "Estou pecando por isso? estarei condenado ao inferno por isso? Você pode achar que sim... Mas eu tenho certeza que não..."

Primeiro, se você tivesse tanta certeza de que a vida que leva está correta não teria feito buscas no Google, chegado à este texto do blog, que costuma ser encontrado por quem busca por "homossexualismo + bíblia". Será que estava curioso por saber o que Deus diz a respeito dessa prática? Pode ser. Quanto a eu achar ou não achar algo a respeito do assunto, isso de nada vale. Até eu me atrapalho quando tento seguir minhas próprias opiniões. Mas se Deus achar que sim, então a coisa é séria:

"Não vos enganeis: nem os devassos, nem os idolatras, nem os adúlteros, nem os efeminados, nem os sodomitas, nem os ladrões, nem os avarentos, nem os bêbados, nem os maldizentes, nem os roubadores herdarão o Reino de Deus.(1 Coríntios 6:10)
O Mito da Homofobia

Toda a campanha em favor da causa gay, parte de uma mesma premissa: haveria, no Brasil, um surto de homofobia - isto é, hostilidade e ameaça física aos gays. A premissa não se sustenta estatisticamente. Os números, comparativamente aos casos gerais de homicídios anuais no país - cerca de 50 mil! – são irrelevantes. Segundo o Grupo Gay da Bahia, de 1980 a 2009, foram documentados 3.196 homicídios de homossexuais no Brasil, média de 110 por ano. Entretanto:não se sabe se essas pessoas foram mortas por essa razão específica ou se o crime se deu entre elas próprias, por razões passionais, ou pelas razões gerais que vitimam os outros 49 mil e tantos infelizes, vítimas do surto de insegurança que abala há décadas o país. Se a lógica for a dos números, então o que há é o contrário: um surto de heterofobia, já que a quase totalidade dos assassinatos se dá contra pessoas de conduta hetero.

Se alguém é agredido ou ameaçado, já há legislação específica para tratar do assunto, independentemente dos motivos alegados pelo agressor. Não seria, pois, necessário criar legislação própria.

Mesmo a nomenclatura que se pretende estabelecer é falsa. A união de dois homossexuais não cria uma família, entendida esta como uma unidade social estabelecida para gerar descendência e permitir a continuidade da vida humana no planetaCasamento é instituição concebida para organizar socialmente, mediante estatuto próprio, com compromissos recíprocos,a geração e criação de filhosComo aplicá-lo a outro tipo de união que não possibilita o que está na essência do matrimônio? Que se busque então outro nome, não apenas para evitar confusões conceituais, mas até para que se permita estabelecer uma legislação que garanta direitos e estabeleça deveres específicos às partes.

Há dias, li num artigo de jornal que um líder de uma das muitas ONGs gays do país chegou a afirmar que a heterossexualidade não resultaria da natureza, mas de mero (e, pelo que entendi, nefasto) condicionamento cultural, que começaria já com a criança no ventre materno.Esqueceu-se de observar que, para que haja uma criança no ventre materno, foi necessária uma relação heterossexual, sem a qual nem ele mesmo, que escrevia o artigo, existiria.

Portanto, a defesa de um direito que não está sendo contestado – a opção pelo homossexualismo – chegou ao paroxismo de questionar a normalidade (e o próprio mérito moral) da relação heterossexual, origem única e insubstituível da vida. Não há dúvida de que está em cena um capítulo psicótico da história.
 O Homossexualismo & A Nova Ordem Mundial
A 15ª parada do “orgulho” gay  usou o slogan “Amai-vos uns aos outros” que faz  parte do seguinte versículo bíblico:
“Um novo mandamento vos dou: Que vos ameis uns aos outros; como eu vos amei a vós, que também vós uns aos outros vos ameis.”  (João 13:34)

Sabemos que  o Senhor Jesus está se referindo ao amor espiritual entre irmãos da mesma fé e não relacionamentos depravados, libertinos e carnais.

Os gays, simpatizantes e a sociedade sem discernimento espiritual se transformarão em delatores, e amarão tanto a nova ordem mundial que serão capazes de matar (mesmo que de forma indireta) em nome da “diversidade gay”. No governo mundial ser gay ou supostamente proteger o planeta tem mais valor do que a vida humana. O chamado “direitos humanos” não existe e nunca existirá. 

"Dizendo-se sábios, tornaram-se loucos." (Romanos 1:22)
Na Nova Ordem Mundial prevalecerá a verdade relativa. Se alguém disser que a Bíblia e os Ensinamentos do Senhor Jesus são a única verdade absoluta revelada por DEUS aos homens infelizmente será perseguido.
Conclusão

O homossexualismo não é doença, e na Bíblia ele é descrito como até mais do que um pecado: é uma perversão e abominação diante de Deus. Não sou eu quem afirma isso, mas a palavra do Criador do universo. Veja bem que estou me referindo à prática, não à pessoa do homossexual. Deus ama cada pessoa, independente de como ela seja, mas não ama práticas que são contrárias à Sua própria natureza.
A Bíblia está cheia de passagens condenando tal prática. Os homens de Sodoma queriam conhecer os anjos que se hospedaram na casa de Ló. Daí vem a palavra "sodomita" que é o homem que procura outro homem para possuí‑lo como a uma mulher. Tanto o que faz o papel de homem como o que faz o papel de mulher estão pecando e cometendo uma abominação:

"Não haverá prostituta dentre as filhas de Israel; nem haverá sodomita dentre os filhos de Israel. Não trarás o salário da prostituta nem preço de um sodomita à casa do SENHOR teu Deus por qualquer voto; porque ambos são igualmente abominação ao SENHOR teu Deus.... Com homem não te deitarás, como se fosse mulher; abominação é... Quando também um homem se deitar com outro homem, como com mulher, ambos fizeram abominação" Dt 23.17; Lv 18:22; 20:13.

Em algumas traduções, ao invés de "sodomitas" a expressão usada é "rapazes escandalosos", "rapazes alegres" (daí usar a palavra inglesa "gay" que significa "alegre"), "prostitutos cultuais"ou "prostitutos sagrados" (porque os israelitas tinham incorporado o sexo aos rituais religiosos, como faziam os pagãos) (1 Reis 14.24; 15.12).

Deus criou o homem e a mulher com funções específicas e o homossexualismo arruína esse projeto inicial. Se todos decidissem que o homossexualismo é o melhor caminho, quem iria procriar? Vejo a questão muito como uma busca de prazer próprio, sem ligar muito para as conseqüências que isso trará a outros ou, o que é mais importante, o que Deus pensa do assunto.

Há também um aspecto simbólico na coisa toda, que é Cristo, apresentado na Bíblia como o Noivo, e a Igreja (o conjunto dos que crêem), apresentada como Sua noiva. Aparentemente, a própria criação do homem e da mulher, e da relação que deveriam manter, já apontava para isso:

Gn 2:24 "Portanto deixará o homem o seu pai e a sua mãe, e apegar-se-á à sua mulher, e serão ambos uma carne".
Ef. 5:27 "Para a apresentar a si mesmo igreja gloriosa, sem mácula, nem ruga, nem coisa semelhante, mas santa e irrepreensível.... Por isso deixará o homem seu pai e sua mãe, e se unirá a sua mulher; e serão dois numa carne. Grande é este mistério; digo-o, porém, a respeito de Cristo e da igreja".

Aí está. Existe uma intenção muito maior para o plano original de Deus, que transcende o animal e sensorial. Quando vejo homossexuais fazendo de sua prática uma bandeira de vida, me entristeço. Que bandeira pequena essa, que pode durar no máximo algumas poucas dezenas de anos. Quão maior bandeira é possível empunhar, quando conhecemos a Cristo, o Salvador, e quando passamos a desfrutar daquilo que Ele preparou para meros pecadores como nós.

Essa bandeira que você está empunhando é tão importante assim para impedí-lo de ir a Cristo e receber dEle a salvação eterna? Você deve ir a Ele assim como está (não se preocupe em se livrar disso ou daquilo, é Ele quem irá fazer isso depois). Sua condição de homossexual não é o que o levará para o inferno, mas sim sua condição de ser humano pecador, uma condição que é também a minha por natureza. Foi por você e por mim que...

"...Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna. Porque Deus enviou o seu Filho ao mundo, não para que condenasse o mundo, mas para que o mundo fosse salvo por ele. Quem crê nele não é condenado; mas quem não crê já está condenado, porquanto não crê no nome do unigênito Filho de Deus. E a condenação é esta: Que a luz veio ao mundo, e os homens amaram mais as trevas do que a luz, porque as suas obras eram más. Porque todo aquele que faz o mal odeia a luz, e não vem para a luz, para que as suas obras não sejam reprovadas". João 3

Acho que ficou bem claro que existe um amor que transcende o sensorial, um amor maior, que vem de Deus. Será que existe alguma coisa nesta vida tão importante e valiosa para estarmos dispostos a abrir mão dos resultados do amor de Deus?

Viva vencendo, sabendo que há uma saída em Jesus!!!

Abraços.

Seu irmão menor.

Nenhum comentário:

Postar um comentário