27 março 2017

"A CADA 28 HORAS, UM HOMOSSEXUAL MORRE DE FORMA VIOLENTA NO BRASIL" - VEREMOS SE É VERDADE

Resultado de imagem para homofobia existe

Prezados leitores,
a paz do Senhor.

A frase que leva o título da Matéria, foi encontrada no portal G1, que  trouxe uma Matéria do Fantástico levada ao ar no dia 19/06/2016. Segue link no final da Matéria.

Como bem sabemos, a Rede Globo é uma das maiores apoiadoras da causa LGBT em nosso país.
Com suas novelas tem influenciado milhares de pessoas a 'saírem do armário',  e levando milhares de outras a serem 'simpatizantes' da  causa gay.

Além das novelas com cunho homossexual, o jornalsimo da emissora também dramatiza muitíssimo quando o assunto é a homofobia.

É uma emissora tendenciosa e que consegue 'fazer a cabeça' de milhares de pessoas sobre qualquer assunto. A questão gay, não ficaria de fora, nem de seus programas matinais com o Mais Você que, tem a proposta de ser um programa voltado para o público feminino e para quem gosta da Culinária.
Mas, até aí, trata-se de defender a causa gay e apresentar entrevistas e 'reportagens' mostrando o 'terrível ataque aos homossexuais' no nosso Brasil.

Porém, a coisa não é como a Globo mostra ou quer fazer valer.

Vamos analisar, usando outro parâmetros, além da Rede Globo.

Vamos lá: Foi divulgado um Estudo que mostra um ranking das mortes no Brasil. Ele revela a insensatez ou a má fé da emissora citada e outras informações de outros veículos de comunicação que são pró á causa gay.

Veja a Tabela abaixo e depois consulte as fontes que estarão no fim dessa Matéria.

Relatório sobre assassinatos de LGBT’s (2011)
(apurado em divulgações na Mídia – fontes apresentadas)
A tabela apresenta os casos onde não há qualquer pista sobre a motivação do crime e/ou do criminoso (é mostrado como “desconhecido”), além dos diversos motivos encontrados nos crimes já solucionados, e indícios nos casos de crimes cuja investigação ainda está em andamento.
(clique na figura para ampliar. ‘Ctrl +’ para zoom)
(ver abaixo, convenções adotadas nesta tabela e as fontes dos dados)
Como se pode notar, há muitos crimes passionais, além de crimes envolvendo latrocínio, acerto de contas com o tráfico de drogas, e outros, sem qualquer relação com a orientação sexual das vítimas. São crimes que ocorrem com qualquer cidadão, muitos dos quais ocorrem em função da onda de violência que existe em nosso país, principalmente nas grandes cidades.
Isto de maneira nenhuma anula o fato de gays sofrerem agressões das mais variadas. O que chamamos a atenção nestes relatórios é para o fato dos assassinatos, na esmagadora maioria das vezes, ocorrerem pelos mesmos motivos que ocorrem com qualquer cidadão, e portanto, não podem ser utilizados por ativistas gays para declarar que todas as vítimas foram mortas “exclusivamente por serem gays”. Assim, não existe uma “onda de ódio” provocando assassinatos de gays no Brasil. Numa sociedade, as diferenças existem e podem conviver em paz se existir o respeito entre os cidadãos. Analisando os dados, nota-se que a maioria dos casos são crimes comuns, e não têm qualquer relação com a orientação sexual das vítimas.
A fim de mais uma vez evidenciar que os  diversos crimes não têm motivação na orientação sexual das vítimas,  também mostramos as porcentagens de crimes onde LGBT’s matam LGBT’s, pois, como são crimes comuns (motivação qualquer), pode-se dizer que são crimes onde um cidadão mata outro cidadão, sem qualquer necessidade de se identificar a orientação sexual dos envolvidos.

Veja o que Luiz Mott, fundador do Grupo Gay da Bahia, afirmou em 2010:
Igrejas têm mãos sujas de sangue – sobre ataques a gays (17/11/2010)
"Prof.Luiz Mott, decano do Movimento Homossexual Brasileiro, denunciar diversos malfeitos do Pastor Malafaia, corifeu da homofobia no Brasil, apoiando o Ministério Público de São Paulo e Conselho Federal de Psicologia a investigarem e punirem exemplarmente esse mau cristão que por sua cruzada homofóbica tem as mãos sujas do sangue LGBT". 
Veja o vídeo abaixo.
Pelo que vemos nos dados,  muitos LGBT’s têm as mãos sujas de sangue  –  de LGBT’s  !!!
36% dos casos são LGBT’s que mataram LGBT’s
(Este número pode ser ainda maior, pois há casos cujos assassinos são desconhecidos, mas podem ser LGBT’s)
>  Dos casos com assassinos conhecidos, 70% são LGBT’s que mataram LGBT’s  <
(clique na figura para ampliar. ‘Ctrl +’ para zoom)
(veja a legenda da tabela logo abaixo)

(ver abaixo, convenções adotadas nesta tabela e as fontes dos dados)

Convenções da tabela:
– Desconhecido:pode ser queima de arquivo, latrocínio, crime de ódio, acerto de contas com o tráfico de drogas, travesti morto por cliente ou cliente que mata ‘profissional’ do sexo, cafetão, gay morto(a) por companheiro(a)/ex-companheiro(a), disputa por pontos de prostituição entre travestis e/ou garotos de programa, etc.
– O * indica um crime com motivo desconhecido mas com suspeita de ter sido cometido por um cliente do travesti  ou garoto de programa (ou seja, um cliente bi ou homossexual);
– Cliente/prostituição: quando foi apurado que um cliente (bi ou homossexual) matou o ‘profissional’ do sexo (travesti ou garoto de programa);
– Garoto de Programa: quando o garoto de programa/michê mata o cliente (bi ou homossexual); Isto está evidenciado na tabela em função dos diversos crimes onde garotos de programa são os criminosos. Alguns casos de latrocínio cometidos por garotos de programa também estão aqui contabilizados. Neste ano foram poucos os crimes conhecidos onde um travesti matou um cliente;
– Tráfico humano: mantenedores de redes de prostituição, “cafetão”, etc;
– Furto: quando o LGBT comete um furto, contra um cliente ou não, e é assassinado em função do mesmo, como retaliação (seria um caso específico de vingança, com motivação conhecida);
– Latrocínio: quando os criminosos matam uma pessoa a fim de roubá-la, sem relação com a orientação sexual da vítima, pois é um crime comum no Brasil, e assim, também ocorre com LGBT’s;
– Sexo casual: quando a vítima possui parceiros casuais, e num dos encontros, geralmente em sua casa, ocorre desentendimento, briga, ou por algum outro motivo  o encontro termina em assassinato;
– Ódio: específico para crimes onde a orientação sexual da vítima é o motivo; Ódio por orientação sexual;
– Tentativa de estupro: quando alguém tenta forçadamente manter relações sexuais com outra pessoa, isto pode ocasionar uma briga e terminar em morte;
– Familiar/parente: briga de família pelos mais variados motivos; briga por dinheiro, bens materiais, imóveis, etc;
– Companheiro(a): pessoa com quem mantém relacionamento, inclui também ex-companheiro(a), crime em função de relacionamento; passional; briga entre companheiros(as).

Informações para comparação 2010/2011:
Média anual de homicídios no Brasil: 46.000 (fonte)    (885/semana)
Crack ajuda a elevar estatísticas de homicídios no país (fonte)
Mortes por dengue no Brasil em 2010: ±600 (fonte)
Mortes por dengue apenas no RJ em 2011: 107 (fonte) – até Junho 2011
É mais provável morrer por dengue do que em um crime envolvendo ódio por orientação sexual no Brasil.
(pois a maioria dos crimes envolvendo homossexuais são crimes comuns, sem qualquer relação com a orientação sexual das vítimas)
>> Homicídios no Brasil em 2008: 50.113 (fonte)
Assassinatos de LBGT’s segundo o GGB (fontes não apresentadas) em 2008: 187 (fonte)
Em São Paulo, homicídios no 1º trimestre de 2011: 220 (fonte)
Em Cuiabá, homicídios em menos de seis meses (2011): 158 (fonte)
Para ressaltar o fato de que muitos dos crimes que ocorrem envolvendo LGBT’s são cometidos por LGBT’s, veja uma publicação no site do GGB (Grupo Gay da Bahia):
GAY VIVO NÃO DORME COM O INIMIGO: RECOMENDAÇÕES DO GGB COMO EVITAR A VIOLÊNCIA ANTI-HOMOSSEXUAL [dorme com quem? com um parceiro?]
E quais são as orientações para evitar a violência “anti-homossexual”? Basicamente orientações para um LGBT evitar a violência por parte de outro LGBT, confira as dicas do GGB:
1. Evite levar desconhecidos ou garotos de programa para casa. Prefira fazer programas em hotéis, motéis ou saunas;
2. Investigue a vida da pessoa com quem pretende sair. Prefira pessoas conhecidas ou indicadas por amigos e só saia com alguém se tiver certeza que é de confiança;
3. Nunca beba líquidos oferecidos pelo parceiro desconhecido. A bebida (ou chiclete) pode conter soníferos, o perigoso “Boa Noite, Cinderela”. Em um bar ou boate, preste atenção em seu copo e se precisar ir ao banheiro ou se ausentar, leve o copo consigo, ou, invente uma desculpa e peça outra bebida;
4. Se levar alguém para casa, não o esconda do porteiro, ou de vizinhos. Eles podem ajudá-lo na hora do perigo. É sempre bom ter uma boa relação com esse pessoal. Na hora do perigo, eles podem ser solidários;
5. Se for possível, demonstre para seu parceiro eventual que é gay assumido. Isso evita chantagem ou tentativa de extorsão;
6. Não se sinta inferior. Não se mostre indefeso, evite demonstrar passividade, medo, submissão. Não cultive o tipo machão, ou pelo menos não mostre que o valoriza tanto; se ele lhe ameaçar, grite, faça escândalo, ou em último caso, saia correndo e peça socorro aos vizinhos;
7. Evite fazer programa com mais de um michêAntes da transa, acerte todos os detalhes: preço, duração, preferências eróticas (se ele aceita, por exemplo, ser passivo): isto evita brigas e discussões;
8. Não humilhe o parceiro. Não exiba jóias, riqueza ou símbolos de superioridade que despertem cobiça. O garoto de programa quase sempre é de classe inferior à sua;
9. Se o encontro for na sua casa, tranque a porta e esconda a chave. Não deixe armas, facas e objetos perigosos à vista; não se esqueça que você é dono da casa e deve dominar a situação; diga ao visitante que não faça ruídos pois ao lado mora um policial;
10. Se for agredido, procure a polícia, peça exame de corpo delito e denuncie o caso aos grupos de ativistas homossexuais. Lembre-se que as Delegacias de Polícia são públicas. Se foi mal tratado pelo oficial, chame o Delegado Titular, se ele não estiver chame o plantonista. Se mesmo assim, for mal atendido, entre com uma ação contra a delegacia. Não tenha medo: é legal ser homossexual! Cuidado e não seja a próxima vítima!
Nota do Editor do site que divulgou as Tabelas, em resposta a um leitor que  lhe disse que havia "...uma interpretação tendenciosa a culpar/punir gays, como se eles não fossem vítimas..."

"Quem faz uma interpretação tendenciosa – em nossa opinião, é o GGB e demais militantes, que nem mesmo com aqueles dados conseguem provar o que argumentam, a não ser na base de muito sensacionalismo, com ajuda de jornalistas militantes e leitores que não analisam os dados. A maioria dos crimes apresentados nos dados deles justamente são de crimes que não têm repercussão na mídia, ao contrário do que vc afirma, indicando estar desinformado.

Em 2011, temos nossos dados coletados por diversos colaboradores, e continuam a mostrar o óbvio: que a IMENSA MAIORIA dos crimes onde gays são vítimas (nem sempre são vítimas), são crimes comuns que ocorrem com qualquer cidadão, em função da violência generalizada. Uns poucos casos ocorrem crimes onde alguém que não gosta de gays comete algum ato, para o qual já é considerado crime, e são imensamente explorados pela militância…

Injúria física ou verbal são crimes. Assassinato é crime, não importa quem é a vítima. Matar um gay por ser gay é um crime considerado com motivação fútil, como matar um nordestino por ser nordestino, ou índio, ou etc, e leva a vários anos de cadeia. Pode ocorrer do criminoso ter poder financeiro, e então como em diversos casos envolvendo homos e héteros (para ressaltar que não depende da orientação sexual), ocorre e impunidade. Há casos que não resolvidos porque a polícia não têm qualquer pista. No entanto, para os militantes é sempre a mesma coisa: “se a vítima é gay, então foi crime de ódio”. Chega de coitadismo gay ou coitadismo étnico, religioso, etc".


Meus amados irmãos leitores do Blog, uma só é a verdade: o homossexualismo e/ou a homossexualidade é pecado. Isso foi definido por Deus e pronto.
Querem, a todo custo, forçar-nos a aceitar o ani-natural como se fosse natural e aí, isso não funciona.

O fato de alguém querer ser gay, não é nenhum problema para mim. O problema para mim começa quando os Grupos Gays e a Militância Gay procura impedir e censurar-nos como homofóbicos pelo fato de não pensarmos e nem sentirmos como eles pensam e sentem.

Isso é  a liberdade que eu tenho(a Constituição me garante esse direito), de não querer, de não gostar e de não sentir prazer na prática e muito mais, por saber que o Deus criador dos céus e da terra e consequentemente de todos os homens, abomina a prática homossexual.

Eu tenho o direito e liberdade para me expressar e, quando possível, falar com quem vive nessa prática, que Deus detesta a maneira que essa pessoa tem de se relacionar sexualmente com alguém do mesmo sexo.

Isso posto, quero deixar registrado que, quem vive nessa prática e não se arrepender e mudar de vida, será condenado ao fogo literal do inferno, assim como também, para lá vão todos aqueles que praticam pecados que estão elencados nos seguintes textos: Rm. 1:23-32; 1Co. 6:10,18; Gl.5:19-21; Ef.4:28-31;2Tm.3:1-9;Ap.21:8; 22:14,15; Lv.18:22,23.

Entendam senhores simpatizantes e praticantes da homossexualidade: Não somos contra a pessoa de vocês e sim, contra a prática de vocês.
O homossexualismo e/ou a homossexualidade não é doença, e na Bíblia ele é descrito como até mais do que um pecado: é uma perversão e abominação diante de Deus. Não sou eu quem afirma isso, mas o mesmo livro que você tem aí com você e costuma ler. 
Veja bem que estou me referindo à prática, não à pessoa do homossexual. 
Deus ama cada pessoa, independente de como ela seja, mas não ama práticas que são contrárias à Sua própria natureza. É importante que você entenda isto, pois a primeira reação que muitos teem contra contra Deus é a de tentar se defender de algo que Ele condena, achando que não somos amados.  


A Bíblia está cheia de passagens condenando tal prática: Os homens de Sodoma queriam conhecer(penetrar), os anjos que se hospedaram na casa de Ló. Daí vem a palavra "sodomita" que é o homem que procura outro homem para possuí‑lo como a uma mulher. Tanto o que faz o papel de homem como o que faz o papel de mulher estão pecando e cometendo uma abominação: 

"Não haverá prostituta dentre as filhas de Israel; nem haverá sodomita dentre os filhos de Israel. Não trarás o salário da prostituta nem preço de um sodomita à casa do SENHOR teu Deus por qualquer voto; porque ambos são igualmente abominação ao SENHOR teu Deus..." "Com homem não te deitarás, como se fosse mulher; abominação é..." "Quando também um homem se deitar com outro homem, como com mulher, ambos fizeram abominação" Dt 23.17; Lv 18:22; 20:13. 

Em algumas traduções, ao invés de "sodomitas" a expressão usada é "rapazes escandalosos", "rapazes alegres" (daí usar a palavra inglesa "gay" que significa "alegre"), "prostitutos cultuais" ou "prostitutos sagrados" (porque os israelitas tinham incorporado o sexo aos rituais religiosos, como faziam os pagãos -1 Rs. 14.24; 15.12), e os homossexuais são novamente citados no Novo Testamento, em Rm. 1.26,27, tanto com respeito ao homem como à mulher(lésbicas, lesbianismo), prevendo aí um juízo que cairia sobre seus próprios corpos, sem contudo identificar especificamente que juízo seria esse: 

"Porque até as suas mulheres mudaram o uso natural, no contrário à natureza. E, semelhantemente, também os homens, deixando o uso natural da mulher, se inflamaram em sua sensualidade uns para com os outros, homens com homens, cometendo torpeza e recebendo em si mesmos a recompensa que convinha ao seu erro." Rm 1:26,27. 

Não nego que existam pessoas que nascem com mais hormônios do sexo oposto, mas isto não é justificativa para que cometam alguma torpeza. Talvez sejam até mais tentados em sua carne do que aqueles que têm uma predominância de hormônios de seu próprio sexo, mas nada justifica que venha a praticar um ato sexual abominável a Deus. Tentar usar o argumento de excesso de hormônios (masculinos ou femininos), para justificar o homosexualismo ou lesbianismo é o mesmo que usar o argumento da pobreza para justificar o crime. Como diz o ditado, você não pode evitar que as andorinhas voem sobre sua cabeça, mas pode impedir que façam ninhos em seus cabelos. 

Aquele que é nascido de novo tem uma nova vida e possui o Espírito Santo habitando em si. Este lhe dará vitória contra qualquer tendência natural de nossa carne. Se acharmos que a inclinação de nossa carne deve ter livre curso, então temos que dar livre curso também aos outros desejos que brotam no coração de todos, ou seja, de praticarmos o que bem entendermos, matando, roubando, ferindo e praticando todo tipo de torpeza. 

Talvez alguém diga que é diferente de matar ou roubar, pois não faz mal aos outros, que homosexuais são cidadãos que podem viver uma vida respeitável, que devem ser respeitados etc. Sim, é verdade. Conheço homossexuais que são muito mais honestos e respeitáveis do que muita gente que vive com a Bíblia debaixo do braço. Além disso, de acordo com as leis que temos na maioria dos países, tal prática não pode ser comparada àquelas que costumamos enxergar como crimes contra o ser humano e a sociedade, e em alguns lugares tratar um homossexual com discriminação pode ser considerado crime. 

Mesmo assim, continua valendo o que a Palavra de Deus diz. E se Deus é Quem condena as práticas, não será eu ou você que procurará abrir excedentes para aquilo que pra Ele, é um caso encerrado.

Links que podem ser acessados diretamente aqui, caso algum não funcione, dos que estão acompanhando os assuntos no decorrer da Matéria:












http://www.ggb.org.br/manual.html
























































Nenhum comentário:

Postar um comentário