07 março 2017

IGREJA BRASILEIRA, ATENTE PARA ESSAS INFORMAÇÕES DO IBGE

Resultado de imagem para ALERTA

O Brasil é sem sombra de dúvidas o país mais cristão do mundo. Quando dizemos - mais cristão - nos referimos ao país onde a maioria das pessoas acreditam que Cristo Jesus foi o Cordeiro que Deus enviou a morrer por todos os pecadores. Porém, entre os chamados cristãos há uma diversidade de denominações que possuem um modo distinto de enxergar o Filho de Deus. Vejamos alguns dados sobre a situação religiosa do Brasil. 

1

Segundo o que vem sendo divulgado há alguns anos, dentro de 10 ou 20 anos a Igreja Católica poderá não ser mais maioria no Brasil, visto que os não católicos, embora cristãos, vem crescendo de forma acelerada nesses últimos anos. 

1

Entretanto, e é aqui onde começa o nosso alerta para um Evangelismo Total, os chamados evangélicos, que no quadro anterior somaram 42. 275. 440 pessoas, segundo o censo do IBGE de 2010, na realidade não são todos evangélicos, mas também grupos heterodoxos, pois para o IBGE quem não é católico, mas cristão, leva o nome de evangélico, quando na verdade poderiam ser chamados de pseudo-evangélicos ou pelos seus respectivos nomes, uma vez que não aderem às crenças evangélicas ortodoxas da Bíblia que foram expandidas por toda a história do Cristianismo. Isto é, são grupos que distorcem as doutrinas ortodoxas de Cristo, de Deus, do Espírito Santo, ou melhor dizendo, da Trindade, do Inferno, do Homem, e muitas outras. E dentre esses, queremos dá destaque a três grupos que são considerados como os que mais "evangelizam" os evangélicos, como também mostrar como eles veem a Pessoa do nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo. 

A Igreja Adventista do Sétimo Dia, que ultimamente tem crescido de forma considerável, acredita e ensina que o Mediador entre Deus e os homens, o Criador de todas as coisas e o Salvador do mundo é o arcanjo Miguel, uma vez que na visão adventista esse arcanjo e Jesus são a mesma pessoa. Com base na visão adventista é possível dizer que ao invés de um Cordeiro Pascal, um anjo é quem foi enviado para morrer pelos pecadores. Além disso, os adventistas negam, a existência do inferno, negam o sofrimento eterno para os ímpios no Lago de Fogo, acreditam que a guarda do sábado importa  salvação e que o diabo simbolizava o bode que o sumo sacerdote colocava as mãos e orava para depois enviá-lo ao deserto (Lv 16), o que faz com que o diabo seja co-redentor, e o que contraria o ensino bíblico de que os dois bodes sem manchas usados para fazer a expiação do pecado de todo o povo hebreu, era  uma pré-figuração do sacrifício de Jesus pela humanidade. Logo, para o Adventismo, quem morreu pelos pecadores, ainda que não queiram assumir isso, foi o diabo e arcanjo "Jesus".

As Testemunhas de Jeová, ou Sociedade Torre de Vigia, também acreditam que Jesus e o arcanjo Miguel são as mesmas pessoas, e, por isso, na visão jeovista Jesus não é digno de adoração, já que Ele não é tido como Deus ou Jeová. Elas também negam a existência do inferno e  o sofrimento eterno para os ímpios no Lago de Fogo. E com convicção defendem que apenas 144.000 pessoas serão salvas por Deus.

A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, mas conhecida como Igreja Mórmon, também não acredita que Cristo é Deus, por outro lado, acreditam que Ele é irmão do diabo. Ensina que Deus foi um dia como nós e se relacionou com algumas mulheres, por isso defendem a poligamia como outras crenças estranhas à Bíblia.

Ou seja, embora seja coerente a alegria que Igreja Evangélica no Brasil vem sentindo por ver que a Igreja Romana vem perdendo seus devotos, precisa, todavia, manter essa alegria com moderação, pois na verdade muitos desses católicos, como também, evangélicos, estão passando a se congregar nos grupos ou nas denominações supracitadas, o que é de extrema preocupação para àqueles que amam missões. 

Infelizmente boa parte das Igrejas Evangélicas ainda não se deu conta do crescimento desses grupos. A Igreja Evangélica no Brasil precisa olhar esses grupos como olha para a Igreja Católica, já que eles também não levam as pessoas a Deus.

“Nem todo o que me diz: Senhor, Senhor! entrará no Reino dos céus, mas aquele que faz a vontade de meu Pai, que está nos céus. (Mat 7:21)

“Irmãos, o bom desejo do meu coração e a oração a Deus por Israel é para sua salvação. Porque lhes dou testemunho de que têm zelo de Deus, mas não com entendimento. (Rm 10:1-2) 

Jesus ordena que os que são seus saiam por todo o mundo e preguem o Evangelho genuíno a toda criatura (Mc 16:15), não apenas aos católicos, aos muçulmanos ou a outros religiosos que de cara se percebe que não vivem as Boas Novas.

Jesus nos pede que levantemos os olhos e percebamos o campo missionário que está a um palmo dos nossos narizes (Jo 4:35). É preciso tirarmos dos olhos as escamas que nos impede de enxergar esses grupos como campos missionários, pois é assim que eles enxergam o povo de Deus. Eles tem convicção que nós evangélicos precisamos da salvação que eles oferecem, por isso saem nas escolas, praças, internet e tv aberta em busca de nos “salvar”. E o que é mais triste e preocupante, partes desses grupos são compostas por ex- evangélicos, por isso também cresce o número dos seus adeptos. 

  “O meu povo está sendo destruído, porque lhe falta o conhecimento.”  (Os 4:6)

Não seria nem necessário que um artigo como esse fosse escrito se porventura tivéssemos sido ensinados a pregar o Evangelho literalmente a todos os perdidos de forma eficaz. 
Há uma extrema necessidade de mudarmos o modo de como fazemos missões. Qualquer crente que quiser ter certeza se realmente o que estamos aqui alertando tem alguma coerência, pode fazer um levantamento de quantos ex- testemunhas de jeová, adventista, mórmon, budista, espírita, ccb, por exemplo, há na sua Igreja, e assim poderá ver a quase inexistência dos também chamados [quase esquecidos pela Igreja]. 
Façamos uma reflexão sobre se verdadeiramente amamos todas as almas sem Deus, se é com o coração que dizemos que o Senhor pode contar conosco para levarmos a preciosa semente gemendo e chorando até aos confins da terra, conforme nos ordenou Àquele que não tem prazer na morte do ímpio (Sl 126: 6; Ez 18:23;At 1:8), e se realmente devemos a partir de agora começarmos a seguir os passos dos apóstolos sobretudo os do Senhor e Salvador Jesus Cristo e evangelizar esses grupos. 
  
“As minhas ovelhas ouvem a minha voz; eu as conheço, e elas me seguem.” (Jo 10:27)
  
Se após essa reflexão entendermos que há milhares de pessoas indo para onde Deus não queria que fossem, não percamos mais tempo, passemos a colocar em prática o que Cristo fez sem exceção, isto é, mostrar o seu Amor atoda criatura (Jo 3:16).

"Ao nos aproximarmos de adeptos de grupos hereges, encontraremos amor, honestidade, seriedade e boas ações entre eles. Olhando por esse ângulo, essa é a parte mais dolorida para nós. Pensar que pessoas com refinamento, cultura e moralidade, como essas estão fadadas ao sofrimento eterno nos leva a desejar sua salvação, como o apóstolo Paulo desejou diante dos filósofos atenienses ou dos judeus enfurecidos. Não eram ímpios vivendo contra Deus. Eram pessoas boas pensando ter Deus." (SOUZA, Eguinaldo Hélio de. Uma Seara [quase] Esquecida. 2015. P. 28).
                                                                       
                                                                                                       
1- Disponível em:.

Nenhum comentário:

Postar um comentário