10 março 2017

NA ÁFRICA, VICENTIA TADAGBE, QUE CHAMA A SI MESMO DE “PERFEITA” E “ESPÍRITO SANTO DE DEUS”, ARRASTA MULTIDÕES

Vicentia Tadagbe Tchranvoukinni, the founder of the Very Holy Church of Jesus Christ of Baname, calls herself 'Perfect' and 'God holy spirit'

Na Santíssima Igreja de Jesus Cristo de Baname, em Benin, África, milhares de fiéis se reúnem para adorar a Deus. Porém, para eles a divindade está encarnada em uma mulher de 25 anos, que promete acabar com o reinado do diabo na terra.
Sua teologia carismática e os confrontos com outras religiões fizeram com que fosse expulsa da Comunidade de Igrejas de Benin, e escândalos repetidos mantêm a seita à vista pública.
O episódio mais recente ocorreu em janeiro, quando cinco seguidores sufocaram-se, até a morte depois que lhes disseram para se trancarem dentro de quartos selados com incenso ardente e orar para libertação.
Mas parece que nenhuma quantidade de má notícias pela imprensa pode abalar a popularidade da Igreja Santíssima, ou eclipsar o apelo de sua líder, que se faz popularizar cada vez mais.
odos os domingos, milhares de seguidores sobem uma colina no distrito de Zou, em Baname, a 130 quilômetros ao norte da capital, para ouvir Vicentia pregar. Fundada em 2009, sua igreja – classificada hoje como seita – cresceu rapidamente em todo o país.
A imagem da divindade encarnada, com seu conhecido chapéu vermelho, está espalhada por vários lugares. O relato feito por ela mistura elementos do cristianismo e das religiões animistas tradicionais do país. Vicentia alega ter caído do céu na Terra, onde foi encontrada por um pastor de gado em meio aos arbustos.
Seu discurso é que veio terminar uma “missão”. Seu maior aliado é o Papa Christophe 18, nome adotado  pelo ex-padre Mathias Vignan, o maior “evangelista” da Santíssima Igreja de Jesus Cristo de Baname.
Sacerdotes da Santíssima Igreja de Jesus Cristo de Baname chegam à igreja de Nazaré em Djidja
Sacerdotes da Santíssima Igreja de Jesus Cristo de Baname chegam à igreja de Nazaré em Djidja
Desde que assumiu o cargo, ele tem instigado seus seguidores contra os católicos que se recusam a aceitar Vicentia. “As pessoas não entendem que o Espírito Santo Criador do Céu e da Terra usa o corpo da Perfeita como seu templo”.
“Ela veio para terminar o reinado de Belzebu, por fim ao domínio da feitiçaria e todos os espíritos malignos que impedem a humanidade de se desenvolver”, sublinha.
Nas missões de evangelização, realizada por seus seguidores, há relatos de conflitos e agressões, inclusive com mortos. Os “guerreiros de oração” saem a campo armados de pedaços de pau e facões e não tem medo de usá-los contra que os rejeita.
Em janeiro de 2014, o governo de Benin começou uma investigação formal sobre a igreja quando começou a receber “numerosas queixas” de comunidades religiosas, políticos e líderes tradicionais.
Na ocasião, o ex-presidente da república, Thomas Boni Yayi, procurou pessoalmente Vicentia para conversas. Até hoje, nenhuma ação judicial foi tomada contra ela. De lá para cá, a esfera de influência de Tchranvoukinni só cresceu.
25-year-old-female-preacher-in-Benin-declara-se-God2
Culto realizado pela suposta 'deus', superlota os espaços
Ela defendeu publicamente a candidatura do presidente Patrice Talon, eleito em março de 2016. Desde então, apesar das denúncias, a Igreja de Baname teve um crescimento exponencial.
Comentário do Editor:
Um povo carente de tudo, principalmente de carinho, atenção e de socorro de Deus, acaba por crer em qualquer pessoa que lhe prometa vida boa aqui e depois o 'paraíso'. Isso acontece aqui no Brasil também. O diferencial é que ainda aqui não apareceu alguém se intitulando 'deus'.
Vejam meus irmãos, o quanto é necessário fazermos chegar o Evangelho de Jesus em lugares como esse, esquecido muitas vezes pelas igrejas nacionais como as nossas.
Que Deus levante missionários que possam ir e tira-los da 'densa treva' que domina esse povo!
Viva vencendo, sempre orando pra Jesus salvar os povos que estão sedentos, porém, enganados!!!
Abraços.
Seu irmão menor.

Nenhum comentário:

Postar um comentário