18 junho 2017

E A BÍBLIA TINHA RAZÃO: ARQUEÓLOGOS AFIRMAM TER ENCONTRADO CASA DO PROFETA ELISEU

Arqueologos encontram a casa do profeta Eliseu. (reprodução blog Pr. Marco Feliciano)
Arqueólogos encontram a casa do profeta Eliseu

Em 2013 arqueólogos descobriram no sítio arqueológico de Tel Rehov, no Vale do Jordão, uma cidade com aproximadamente 3 mil anos de idade. Nesta cidade foi encontrado um edifício que acreditam ser a casa do profeta Eliseu. Foram 16 anos de escavações no sítio arqueológico e a casa do profeta seria uma das grandes descobertas do local.
Segundo Ami Mazar, arqueólogo que participou da escavação, a casa estava cheia de objetos diferenciados, que caracterizariam que o dono tinha ligações com o culto religioso de Israel, pois foram encontrados dois altares de cerâmica que eram usados para queimar incenso e oferecer ofertas a Deus.
Além disso, foram encontrados vasos de barro e recipientes provavelmente usados para servir alimento aos discípulos do profeta. As evidências é que os objetos não serviriam a uma família típica, mas provavelmente para uma comunidade, como a escola de profetas de Eliseu. A casa também tinha uma estrutura diferenciada das demais, pois, segundo explicou o arqueólogo, havia duas alas grandes, que estavam ligadas uma à outra por corredores e cada uma tinha uma saída para a rua. Geralmente as casas da época tinha apenas uma ala grande  e uma única saída.
Os altares encontrados na casa eram possivelmente usados em rituais de adoração a Deus, o que era tipicamente comum naquela época. Os pesquisadores também destacaram que havia uma mesa e um banco em um dos locais da casa.
A evidência mais importante encontrada no local das escavações foi um fragmento de cerâmica com o nome de Eliseu sobre ele, datado do século 9 a.C. Por conta das diversas características e do nome encontrado no local, os arqueólogos veem como forte o indício de que a casa pertencia ao profeta do Antigo Testamento.
            5 passagens da Bíblia que já foram comprovadas pela ciência
Para a maioria dos mais de 5 bilhões de habitantes do planeta Terra, o conteúdo da Bíblia é tido como verdade absoluta. Entretanto para ciência moderna, muitas passagens do Livro Sagrado são meramente fábulas contadas de geração em geração, o que leva muita gente religiosa a ter a ciência como inimiga número 1 de Deus. Porém se por um lado o avanço da ciência tem levados muitos a questionar a veracidade das histórias bíblicas, por outro lado a própria ciência as vezes tem validado passagens bíblicas que eram questionadas pelos cientistas. Confira abaixo 5 dessas passagens, de acordo com uma lista divulgada pela Galileu com base em informações da Listverse.
1 – A capacidade da Arca de Noé de levar um casal de cada animal
Em 2014, quatro alunos de Física da Universidade de Leicester, na Inglaterra, investigaram quais as possibilidades da arca de Noé flutuar carregando um par de cada espécie animal. As análises foram feitas de acordo com teorias físicas e os relatos encontrados da Bíblia.
Primeiro, o grupo converteu os “cúbitos” (medida utilizada na Bíblia) para centímetros. Foi determinado que: 1 cúbito correspondia a 48 centímetros. A partir deste raciocínio, foi estabelecido que a arca teria cerca de 145 metros de comprimento, 24 metros de largura e 14 metros de altura.
A arca teria sido feita de um material chamado “madeira de Gofer”, cuja densidade é semelhante ao cipreste – utilizada pelos estudantes. Eles descobriram que, enquanto vazia, a arca pesaria cerca de 1,2 milhão de quilos. Logo, para que pudesse flutuar, a densidade dela teria de ser menor do que a da água.
Com base em outras análises e pesquisas, eles concluíram que a embarcação poderia carregar 51 milhões de quilos, ou seja, cientificamente falando, a arca de Noé seria capaz de suportar um casal de cada espécie existente em tal época.
2 -A pedra de Pôncio Pilatos
Em 1961, enquanto realizavam escavações em um teatro antigo construído do Herodes, o Grande, na região da Cesareia, Israel, uma equipe de arqueólogos descobriu uma pedra que posteriormente foi associada ao personagem bíblico, Pôncio Pilatos. Isso porque, o objeto de fato possuía uma inscrição lateral que dizia: “Pôncio Pilatos, prefeito da Judeia, a dedica”. Tal objeto foi tido com a primeira evidência física de Pilatos.
A pedra de Pôncio Pilatos
    A pedra de Pôncio Pilatos
3 – O Reservatório de Siloé
Após curar um cego de nascença, Jesus lavou os olhos do homem nas águas de um lugar chamado Reservatório de Silóe, segundo informações presentes no livro de João, na Bíblia. Contudo, a Ciência acreditava que João não estava se referindo a um local de verdade, mas apenas ilustrando um conceito religioso.
No entanto, em 2005, um grupo de encanadores acabou esbarrando em uma reserva de água localizada na Cidade Velha de Jerusalém. De acordo com o especialista James Charlesworth, o reservatório era o mesmo descrito por João na Bíblia, já que estava exatamente no local descrito pelo apóstolo.
4 – A parede de Salomão
No Primeiro Livro dos Reis, no Antigo Testamento, é dito que o rei Salomão ordenou a construção de uma muralha em Jerusalém. Assim, em uma escavação conduzida pela Universidade Hebraica de Jerusalém, em 2010, um grupo de arqueólogos encontrou uma parte dessa construção, que possuía 70 metros de comprimento e 6 metros de altura. Além da muralha, ainda foram encontradas uma guarita de segurança e uma torre.
5 – Cidadela da Primavera 
A Cidade de Davi é tida como o principal sítio arqueológico de Jerusalém. Assim, após 20 anos de escavações realizadas, arqueólogos encontraram nela a Cidadela de Primavera, que, de acordo Oriya Dasberg, diretor de desenvolvimento do local, “foi construída para salvar e proteger a água da Fonte de Giom dos inimigos que queriam conquistar as cidades, bem como proteger as pessoas que queriam beber da água e voltar para a cidade”.  Os arqueólogos também acreditam que tal estrutura foi a mesma utilizada para a unção de Salomão como rei.

Nenhum comentário:

Postar um comentário