08 junho 2017

EURICO GASPAR DUTRA, TENTOU BANIR DO BRASIL EM 1949, AS TESTEMUNHAS DE JEOVÁ


 Muito antes da iniciativa do presidente Wladimir Putin de banir as Testemunhas de Jeová da Rússia, o presidente Eurico Gaspar Dutra (1946-1950), na foto, assinando em conjunto com o ministro Adroaldo Mesquita, editou o decreto 27.395, de 3 de setembro de 1949, tornando ilegais as atividades da "Torre de Vigia de Bíblias e Tratados".

Atualmente, essa organização religiosa está sendo acionada pelo Ministério Público Federal em ação civil pública que apura possível incitação dos seus líderes ao preconceito contra ex-membros da seita.

Eurico Dutra suspendeu por seis meses o funcionamento da "Torre de Vigia" e, no artigo 2º. do Decreto, deu ordem ao Ministério Público Federal para que promovesse ação judicial para a dissolução da entidade.

O Decreto faz referência, ainda, ao processo nº. 21.165-49, do antigo Ministério da Justiça e Assuntos Interiores, de onde teria partido a recomendação ao presidente da República para encerrar com as pregações das "Testemunhas". 

Desconheço o resultado da ação judicial que o MPF recebeu a determinação de propor.

Contudo, se o banimento das Testemunhas de Jeová tivesse prevalecido até os nossos dias, como queria o presidente Dutra, muitas crianças e adultos não teriam morrido por deixarem de receber transfusões de sangue; um contingente alto de brasileiros não renunciaria aos seus direitos civis e políticos (pois não haveria mais a seita para que a ela se convertessem), e a população das periferias dos grandes centros urbanos não seria hoje importunada de manhã por duplas batendo à porta para "falar de Jeová".

Teríamos hoje, enfim, um Brasil melhor e sem a presença de uma seita que mata seus próprios membros e rouba a família e os amigos de quem foge dela.

Confira aqui o Decreto:

Nenhum comentário:

Postar um comentário